História True Love - Korrasami - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Avatar: A Lenda de Korra
Personagens Amon, Asami Sato, Korra, Mako, Personagens Originais, Tenzin
Tags Asami, Bolin, Korra, Korrasami, Mako
Visualizações 444
Palavras 3.103
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Esporte, Festa, Hentai, Luta, Magia, Orange, Policial, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite!
Passando aqui pra animar mais uma madrugada de alguns leitores corujinhas que não dormem cedo hauahaush. Enfim, vamos dar continuidade nessa saga de Korrasami e eu espero gostem, pois foi criado com muito carinho! Agradeço todos os favoritos e comentários (VOCÊS SÃO FODAS) que vem animando muito. Criação: Yui Funami.
Direção: Yui Funami.
Edição Geral: Camila Rezende.

Att; Yui Funami.

Capítulo 32 - O q tiver q ser será,tudo tem seu tempo e cd coisa seu lugar


Fanfic / Fanfiction True Love - Korrasami - Capítulo 32 - O q tiver q ser será,tudo tem seu tempo e cd coisa seu lugar

POV ASAMI.

(NO OUTRO DIA)

 

- Ela não voltou para casa? – Perguntei ao meu pai enquanto tomávamos café em casa.

- A Yui sempre volta tarde por causa da faculdade, por isso eu não me atentei – Respondeu ele, calmamente – Me pergunto onde aquela danadinha passou a noite.

- Eu imagino o que possa ter acontecido – Respondi em baixo tom, tomando mais alguns goles do meu café.

Quando estávamos saindo recebi uma mensagem da minha priminha dizendo que iria direto para a fábrica. Respondi que tudo bem e que papai e eu chegaríamos mais tarde.

(NA FÁBRICA)

POV AUTORA.

- Não, Kai! Eu tô no meu limite! – Sussurrava Yui de forma sensual ao pé do ouvido do garoto – Isso é arriscado!

- Você deveria ter pensado bem antes de me provocar – Respondeu Kai, colocando-a sentada em uma mesa, posicionando-se entre suas pernas.

- Eu achei que você não tinha mais forças depois de ontem – Dizia Yui ofegante, arqueando o corpo, deixando os seios livres para serem saboreados.

As mãos daquele garoto percorriam cada centímetro do corpo da Sato por baixo daquelas roupas. Os gemidos de ambos eram abafados por beijos desesperados e urgentes.

**********

POV ASAMI.

- Arg! Eu vou ter pesadelos lembrando dessa cena! – Disse em alto e bom som, abrindo a porta do nosso escritório.

- Asami! – Gritou Yui, tentando fechar os botões da blusa.

- Ai merda! Fudeu! – Balbuciou Kai, tentando erguer as calças.

Digamos que a cena era engraçada e apavorante ao mesmo tempo.

- Eu não vejo desculpas cabíveis para o que acabei de presenciar! – Comecei séria, sentando em minha mesa com meus braços cruzados.

- E-e-eu gostaria de dizer que sinto...

- Que sente muito?! – Cortei-o – Como meu subordinado você deveria se orgulhar de trabalhar aqui!

- M-m-mas eu me orgulho! – Dizia ele, timidamente.

- Deveria se orgulhar e respeitar esse local! Você tem ideia da merda que estavam fazendo?! – Continuei firme.

- Prima... eu posso explicar.

- Explicar o que?! – Indaguei, arqueando uma das sobrancelhas – Que você estava transando com seu namorado no escritório da família?! Imagina se meu pai é quem pega vocês?!

- Ele não é meu namorado!

- Não sou?! – Perguntou Kai, confuso.

- Arg! Você entendeu! – Respondeu Yui, constrangida.

- Kai, agora que você já colocou suas calças no devido lugar, e graças a Deus que você ainda não tinha tirado a cueca, – Dizia pegando alguns papéis – vá checar esses pedidos e vê se pensa em todas as coisas erradas que já fizeram nesse lugar e que não podem se repetir novamente!

Ele pegou os papéis e saiu o mais rápido possível daquela sala.

O silêncio reinou por longos minutos enquanto Yui estava sentada com a cara na mesa.

- Bem que notei que vocês dois não tentavam se matar a algumas semanas – Disse calmamente, revisando algumas coisas.

- Claro, eu descobri que ele pode ser muito gostosinho... hã, espera... o que eu tô falando?

