História Troublemaker - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 16
Palavras 3.565
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


OLHA ESSE CAPITULO QUE GIGANTE!!! GENTE TÔ ORGULHOSA, NÃO VOU TER QUE TOMA BANHO GELADO EEEEEEEEEEEEEEEE!
BOA LEITURA!
(Um aviso, aqui pode ter cenas um pouco fortes, então se prepare, para quem não gosta, pule)

Capítulo 9 - Livia


Fanfic / Fanfiction Troublemaker - Capítulo 9 - Livia

    [ 8 meses depois... ]

    [ Na escola ]

    -Lucas! Quando você vai para minha casa fazer o trabalho  ciências? O trabalho é para depois de amanhã! Se eu tiver que fazer sozinha, não vou nem pôr seu nome no trabalho! - Falo e faço uma cara de emburrada.

    -Ei ei ei, eu preciso de nota, se você não por meu nome minha mãe vai me matar, e você também! Que tal hoje na sua casa? Eu passo depois da escola, mas primeiro deixa eu passar na minha casa para eu me trocar! Ok? - Ele fala meio que no desespero.

    -Hm ok, você também pode almoçar lá em casa também, se preferir.

    Ele assentiu e continuamos a caminhar. Bom, acho melhor eu explicar como está as coisas.

    Lucas ainda está fazendo fisioterapia, mas já consegue andar apenas com um pouco dificuldade. Bom, e eu continuo a mesma, apenas virei babá da bebê mais fofa do mundo!!! Lembra da Aurélia? Então, ela teve o bebê dela há sete meses atrás, e chamou ela de Laurel, em homenagem a mim! Agora, eu cuido dela toda quarta e segunda, e minha relação com Aurélia está bem mais forte, parecemos aquelas amigas de Ensino Médio que só sabem fofocar.

     Agora, eu também vou caminhando com o Lucas até a escola, pois nós moramos bem perto, então ele passa aqui em casa e nós vamos junto! Mas bom, isso tem um pequeno problema... Eu e JoJo tivemos uma briga feia.

     Tudo começou quando a gente combinou de ficar de novo. A gente começou a combinar de ficar mais vezes, mas na quarta vez que íamos ficar, eu acabei esquecendo, e sai com o Lucas. Ele ficou me esperando umas 2 horas, e como eu não apareci, ele ficou muito preocupado e ligou para mim. Eu atendi, e falei que sai com o Lucas, e me desculpei com ele, só que ele não deixou em branco, e gritou comigo bem assim:

     -Você sempre está com ele, sempre que conversamos é Lucas isso ou Lucas aquilo! E eu odeio que você fique falando sobre ele, sabe por quê? Porque eu te amo! E se você não entende isso, prefiro que nossa relação acabe aqui!

     E ele desligou na minha cara, eu fiquei tão espantada que sai correndo para casa, sem falar nada para o Lucas, que ficou extremamente confuso. Depois que eu cheguei em casa, eu liguei para ele e expliquei a situação. Ele entendeu, e depois disso nunca mais falamos sobre aquilo, e eu ainda não consegui me entender com o JoJo. Mas bom, não quero ficar pensando sobre isso agora.

     Chegamos na escola, e já fomos bombardeados de perguntas pelo Enzo, Miguel, Sofia e Amélia:

     -Vocês viram a aluna nova? Ela é linda! Ela mal chegou e já tá bombando! O cabelo é colorido e tão bonito!

      Ué? Aluna nova? Em que sala será que ela ficar? Fiquei com vontade de conhecer ela agora. Vou perguntar onde ela está, quero mostrar a escola pra ela:

       -Onde ela está? Eu quero conhece-la, fiquei curiosa!

       -Bom, ahn... Ela tá atrás de você... - Disse a Sofia, olhando atrás de mim.

