História Troublesome Life - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Piece
Personagens Edward Newgate "Barba Branca", Monkey D. Luffy, Portgas D. Ace, Sabo, Shanks, Trafalgar D. Water Law
Tags Asl, Fluffy, Lawlu, Luffy Sendo Luffy
Visualizações 124
Palavras 8.611
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fluffy, Luta, Romance e Novela, Shounen, Slash, Violência
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpa a demora! Leiam as notas finais, pls!
Boa Leitura :)

Capítulo 26 - Hebihime-sama


-----  15 Anos ----

“AAAAAAAAAHHHHHHHHHH”

“GOMU GOMU NO…” Gritou Luffy enquanto caia, ainda segurando a menina “FUSEN!” Inflou e caiu no chão, servindo de proteção para a loira não se machucar. Levantou tirando a sujeira de sua bermuda “Se machucou? Seu nome é Margaret, não?”

“Não se aproxime!” Apontou uma arma para Luffy, ainda assustada. Olhou para cima assombrada “Nós caimos dessa altura… Como sobrevivemos?” Levantou a arma novamente “Você engordou do nada! Todos os homens fazem isso?”

“O que? Vamos dizer que sim…” Respondeu sem querer explicar “Deixa isso pra lá! Tinha alguns papéis no bolso da minha bermuda velha. Você sabe onde está?” A mulher fez que sim com a cabeça e tirou os papéis de um bolso

“Esses aqui?” Perguntou estendo para o menino “Tinha algo escrito neles, então eu guardei”

“Esses mesmo!” Disse pegando os papéis e os contando. Os três estavam ali “Muito obrigado! Eu estaria ferrado se tivesse perdido eles!” Falou lembrando do que Sabo tinha dito quando ele foi embora. Luffy não podia perder nem dar o Vivre card do Sabo de jeito nenhum. Aquilo podia entregar onde os revolucionários estavam se escondendo e isso seria um problema muito grande. Guardou dois dos papéis e colocou o de Ace na palma de sua mão
“Que estranho…” Disse olhando para o papel se mover em direção ao paredão“Eles apontam para onde uma pessoa está! Mas… Estranho” Falou fazendo uma careta “Meu irmão está na floresta me esperando… Mas o papel aponta para o outro lado”

“Porque a floresta que nós te achamos fica do outro lado da ilha” Explicou Margaret, um pouco nervosa com a lentidão do menino “Você estava na floresta leste, e essa é a oeste…”

“Droga!” Reclamou enquanto colocava o papel no bolso de novo “Vou precisar dar a volta…” De repente parou de pensar e olhou para a loira e deu um enorme sorriso “Muito obrigado mesmo por tudo que você fez por mim! Tem algo que eu posso fazer por você?”

“Bem…” Pensou sobre todas as perguntas que tinha sobre os homens, já que eram criaturas tão fascinantes para ela, mas resolveu se focar no que realmente importava “Me responda… Por que você está aqui? Como vocês chegaram aqui?”

Luffy começou a explicar como tinham chegado ali. Contou sobre a sua família e a missão que tinha acabado de cumprir com o seu incrível irmão mais velho. Margaret parecia empolgada por tudo que tinha ouvido, pois começou a falar sobre a ilha, as guerreiras e sobre a grande shichibukai, Boa Hancock

“Então homens não gostam de renda? Que estranho…” A menina falou enquanto tirava os enfeites da roupa do garoto

“Não sei se todos os homens não gostam… Izou deve gostar e acho que Sabo não iria reclamar tanto” Riu o menino enquanto aceitava as roupas de volta “Eu só… não tenho boas memórias com rendas” Por um segundo lembrou das bolhas que via pela janela no barco do tenryuubito, subindo livres até o céu longe de seu alcance, mas afastou os pensamentos. Tinha prometido para si mesmo que não ia se abalar por aquela situação nunca mais… Só deixando aquele tipo de coisa para trás que podia seguir em frente “Tenho que ir! Tenho que achar meu irmão e nós temos que voltar para casa antes que venham atrás de nós” Saiu correndo para um dos lados da floresta

“Espera! Você tem que ir pelo outro lado!” Gritou correndo atrás de Luffy “Se você for por aí vai acabar no porto!”

“Isso não faz sentido!” O menino gritou de volta enquanto parava “Droga, vou me perder desse jeito… Quer saber? Vou seguir o Vivre Card”

“O que? Como assim?” Perguntou e viu Luffy começar correr para o paredão. Percebeu que ele ia voltar para a vila e decidiu que não podia deixar aquilo acontecer “Parado ai” Disse enquanto a cobra que tinha no pescoço se tornava um arco e atirava uma flecha em direção ao garoto

“O que você está fazendo?” Reclamou Luffy desviando da flecha sem parar de correr “Essas mulheres são malucas!” Começou a subir o paredão para fugir das flechas.

“Lá estão eles” Uma voz feminina veio da floresta e logo suas colegas guerreiras apareceram entre as árvores

“Pessoal! Ele subiu pelo paredão! Está voltando para a vila” Margaret falou enquanto se juntava a sua companheiras

“Nós temos que eliminar ele rápido!” Sweet Pie disse “Hebihime-sama acordou!”

“O que?” Margaret perguntou assustada. Era tarde demais?

“Temos algum tempo até que ela termine o seu banho, mas se ela descobrir que tem um homem andando pela ilha… Não sei o que pode acontecer” Disse Belladonna começando a correr. Tinham que ser rápidas.

----/-----

“Eu ainda não entendi o QUE FOI QUE FIZ?” Ace gritou a última parte desviando de mais uma saraivada de flechas cheias de haki. Aquelas mulheres tinham começado atacar ele do nada e não explicavam o porquê estavam fazendo aquilo! Só gritavam com ele, o chamando de homem selvagem e atirando nele sem parar. Teve sorte que a primeira flecha tinha só tinha pego seu braço de raspão, senão não teria desviado das outras flechas e seria agora um porco espinho gigante

“Atrás dele!” Gritou uma das mulheres que atirava as flechas e Ace usou seu Haki da observação para desviar delas. Acabou percebendo algumas e mais uma passou de raspão pela sua perna direita

“Droga” Murmurou para si mesmo “Talvez Sabo estivesse certo e eu devesse treinar mais o Haki de observação… Ainda bem que ele não está aqui para ouvir isso”

Queria subir o muro para ir atrás de seu irmãozinho idiota, mas mesmo com seus poderes de fogo era muito alto. Podia tentar escalar, mas demoraria muito tempo e ficaria totalmente desprotegido para aquelas flechas malditas.

Pensou seriamente em ficar e lutar, mas abandonou a ideia logo. Não queria causar mais problemas para o Oyaji arrumando briga em alguma ilha desconhecida.

“Ilha… Calm Belt… Por que só tem mulheres atrás de mim? Mulheres…” Pensava tentando lembrar de algo importante. Tudo aquilo era estranhamente familiar, só não conseguia juntar as peças

“Temos que ser rápidas!” Gritou uma das mulheres que o perseguia “Hebihime-sama já está acordada!”