- Fico feliz que finalmente tenha achado alguém para acalmar seus hormônios – Disse usando meu melhor sarcasmo – Só não faça mais coisas obscenas aqui, ou o papai vai acabar arrumando um casamento para você. – Sorri ao responder, deixando-a mais tranquila.

Yui correu para minha mesa e me abraçou. Conversamos sobre tudo e ela me contou, infelizmente em detalhes de mais, como haviam começado a ficar.

- Yui, o que você faria com alguém que te magoou, mas você não consegue odiar?! – Perguntei, tentando ainda digerir as últimas horas.

- Asami, a vida é um jogo. Você pode ser um jogador ou um brinquedo. – Respondeu-me tranquilamente – Cabe a você decidir, mas não deixe que seus sentimentos a sufoquem, melhor encarar essa garota de frente...

- Ei espera, eu não disse que era uma garota! – Respondi sentindo meu rosto esquentar – Arg! Esquece...

**********

POV KORRA.

- Espero nunca mais ver aquela idiota na minha frente – Dizia Miako, subindo as escadas da minha casa – Ela é muito irritante! Kaori, a minha mais nova inimiga! Eu vou tratar de fazer a vida dela um inferno!

- Talvez seja por que vocês duas sejam muito parecidas. Ela é a minha melhor amiga e no final das contas você se acostuma. – Brinquei ao responder – É como dizem, dois bicudos não se beijam rs.

- Espera, eu pensei que eu era sua melhor amiga! – Esbravejou ela, soltando “fogo” pelas narinas.

- E você é! Mas eu não tenho apenas uma melhor amiga – Respondi, tomando três degraus de distância dela, apenas por precaução.

Subimos conversando sobre nossa última missão. Ir a campo com a Kaori e encontrar os dragões anciãos que vivem no reino dos espíritos foi um sucesso, pois eles são os únicos seres que não são espíritos e que tem força e poder suficiente para não sucumbir a seja lá o que estiver corrompendo os espíritos.

Basicamente eles vão ser meus olhos e minha primeira linha de defesa naquele lugar.

- Bom, acho que agora eu posso relaxar um pouco – Dizia ela, esperando que eu abrisse a porta. – Estou faminta e espero uma boa refeição hoje!

- A Korra tem coisas mais importantes para tratar... você terá que sair para comer algo ou pedir um delivery lá da sua casa.

Dizer que eu quase tive um infarto seria pouco ao escutar a voz da Asami vinda do meu quarto.

Sua voz ressoou firme e séria, o que me fez suar frio.

Miako deu meia volta com um sorriso sarcástico estampado.

- É como dizem, garota: ¼ de coragem e ¾ de loucura, soldado! – Brincou Miako, saindo – Eu espero que você sobreviva a essa noite. Bye- Bye.

Tirei minhas botas, deixando-as ao lado da porta. Tratei de atirar minha mochila no sofá e sentindo um arrepio correr minhas costas eu finalmente adentrei aquele quarto.

- Ela já foi? – Perguntou Sami.

- Já sim... – Sorri amarelo ao responder me aproximando.

Asami estava de lingerie vermelha, sentada na ponta da cama com as pernas cruzadas e um chicote repousando ao seu lado. Ela me devorava com seu olhar penetrante.

- Tire a roupa! – Ordenou ela.

Pensei em dizer algo, mas a luxúria já havia me dominado por inteira. E assim como ordenado me despi, deixando apenas minhas roupas de baixo.

Ela nada disse. Apenas puxou minha mão, guiando-me até uma cadeira no meio da sala onde fui presa com dois pares de algemas, uma em cada braço.

Asami ligou o som, deixando tocar uma música sensual enquanto ia até a cozinha.

- “Essa garota é pior que um demônio quando quer!” – Pensei internamente – “Você quer brincar, então vamos lá!”

Asami voltou, trazendo outra cadeira. Sentou de frente comigo, cruzando as pernas sensualmente.

- Vamos conversar – Dizia ela, despreocupadamente. – E eu gostaria que não mentisse!

- Isso foi inesperado... – Respondi analisando sua expressão – Mas se quer conversar, abra as algemas que poderemos ficar mais à vontade.

- Nem pensar! Você não presta, sabia?! – Rebateu ela – Se eu te soltar você vai acabar me dominando e fazendo com que o desejo tome minha razão mais uma vez!

- Tudo bem – Respondi séria – É justo. Eu não resisto mesmo a você! Ainda mais assim tão sexy – Continuei, usando minha melhor malícia.

