História Trouble | Nash Grier - Capítulo 6


Escrita por: ~

Visualizações 132
Palavras 1.981
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olaaaaaaa, pessoas!
Como vocês estão? Eu estou ótima, me respondam se vocês estão nos comentários!
Não me matem por esse capítulo! Qualquer coisa me chamem.
Amo vocês.
Boa leitura.

Capítulo 6 - Alice e Suas Merdas


Alice Caniff

Entrei na escola naquela manhã com Cameron ao meu lado. Eu estava extremamente nervosa por alguma razão desconhecida pelo ser humano e Cameron estava nervoso também quase como se fosse um reflexo de mim, como sempre acontecia quando eu estava estranha ele também ficava do mesmo jeito. Automaticamente todos os olhares foram direcionados para nós quando descemos do carro. Mas aquilo não era novidade.

Olhei para Cameron que estava estranhamente quieto de novo.

Franzi a testa.

- Está tudo bem, Cam? - perguntei olhando em volta para os rostos de nossos colegas esperando encontrar um par de olhos azuis.

Ele suspirou.

- Está - falou um tanto seco, abriu as portas da entrada da escola e esperou eu entrar, me seguindo em seguida.

- Não está não - discordei. Eu conhecia Cameron como a palma de minha mão, eu só precisava pressionar ele um pouco para ele se abrir. Eu gostava disso nele. Não existia drama.

Ele me encarou levemente irritado.

- Só não quero encontrar aquele idiota aqui - olhou em volta quase como se esperasse ele aparecer na nossa frente.

Senti culpa. Se Cameron soubesse que eu tinha o encontrado ontem, provavelmente teria outra briga. Peguei sua mão entrelaçando os dedos para acalma-lo. Cameron automaticamente respirou fundo como se uma paz o tivesse o inundado. Outra coisa sobre ele, ele adorava demostrações de afeto em público.

Tratei logo de mudar de assunto, conversando com ele sobre o professor de matemática, Sr. White, que tinha passado um trabalho para hoje, que eu não tinha feito e várias outras merdas sem sentido para ele não ficar pensando no Grier.

Cameron estava rindo e tirando sarro de mim por não ter entrego o trabalho, segundo ele eu estava fodida, então do nada sua expressão ficou repentinamente séria, bufou bravo e travou o maxilar.

De repente me puxou para perto passando o braço por minha cintura me deixando extremamente perto dele.

- Que porra voc...

Ele me interrompeu.

- Shh.

Encarei ele brava. Tudo bem que nós eramos amigos, mas como eu já tinha dito, eu não era uma amante de demostrações de afeto em público.

Eu já conseguia escutar as fofocas sobre isso.

Estava prestes a reclamar de novo quando segui seu olhar vendo quem eu estava procurando.

Nash Grier caminhava calmamente em nossa direção com Gilinsky ao seu lado.

Senti meu coração disparar, olhei para Cameron que estava a uns quinze centímetros de distância de meu rosto. Vi quando seus olhos escureceram. Coloquei minha mão em seu peito, e ao meu toque ele pareceu se acalmar.

Voltei meu olhar para Nash que agora estava perigosamente perto. Pensei que ele iria chegar falar comigo, mas ele simplesmente piscou para mim e seguiu em frente.

Suspirei aliviada.

Então no meio do caminho ele parou e olhou para mim, sorriu e gritou:

- Adorei nosso encontro ontem, Alice, você tá livre essa noite?

Gritou. Na frente da escola inteira.

Dei o dedo do meio para ele que riu e seguiu Gilinsky até onde Matthew e Johnson estavam conversando.

Senti todo o corpo de Cameron ficar tenso.

Me contorci em seu braço para olha-lo. Mas não tive coragem, apenas encarei seus tênis, que eram lindos por sinal. Nike era sempre Nike.

- Que porra foi essa, Alice? - disse tão baixo que tenho certeza que eu não escutaria se não estivesse tão perto assim.

Respirei fundo ainda sem olhar seus olhos.

- Nash veio falar comigo ontem - soltei de uma vez.

Ele ficou imóvel. Eu juro, até sua respiração ficou presa.

- Você me falou que não iria conversar com ele! - Cameron me soltou parecendo revoltado. Me assustei com isso, ele nunca tinha me soltado, na verdade ele sempre queria ficar o mais perto possível de mim - Você me prometeu!

Fiquei de frente para ele entrando em seu campo de visão.

- Eu estava falando com ele justamente para dar um fora nele, Cameron!

Ele me olhou bravo e falou alto.