“Hebihime?” Pensou Ace ainda correndo “Hebi… Hime… Isso não me é estranho… Onde está o Sabo quando preciso dele? Hebi… Hime… Princesa cobra? Ou seria imperatriz? Parece até aquela…”

Parou por um instante, as flechas zunindo em sua volta, por sorte não o atingindo. Tudo fez sentido na sua cabeça e começou a suar frio. Voltou a correr, agora com um esforço redobrado

“De todas as ilhas que podíamos parar, acabamos justo na ilha de uma shichibukai! Pelos mares… Quando os outros descobrirem vão rir tanto da minha cara”

-----/----

Luffy estava quase chegando no topo do enorme paredão. As flechas tinham parado e as mulheres tinham sumido, muito provavelmente dando a volta para pegar ele do outro lado

“Tomara que Ace esteja bem” Resmungou Luffy segurando em uma das fendas da pedra com força “Aquelas mulheres usam Haki… Tomara que ele tenha percebido antes de levar uma flechada”

Sentiu vontade de verificar se estava tudo bem com o papel do irmão, mas não podia fazer aquilo ali sem se soltar e podia acabar deixando eles caírem. Olhou para cima e viu que conseguia se esticar até o ponto mais alto e se puxar

“Vai ser fácil” Disse enquanto estica um dos braços para cima, só usando o outro como apoio. Quando quase conseguiu segurar na borda do muro sentiu seu apoio falhar e começou a cair. No susto esticou o braço para pegar a beirada o muro e se puxou para cima com muita força

Passou muito da borda do muro e começou a cair do outro lado. Esticou o braço para tentar pegar a beirada do muro mais uma vez, mas a parte que segurou acabou quebrando também quando tentou fazer força para se puxar. Olhou para baixo e viu que ia aterrissar em uma telhado de uma casa alta. Colocou os pés para baixo e  pisou no teto da casa, mas sentiu o telhado quebrar abaixo de si e acabou caindo dentro do lugar

Sentiu seu corpo ficar molhado e se desesperou quando percebeu que tinha caído na água. Começou a se debater sem parar, achando que ia se afogar

“VOU MORRER! TÔ ME AFOGANDO! SOCORRO!” Gritou até sentir as suas costas baterem no fundo da água e se levantou “Opa, dá pé… Ufa” falou para si mesmo e olhou para frente, dando de cara com uma mulher tomando banho “Desculpa! Eu não quis…” começou a se desculpar, mas a marca nas costas da mulher chamou a sua atenção e o fez perder o foco “Essa marca nas sua costas…”

A mulher se virou na mesma hora, cobrindo o peito e olhando assustada para Luffy. Seu olhar mudou de surpresa para raiva na mesma hora, quando percebeu que era um homem

“Você viu…”Sua voz era cheia de ódio e veneno. Antes que o menino pudesse perguntar o que estava acontecendo as portas se abriram e mais duas mulheres muito altas entraram correndo

“Irmã! O que aconteceu?” A mulher com cabelos verdes que tinha acabado de entrar perguntou, se assustando ao ver Luffy saindo da banheira “Um homem?!”

“Como ele veio para aqui?!” Perguntou a ruiva, colocando uma toalha sobre os ombros da mulher mais baixa, que ainda tremia de raiva “O que está acontecendo?”

“Ele viu… as minhas costas” Falou a morena com a voz baixa, mas todos puderam escutar com clareza. As duas irmãs fizeram uma cara de surpresa que foi substituída por uma expressão de raiva logo em seguida

“Então ele tem que morrer” Falou a ruiva com decisão, e as outras duas concordaram. Luffy ficou ainda mais confuso

“O que?! Como assim? Só porque eu olhei nas costas dela?” Sacudia as mãos sem parar, tentando acalmar elas de alguma forma “Eu acho que conheço essa marca, mas…” Foi interrompido pela morena

“Essa marca… É algo que ninguém pode ver, mesmo que eu tenha que morrer!” Estendeu as duas mãos para frente, formando um coração com elas “O que você acabou de ver vai para o túmulo… Junto com você! Mero Mero Mellow!”

Luffy não teve tempo de desviar do raio que foi jogado em sua direção, e só pode  colocar os braços na frente do corpo, para tentar se proteger do golpe. Ficou com os olhos fechados esperando a dor, mas ela nunca veio. Abriu os olhos e viu o rosto das mulheres olhando para ele com surpresa. Luffy mordeu os próprios lábios enquanto olhava em volta e devolveu o olhar de confusão

“Mero Mero Mellow!” Gritou a mulher de novo, usando seu poder mais uma vez. De novo o poder passou pelo garoto sem acontecer nada e Luffy continuou com a mesma cara de antes, parecendo bem confuso “POR QUE ELE NÃO VIRA PEDRA?!”

“Isso é impossível, irmã!” Gritou a ruiva “Seu corpo conquista jovens e idosos, homens e mulheres! Como esse maldito…”

“O medo de morrer deve ter feito ele esquecer dos pensamentos maliciosos” Resmungou a mulher de cabelos verdes “Que cara sortudo”

Luffy aproveitou a confusão das mulheres para sair correndo. Não tinha tempo para aquilo. Tinha que achar Ace e sair daquela confusão. Aquelas mulheres eram completamente doidas! Pulou da janela do banheiro para fora do prédio, sem se importar para onde estava indo

“Não vou deixar ele escapar” Murmurou enquanto beijava a ponta dos próprios dedos, fazendo um coração aparecer ali. Apontou na direção do garoto “PISTOL KISS” E disparou na direção dele, pegando de raspão

“Droga! Isso é Haki” Reclamou Luffy, caindo no meio de várias mulheres e sendo capturado. Tentou escapar delas, mas não queria machucá-las. Foi amarrado e ouviu a voz da mulher que tinha atirado nele ecoar pelo lugar

“Levem ele para a arena de batalha!”

-----/-----

Ace tinha conseguido despistar as guerreiras que seguiam ele a um tempo atrás. Mesmo não conhecendo aquela floresta tinha passado sete anos de sua vida em uma. Sabia despistar e se esconder como ninguém quando a situação pedia.

Estava em cima de uma árvore com folhas grossas, se escondendo na sombra. Ouviu as mulheres se aproximarem e segurou a respiração. Se pegassem ele ali não teria como fugir. Ouviu as guerreiras falando com atenção

“Para onde ele foi?” Uma delas perguntou para as outras, recebendo só respostas negativas de volta “Ele não pode ter ido muito longe! Nós temos que…” Foi interrompida por uma outra mulher que chegou correndo

“Temos que ir!” Falou ofegante “A Hebihime-sama convocou todas as mulheres para o Arena de batalha!”