- Porque você sumiu TODO ESSE TEMPO?

A pergunta, misturada ao tom que Sami usava, jogaram minha luxúria pela janela.

- A-acabou acontecendo Sami – Respondi fitando-a. – Eu tive vários motivos para sumir! Eu precisava proteger você, proteger a minha família e amigos!

- Você espera que eu aceite apenas um “acabou acontecendo”, seguido de um argumento tão pequeno? Foram cinco anos, Korra! Cinco longos anos! – Indagou ela – Você não tem ideia de como foi chorar no seu memorial! Porque nem o corpo para ser velado achamos!

- Eu sei que eu te magoei! – Respondi me levantando e a abraçando, pois ela já começava a chorar. – Asami eu não suporto ver você chorando.

- C-c-como você tirou as algemas? – Perguntou ela com um olhar severo.

- Existe muita coisa sobre mim que você ainda tem que aprender. Eu aprendi a manipular platina também rs. Mas valeu a tentativa, você realmente consegue me dominar.

- Como você desapareceu aquela noite? – Perguntou ela me olhando.

- Na grande explosão, onde todos acharam que eu havia morrido – Suspirei revivendo o momento mentalmente – Eu utilizei a força espiritual de uma grande árvore anciã, mas as coisas saíram do meu controle e a explosão eliminou tudo em um rastro de um quilômetro, mais ou menos. Eu acabei acordando em um mundo paralelo, onde não havia ninguém a não ser alguns espíritos anciãos. Com a ajuda deles me reconectei com minhas antigas vidas, meses depois.

- Você ficou presa neste lugar por quanto tempo?

- Uns bons meses. Mas eu precisava deste tempo. – Respondi enquanto secava suas lágrimas – Como avatar esse foi um momento crucial que eu precisava trilhar, Sami.

- Você ficou presa por apenas uns meses?! – Indagou ela furiosa – Korra, você sumiu por CINCO ANOS!

- As coisas fugiram do meu controle, Sami! – Respondi me virando de costas, indo para a cozinha pegar um copo com água – No primeiro ano eu obtive a informação que você deixaria a capital. Foi doloroso não ter você por perto e ainda por cima ninguém tinha qualquer informação descente sobre você!

- Eu precisava seguir a minha vida e tentar me reerguer sem você. – Respondeu ela, pegando a água – A minha partida foi necessária!

- E eu não preciso te dizer o quanto eu sofri ao te ver voltar acompanhada do Mako e ainda por cima você se tornou mãe! Saber que você se relacionou com um homem e ainda teve filhos com ele! Isso também dói, sabia?

- Korra... eu e o Mako não temos nada! – Explicou ela – Ele apenas trabalha para mim. Ele é meu guarda costas e praticamente um babysitter!

- Arg! E quanto ao seu suposto relacionamento, Asami?! Quem é o cara com quem você teve filhos?!

- Você está virando o jogo contra mim?! – Indagou ela irritada, cruzando os braços – Korra, meus filhos não veem ao caso agora! Nossa conversa inicial é porque você sumiu da minha vida! VOCÊ não faz ideia de quantas noites eu chorei por VOCÊ!

- Vamos conversar sobre tudo – Respondi, respirando fundo e tentando me acalmar – Eu admito que eu demorei a me aproximar novamente e que eu não vivo sem você. – Continuei, sentando-me ao seu lado – Mas existe um mal muito grande tentando dominar esse mundo. E graças a este tempo longe eu me tornei um avatar melhor, eu amadureci muito e estou preparada para a batalha que está por vir...

- Gostaria que me explicasse mais...

- Sami, eu aprendi a me conectar de vez com meu lado espiritual. Eu me tornei um avatar completo – Sorri ao compartilhar isso com ela, envolvendo nossas mãos, arrancando-lhe um meio sorriso – Você não tem ideia! Eu treinei com os melhores mestres que eu poderia pedir.

- E quem são esses mestres? – Perguntou ela, finalmente cedendo e tombando sua cabeça na curva do meu pescoço.

Senti meu corpo responder ao sentir sua respiração contra minha pele, mas com um pouco de foco e força de vontade, prosseguimos com nossa conversa.

- Ah! Você não faz ideia – Respondi, olhando para o telhado, tentando conter minhas lágrimas ao sentir meu ombro molhar com seu choro – Eu treinei com o Aang, mestre do ar; Roku, mestre do fogo; Kyoshi, mestra da terra; e Kuruk, mestre da água. Todos os últimos quatro avatares me treinaram e me guiaram em suas vidas como avatares. Foi algo indescritível de se viver!

