História Trouble- Park Jimin. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Gemêas, Hentai, Imagine, Ma Ri, Maevie, Mi-cha, Park Jimin, Problema, Sexo, Suspense, Trouble
Visualizações 18
Palavras 2.217
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Che-guei~

Tô feliz porque consegui cumprir um prazo show antes do prazo \o/ se continuar assim eu vou me sentir tão responsável :'D
hfjkshdjkjdhskj Quero agradecer a quem comentou e favoritou, me senti muito feliz! ^3^

Espero que gostem do capítulo e boa leitura~

Capítulo 2 - Chapter Two.


Fanfic / Fanfiction Trouble- Park Jimin. - Capítulo 2 - Chapter Two.

Mi Cha

 

Cheguei em Busan logo antes do meio-dia, a primeira coisa que eu fiz foi almoçar em um caro e bom restaurante. Queria descansar, de fato, sentia-me cansada após dirigir por muitas horas mas eu sei que logo meus pais ligariam para perguntar sobre a Ma Ri

  Aproveitando minhas poucas horas livres antes de ter que lidar com minha mãe preocupada e irritada por telefone, fui até o apartamento de Ma Ri. A senha era ridiculamente fácil e clichê: Nosso aniversário.

 

 Vasculhei todo aquele local com uma bagunça moderada e não encontrei nenhum rastro da minha irmã, porém seu  celular encontrava-se encima da cama e totalmente descarregado.

   Obviamente estranhei, pois meus pais me contaram com clareza que sempre que rastreavam o celular de Ma Ri, ela estava em casa.  – Comecei a duvidar sobre a última vez em que fizeram isso –.

 

Depois daquela grande falha fui até o local que ela disse que trabalhava. É um restaurante de segunda categoria que fede a fritura e café, que fica perto de um estacionamento. E para um lugar com classe tão baixa, atraía vários clientes.

  Ao perguntar para o gerente sobre minha irmã gêmea fui informada de que ela pediu demissão à dois meses.

Sinceramente, toda aquela busca rápida e falha estava me deixando frustrada, já que antes de partir meus pais deixaram bem claro para voltar para Seul só quando eu conseguisse fazer Ma Ri falar com eles e se eu tivesse que passar todos os meus três meses de férias procurando-a, teria que o fazer. Isso seria um grande saco.

 

Enquanto eu caminhava até meu carro um sujeito esbarrou em mim e como consequência meu celular novinho caiu no chão com tudo, estraçalhando a tela. Um dos dois homens gritou comigo e falou para eu olhar para onde eu ando, o outro simplesmente levantou e abaixou os ombros.

 

Obviamente eu não deixaria passar, mesmo podendo pagar, queria dinheiro para comprar um celular novo. Nada mais que justo.

 

Tudo aquilo estava gerando uma intensa discussão, que passou a ser física assim que um deles tentou me acertar um tapa. Eu chutava-os e os esbofeteava com a minha bolsa de mão, sabendo que apear de tudo, talvez não fossem revidar. Só talvez.

 

— Ma Ri! — Ouvi alguém chamar o nome de minha irmã mais velha e por instinto, parei bruscamente. Minha primeira reação foi olhar pelos lados a procura da minha irmã mais velha, e depois olhei para a direção que ouvi o nome dela ser pronunciado. Aparentemente, aquele rapaz estava falando comigo.

 

Havia dois deles. Um deles possuía cabelo castanho escuro e o outro preto, ambos possuíam olhos negros e lábios fartos, assim como eram extremamente belos.

   O de cabelo castanho possuía ombros largos e era mais alto do que o de cabelo preto, isso é perceptível logo de cara.

 

Sem dizer nada fui até os dois rapidamente, o som dos meus saltos tornou-se levemente irritante conforme eu acelerei o passo.