“O que? Não podemos, ainda não conseguimos pegar o outro homem”

“Conseguiram capturar o homem que estava na vila!” A mulher respondeu e isso fez com que Ace quase caísse da árvore de surpresa “A sua execução vai ser agora! Hebihime-sama exige que todas estejam lá para assistir”

“Tch, tudo bem… Vamos pegar o outro homem depois. Vamos!” Gritou a ultima parte e todas as mulheres saíram correndo em direção a vila

Ace arregalou os olhos. Luffy tinha sido pego e ia ser executado! Como aquele idiota conseguiu se meter numa confusão tão grande? Ace desceu da árvore em um pulo e começou a correr na mesma direção que as mulheres tinham ido

Conseguiu dar a volta no muro e chegar até a vila. Dessa vez foi muito mais fácil sem as guerreiras sanguinárias atrás dele. Ace atravessou a vila deserta com extrema facilidade, se escondendo entre as casas. Não havia mais nenhuma mulher nas ruas, as poucas que passavam estavam correndo apressadas em direção a uma enorme construção

Sabia que Luffy devia estar lá. Somente seu irmãozinho idiota conseguiria fazer tamanho estrago a ponto de juntar todas as habitantes de uma ilha no mesmo lugar. Subiu uma das montanhas que cercavam a arena e olhou para dentro

A arquibancada estava infestada de mulheres dos mais diversos tipos e tamanhos. Todas gritavam sem parar em direção ao ringue no meio da arena e um trono que ficava a frente dele. A grande maioria dos gritos eram os nomes das governantes, Hebihime-sama, Marigold-sama e Sandersonia-Sama. Alguns poucos gritos  eram xingamentos para o homem amarrado com cobras no meio do ringue. Ace reconheceu de longe o chapéu de Luffy e viu seu irmão olhar em volta, ainda confuso

“Me soltem!” Gritou enquanto tentava se soltar das cobras “Que bichos são esses? São fortes que nem aço”

Uma voz alta e feminina fez com que todos ficassem em silêncio. Ace reconheceu Boa Hancock das imagens dos Shichibukais que os comandantes mostraram para ele. Ela era mais linda ao vivo do que por imagens e Ace teve que se controlar para não se distrair totalmente pela beleza dela. Tinha ouvido falar que ela tinha o poder de transformar qualquer um que se atraísse por ela em pedra

“Mas Luffy não virou pedra…” Pensou e suspirou internamente “As vezes ser completamente inocente tem a suas vantagens”

“Agora, deixe-me perguntar, homem…” Hancock falou a ultima palavra com toda a raiva e petulância que podia juntar, como se estivesse falando com um inseto “Como e com que propósito você veio para essa ilha?”

“Nós chegamos aqui com o Striker” Falou como se explicasse tudo, dando os ombros “Estava ficando tarde e paramos nessa ilha para descansar, já que não íamos conseguir atravessar o Calm Belt a noite e…”

“Mentiroso! Como se atreve a tentar me enganar com essa historinha medíocre!” Disse a imperatriz com raiva “Você não vai escapar daqui com vida…”

Ace não sabia o que fazer. Se fosse salvar seu irmão naquele instante estaria cercado por milhares de mulheres raivosas e flechas com Haki. Além disso tinha certeza que não era imune aos poderes da shichibukai… Mordeu o lábio enquanto pensava

“Por favor! Espere! Hebihime-sama!” Uma loira gritou da arquibancada, atraindo a atenção de todos. Ela pulou para a arena e se curvou em frente a imperatriz “Esse homem está falando a verdade! Não acredito que ele venha trazer qualquer mal a este país!”

“Uma guerreira do meu país…” Falou Hancock com o rosto sem expressão

“Meu nome é Margaret” Disse a guerreira loira ainda curvada

“O simples fato de entrar nesse país significa morte para qualquer homem…” Continuou a falar, parecendo ignorar o que a menina tinha dito “Por que o defende”

“Eu… sinto que tenho uma divida com ele. Quem trouxe ele para esse país…” Ergueu a cabeça e olhou diretamente para a governante “Fui eu!”

Todas a mulheres nas arquibancadas começaram a cochichar uma com as outras. Pareciam bastante surpresas que alguém tivesse a audácia de fazer algo desse tipo. Alguma jogavam olhares de acusação para Margaret e Ace estava começando a ficar com raiva da situação

“Hebihime-sama! Existe uma explicação para isso!” Gritou uma outra mulher que também pulou para o ringue. Era muito maior que a loira e era acompanhada por uma outra menina que Ace achou que fosse uma gigante

“Isso mesmo!” Gritou também a menina gigante “Nós achamos este homem coberto de cogumelos na floresta! Achamos que fosse uma menina da vila e o trouxemos para cá” As duas se ajoelharam na frente da imperatriz

“Sweet Pie! Aphelandra! Parem com isso! Quem disse para trazer o homem para a vila fui eu!” Margaret tentou fazer com que as duas parassem de falar, mas foi ignorada

“Nós temos a mesma culpa que ela por trazer esse homem para nossas terras!” Continuou Sweet Pie, ignorando os apelos da amiga

“Mesmo que vocês tenham tentado me matar… Vocês são legais shi, shi, shi!” Riu Luffy e Ace soltou mais um suspiro. Seu irmão idiota não tinha a mínima noção de onde tinha se metido, para variar

“A culpa é toda minha!” Gritou Margaret mais uma vez, se ajoelhando na frente da imperatriz, que tinha andado até elas

“Basta!” Falou com um movimento de mão, fazendo todos no lugar se calarem e segurarem a respiração. Com um dedo, ergueu o queixo de Margaret e a fez olhar para ela “Levante a cabeça, ‘Margaret, A Honesta’” Disse com a voz calma, fazendo a loira corar. Apontou então suas mãos em forma de coração para as mulheres ajoelhadas “Mero Mero Mellon!” e as transformou em pedras

“O que? O que aconteceu?” Gritou Luffy, com toda a tranquilidade de antes sumindo de seu rosto. Se levantou ainda amarrado e se aproximou das meninas petrificadas “Viraram pedra…” Falou preocupado. Se virou para a imperatriz com urgência na voz “Hey! O que fez com essas três? Elas salvaram a minha vida!”

“E pagaram o preço por isso” Respondeu virando as costas para Luffy e voltando para o seu trono  “Tragam o Bacura para a arena!” Ordenou enquanto sentava, nem um pouco abalada pelo olhar de raiva que o menino lhe lançava “Você morrerá enquanto luta pela sua vida… Enquanto nos diverte”

Uma enorme pantera negra surgiu entrou na arena. Era pelo menos 3 vezes mais que Luffy em altura e usava alguns enfeites pelo corpo. Parecia faminta e rosnava para o menino, que não recuou. As cobras que seguravam Luffy o soltaram e fugiram, muito provavelmente com medo da grande fera

Luffy não estava nem um pouco impressionado com o animal, seu olhar ainda completamente focado na imperatriz. Tinha os punhos fechados de raiva e parecia a ponto de explodir. Ace assobiou baixinho ao ver o irmão assim… Tinha visto aquela expressão algumas vezes na cara de seu irmão e ela não era bom sinal.

Aquele gato crescido não ia ter nem chance

“O que você fez?!” Luffy ignorou completamente Bacura, gritando em direção a Boa Hancock “Tem como fazer elas voltarem ao normal?” Isso fez com que a arquibancada entrasse em loucura, gritando xingamentos direcionados a Luffy

“Como ousa falar assim com Hebihime-sama!”

