História Troubled Love - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Pattie Mallette
Tags Bieber, Justin
Visualizações 161
Palavras 1.131
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, obrigada, muito obrigada por favoritarem meninas.
Quem interpreta o professor Connor Walker é o Ashton (foto da capa ↓), ok?
Conversem comigo no ask e Boa leitura <3

Capítulo 3 - Does it hurt much?


Fanfic / Fanfiction Troubled Love - Capítulo 3 - Does it hurt much?

A aula correu bem, logo que terminou saímos para o vestiário teríamos mais três aulas de Educação Física.

Coloquei o meu uniforme, era um short, e uma camiseta, prendi meu cabelo em um rabo de cavalo e coloquei um tênis, Anne vestiu seu uniforme de líder de torcida, uma saia, um top pequeno com mangas e deixou seus cabelos loiros soltos, fomos direto para a quadra.

- Atrasadas! - O Professor falou assim que chegamos na quadra

- Me desculpe, eu tive que ir pegar meu uniforme com a diretora e Anne me acompanhou.

Pura mentira estávamos falando sobre futilidades no vestiário.

- Tudo bem só não se atrase mais! - ele disse me comendo com os olhos

Eu não tinha aquela beleza de parar o trânsito, mas era muito bonita, meu corpo é definido, cabelos negros assim como meus olhos, minha pele branquinha, minha boca bem desenhada, meu pai costuma dizer que minha beleza é única, um tipo instinto.
Meu avó dizia que eu era o típico demônio com carinha de anjo, era quem comia quieta pra comer duas vezes.

- Cuidado!

Alguém gritou e então senti a bola de vôlei na cabeça, fui pra trás com o impacto e acabei tropeçando nos meus pés, caindo assim e machucando o meu tornozelo.

- Awn - gemi baixinho assim que o professor chegou perto

- Esta doendo muito?

- Esta, muito, muito! - fiz cara de dor

Tudo mentira, nem tava doendo, só falei porque ele era muito gato, olhos castanhos escuros, corpo grande e definido, braços grandes o deixando sexy, e as coxas grossas de um típico professor de Educação física.

Ele mexia no meu pé e olhava em meus olhos de forma que estava me deixando digamos assim animadinha da cintura abaixo.

- Acho que torceu, vou te levar pra enfermaria, consegui ir andando?

- Acho que sim - ele me ajudou a levantar e começamos a andar

- Ai...

- Vem! - ele me pegou no colo - Continuem jogando, meninos qualquer coisa ajude elas, vou levar a mocinha aqui na enfermaria.

Ele virou e algumas meninas voltaram a jogar, outras me olharam com raiva, Anne me olhava com um sorriso nada maldoso, ela me conhecia sabia muito bem aonde queria chegar, fiz cara de dor e ela riu.

Saímos da quadra e fomos direto na enfermaria, me colocou sentada na maca.

- Marie? - Ele disse, provavelmente ela era enfermeira - Ela não está aqui, então acho que eu mesmo vou ter que cuidar de você... - ele deu um sorrisinho safado

- Tudo bem! - disse retribuindo o sorriso

Ele se agachou tocando no meu pé, massageou e pegou uma faixa enrolando ele. Assim que terminou deu um beijinho no pé.

- Esta melhorando com o beijinho?

- Não... Talvez você desse outro... - disse manhosa e safada

Ele sorriu de canto e foi dando beijinhos do pé, até o joelho, olhou pra mim e foi subindo levando o beijo até minha coxa, suas mãos subiram até minha cintura e ali ele apertou com força, levando sua boca até a minha. Ele foi feroz invadindo minha boca sem permissão alguma, eu logo o beijei também selvagemente até ele parar o beijo.

Foi até a porta e trancou pra nossa segurança, puxou minha camisa pra cima e abriu meu sutiã pela frente, e logo abocanhou meu seio esquerdo e a outra mão foi até o outro o apertando.

- Awn... - gemia no ouvido dele baixinho pra ninguém do lado de fora escutar

Ele parou e me levantou, vendo que meu pé não tava machucado e riu, desceu meu short junto com a calcinha, não tínhamos muito tempo, ele puxou sua calça de ginástica junco com sua sua cueca box e deixou aquele membro enorme e grosso, eu até me assustei nunca tinha feito com um cara tão "grande".

Me pegou de novo e me imprensou na parede colocando minhas pernas em volta da sua cintura, segurou seu membro e empurrou pra dentro com cuidado pra não me machucar, mesmo assim doía um pouco, mas o prazer e a adrenalina de que podíamos ser pegos me deixava muito molhada, ele bombava em mim, com a boca no meu seio direito e a mão no meu clítoris massageando, aquilo era bom pra cassete, estava quase no meu limite quando o sinal tocou, ele foi mais rápido ainda me fazendo gemer um pouco mais alto, mordia meu lábio pra tentar conter só que era um pouco difícil ele era um puta gostoso, logo gozei e ele quando estava quase lá saiu de dentro de mim (estávamos sem camisinha) e se masturbou enquanto eu vestia a roupa me ajeitando e após gozar ele se limpou e destrancou a porta.

Assim que destrancou, eu estava sentada na maca com cara de cansada, eu me olhou sorrindo, vindo em minha direção...

- O que houve com a mocinha Connor?

"Então esse é o nome dele?!" - pensei

- Machucou o pé na quadra!

- Eu sou distraída demais, mas o professor Connor já cuidou de mim!

- Ele é sempre muito prestativo! - o olhou com carinho - amor, quer dizer Connor preciso que quando sair pegue as crianças na escola.

- São casados? - dei um sorrisinho

- Sim - ele respondeu meio preocupado

- Formam um belo casal, agora eu tenho que voltar pra quadra?

- Não, está liberada! - Ele respondeu

- Obrigada, será que pode me ajudar a descer, tenho medo de machucar o pé... - disse olhando pra mulher dele a Marie

- Connor pode ajudar ela?

- Claro querida! - Ele me ajudou a levantar - Quer ajuda até o vestiário, te deixo lá e chamo Anne para te ajudar a se trocar.

- Quero, obrigada! Até mais Marie!

- Até querida.

Saímos, estava fingindo mancar e ele me segurando pela cintura, o vestiário ainda estava vazio só tinha se passado uma aula dele, então ele entrou e foi logo me beijando.

- Você foi ótima!

- Obrigada! Chama a Anne pra mim?

- Claro, até depois! - eu só sorri

Não, eu não estava me sentindo mal, a mulher dele não era feia, ela era normal, ele era um gato e já tinha dois dias que eu estava no zero a zero.

- E então seu pé melhorou? - ela perguntou rindo

- Está ótimo!

- Não rolou nada né? Passei enfrente a enfermaria e Marie estava lá...

- Aí que se engana...- Ela arregalou os olhos e riu - Vamos embora?

- Vou esperar o Ryan!

- Tudo bem então...

Me despedi dela, troquei de roupa colocando a que eu tava hoje de manha e liguei pro motorista vim me buscar, o carro estava na oficina e teria que esperar, decidi pegar um táxi.

 


Notas Finais


Beijos e até o próximo.
Ask: http://ask.fm/indhyliima
Me sigam no meu twitter: @IndhyLiima <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...