       Eu me virei, e ela estava me olhando com um olhar curioso, e um sorriso malicioso em seu rosto, como se estivesse planejando algo. Bom, ela era realmente linda, seu cabelo era um pouco abaixo do ombro, e tinha mechas verdes muito bonitas. Ela possuía um piercing no canto da boca, o que a deixava com um rosto mais "ousado" podemos se dizer, bom, ela parece ser bem legal:

      -Oi, meu nome é Laurel, e o seu? Eu poderia mostrar a escola para você. - Eu disse tentando parecer o mais legal possível.

      -Meu nome é Lívia, mas pode me chamar de Liv. Bom, não preciso que você mostre a escola pra mim, você poderia mostrar outra coisa... - Ela falou essa última parte sussurrando em meu ouvido, e eu corei na hora - Haha, brincadeirinha, gosto de outra fruta, Laurel.

       E ela saiu andando, rebolando um pouco a bunda. Ela me deixou aqui com uma de "O que que tá acontecendo?". O Lucas colocou a mão em meu ombro, e eu arrepiei, sua mão é quente, e entrando em contato com meu ombro gelado, deixava uma sensação boa. Em seguida, ele falou:

      -Tudo bem? Você tá bem vermelha, o que ela disse?

      -Nada, deixa pra lá. Bom, ela não me deu um bom pressentimento, então prefiro deixar assim.

       Depois disso, fomos para nossas salas. Quando chegamos, o professor já estava na aula, e ele parecia já não estar naqueles dias bons:

       -O que estavam fazendo? Não vou deixa-los entrar até a segunda aula, Laurel e Lucas né? Se esforcem um pouco mais, as notas de vocês já não são tão boas, chegando atrasados só vai piorar.

       De repente, sentimos uma braço passando em volta de nossos ombros, e uma voz disse:

       -Relaxa tio, eles só estavam me acompanhando na secretaria, sabe, aquelas coisas de inscrição, horário de aulas e tals.

       -Primeiramente, me chame de professor, e segundo, se apresente para a sala devidamente. - Ele pigarreou.

        Eu e Lucas fomos para os nossos lugares, que era no fundo, enquanto Livia estava lá na frente, com um olhar vitorioso:

        -Bom, meu nome é Livia. Pronto, posso ir me sentar agora?

        -Pode, você não tem os livros, não é? Sente-se com a Laurel, parece que vocês são bem amiguinhas...

         Ela veio em minha direção e pegou a carteira detrás de mim e arrastou ela para o meu lado, fazendo muito barulho. A sala acompanhava tudo, até que o professor jogou o livro em sua mesa, o que causou um grande estrondo, fazendo todos olharem para ele assustados:

         -Se não quiserem levar mais sustos prestem mais atenção na aula! - Ele disse meio bravo, ele deve tá de TPM, só pode.

         -Eu hein, esse professor tá numa TPM braba, será que ele quer um chazinho? - Disse uma pessoa ao meu lado, cujo nome era Livia

          Todos da sala gargalharam, e o professor estava confuso, porque não ouviu nada:

          -Disse alguma coisa Livia?

           -Nada não!

           E voltamos para a aula normal...

           [Intervalo]

          -Mano, as tias da cantina não vendem mais mini Pizza, quero chorar - Falei meio triste

          -Ué, compra outra coisa então, tu não vai morrer sem Pizza não, e as Pizzas da cantina tem muita gordura, compra uma bolacha - Disse a pessoa mais cruel do mundo.

            -Claro que vou morrer se ficar sem Pizza! Como você pode dizer tal crueldade, Bruxa Má?

            -Meu nome é Amélia, e não é porque eu falei que você vive sem Pizza que eu sou uma Bruxa Má. Toma aqui um pedaço de bolacha, sua dramática.

            Eu aceitei a bolacha de bom grado e coloquei o pedaço inteiro na boca. A Amélia se assustou com isso, e eu a olhei com uma cara de "Que que foi? Nunca sentiu fome não?", e depois disso tocou o sinal e fomos para nossa aula. Ah, a Livia não lanchou com a gente, ela sentou com o pessoal famosinho da escola, e eu achando que poderíamos ter sido amigas, e agora somos traídos.