“Seu fracote!”

“Acaba com ele, Bacura!”

A pantera parecia ficar ainda mais empolgada pelos gritos e pulou para cima de Luffy. O menino colocou o chapéu que estava em suas costas e estalou os dedos da mão direita. Com um soco simples acabou jogando o grande animal em cima da plateia, fazendo com que as mulheres que gritavam se calassem no mesmo instante

“Bacura!”

“Ele derrotou a fera com um soco!”

“Ele é muito forte! Como isso é possível?”

“Ele nem usou Haki!”

“Claro que não” Pensou Ace com um sorriso orgulhoso no rosto “Luffy não usa Haki com adversários fracos… Não há necessidade” Viu Luffy se endireitar depois do soco e olhar em volta, fazendo com que as mulheres que gritavam se calarem

“O que vocês estão fazendo?” Perguntou com raiva em direção das mulheres “Aquela mulher transformou as amigas de vocês em pedra! E vocês ficam rindo?!”

Por alguns segundos a arena ficou silenciosa, as mulheres todas espantadas pelas palavras do menino. Mas logo elas começaram a gritar de novo, defendendo as ações da shichibukai e dizendo que as garotas petrificadas merecem a punição que tinham recebido

“Não importa quanto grite, seu tolo…” Hancock disse com o nariz empinado “Não importa o que eu faça, tudo é perdoado! Afinal…” Passou a mão no cabelo e fez uma pose convencida “Eu sou linda!” Todas as mulheres da arena foram a loucura, gritando o nome da princesa e a elogiando em meio aos berros “Você também me perdoa… Não é mesmo?” Deu uma piscadinha para o homem, pronta para ver ele caindo em suas graças

“Você me dá nos nervos!” Disse Luffy com raiva na voz e uma cara fechada. Ele não aguentava mais aquela mulher convencida . Hancock ficou chocada com aquela afirmação, não podia acreditar que aquele homem não sentia nada por sua beleza. De novo a plateia começou a se manifestar, gritando xingamentos e falando para o menino morrer.

“Marigold! Sandersonia!” Gritou a imperatriz apontando para Luffy com ódio “Me tragam a cabeça dele!”

“Pode deixar conosco, querida irmã…” Falou Sandersonia enquanto pulava para o ringue, sendo acompanhada por Marigold. As duas começaram a se transformar, ficando maiores e com o corpo mais alongado

“Vocês comeram uma akuma no mi então…” Falou Luffy enquanto olhava para elas o cercarem com seus corpos em forma de cobra.

Ace ficou um pouco preocupado. Por mais que Luffy fosse forte e soubesse Haki, ele nunca ia bem nos primeiros momentos da batalha contra um usuário de Akuma no mi. Ele aprendia rápido e logo descobria o ponto fraco da fruta do oponente, mas as vezes aqueles primeiros minutos de luta eram muito perigosos.

Se preparou para ir até lá ajudar seu irmãozinho quando Luffy olhou diretamente em sua direção e  fez que não com a cabeça. Ace ficou surpreso com seu irmão por saber que ele estava ali, mas entendeu o que o menor queria dizer. Aquela era a luta dele… Não queria que Ace interferisse nela . O mais velho concordou com a cabeça e cruzou os braços, esperando para ver o que ia acontecer

As duas mulheres em suas formas híbridas davam voltas ao redor do menino enquanto o ameaçavam num tom jocoso. A língua bifurcada delas saia de suas bocas enquanto falavam e suas risadas eram quase como silvos de cobras

“Hu hu hu Será que devemos comer ele inteiro ou cortá-lo em pedacinhos?” Sandersonia disse com um enorme sorriso enquanto via o menino andar em direção às mulheres petrificadas

“Ou quem sabe esmagar ele até que não sobre nada” Marigold passou a língua pelos lábios, parecendo ansiosa para cumprir o que estava dizendo. Luffy as ignorou enquanto erguia Margaret e suas amigas e as levava para uma parte mais baixa do ringue

“Ponto! Acho que não tem nada quebrado…” Disse examinando as estátuas com cuidado “Vou dar um jeito de fazer vocês voltarem ao normal, prometo” Sorriu para as estátuas como se pudesse as tranquilizar. Isso causou mais uma onda de cochichos pela plateia. Por que aquele homem se importava tanto com aquelas mulheres que mal conhecia?

“Você devia se preocupar mais consigo mesmo” Aconselhou a mulher cobra esverdeada

“Cala a boca! Eu faço o que eu quero!” gritou Luffy de volta, todo o cuidado que estava tendo sendo substituído por raiva outra vez “Agora…” Pulou de volta para a parte alta do ringue, estalando os dedos das mãos “É só derrotar vocês duas, não é?”

Todas as mulheres da arena começaram a rir ao ouvir aquela frase, como se tivessem escutado uma piada muito boa. Luffy olhou em volta confuso e depois deu os ombros. Não entendia aquelas mulheres de qualquer jeito

“Vamos ver se você é tudo isso mesmo” Riu Marigold, usando sua lança para dar o primeiro ataque. Luffy sentiu o ataque chegando e desviou. Começou a usar o Haki da observação para desviar de todos os ataques que vieram em seguida “Então você sabe Haki, afinal” Falou isso e cuspiu na direção do menino que desviou no último segundo

“Ah?” Olhou para trás e fez um som de surpresa quando viu as pedras que tinham sido atingidas pelo cuspi começarem a derreter “Ácido?” Desviou de mais um ataque da lança

“É um veneno letal” Riu a mulher ruiva “Que peninha para você” Luffy ativou o Haki do armamento no seu braço direito e preparou o ataque.

“Gomu Gomu no… Pistol!” Mirou para atingir a mulher no peito, mas Marigold foi mais rápida e conseguiu usar Haki em uma de suas mãos e impedir o ataque. Os dois ataques se chocaram e não conseguiu causar dano nenhum na armadura da mulher. A mulher cobra aproveitou para atacar o menino com usa arma de lado, não dando tempo dele desviar. Luffy ergueu o braço já coberto de Haki do Armamento para se defender, causando outro choque de colisão

Luffy estava tão focado em manter o Haki funcionando e se proteger que não percebeu a cauda de Sandersonia se envolvendo nos seus calcanhares. Sentiu um puxão forte a caiu no chão, sendo levantado logo em seguida de cabeça para baixo

“Não fique com toda a diversão para você… Também quero brincar” Falou a melhor esverdeada com um tom brincalhão, envolvendo toda a sua cauda pelo menino e o apertando, fazendo ele gritar

“ME SOLTA” Gritou Luffy enquanto usava a perna que estava solta para tentar acertar Sandersonia, mas ela acabou desviando usando seu Haki da observação “Droga!”