- Sabe... Eu odeio não conseguir te odiar – Sussurrou ela – Todos estes anos sofrendo por você! Mas nem mesmo por um segundo eu consegui te odiar por não ter pensado em nós naquela maldita noite da explosão.

- Eu peço desculpa por tudo que te fiz passar! – Fui sincera, tomando-lhe os lábios com um delicado selinho – Eu era muito imatura, Sami. Mas eu descobri muita coisa ao longo desses anos. Coisas que me levaram ao posto que ocupo hoje, ao anonimato como avatar, para conseguir salvar tudo que eu amo do mal que este mundo está para presenciar.

- Me explica isso direito – Pediu curiosa, afastando nossos corpos levemente para me olhar.

- Tudo bem – Sorri em resposta.

- Mas eu quero que fique claro! – Senti uma aura assassina emanar da minha namorada – NUNCA MAIS! Escutou bem?! NUNCA MAIS se afaste de mim! NUNCA MAIS suma da MINHA VIDA!

Asami me jogou no sofá ficando por cima, colando nossos corpos. Dizer que era a faísca perfeita para minha luxúria voltar correndo seria pouco! Ela me dominava por completo, me arrancando gemidos abafados ao provar meus lábios enquanto suas mãos percorriam meu corpo.

- Isso tudo aqui me pertence! – Avisou ela, sentando-se no meu quadril – Nunca mais tome qualquer decisão sem consultar sua dona primeiro, ok?

Ela tomou meus lábios em um beijo intenso e selvagem. Paramos apenas quando o ar se fez necessário. E aquela demônia não perdeu tempo, trilhando um caminho de beijos e mordidas até o meu ponto G.

- Eu não escutei uma resposta! – Exigiu ela de forma sexy e provocativa.

Tentei dizer algo, mas Sami me torturava abocanhando meu sexo e me deliciando com uma chupada a cada tentativa de tentar dizer algo para ela.

**********

POV AUTORA.

- Eu agradeço a todos por virem ao meu chamado – Respondeu uma mulher escondendo seu rosto em capuz – Estamos mais perto do que nunca de mergulhar este mundo em uma era de caos, onde os mais fortes irão reinar e os mais fracos obedecer!

- Ajoelhem-se e jurem lealdade a nossa mestra! – Ordenava Zaheer.

Membros infiltrados nas quatro grandes nações se ajoelharam perante aquela que reinaria soberana.

- A senhora do Fogo nem imagina que estamos vigiando seus passos, minha senhora – Dizia um jovem vestido com trajes vermelhos, um tanto extravagantes.

- Entendo, você está conquistando a confiança dela – Respondeu ela bebericando uma taça de vinho. – Muito bem, eu espero ver relatórios promissores.

- Pois eu já tenho o novo governante da terra em minhas mãos, minha senhora! – Um forte homem vangloriava-se – Eu trarei sua cabeça em uma bandeja assim que minha mestra ordenar!

- Sua empolgação é muito louvável, mas cuidado para não ir com muita sede ao pote – Disse ela de forma sombria.

Seu representante da tribo da água do Norte preferiu entregar seu relatório. Poderiam cortar sua perna fora e não sairia uma gota!

- Minha senhora, peço desculpas pela intromissão – Interrompeu Zaheer se curvando – Mas nossos “convidados” acabam de chegar.

- Ótimo! Eu já estava ficando entediada! – Dizia ela, empolgada – Mande-os entrar!

- Como desejar!

Naquele grande salão duas figuras apareceram, sentando-se em cadeiras distantes. Ambos sempre acompanhados por seguranças que resguardavam o local.

- Presidente Raiko! – Dizia ela satisfeita – Eu fico feliz que você aceitou meu singelo convite em se aliar a minha ordem! Eu não posso dizer o mesmo do outro, mas que seja! Ninguém nunca recusa minha “generosidade”.

- Eu devo dizer que é uma honra para mim e espero estar à altura para servir aos seus planos!

- Ah! Pode ter certeza que você terá muita serventia – Dizia ela com um sorriso cruel estampado.

**********

(QUEBRA DE TEMPO. A GRANDE FESTA)

POV KORRA.

E como sempre, adentrar a residência dos Satos é algo problemático.

Passamos por duas revistas, tanto no meu carro como meus pertences. Pra minha sorte eles são burros de mais para entender onde realmente eu escondo meus brinquedinhos.