- Ele falou que vocês tiveram um encontro! - argumentou contra mim. Deus, aquilo era ridículo. Por que ele estava tão bravo?

- E você vai acreditar nele? - disse agora irritada batendo o pé no chão. Certo, estou parecendo uma criança birrenta discutindo com o pai.

Ele passou as mãos pelo cabelo pensando.

- Não sei porra! - chegou mais perto parecendo subitamente assustado - Você gosta dele?

De longe, pude ver Nash me olhando parecendo preocupado, Matthew estava segurando seu braço, como se Nash quisesse se intrometer entre mim e Cameron. Desviei o olhar.

Ri sem humor da pergunta de Cameron.

- Não é possível gostar de alguém tão rápido assim, Cameron - minha voz saiu meio trêmula, quis me bater por ser tão idiota.

Ele pareceu abalado.

- Está me dizendo que você seria capaz de gostar dele com o tempo? - acusou me olhando nos olhos.

Fiquei mais irritada ainda. Da onde estava vindo aquela insegurança de Cameron?

- Eu não disse isso! - falei - Não coloque palavras em minha boca!

Ele me olhou com os olhos semi cerrados parecendo absurdamente desconfiado.

- Prove!

Provar? Como eu iria provar para Cameron que eu não sentia nada pelo Nash?

A idéia me atingiu como um raio.

Era ariscado, mas não era como se fosse a primeira vez que uma garota fizesse isso com ele.

Dei um passo em sua direção passando meus braços pelo seu pescoço, senti seu suspiro surpreso, e então sem deixar mais nenhum espaço entre nós, colei nossos lábios.

Então eu estava beijando meu melhor amigo.

Nash Grier

Eu nunca tinha me sentido daquele jeito. Era a pior sensação do mundo. Parecia que tinha uma mão fria segurando meu coração. Meu sangue ferveu, senti mais raiva do que pensava ser humanamente possível.

Ele estava beijando ela. Beijando.

Me senti doente, como se a qualquer momento eu fosse vomitar.

Eu cheguei na escola animado para ver Alice, no dia anterior eu tinha ficado intrigado pelo jeito dela. Ela não sorriu para mim, nem flertou como todas as outras garotas tinham feito, na verdade ela foi uma vaca comigo, o que só me encantou ainda mais. Eu pensei que já estava interessado nela, mas depois de falar com Alice descobri que era mais. Eu podia ter ficado horas escutando as grosserias dela sem me importar, podia aguentar seus foras para o resto de minha vida se isso fosse sinônimo de te-la por perto.

Mas, claro, minha vida não podia ser tão simples.

Existia Cameron Dallas para atrapalhar.

No momento que eu vi ela na escola, Cameron também me viu, então pôs os braços em volta dela, o que já me deixou irritado.

Eu sei que eu não tinha nenhum direito, e que isso era ridículo, mas eu não conseguia parar.

Não parecia certo.

Passei perto deles e pisquei para ela, andei só alguns metros antes de me virar e gritar que queria sair com Alice de novo.

Ela me mostrou o dedo do meio e voltou a atenção para Cameron que parecia um carrapato agarrado nela.

Ri e fui conversar com os caras.

- Você é retardado? - perguntou Johnson me encarando de cima a baixo.

Olhei para ele.

- Não.

Ele me encarou com um olhar clínico.

- Não parece.

Os meninos riram, e eu estava fazendo o mesmo quando escutei a voz de Cameron ficar alta.

Eu não conseguia entender o que eles estavam discutindo, mas tinha a certeza que era sobre mim.

Dei um passo para ir até lá, Matt pôs a mão no meu braço, me segurando.

- Solta - falei com os olhos fixos nela. Tudo o que passava na minha cabeça era que o filho da puta do Cameron estava gritando com Alice.

Matthew balançou a cabeça.

- Eles se resolvem.

- Ele tá gritando com ela porra! - falei nervoso tentando me soltar.

Matt revirou os olhos.

- Não é da sua conta, mano - ele parecia não entender minha cisma com Alice .

Isso me fez calar a boca. Aquilo realmente não era da minha conta, então porque eu estava preocupado?

Soltei meu braço e encarei os dois novamente.

Cameron estava, obviamente, nervoso enquanto Alice falava alguma coisa para ele.

Ele gritou mais uma coisa, e então Alice se inclinou e o beijou.

O chão debaixo dos meus pés sumiu por alguns instantes.

Cameron pareceu surpreso, mas no mesmo instante passou os braços pela cintura dela, retribuíndo o beijo.