Ela então começou a bater com o menino no chão algumas vezes, mas isso não machucou o garoto de borracha. Ele conseguiu se soltar no meio de um dos golpes e tentou socar a mulher esverdeada de novo, mas ela conseguiu desviar no último segundo

“Cada uma delas é especialista em um tipo de Haki” Pensou Ace consigo mesmo enquanto via Luffy lançar um Gatling Gun para cima de Sandersonia, que conseguiu desviar de todos os seus golpes com facilidade “ Luffy sabe os dois tipos… Mas ele é muito inferior a elas”

Viu seu irmão levar um golpe de surpresa da mulher ruiva enquanto ainda estava atacando a mulher de cabelos verdes e se preocupa ao ver ele cuspindo sangue. Foi jogado para fora da arena e se segurou na beirada por pouco, evitando os espinhos do fundo do poço

“Vamos, Luffy!” Sussurrou baixinho, torcendo pelo irmão “Não vai perder para essas duas cobras”

“Bem, vamos parar com brincar e…” Sandersonia estendeu sua cauda até onde Margaret estava e envolveu a estátua, as trazendo para cima “... trazer um pouco de punição para o acusado”

“Hey! Cuidado com ela! Ela não pode quebrar!” Gritou Luffy preocupado, levantando as mãos na frente do corpo “Eu devo a minha vida a ela!”

“Eu vou quebrar ela” Disse a mulher verde enquanto jogava a estatua para cima e para baixo “Sinto muito por ela, mas isso vai servir como uma ‘pena’ para você”

“Do que você está falando? Essa luta é entre vocês e eu!” Luffy estava tão nervoso que nem percebeu quando Marigold o envolveu com a sua cauda, não permitindo que ele fosse resgatar a sua salvadora

“Só você pensa assim” Disse a ruiva enquanto apertava ainda mais o menino, que não gritou dessa vez de tão focado que estava na estátua que era jogada sem cuidado nenhum “Isso é uma execução pública!”

“Pare com isso! Ela admira vocês!” Gritou enquanto lembrava das palavras carinhosas que a loira falava enquanto tirava os enfeites de suas roupas

“Hebihime-sama é a mulher mais forte que eu já vi em toda a minha vida” Disse Margaret enquanto puxava os fios para desprender os babados da roupa de Luffy “Ela é a minha inspiração! Quero ser como ela um dia”

“Ela e todas nessa ilha” Disse Sandersonia, não se importando nem um pouco com as palavras do menino “Aposto que ela não se importaria de dar a vida por isso, não é mesmo?” Isso fez Luffy ranger os dentes de pura raiva. Quem aquelas malditas pensam que são? Desprezando uma pessoa que daria a vida por elas como se não fosse nada!

“Claro que se importaria!” Luffy tentou se soltar mais uma vez, mas isso só fez com que o aperto ao redor dele ficasse mais forte “Que tipo de idiota é você?”

“Quantas palavras vulgares” Falou enquanto virava Margaret de cabeça para baixo e começava a aproximar ela do chão. Várias das mulheres que assistiam a batalha começaram a gritar e chorar pela amiga, mas não havia nada que pudessem fazer. Ace se preparou para pular para dentro do ringue e salvar a amiga de seu irmão “Três… Dois… Um”

“EU MANDEI VOCÊ PARAR!!!” Gritou Luffy com toda a sua força. Uma onda de choque saiu do menino e varreu por todo a arena. Ace parou na mesma hora, olhando assustado para o irmão. Muitas das mulheres que estavam assistindo a disputa desmaiaram na mesma hora

“Isso é…o Haki do rei?” Ace falou surpreso. Não sabia que o irmão tinha aquele poder. Ele mesmo só sabia da existência desse Haki depois de usá-lo uma vez quando era criança, durante o incêndio do terminal cinzento. Perguntara para Marco sobre isso e ele havia explicado o que tinha acontecido, mas nunca tinha lhe dito que Luffy também tinha aquela habilidade

Viu as duas mulheres cobras pararem o que estavam fazendo depois da ordem de Luffy. Sandersonia colocou a estátua no chão e Marigold se afastou do menino, o deixando livre. As duas olhavam com uma mistura de surpresa e preocupação em seus rostos

“Ah! Vocês me escutaram!” Disse Luffy abrindo um sorriso de orelha a orelha e soltando a sua famosa risada, não tendo ideia do que acabara de fazer “Shi shi shi Vocês até que são boas pessoas no fundo”

Ace olhou para a imperatriz pirata, que também parecia aflita sobre a descoberta. Mordia uma de suas unhas e parecia resmungar para si mesma. O comandante sabia que a Shichibukai também tinha Haki do Rei (estava no meio das milhares de informações que Marco o obrigou a decorar) e devia estar chocada de encontrar outra pessoa com o mesmo dom

Luffy parecia muito mais empolgado com a luta agora. Tinha os membros todos cobertos por o Haki do armamento e os olhos com aquela luz vermelha de quando usava o Haki da observação no máximo que conseguia. Ace sabia que o menino não conseguia lutar naquele usando todo aquele poder por tanto tempo, mas torcia que ele conseguisse terminar a luta antes que se esgotasse

A luta foi mais rápida agora. As mulheres atacavam o Luffy sem parar, mas o menino conseguia desviar e se defender de todos os ataques. Num momento de distração conseguiu agarrar a ponta do rabo de Sandersonia e usá-lo para arremessar a mulher com tudo no chão do ringue, o quebrando. Logo em seguida, com um golpe ‘Bazooka’, ele conseguiu quebrar o Haki do Armamento de Marigold e quase a jogar para o fosso de espinhos

A arena estava totalmente em silêncio depois daqueles golpes. Ninguém conseguia acreditar que aquele homenzinho fracote estava derrotando as duas maiores guerreiras da ilha sem muito esforço. As suas mulheres cobras levantaram de onde estavam e olharam para o homem hesitantes

“Sonia… Mary…” A voz de Boa Hancock foi ouvida em todo o local e estava cheia de irritação “O que vocês pensam que estão fazendo?”

“Desculpa, Nee-sama!” Marigold parecia ainda mais nervosa que antes, não querendo causar a ira de sua irmã

“Nós daremos um jeito nele agora, Nee-sama!” Falou Sandersonia enquanto terminava de se levantar. Seus cabelos ficaram no formato de cobras com enormes presas, que sibilavam em direção de Luffy

Marigold pegou o que parecia ser duas pedras e bateu nelas para formar uma faísca que a fez pegar fogo. Logo seu corpo estava coberto por chamar que também assumiram o mesmo formato que o cabelo de sua irmã

“Então você usa fogo…” Comentou Luffy para logo depois sorrir de canto de boca “Isso não é novidade”

“Não vamos deixar você escapar para lugar nenhum” Disse a mulher esverdeada enquanto as duas rodeavam o menino e atacaram ao mesmo tempo

Luffy se jogou para trás enquanto cobria os braços de Haki novamente. Colocou os dois para trás e usou o Gatling Gun em direção ao ataque das mulheres. O ataque foi muito mais rápido do que o normal e anulou completamente as cobras que o atacavam, desfazendo o cabelos de Sandersonia e apagando as chamas de Marigold. Com as sua mão puxou a Sandersonia para cima de sua irmã, fazendo com que se queimasse

“AAAAHHHHH ISSO QUEIMA” Gritou Sandersonia tentando se afastar e não conseguindo, começando a se debater sem parar. Marigold tentou se separar dela, mas acabou a puxando para mais perto ainda

“Estamos presas!” Falou desesperada enquanto tentava encontrar o motivo disso. Viu que a cauda de sua irmã e a sua estavam amarradas uma na outra em um nó cego “Quando ele fez isso?!”