            [Depois da aula]

            Eu estava andando em direção da saída, quando sou puxada. Olho para quem me puxou, e vi que era a Sofia, que susto! Ela podia ter me chamado:

            -Vamos brincar de verdade ou desafio? Por favorzinho?

            -Eu não posso, o Lucas e eu vamos fazer um trabalho, podem jogar sem a gente, mas quero saber tudo que aconteceu!

            -E eu quero saber o que vai acontecer na sua casa! Eu sei que vocês tão tendo um caso, e vocês tem que namorar logo! Tá na cara que vocês se amam!

             Eu corei com o que ela disse, e ela saiu saltitando para dentro da escola, vai entender né.

             Eu fui andando até em casa, e quando cheguei, meus pais não estavam lá. Ótimo, agora ele vai pensar que eu o chamei justamente hoje pra gente se pegar. Não que eu não queira, porque eu quero pegar ele (finalmente admiti), mas eu não sei se ele quer me pegar ou não.

             Tomei um banho gelado e depois coloquei um shorts preto e uma regata branca escrita: "Fuck You", e o Mickey mostrando o dedo meio. Peguei meu chinelo branco de bolinhas pretas e o vesti, em seguida desci para esperar o Lucas... Ai droga, o almoço! Será que ele vai se incomodar se ser nuggets? Acho que não né.

            Fui para a cozinha e coloquei os nuggets no forno, vai demorar um pouco, acho que vou fazer um suco de laranja, pra não ficar tão sem graça o almoço. É um pouco difícil fazer, porque dói toda hora os braços, mas tudo bem.

            Andei até a gaveta para pegar uma faca para cortar as laranjas, mas bem na hora que peguei, acabei me cortando com uma faca que estava do lado. Doeu bastante, foi no dedo indicador e pegou do lado, um corte de 3 centímetros, bem grande.

           Fui na pia lavar o dedo, mas bem na hora o Lucas chegou. Que raiva. Fui até a porta da entrada e abri, Lucas estava lá com uma cara de bobo e um sorriso bobo. Seu cabelo estava molhado, provavelmente tomou um banho, e usava uma bermuda jeans e uma camiseta que por coincidência, também estava escrito "Fuck You". Quando percebemos isso, começamos a rir, e ele disse:

          -Parece aqueles casais que combinam as camisetas. - E ele começou a rir - Ei, o que você fez com seu dedo?

          -Ah, me cortei quando fui pegar uma faca. - Eu olhei para meu dedo e vi que ainda estava sangrando.

         -Sua desastrada, vamos fazer um curativo nisso.

         Ele me pegou na minha mão e me puxou para a cozinha, em seguida perguntou onde tinha band-aid, e eu falei que estava na segunda gaveta. Ele pegou e se sentou na cadeira da mesa, na minha frente.

          Eu "dei" meu dedo para ele cuidar. Ele tinha muita delicadeza, ele não treme e faz tudo muito bem, daria um ótimo médico ou cirurgião. Depois que ele terminou, sorriu tímido para mim, e eu sorri de volta, mas não durou muito tempo, porque começamos a sentir um cheiro de queimado, e aí foi que eu lembrei: Os Nuggets!!!

          Corri em direção do forno e peguei uma toalha. Abri e os Nuggets tinham virado carvão, de tão queimados que estavam. Eu peguei a forma e coloquei em cima da pia, suspirei, lamentando a perda de tanta comida. O Lucas me ajudou a joga-los fora, e depois fomos fazer o trabalho.

          Era um trabalho de ciências super chato, de um professor super chato. A nossa sorte, foi de ele ter escolhido boas duplas! Eu gostei de ter ficado com o Lucas...

          Nossa, hoje tá fazendo um calor do inferno, eu queria poder ficar com menos roupas mas né... Depois eu tomo um banho gelado pra me concentrar melhor. Não tá dando não, esse trabalho tá me irritando e eu tô morrendo de sede, vou fazer um chá pra acalmar meus nervos.

          - Lucas, eu vou fazer chá ok? Você quer?