Encherguei vermelho.

Avancei na direção deles, Matt se pôs na minha frente.

- Calma.

Como eu podia ter calma quando aquele cara estava tocando ela?

Tentei empurra-lo.

- Sai, Matthew - eu nunca, em toda a minha breve vida, tinha soado tão sério, até Matthew se assustou.

- Mano, todo mundo sabe que ela paga de santa mas é a puta do Cameron - falou me segurando.

Se antes eu estava com raiva, agora eu estava irado. Iria matar Matthew.

Então antes que eu fizesse qualquer coisa uma mão surgiu do além e deu um tapa forte na cara dele.

Olhei assustado uma menina aparecer do nada. Matt parecia estar no mesmo estado.

- Quem você pensa que é para falar isso da Alice, seu merda? - gritou ela, com o tapa, Matt me soltou ficando de frente para a menina.

Era uma garota bonita com cabelo castanho e olhos da mesma cor, parecia determinada a dar uma surra em Matthew, seus olhos em um tom bonito de chocolate brilhavam de raiva enquanto ela afastava alguns cachos de cabelo de seu rosto. Eu poderia rir em outra situação.

Ignorei os dois.

Tentei ir até lá para acabar com aquela pouca vergonha de Alice, mas claro, Sammy resolveu surgir do além também e me segurar.

- Quem você pensa que é, garota? - gritou Matt revoltado - Você quase descolocou meu pescoço com esse tapa!

Eu não podia discordar, a cabeça de Matthew quase foi arrancada com o golpe.

A menina riu e pôs uma mão na cintura. Vi Matthew acompanhar o movimento com os olhos parecendo meio distraído.

- Eu sou Anna Gomez - disse a garota depois acrescentou - E não tenho culpa se você não aguenta levar um tapinha de uma menina.

Matthew pareceu ofendido.

Johnson riu se divertindo.

Olhei para Alice e finalmente eles tinham parado com a baixaria. Ainda bem. Tinha crianças ali.

Matthew principalmente, que ainda discutia com a menina.

Encarei Cameron e Alice que agora conversavam baixo, os braços dele ainda a cercavam e o mesmo tinha um sorriso estúpido no rosto.

Eu queria arrebentar cada dente dele para que ele nunca mais sorrisse daquele jeito.

E outra, duvido que Alice o beijaria de novo se ele fosse banguelo.

O sinal tocou e a massa de alunos começou a se mover, indo cada um para sua sala. Alice se soltou de Cameron e começou a andar, provavelmente até sua sala, Cameron olhou para mim, sorriu, e então puxou ela dando um selinho na mesma. Senti uma facada no coração.

Ótimo. Agora eu era dramático.

Ela pareceu envergonhada, mas não o afastou. Pareceu se despedir e ir para algum lugar enquanto Cameron ficou parado com um sorriso idiota na cara.

Ao meu lado escutei a menina gritar para Matt.

- Meu Deus, você é um bundão! - Johnson riu de novo.

Johnson era uma pessoa estranha.

- Você é mais! - respondeu Matt infantilmente.

Ela revirou os olhos.

- Legal, estamos no quarto ano de novo? - perguntou ironicamente - Quer saber? Vai se foder!

Disse e saiu andando para o mesmo lugar onde Alice tinha ido. Resisti ao impulso de segui-la.

- Vai você! - gritou Matt a menina apenas mostrou o dedo do meio para ele.

Gilinsky balançou a cabeça.

- Você é péssimo nisso.

Matthew apenas bufou.

- Acho que aquela menina quebrou algum osso do meu rosto - falou passando a mão na bochecha que estava escandalosamente vermelha - Vocês já viram ela aqui na escola?

Gilinsky concordou.

- Ela é melhor amiga dos irmãos Caniff - revelou baixinho para Matt que parecia extremamente interessado - Taylor simplesmente ama ela. Os dois estão sempre juntos.

Depois disso Matt ficou irritado e calou a boca perdido em pensamento.

Olhei para Cameron de novo pensando em mil maneiras de mata-lo. Nenhuma parecia dolorosa o suficiente. Ele também me olhou. Então andou até mim, me preparei animado para outra briga, eu só precisa de um movimento dele para soca-lo.

Ele não o fez, infelizmente.

Passou perto de mim e disse:

- Você pode dar em cima de Alice o quanto quiser, Grier - disse sério - Mas no final do dia é para mim que ela volta.

Então se virou e foi embora.


Notas Finais


Obrigada por lerem. Votem, comentem e divulguem! A fanfic é de vocês!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...