 

 

— Ma Ri...? — Parei na frente deles, intercalando meu olhar entre os dois estranhos. Tentei parecer séria, porém acho que só transmiti curiosidade. Antes de dizer mais algo analisei-os mais uma vez, deixando de lado qualquer pensamento que fosse um elogio para suas aparências. — Então vocês conhecem minha irmã. — Concluí, cruzando os braços.

 

— Irmã? — O de cabelos pretos arqueou uma de suas sobrancelhas, ele parecia realmente confuso com a minha afirmação.

 

— Sim, irmã. — Suspirei. — Me chamo Mi Cha, sou irmã mais nova de segundos da Ma Ri. Somos gêmeas, mas acho que isso é óbvio. — Comentei, tombando minha cabeça para o lado.

 

— Sou SeokJin e esse é o Jimin mas... — Aquele que atendia por SeokJin parecia estar me analisando com atenção e cautela, como se estivesse carregando aquela informação. — Ma Ri nunca disse para ninguém que possuía uma irmã gêmea... Nem para o Taehyung.

 

— Quem é Taehyung? — Questionei-o, franzindo o cenho do jeito que ele pronunciou sua última frase. — Pela sua estranha entonação de voz imagino que seja alguém importante.

 

— O Ex-namorado da Ma Ri, ou quase isso... Eles nem chegaram a namorar. — Jimin murmurou, percorrendo seu olhar por meu corpo e depois voltando a olhar-me nos olhos. Não pude identificar se ele estava me estranhando ou me admirando, de qualquer forma, quase fez com que eu ficasse envergonhada.  — Um amigo nosso.

 

— A Ma Ri não arranjou namorado algum aqui em Busan. — Rebati, sentindo-me ofendida. O fato que a minha irmã gêmea escondeu que estava em um relacionamento não foi o mais frustrante, o mais frustrante foi ela me afirmar que não tinha ninguém lhe interessasse. Na verdade, dá basicamente na mesma coisa. — Ela teria me dito. — Insisti, mesmo sabendo que ela não teria me dito.

 

— Bem, ela estava. Se Ma Ri não lhe contou não é problema nosso. — Jimin levantou e abaixou os ombros e logo depois passou uma de suas mãos por seus cabelos. Achei tal gesto atraente, porém me negaria a comentar sobre isso, até porque, não há motivos.

 

— E onde a Ma Ri foi? — Suspirei, percebendo que os homens com quem eu estava conversando antes já não estavam mais presentes ali à tempos.

 

— Ela sumiu à quase um mês. Simplesmente, do nada. — SeokJin murmurou, parecia estar curioso sobre minha irmã mais velha. — Pensei que ela tinha voltado para casa, mas já que está aqui, significa que-...

 

— Ela não deu nem as caras em Seul, e também não liga para mim nem para nossos pais há um mês mais ou menos. — Interrompi-o. — Bem, vocês não sabem onde ela está então? Tem certeza? — Arrisquei em perguntar mais uma vez.

 

— Não. — O mais baixo, Jimin, respondeu-me rapidamente e com convicção, para meu desgosto e frustração.

 

— Ah... Obrigada mesmo assim. — Um suspiro exasperado veio de mim. Quando eu estava prestes a sair SeokJin pronunciou-se novamente.

 

— Talvez o Taehyung saiba, ele e a sua irmã estavam ficando por um tempo. Pode ir falar com ele. — Sugeriu. Obviamente aceitaria a proposta, já que eu estou praticamente desesperada para achar Ma Ri, que simplesmente sumiu do mapa sem mais nem menos.

 

Jimin

 

Jin e eu primeiro de tudo fomos buscar JungKook, que ficou realmente curioso com a presença da tal de Mi Cha. Como eu e o Hyung, o mais novo também achou que ela era Ma Ri, só que uma versão mais arrumada... Literalmente.

A menina parece estar pronta para uma festa, sem brincadeira. Aparentemente, até joias estava usando e saltos ridiculamente altos – Ela é mais baixa que eu, aparentemente, porém de saltos quase chega a ficar do meu tamanho –.