          - Eu não gosto muito de chá, eu posso tomar uma água? Obrigado.

          - Claro – eu pude perceber que ele estava torrando igual carvão na churrasqueira de calor, tadinho, se na cozinha tivesse ar-condicionado... – Toma aqui.

           Entreguei seu copo e fui fazer meu chá. Ao invés de eu fazer o chá, talvez eu tenho ficado brincando com o saquinho... mas tudo bem. Assim que ficou pronto, eu fui tão afobada beber aquilo que eu derramei na minha blusa, o problema não era nem manchar ela... Era que o chá estava pelando!!!

         Eu tirei minha blusa muito desesperada e peguei um pano mesmo e limpei minha barriguinha linda.
- Laurel você tá b--

        -AHHHHH TÁ QUEIMANDO! -

        -Calma! -ele pegou um pouco de gelo e colocou onde havia uma mancha vermelha na minha barriga. Aquilo foi um alívio.

        -Bem melhor... obrigada Lucas. -

        - De nada mas eu acho melhor você colocar sua blusa, não? – ele desviou o olhar, um pouco corado.

         Meu deus.... eu to sem blusa!!!!! - Eu fui tentar pegar minha blusa mas quando eu fui ver, ele já havia me encurralado na parede.

        Com sua mão esquerda ele segurou minha coxa e colocou a direita um pouco acima de minha cabeça. Lentamente ele fui aproximando seus lábios dos meus, até que eles se encontrassem. Foi um beijo meio apressado, bem feroz e com desejo. Posicionei suas mãos em minha cintura e deslizei as minhas para suas costas. De repente começamos a bater nos móveis da cozinha até ele me deitar na mesa sem parar de me beijar. Ele tirou sua camisa, e eu só fiz um “Nossa hein?” e continuei a beijá-lo, enquanto as suas mãos tocavam meu corpo quente. Senti o Lucas tentar tirar meus shorts mas foi aí que eu percebi o que estávamos fazendo...

         -Ahnnn Lucas? E-eu como eu posso dizer? Melhor não... -

         - Ah, tudo bem. É sua primeira vez e você tá assustada? Desculpa eu não quer...

         - Não precisa se desculpar e não é por isso... Eu só acho melhor não, vai que minha mãe chega né... – ele assentiu e voltamos a fazer o trabalho, ainda um pouco desconcertado pelo que aconteceu.

         Só faltava colar as imagens e ‘colorir a margem’, sim COLORIR a MARGEM.

          Finalmente terminamos este trabalho! Não aguentava mais fazer esta bosta de trabalho, tô tão 'P' da vida que acho que vou sei lá, quebrar uns vasos aqui e matar umas pessoas acolá... mentira, mas estou com muita raiva mesmo:

          -Lucas, quer assistir algum filme? - Falei e tentei fazer uma cara de cachorro pidão. 

          -Olha, eu até assistiria, mas daqui a pouco eu tenho Fisioterapia, e minha médica já tá quase me estrangulando porque já faltei 3 vezes.

          -Ah, então tudo bem. Vou te acompanhar até a porta pelo menos.

          Ele assentiu e fomos até a porta. Ele ficou parado na minha frente, sem saber o que fazer. Até que, eu tomei atitude o puxei pela gola da camiseta, dando um beijo meio que desesperado, mas também calmo. Ele ainda estava meio espantado, mas começou a corresponder, colocando suas mãos em minha bunda (sim, em minha bunda, e eu pensando que ele era santo, hoje provamos que ele é muito safado). O beijo durou uns 2 minutos, até que alguém interrompeu, e este alguém era meu pai. Ótimo, tudo que podia acontecer de pior aconteceu:

         -Hm, sabe Laurel, acho que vou indo agora, minha fisioterapeuta tá me esperando, ah e não esquece o trabalho depois de amanhã. - E ele saiu andando, mancando um pouco em direção a sua casa.