“Shi shi shi” Riu Luffy enquanto fazia uma cara vitoriosa. “Não preciso do Sabo para ter uma ideia boa”

A mulher cobra verde continuava tentando se afastar do fogo sem se importar para onde ia. Estava quase perdendo a consciência e gritava sem parar de dor. Finalmente conseguiu se soltar, mas a força que tinha usado para isso fez com que perdesse o equilíbrio e começasse a cair em direção ao fosso

“Sonia-neesama!” gritou a ruiva desesperada “Se segure nas arquibancadas!” Mas Sandersonia parecia estar muito machucada para prestar atenção e continuava caindo

“ACE!” Gritou Luffy na mesma hora “Segure ela!” Ace já estava preparado e assim que seu irmão gritou seu nome ele pulou por cima das mulheres da arquibancada, usando as chamas em seus pés de impulso. Conseguiu chegar na beirada a tempo de segurar uma das mãos da mulher, impedindo ela de cair para a morte no fosso cheio de espadas  

“É o outro homem!” Gritaram as mulheres a sua volta, se afastando no mesmo instante e apontando suas flechas para Ace

“Droga!” Pensou Ace olhando em volta sem soltar a mão da mulher cobra “Se me atacarem agora não vou ter como me defender”

“O que?...” Sandersonia começou a recobrar a consciência percebeu a situação que estava. Arregalou os olhos a dar de cara com um homem a tocando “Me larga! Não encosta em mim!”

“Calma! Eu quero ajudar!” Gritou Ace tentando fazer com que a mulher parasse de se debater “Me dê a sua outra mão! Eu vou te puxar para cima” A mulher deu a mão para o comandante sem pensar muitas vezes. Parecia que o medo de cair no fosso superou o ódio que tinha de homens. Antes que Ace pudesse puxar a mulher cobra para cima, Luffy pulou nas costas dela, fazendo com que o comandante tivesse que segurar ainda mais firme “O que você tá fazendo, seu idiota?”

“É tudo um plano deles!” Gritaram as mulheres furiosas “Os dois querem jogar a Sonia-sama nas lâminas!”

“Não se mexa!” Gritou Luffy já meio ofegante antes que Sonia tivesse a chance de voltar a se debater “Mesmo que vocês queiram me matar… Nós não temos vontade nenhuma de matar vocês” Disse olhando para o irmão, que concordou com a cabeça ainda segurando a mulher

“Seu asqueroso… Mary! Mate ele agora!” Viu a irmã hesitar e gritou mais alto ainda, olhando para trás “O que você está esperando?!”

“M-Mas eu não posso, Sonia-neesama! Ele…” Engoliu o seco, sem saber o que fazer “...Está nos protegendo”

“Olhem! As roupas de Sandersonia-sama pegaram fogo” gritou uma das mulheres da plateia “Ela está nua! Se ele se mover… os “Olhos da Górgona” ficaram expostos!” Sonia virou para trás e viu que era verdade. Sua capa tinha sido completamente destruída e não havia mais nada que impedisse que o seu terrível segredo fosse revelado além daquele homem

“Vocês… Estão dispostas a morrer para que ninguém veja as suas costas, não é?” Perguntou Luffy com a cara séria, olhando para os olhos da mulher “Então não se mexe”

“A cerimônia acabou” Gritou Boa Hancock de seu trono. Toda o ódio e desprezo que estava na sua voz tinha sido substituído por um tom de urgência “Evacuem a arena!” Não foi preciso de mais nada, todas as mulheres saíram correndo em disparada para fora do lugar, com medo de virarem pedra por causa da maldição

Sandersonia abaixou a cabeça envergonhada.O peso do menino nas suas costas parecia muito maior do que realmente era… ou talvez fosse a marca, mais pesada em sua consciência do que nunca

“Nós somos a suas inimigas… Tentamos matar você” Disse com a voz fraca “Por que está nos ajudando?”

“Porque essa marca… o que vocês querem esconder… não tem nada a ver com a nossa luta”

-----/-----

“Peço desculpas em meu nome e do meu irmão” Disse Ace enquanto fazia uma referência para as duas mulheres cobras. Luffy estava o seu lado e não fez o gesto como seu irmão, então Ace colocou a mão atrás de seu pescoço e o fez se curvar também “Nós não sabíamos que essa ilha era proibida para homens, peço perdão pelo meu engano”

“Não se curve!” Disse Marigold tentando parar o homem vai velho “Vocês são os nossos heróis, nós que devíamos agradecer!”

Estavam todos no castelo das Kujas, no enorme quarto da imperatriz pirata. Hancock estava escondida atrás das cortinas de sua cama e os quatro esperava para ver o que ela tinha para mostrar.

Tinham conseguido convencer a shichibukai a transformar as amigas de Luffy de volta ao normal. Ace tinha ficado um pouco nervoso ao ouvir que eles tinham que escolher entre salvar as meninas ou poder ir embora, mas Luffy não hesitou nem um segundo em se ajoelhar e agradecer por ela ajudar Margaret e as outras  

“Estou com fome…” Reclamou Luffy enquanto se levantava

‘Cala a boca!” Ace deu um soco na cabeça do irmão “Tenha pelo menos uma noção da situação em que você nos meteu! Seja educado!”

“Ai!” Reclamou “Cala boca você! Você não teve que lutar, então é por isso que não está com fome” Falou como se tudo fizesse sentido e recebeu mais um soco “Para com isso!” Os dois começaram a brigar, sem parecer se importar com as mulheres que riam das suas atitudes

“Eles brigam bastante para serem irmãos” Comentou Mary, que sempre teve uma relação boa com suas irmãs mais velhas

“Deve ser uma coisa de homens” Riu Sonia, colocando a mão na frente da boca

“Homem do chapéu de palha!” Chamou Hancock do outro lado da cortina “Você já pode entrar agora…” Os dois meninos pararam de brigar e Luffy se levantou

“É aí onde está a comida?” Perguntou já babando de fome

“Claro que não, idiota!” Disse Ace com raiva, mas Luffy o ignorou e passou pelas cortinas, ansioso pela comida imaginária

“Com licença… Hey, não tem comida nenhuma! E por que você tá pelada?” Isso fez com que Ace parasse de ficar com raiva do irmão e ficasse vermelho de vergonha

“Ai, pelos mares, Luffy… Você é tão idiota…” Cobriu o rosto tentando disfarçar o embaraço que estava sentindo naquela situação e ignorando a risadinha das outras duas mulheres

