História True Colors - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias WINNER
Personagens Mino, Taehyun
Tags Angst, Drabble, Mino, Namsong, Taehyun, Winner
Exibições 54
Palavras 1.469
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Drama (Tragédia), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Primeiramente, fora Temer.
Segundamente, fora YG.
Terceiramente, pau no cu do spirit que cagou esse app e me faz postar pelo navegador do celular, vai se foder.
De qualquer forma, queria dizer que eu realmente fiquei muito mal essa semana, porque além de BlackJack, eu sou 200% Winner stan, e tudo isso me deixou um caco.
Enfim, eu pensei tanto sobre o Taehyun esses dias, e acabei sonhando com isso aqui. Eu escrevi, e apesar de não ter chegado no ponto onde eu queria, eu gostei. E também, eu fiquei com isso na cabeça por dias e morreria se não postasse. Btw, boa leitura.

Capítulo 1 - White


Na teoria das cores, dizem que quando todas elas se misturam, o resultado é branco.

Nam TaeHyun, na teoria, era branco.

Haviam tantas cores em teu olhar, em teu sorriso, em tua voz.

Tantas cores em tuas palavras, em tuas risadas, em teus gestos.

Nam TaeHyun era arte em cada partícula de sua existência.

Cada pequeno gesto, desde seu piscar de olhos, até a forma como sua boca se movia graciosamente a cada vez que falava, era uma obra prima.

Lembro da primeira vez que o ouvi cantar. Sua voz suave chegara calmamente aos meus ouvidos no momento em que eu passava pelo corredor, indo em direção a sala de prática. 

A melodia que cantava era melancólica, quase pesada demais para um garoto de 18 anos. Mas me encantei assim que escutei as primeiras notas, e quando olhei teu rosto pela primeira vez, percebi que era tão delicado quanto tua voz.

Não levou muito tempo até começarmos a conversar, e demorou menos ainda para nos tornarmos inseparáveis. 

Tão rápido nos conhecemos e nos tornamos melhores amigos, quanto me apaixonei.

Foi quase natural pegar-me pensando naquele nome em quase todas as horas do meu dia, e no quanto eu gostava de absolutamente tudo o que aquele garoto fazia.

Eu gostava de suas piadas ruins, de seu ótimo gosto para filmes, e também das coisas poéticas que dizias a noite, quando parava na sacada do dormitório e tomava aquele café amargo, observando as estrelas.

Foi em uma dessas noites onde eu acabei dizendo coisas demais, e demos nosso primeiro beijo.

TaeHyun estava tendo uma de suas crises de auto estima, e eu listei todas as coisas em si que me fascinavam. E indiretamente, acabei por me declarar. 

Ele apenas sorrira com minhas palavras bobas e apressadas e deixou um selar tímido em meus lábios, calando-me.

Aquele beijo evoluiu para toques, e os toques levaram-nos a um relacionamento confuso e incerto.

TaeHyun demorara a assumir seus sentimentos por mim, mas quando aconteceu, eu apenas sorri e disse-lhe o quanto o amava, e logo após, firmamos um compromisso sério um com o outro.

Eu me doei por inteiro, da mesma forma em que ele se doou para mim.

Nam TaeHyun era meu maior orgulho.

Eu me orgulhava do quão era inteligente, do quão era interessante, e do quão absurdamente único ele era.

Ele dizia se orgulhar de mim, do meu trabalho, e do meu esforço, mas na verdade, ele era o motivo de seu próprio orgulho. Porque era ele minha motivação para não desistir e continuar lutando.

Certa vez, um tempo depois de nossa estréia, na noite depois da nossa primeira apresentação, eu o pedi em casamento.

Era madrugada, e estávamos deitados em minha cama, havíamos acabado de fazer amor. A lua estava infuriantemente linda, assim como o loiro em meus braços.

Eu sussurrei palavras bonitas em seu ouvido, mas o menor achara que era apenas uma brincadeira, e me mandou parar de fazer graça, quando na verdade eu nunca havia falado tão sério em toda minha vida.

Na verdade, aquele fora apenas o primeiro de todos os diversos pedidos de casamento que já lhe fiz.

TaeHyun pensava que não, mas todos eles eram verdadeiros, não somente da boca para fora. Eu queria passar o resto da minha vida ao seu lado.

Eu sempre achei que Nam TaeHyun deveria ser eternizado. O mundo deveria ver o ser magnífico que era ele, por gerações e gerações.

Sua simplicidade era extravagante, simplesmente por ser sua.

Mas ao longo do tempo, aquele seu pequeno problema deixara de ser pequeno, e tomara proporções assustadoras.

O grupo teve que tomar uma pausa, apenas para o mais novo entre nós cuidar de si mesmo.

Bons meses se passaram e seu estado parecia continuar daquela forma, chegando até a piorar.

Foi em meus braços onde TaeHyun chorou quando recebeu a triste notícia, depois da reunião com o CEO. Eu quis chorar também, mas decidi ser forte por nós dois. 

Era estranho pensar que seríamos apenas quatro a partir daquele momento. Se nós cinco éramos vencedores, por que um teria de ir embora? Era totalmente injusto.