         Eu olhei para o meu pai, e ele olhou para mim. Ele entrou e se sentou no sofá, e bateu duas vezes do seu lado, me chamando para sentar ali. Fui e me sentei ao seu lado, e ele começou o discurso:

         -Olha Laurel, eu e sua mãe achamos que não iríamos precisar conversar sobre isso com você,  mas depois de hoje, acho que iremos precisar sim! Você sabe como... Bom, os bebês vem? Então é preciso...

         -Pai, eu sei de onde os bebês vem, um homem e uma mulher fazem sexo, sem camisinha, e pronto, pode ter um filho. Me poupe de ter essa conversa com vocês, é muito constrangedor!

         -Tá, você sabe sobre, então quer dizer que você fez... amor com esse menino? - Ele perguntou desconcertado e corado.

         -Hm, não com esse menino.

         E me levantei e sai andando para o meu quarto. Por fora eu parecia estar muito bem e com nenhuma vergonha, mas por dentro eu estava tipo: "MEU DEUS NÃO ACREDITO QUE TENHO QUE FALAR ISSO COM MEU PAI, NÃO ACREDITO QUE FALEI PRA ELE QUE JÁ FIZ SEXO, MEU DEUS MEU DEUS". Bom, era tipo assim que eu estava, nem tava desesperada né?

         Me deitei na minha cama e fiquei penando um pouco, hoje foi um dia muito bom, conheci aquela menina nova, que no final foi bem engraçado pelo menos conversar um pouco com ela. Ah, e eu também quase fiz 'amor' (Como meu pai disse) com o Lucas, eu até teria feito, eu estou literalmente apaixonada por ele, mas por causa de uma pessoa, meu ex-namorado, eu não consigo fazer, fico me remoendo em pensamentos sobre aquilo, eu devia ter tentado para-lo, o chutado ou socado, mas não, eu fiquei parada, em pânico... Para Laurel, (ela está falando para ela mesma em terceira pessoa) viu, você já está pensando sobre isso de novo, você tem que esquecer, apagar aquilo de sua mente...

         TRIIIIM

         Meu celular (novo) está tocando, quem será que deve ser? Não estou muito afim de atender, mas estou com um pressentimento de ser algo importante, então melhor eu atender!

            "Ligação on"

           -Alô?  Quem é?

          -Oi Laurel, é a Sofia, você pode vir aqui em casa?

          -Mas assim tão de repente? É muito importante?  O que aconteceu?

          -Sabe o Verdade ou Desafio de hoje? Então, estava eu, a Amélia, o Enzo, o Miguel, um menino chamado Eduardo e a Livia. Aí, esse menino chamado Eduardo desafiou a Livia a beijar o Miguel, e aí né.... Eles se beijaram, e você sabe que a Amélia gosta dele né?  Então, ela agora tá aqui na minha cama chorando muito, pensando que o Miguel não gosta dela e que ela nunca vai ter alguma chance, aí eu queria que você a consolasse, porque tu é mestra nisso!

          -Mas é claro que eu vou Sô (Apelido da Sofia), fala pra Amélia não se abalar, e que ela vai conseguir se entender com o Miguel, a gene sabe que no fundo, ele ama muito ela.

          -Sim, muito obrigada Laurel! Te vejo daqui a pouco então.

           "Ligação off"

           Ai meu deus, essas meninas só se metem em encrenca. Bom, acho que a gente vai ter que enfiar na cabeça da nossa amiga Amélia que aquele garoto que ela ama também ama ela.

           Desci as escadas e perguntei o mais educada possível para meu pai se eu podia ir na casa da Sofia. Ele parecia um pouco desconfiado de tudo, então perguntou na maior cara de pau:

           -E como eu vou saber se você tá indo mesmo pra casa dela? E se você estiver indo na casa de um menino para transar com ele? - Ele perguntou muito sério, até demais.

           -Bom, acho que você não vai saber, e sim confiar em mim - Falei confiante.

           Eu sai andando, sem saber a resposta dele. Bom, eu sei que ele vai contar tudo rã minha mãe, aí minha mãe vai vir falar comigo e... Você já deve saber. Bom, então vamos!
         


Notas Finais


E aí? Gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...