“Sua insolência não cansa de surpreender… Que seja” Disse a imperatriz se virando de costas e afastando os cabelos para que Luffy visse a marca nas suas costas “Você disse que já tinha visto essa marca antes… De uma olhada e lembre-se”

Luffy parou para olhar para a marca. Ela parecia tão familiar, mas não conseguia se lembrar de onde conhecia ela…

“É bem parecida com a marca que o Jinbe tem no peito…” Falou enquanto lembrava do tritão que era aliado de Oyaji “Mas não é a mesma… Eu já vi ela… lá em…” Seus olhos se arregalaram enquanto lembrava das grades que o cercavam no canto de uma sala escura, aquela mesma marca adornando uma das paredes do quarto cor de rosa “Oh…”

Os dois ficaram em silêncio enquanto a mulher soltava o cabelo, escondendo a marca mais uma vez. Ace viu Luffy saindo das cortinas com uma cara séria, enquanto Hancock colocava a sua capa para se cobrir

“Luffy, o que…” Ia perguntar o que tinha acontecido, mas o rosto do seu irmãozinho já estava lhe explicando o que precisava saber. Das primeiras vezes que voltaram para Sabaody, depois do incidente com Sabo, ele fazia a mesma expressão e se recusava a deixar o Moby Dick no primeiro dia. Demorou alguns anos para que o menor se recuperasse do trauma de ser vendido e aprisionado. Tudo fez sentido na cabeça de Ace e ele se aproximou de Luffy “Aqueles malditos não estão aqui, Luffy! Eles não vão te pegar de novo, nós não vamos deixar!” Luffy só concordou com a cabeça com um movimento quase imperceptível, seus olhos escondidos pela aba do chapéu

“O que?” Perguntou Hancock se levantando “Do que você está falando?” O irmão mais velho olhou para o mais novo e o viu concordar mais uma vez, ainda sem levantar o rosto. Ace suspirou

“Nós… Fomos capturados uma vez por vendedores de escravos” Começou a explicar o que tinha acontecido para as mulheres, que ficaram chocadas conforme a história se desenrolava “Mesmo tendo ficado pouco tempo nas mãos dos Tenryuubitos, ainda foi muito chocante para ele isso…”

“Então ele também foi escravizado?” Perguntou Marigold, extremamente surpresa com o fato

“Sim… Mas conseguimos o resgatar a tempo, antes que o levassem para Mariejoa e lhe dessem a marca” Falou colocando a mão no ombro de Luffy, que ainda não demonstrava nenhuma reação

“Mas… Como você conseguiu escapar?” Perguntou Sonia para o menino. Ace abriu a boca para responder, mas Luffy foi mais rápido

“Minha família me salvou… Não deixaram que tomassem a minha liberdade” Falou com a voz baixa e bem mais grave que o normal “Conseguiram me tirar do navio e o afundaram, a maldita que me comprou deve achar que eu estou morto ou algo assim” Ergueu o rosto e olhou para as mulheres, sua expressão era um misto de rancor e tristeza, mas nenhuma dessas emoções era direcionado a elas “Mas vocês não conseguiram escapar tão cedo… não é?”

As três hesitaram na mesma hora. Era difícil demais falar sobre aquilo e Luffy entendia. Estava prestes a dizer que não precisava que respondessem a sua pergunta quando sons de uma bengala batendo no chão ecoaram pelo lugar

“Está na hora de vocês conversarem sobre isso com alguém, Nyon… E acredito que esse rapaz seja a pessoa certa para isso” Falou uma voz velha. Todos se viraram para encarar a pequena velhinha que se aproximava lentamente

“Velha Nyon!” As duas irmãs mais novas falaram, surpresas pela presença da anciã ali

“De novo aparecendo sem ser chamada…” Resmungou Hancock, lançando um olhar de ira para a velha

“Vocês viram a majestade e a compaixão desse homem com os seus próprios olhos, Nyon” Falou a velhinha apontando para Luffy e Ace com o seu cajado “Creio que está na hora de vocês acreditarem em alguém pela primeira vez e soltarem o que tem dentro do peito. Afinal esses dois entendem um pouco da aflição que vocês passaram”

As três irmãs se entreolharam antes de concordarem com a cabeça. Então, Hancock revelou tudo o que tinha acontecido com elas nas mãos dos nobres. De como tinham sido pegas durante uma viagem e como tinham sido vendidas. Falou da dor e sofrimento que tinha passado na mão dos primeiros homens que tinham visto na vida. E então falaram sobre como tinham sido liberadas durante um ataque a Mariejoa por Fisher Tiger e contou sobre a marca dos piratas do sol, que Jinbe tinha no peito

“Conseguimos enganar as pessoas da ilha por causa das frutas que comemos quando éramos escravas. Protegemos nosso segredo a qualquer custo de qualquer pessoa” Falou a imperatriz com lágrimas nos olhos, sua voz ficando cada vez mais alta e falha “Mesmo que tenhamos que enganar milhares de pessoas, não importa! JAMAIS SEREMOS ESCRAVAS NOVAMENTE!” Gritou as últimas palavras e depois escondeu seu rosto em seus joelhos, soluços escapando de tempos em tempos  “Eu tenho um pavor enorme de confiar em alguém e ser traída!” Fungou mais uma vez “Não consigo superar esse pavor, por mais que eu tente...”

“Nee-sama” Falaram as duas irmãs mais novas, tristes ao ver Hancock naquele estado. Luffy começou a andar na direção da mulher chorosa

“Luffy” Disse Ace tentado parar o menor, mas o olhar que recebeu de Luffy o fez recuar. O garoto de chapéu de palha foi até a mulher e sentou na frente dela

“Olha… Eu não sou tão bom com as palavras quando Sabo, ou Marco, ou metade da minha família” Tocou levemente nas mão de hancock, que estavam tapando o próprio rosto, e as fez abaixar e olhar para ele “E eu também não sei um décimo do que vocês passaram. Só de imaginar preso como daquela vez…” Deixou a frase cair, sabendo que ela tinha entendido o que ele queria dizer “Mas eu posso prometer uma coisa. Você pode confiar em mim” Segurou as mãos da mulher e deu um sorriso para tentar confortá-la, o que parecia ter dado certo porque ela parou de chorar “Se um dia você precisar de ajuda… Pode me chamar! Eu atravessaria toda a Grand Line para ajudar uma amiga” Terminou dando o seu famoso sorriso de orelha a orelha

“V-Você não me despreza?” Perguntou surpresa enquanto olhava para os olhos sinceros do menino “Eu mandei matar você!”

“Claro que não! Foi um engano, agora está tudo resolvido, não é?”

“Eu fui uma escrava!”