  Shin Mi Cha parecia uma modelo que tinha saído diretamente de uma capa de revista. E isso não é ruim, muito pelo contrário.

  Consegui visualizar – e imaginar–  cada bela curva que ela possui por baixo daquelas roupas. Ela usava uma saia preta cós alto e uma blusa fina branca, com alças finas e por cima um casaco fino. Além de suas botas  cano curto pretas.  Aquela ausência de cores destacou o cabelo que ela possuía, além de suas lentes de contato.

 

A blusa que ela usava era um pouco decotada e o pingente de seu colar cumprido caía sobre  aquela pequena abertura da blusa e isso de certa forma era legal...?

Não sei.

A única coisa que tenho certeza é que depois de dar uma boa analisada em Mi Cha fiquei com vontade de apertar aqueles seios que ela possuía. Não eram exageramente grandes e muito menos pequenos, eram medianos na medida certa e combinavam perfeitamente com o resto de seu corpo.

 

Na maioria das vezes que levo uma mulher para cama noventa e oito por cento das vezes não estou sóbrio, raras vezes que eu me lembro com exatidão como parei ali com uma mulher sem rosto. É assim que eu as chamo, pois não lembro de seus rostos, voz ou nome antes de ter que olhar direitinho.

Porém não sei ao certo se devo beber para tentar algo ou ficar sóbrio. Já que talvez não seja tão ruim lembrar de uma ou outra, principalmente se for com alguém que parece modelo.

 

Hum... Difícil escolha.

Nos assim que entramos no bar fomos recepcionado com diversos xingamentos. Meus amigos reclamavam que estavam com fome e sempre destacavam o quanto nós demoramos.

  Quando Mi Cha entrou no ressinto após alguns segundos, todos os seis calaram-se e a acompanharam com o olhar. Desviei meu olhar para Taehyung momentaneamente e percebi que meu amigo havia ficado tenso ao ver aquela pessoa, ele parecia realmente abismado e sabe-se se lá o que estava se passando na cabeça dele naquele exato momento.

 

— Kim Taehyung? — Mi Cha perguntou, ela o analisou dos pés a cabeça e franziu as sobrancelhas. — Hum... Bonito. Como sempre, bom gosto. — Comentou, esboçando um sorriso torto.

 

— Ma Ri... — Taehyung encolheu os ombros, passando a língua entre seus lábios, por pura mania. — Há quanto tempo... — Sussurrou. Jurei que a voz dele soou mais profunda do que anteriormente.

 

— Sou Shin Mi Cha, prazer. Irmã gêmea da sua ex quase namorada, minha irmã mais nova por segundos, Ma Ri. — Não entendi o porquê dela ter feito toda essa introdução, mas pareceu ter jogado um balde de água morna em Taehyung, já que percebi que a tensão nos ombros dele havia diminuído.

 

— Ma Ri tem uma irmã? — Indagou um tanto surpreso. Ouvi uma risadinha vir da Shin, que concordou brevemente com a cabeça.  — Ela nunca me disse nada.

 

— É, aparentemente não. — Mi Cha suspirou, passando uma das mãos por seu cabelo colorido e tirando-o um pouco dos olhos. Enquanto ela fazia tal coisa seu olhar se prendeu ao meu e seu sorriso torto pareceu-me um pouco sarcástico.

 

Era só o que me faltava, ela possivelmente estava me provocando ou imitando a grande mania que eu tenho. Uma dessas duas opções eram certas.

 

— E o que veio fazer aqui...? — Taehyung a questionou novamente. — Digo, por que veio falar comigo?

 

— Eu só quero saber se você tem alguma ideia de onde a minha irmã possa estar... Ela meio que sumiu por um tempinho e depois nunca mais deu as caras ou ligou. — Mi Cha colocou a mão sobre a testa, trincando sua mandíbula com irritação ao ver Taehyung negar lentamente com a cabeça. — Ah... Não acredito.