Após esse contra tempo, acho que eu e o Kai ficamos uns quinze minutos aguardando na fila para conseguir chegar à entrada da mansão.

- Então quer dizer que o meu pequeno pupilo se tornou um membro da família? – Perguntei irônica, enquanto dirigia a passos de tartarugas naquela fila.

- Ah, não enche vai – Respondeu ele, ficando com o rosto corado – Não estava nos meus planos... A Yui é...

- Muito irritante? rs – Respondi, fitando-o.

- Tirou as palavras da minha boca! – Respondeu ele, contrariado e envergonhado.

- Relaxa, os Satos são gente boa!

Respondi sorrindo por finalmente chegarmos a porta da entrada.

Entreguei as chaves para o manobrista que cordialmente tratou de tirar meu conversível da entrada.

- Nossa! – Escutei Kai balbuciar algo quase inaudível – Elas estão lindas! – Sussurrou ele, sem ar.

A nossa frente, Asami e Yui estavam simplesmente deslumbrantes! Pra nossa sorte o baile era de máscaras e elas não conseguiram ver a mim e meu pupilo corarmos diante de nossas beldades!

- Vamos subir?! – Perguntei sarcástica vendo a tremedeira do garoto.

- C-c-claro...

- Eu achei que vocês não chegariam mais! – Dizia Sami, ao pé do meu ouvido ao me cumprimentar. – Você está linda!

Por segundos nossos olhos se cruzaram e um arrepio correu meu corpo.

- É claro! Eu tenho que estar à altura da minha namorada. – Respondi de forma sedutora, enlaçando sua cintura.

- Éh! Cof-Cof! Eu sei que você deve estar empolgada com sua nova namorada... – Pigarreou Yui nos tirando daquele flerte – Mas poderíamos entrar?!

Asami tentou responder, mas Kai saiu puxando Yui para dentro e eu agradeci mentalmente por isso.

POV ASAMI.

Essa noite não poderia ser melhor! Korra finalmente voltava para minha vida! Era um verdadeiro milagre que eu não deixaria escapar novamente!

Cumprimentamos algumas pessoas e logo Kai e Yui sumiram na multidão.

Tratei de arrastar minha namorada para a pista de dança. Korra dançava de forma sensual e descontraída. Korra estava mais velha, vivida e incrivelmente elegante! Ela era totalmente segura de si, ao meu ver.

Acabei voltando dos meus pensamentos quando escutei meu pai interromper a música para seu cordial discurso.

- O seu pai está ótimo para a idade dele – Sussurrou ela ao pé do meu ouvido, aproveitando para mordiscar o lóbulo da minha orelha. – Poderia me colocar a par do que eu perdi todos esses anos?

- Arg! Assim não vale! – Respondi sentindo minha pele arrepiar – Assim eu vou acabar te arrastando para o meu quarto!

- É tudo que eu mais quero! – Provocou ela, mordendo o canto da boca – Mas você não me respondeu rs.

- Ah sim, desculpe eu estava pensando em outra coisa – Respondi de forma sexy em seu ouvido, passando a ponta da minha língua discretamente em seu pescoço ao me afastar, enquanto minha mão repousava discretamente em sua cintura – Você perdeu muita coisa, mas eu só vou te colocar a par amanhã cedo!

- Você me mata com esses joguinhos! – Respondeu ela com certa malícia - Amanhã? Você sabe que eu não posso dor...

- Sim, você pode! Hoje você dorme aqui!

Respondi não a encarando, pois papai havia mencionado meu nome e eu tive que acenar brevemente para nossos convidados.

- Eu não estou pedindo Korra, eu estou ordenando! Hoje você dorme comigo!

Continua...


Notas Finais


E aí, galeris, como ceis tão? Só na paz? Então é nois
Eu particularmente ainda to me recuperando de uma festa da Universidade que teve....e durou 5 dias...e noites...e era open...kkkk Mas foi ótimo, to viva, se não me lembro, não fiz, e é isso ae
Queria só me defender aqui que eu ja estava com esse capítulo antes, mas dona Yui resolveu acrescentar umas paradas então demorou por culpa dela, podem atacar a autora mesmo, deixem a editora nas paz e no sossego que ela tá precisando.
Espero que tenham gostado, bjokas e até a próxima :)
Comentem, a gente sempre responde ^_^ mamãe ama vcs

Camila Rezende


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...