Inicialmente, fiquei em uma mistura de choque e tristeza. Mas logo depois, aqueles sentimentos se tornaram em raiva. Eu não queria deixá-lo ir, e se ele iria, que eu fosse junto consigo.

É claro que ele não deixou que eu fizesse algo do tipo, ele dizia que minha carreira deveria vir em primeiro lugar. Eu odiava aquele pensamento, mas o acatei apenas porque o faria feliz. E nada era mais importante para mim do que a felicidade de Nam TaeHyun.

Portanto, nós continuamos sem ele.

Era notório o desconforto que sentíamos sem sua presença ali, éramos um quebra-cabeça com uma peça perdida.

Apesar da tristeza absurda que lhe invadiu, TaeHyun continou forte. Por mais que não demonstrasse, eu sentia seu pesar, apenas olhando em seus olhos.

Às vezes ele não segurava, e me abraçava durante a noite, chorando silenciosamente escondido em meu pescoço. Eu apenas afagava teu cabelo, e sussurava-lhe juras de amor.

Tivemos muitas noites boas.

Tivemos ótimos dias também, mas nós dois sempre gostávamos mais das noites. 

Eram nelas onde compartilhávamos as melhores conversas, as melhores reflexões, o melhores toques. 

Mas depois do último inverno, eu deixei de apreciá-las.

TaeHyun gostava de fazer umas piadas estranhas envolvendo a morte, mas eu sempre as ignorava, humor negro era algo bastante presente em nossa relação.

Na noite de 24 de dezembro, eu havia recebido uma mensagem confusa vinda do mais novo, pouco antes de eu chegar em sua casa.

 

Não acha que hoje é uma noite bonita para eu me tornar uma estrela? Me perdoe, eu juro que sempre vou brilhar por você. Eu te amo, Song MinHo.

 

Eu estava em um engarrafamento, em direção ao seu apartamento, quando a li. Não achei que fosse grande coisa, já que era um costume me mandar mensagens carinhosas ao longo do dia, e tudo o que eu fiz foi sorrir, e digitar de volta que também o amava.

Eu só entendi o real significado da mensagem horas mais tarde. 

Depois de ter finalmente chego em sua casa, notei-a vazia e estranhamente silenciosa.

Nam TaeHyun, eu realmente me desesperei quando fui em direção ao banheiro, e notei a água saindo por debaixo da porta. 

Eu lhe encontrei submerso naquela banheira, com a água caresmim e os pulsos profundamente cortados. Nunca senti tanto pânico na minha vida quanto naquele momento. Eu tentava lhe acordar, mas você obviamente não respondia.

Eu liguei para a ambulância, e tive que lhe assitir sair do apartamento naquela maca, em plena véspera de natal.

Eles obviamente não conseguiram fazer nada para te salvar, afinal, você já estava morto quando eu te encontrei.

E apesar de ter lhe visto daquela forma, sem vida e ensanguentado, as únicas imagens que eu guardo de ti são aquelas em que você estava sempre em seu melhor estado.

Como quando olhava-me com seus olhinhos pequenos e suas sobrancelhas caídas.

Ou das vezes em que eu lhe contrariava e você mordia o lábio inferior, pensando em um argumento convincente para provar que estava certo em suas teorias.

Até mesmo quando estávamos em nossos momentos de prazer, e você fazia aquelas expressões que me levavam a loucura.

Por que, Namtae, você era a maior tela viva que eu já havia visto em toda a minha vida. 

Você chegou sorrateiramente, e bagunçou todo o meu âmago, ao passo em que me invadiu com todos os seus tons.

Você é a melhor parte de mim, e eu vou sempre mantê-lo por perto, mesmo que seja apenas em minhas memórias.

 

 

Senti um leve aperto em meu ombro, despertando-me do meu transe. Olhei a funcionária que me chamava a atenção.

- Terminei por aqui, caso precise de alguma coisa, vou estar ali do outro lado, tudo bem? - a garota responsável pela maquiagem disse, apontando para o canto oposto do camarim. 

Assenti e curvei levemente a cabeça em agradecimento. Olhei no espelho, analisando o quanto meus olhos pareciam sem vida. Ignorei esse fato, e desviei os olhos para minha mão esquerda, onde possuía um aro prateado brilhante em um dos dedos.

Eu ainda usava a nossa aliança.

Suspirei cansado, e logo depois sorri para o pequeno círculo em meu anelar.

Minutos se passaram, e eu continuei o observando, somente desviei os olhos quando um dos staffs disse que estava na hora, e que deveríamos nos posicionar em nossos lugares.

Pouco depois, eu já me encontrava diante daquela multidão azul. Sorri com o pensamento de todas as vezes em que éramos cinco, e fazíamos todas aquelas pessoas gritarem em euforia.

Mesmo que você tenha ido embora, TaeHyun, você ainda era um de nós. Será sempre um vencedor.

E mesmo contra minha vontade, me peguei pensando no seu sorriso, e no quanto ele me inundava de cores.


Notas Finais


Perdoem minha mente doente mas não desistam de mim q
Sei lá, mano, foi isso. Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...