 

— Se sua irmã sumiu não será melhor contatar a polícia? — Namjoon se pronunciou pela primeira vez naquele momento.

 

— Sim, sim. — Ela resmungava, mexendo em sua pequena bolsa de mão. — Ah, meus pais vão pirar! Meu irmão vai pirar!

 

— Eu... Vou voltar para casa... Dor de cabeça. — Taehyung fechou os olhos e massageou as têmporas. Todos nós seis ficamos preocupados, pois sabíamos perfeitamente o problema do Kim.

 

— Ya! — Taehyung retirou-se antes de Mi Cha conseguir reclamar sobre algo. A Shin ficou vários segundos olhando para a porta do bar, pela expressão que ela fez, parecia realmente que não estava gostando nada disso. — Um de vocês... Preciso que me acompanhe até da delegacia. — Normalmente isso deveria soar uma pergunta, porém naquele tom de voz, ela estava  praticamente ordenando.

 

 

— Vá sozinha. Você tem pernas e um carro, não deve ser tão difícil chegar lá. — Cruzei meus braços, não ligando em ser rude com ela. Quem essa garota metida a rica pensa que é para poder simplesmente ordenar a um de nós.

 

— Não sei onde fica. Sou de Seul, não de Busan. — Ela esticou os cantos de sua boca em um sarcástico sorriso, percebi que ela apertava sua bolsinha de mão fortemente. — Então, Jimin, espero que seja gentil e me leve até lá.

 

— Não. — Levantei e abaixei os ombros. — Pegue seu lindo telefone e use o GPS. 

— Caso tenha problema de visão, meu celular está todo fodido. — Ela tirou daquela bolsa minúscula seu telefone cor-de-rosa, e ao olhar de perto percebi que era um Iphone. A tela estava completamente rachada e ela tentava me mostrar que não estava ligando. — Então você vai me levar sim.

 

— Tá. — Bufei, tirando a chave do meu carro do bolso da minha calça. — Me siga, bonitinha.

 

— Bonitinha? Meu deus, bonitinha é tipo ajeitadinha. — Ela parecia indignada com meu elogio, isso de certa forma foi confuso. — Eu sou uma deusa. Então não use “bonitinha” como um elogio, eu sou maravilhosa.

 

— Certo, me recuso a dizer isso. — Ergui uma de minhas sobrancelhas, já ficando um tanto irritado com Mi Cha. — Você é bonita e gostosa, mas não fique se achando a última bolacha do pacote. É ridículo.

 

— Você é ridículo. — Francamente, aquela garota poderia ser muito bonita, porém sua personalidade era realmente tão azeda quanto limão. — E “bonitinho”... Você vai no meu carro. Precisamos conversar durante o caminho. — Antes de me dar tempo para rebater, Mi Cha saiu dali pisando forte.

 

— Meu deus. — JungKook murmurou, virando-se na direção do balcão ao perceber que sua porção de batatas-fritas chegou.

 

— Boa sorte, aí. — Hoseok balançou a cabeça, voltando a jogar sinuca com Namjoon. — Ela é bonita, porém não parece ser fácil de lidar.

 

— Sinto muito, mas nem um bom sexo casual irá conseguir com ela. Lamento muito. — Yoongi bebericava seu refrigerante, enquanto mexia em seu celular e ele parecia realmente concentrado naquilo.

 

— Jimin! — Ouvi Mi Cha me chamar, não pude evitar de bufar e revirar os olhos.

 

— Vai lá. — Jin riu, voltando-se para JungKook e roubando uma de suas batatas.

 

E assim que saí do bar e vi Mi Cha dentro do carro, soube que meus próximos dias possivelmente serão mais agitados e eu provavelmente terei que carregar alguns remédios para dor de cabeça.


Notas Finais


Obrigada a quem leu até aqui <3 espero que tenham gostado e por favor não deixem se comentar sz
Até semana que vem!~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...