“E daí?” Perguntou Luffy fazendo uma careta “Odeio os Tenryuubitos… Eles são uns malditos” A mulher olhou mesmerizada para Luffy por alguns segundos até começar a rir, secando as lágrimas que escorriam em seu rosto

“Gosto desse seu espírito selvagem!” Sorriu verdadeiramente pela primeira vez em muito tempo, seu coração se enchendo de algo que ela desconhecia, mas que aquecia de um jeito que ela nunca conseguia imaginar que era possível

----/----

Os dois homens olhavam para o den-den-mushi bebê que estava praticamente se esgoelando de tanto tempo tocando. Ace e Luffy se entreolharam e depois olharam para as mulheres que tinha trago o Striker e suas coisas até eles

“Ele está assim desde que vocês chegaram no Striker?” Perguntou Ace, querendo se chutar por ter esquecido de levar o aparelho consigo aquela manhã, antes de ir atrás do Luffy

“Sim” Respondeu a mulher enquanto puxava a sua bochecha, não parecendo nem um pouco constrangida de fazer aquilo “Ele começou a chorar um pouco depois que o achamos… Quem quer que esteja ligando para vocês deve estar fazendo isso a horas’

“Foi bem fácil achar o barco por causa dos toques” Falou outra mulher que puxava a pele do braço de Luffy e fazia uma cara impressionada “Uau! Você estica muito mais que o seu irmão… É por que você é mais jovem?” Perguntou já puxando seu caderno para anotar a resposta, mas foi ignorada pelos dois meninos que suavam frio

“Então ele está ligando a horas…” Falou Ace começando a tremer e Luffy engoliu o seco

“Talvez seja outra pessoa ligando por engano” Tenta se animar o menor, mas sabiam que era muito improvável “E se… Nós não atendermos? Podemos voltar para a festa e deixar para explicar o que aconteceu quando chegarmos no Moby Dick”

“Bem…” Ace parecia realmente tentado em aceitar a sugestão de Luffy. Uma festa estava acontecendo para eles, com muita música e comida. Tudo bem que as mulheres não paravam de beliscar os dois e fazerem perguntas meio vergonhosas, mas isso era compensado pela ótima música e pela comida deliciosa

“Por que estão demorando tanto? Estão perdendo a festa!” Disse Margaret enquanto se aproximava deles com um prato cheio de comida “Não querem experimentar os nossos rolinhos de rei dos mares? Dizem que são os melhores da Grand Line”

Os dois se distraíram por um segundo enquanto olhavam para a comida com os olhos brilhando. A menina riu enquanto via os dois irmãos quase se matarem para ver com quem ficava o prato. Depois desviou o olhar para o pobre den-den-mushi, que chorava sem parar já cansado de tocar

“Coitadinho… Atendam logo essa chamada” Margaret pegou o aparelho

“NÃO!” gritou Ace e Luffy ao mesmo tempo, mas era tarde demais. A mulher loira já tinha atendido a ligação com um sorriso

“Alô, aqui é a Margaret! Com quem estou falando?” O silêncio do outro lado da linha permaneceu por alguns segundos, até que a voz calma soou pelo lugar

“Boa noite, Yoi” Respondeu e Margaret não entendeu porque Ace e Luffy começaram a tremer na mesma hora “Aqui é Marco e eu queria falar com o dono desse Den-den-mushi… Ace está por aí, Yoi?”

“Claro! Eu vou…” Olhou para o homem mais velho, que fazia que não com a cabeça e cruzava os braços como um X “Ahhh, eu acho que ele não pode atender agora...”

“Ace, eu sei que você e o Luffy estão aí…” A voz já não era do mesmo tom simpático como tinha falado com a mulher “Se você não pegar esse telefone em três segundos o incidente do depósito 4 vai ser história de ninar perto do que eu vou fazer com vocês dois… Três… Dois…” Ace tomou o aparelho da mão de Margaret na mesma hora, suando como se estivesse correndo uma maratona

“CHEGUEI CALMA!” Gritou no aparelho desesperado e depois percebeu o que tinha feito. Olhou para trás e viu Luffy tentando sair de fininho do lugar para fugir da bronca “Luffy!”Gritou para o garoto, que saiu correndo na mesma hora, deixando Ace sozinho com o den-den-mushi furioso

“Ace… Onde vocês estão, Yoi?” Perguntou Marco com a voz escorrendo raiva e fez o jovem comandante engolir o seco

“Nós… tivemos que parar em uma ilha no meio do Calm Belt para descansar e acabamos perdendo o tempo! Só isso, he, he, he…” Deu uma risada muito falsa no final, extremamente desconfortável com aquilo

“Você mente tão mal quando o Luffy, Yoi”

“Eu sei”

“Agora, você tem 5 minutos para me explicar o porquê de você estar na ilha das mulheres, um lugar que eu avisei para VOCÊS NUNCA IREM, YOI!” Terminou gritando de raiva e Ace teve que se afastar do fone para não ficar surdo

As mulheres da festa de assustaram pelos barulhos de gritos que vinham da sala onde um dos homens se encontrava, mas deram os ombros e aceitaram que devia ser algo comum entre eles

“Homens têm o costume de gritar um com os outros pelo den-den-mushi… Será que é uma forma de demonstrar afeto? Que interesante!” Uma das mulheres anotava as informações no seu caderno. Luffy tinha voltado a comer tentando ignorar os gritos. Ia deixar Ace lidar com aquilo daquela vez

“DE TODAS AS IDEIAS ESTÚPIDAS QUE VOCÊS TIVERAM ESSA É A CAMPEÃ, YOI! VOCÊS INVENTARAM UM NOVO TIPO DE ESTUPIDEZ! O QUE VOCÊS…” Os gritos continuaram por um bom tempo e Luffy quase sentiu pena do seu irmão…

Quase


Notas Finais


Quero a opnião sincera de vocês sobre o que acharam desse capítulo e o anterior. Ele foi todo baseado no arco de Amazon Lily e como vocês perceberam teve muitas partes que ficaram iguais… Não sei se isso é do agrado de vocês ou não
Esse capítulo é um teste na vdd (além de mudar algumas coisas lá para frente)... Pq quando o Luffy partir para juntar a sua tripulação muita coisa vai continuar igual… Então se vocês gostarem desse capítulo eu vou reescrever todas as sagas até Sabaody (menos Skypiea, pq né… Não muda nada). Se vocês não gostarem desse capítulo eu vou tentar fazer de um outro jeito… Fazendo um mega resumo do que aconteceu e pulando direto para Sabaody (Mas eu vou postar a reescrita dos arcos pré-timeskip em um extra, daí quem quiser ler essa parte pode ver lá). Pra mim não faz diferença nenhuma fazer um ou outro, então depende de vocês
Sério povo, falem a suas opniões! Não tenham vergonha nenhuma de comentar, basta colocar um “Assim tá legal” ou um “Assim não tá legal” que eu vou dar meu jeito (se quiserem colocar o porquê vai ser ótimo, mas não precisa se não quiser) … Mas eu quero a opnião sincera de vcs
Muito obrigada por lerem! Bjss e até terça!
Obs: Pra quem não viu: Comecei uma fanfic nova, também de One Piece, com dragões (eu sei… vai por mim povo)… Não vou me alongar aqui, vão no meu perfil olhar ela ou procurem por “Coffees and Dragons”! É Show! É Top! Arrisco dizer que é Shop(?)!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...