História True Love - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Haja Coração
Personagens Apolo, Beto, Tancinha
Exibições 11
Palavras 1.363
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


O capítulo anterior foi meio pequeno mas hoje prometo recompensar.
Estou sentindo falta dos comentários.

Capítulo 5 - A true love story never ends...


Tancinha: Eu e Carmela já estávamos trabalhando à um tempinho, eu estava muito feliz porque a cantina estava cheia. Estava cozinhando toda concentrada quando na porta da cantina percebo que quem tá entrando é o Beto, olhei para Carmela com um olhar de reprovação e a única coisa que ela fez foi dar de ombros.

Beto: Fazia tanto tempo que não andava mais naquele local, confesso que senti até um friozinho na barriga, aquele local me trás recordações muito boas, depois as crianças a segunda coisa que me liga a Tancinha é essa cantina.

- Beto, que bom que cê veio entra, você é muito bem vindo! (Carmela fala em alta voz e um tom irônico)

- Eu não disse que vinha.

- Então senta, pode ficar a vontade.

Tancinha: Fico observando Carmela conversar com Beto, fico meio apreensiva com a presença dele em minha cantina, vendo ele sentado alí vem tantas recordações na minha mente, uma coisa é certa o Beto sempre me ajudou com tudo e se eu tenho minha cantina hoje é graças à ele.

Beto: Enquanto escolho o cardápio fico observando cada detalhe do restaurante e percebo uma retrato com uma fotografia que provavelmente é do casamento da Tancinha com o Apolo, confesso que aquilo me fez sentir algo estranho dentro do peito, uma tristeza misturado com ciúmes, era estranho mas eu não podia está sentindo isso, volto para realidade e percebo que a cantina está lotada e resolvo ir até Tancinha ajuda-la.

- Oi Tancinha.

- Ma oi Beto, cê já fez seu pedido? Olha cê espera só uns minutinho porque como cê tá vendo tá tudo lotado e só eu e a Carmela fica difícil atender rápido os clientes

- Não, eu não vim fazer pedido e sim, eu percebi que tá lotado então por isso vim aqui pra ajudar vocês, como diz o ditado a união faz a força então vim me unir a vocês duas.

Tancinha: Como ele conseguia fazer aquilo? Eu tentava me afastar dele mas era praticamente impossível, ele sempre conseguia um jeito de fazer com que nos reaproximassemos com a maior naturalidade.

- Ma Beto imagina que eu vou aceitar sua ajuda cê veio aqui pra almoçar e não ajudar a gente.

- Tancinha para de bobagem, eu ajudando vocês ou não de todo jeito eu ia ter que esperar meu prato então se é pra esperar que seja ajudando vocês e eu não aceito um não como resposta?

Tancinha: O Beto pode ter todo tipo de defeito mas uma coisa é certa, ele sempre me teve um bom coração, sempre gostou de ajudar ou outros e ele com aquele sorrizão no rosto ma como eu ia resistir. Bate na boca Tancinha que coisa!

- Tancinha começo por onde!

-Am? O quê que cê disse.

- Eu perguntei começo por onde? (sorrio)

- Ata, bom cê pode ir servindo aquela mesa alí! (Retribuo o sorriso)

- Ma cê vai ficar assim?

- Assim como?

- Com essas roupas aí!

- Tem algum problema?

- Ma claro que tem Beto! Imagina se cê vai servir comida assim todo chique, pode ir tirando esse paletó, arreganhando essas mangas ( digo fazendo em seu lugar) e pegando o avental.

Beto: Saio do banheiro meio envergonhado com aquele uniforme mas já que era pra ajudar a Tancinha eu ia ficar com ele, o que eu não faço por essa mulher, não tem jeito por mais que eu queira eu não consigo me afastar dela. 

- E aí como estou?

Tancinha: O Beto ficou engraçado e ao mesmo tempo tão atraente com aquele uniforme mas mesmo assim não me contive e comecei a rir sem parar.

- O que foi heim? Também não fiquei tão feio assim.

- Beto ma olha me desculpa é que cê ficou tão engraçado vestido assim, ma olha nem sabe arrumar um avental, vem aqui pra mim arrumar.

Beto: Enquanto ela arrumava meu avental não pude deixar de reparar naqueles olhos, aqueles olhos tão encantadores, aquela boca tão linda.

Tancinha: Enquanto arrumava o avental do Beto, reparei ele me olhando fixadamente, eu estava tão pertinho dos seus olhos, da sua boca. Até que Carmela me chama e rapidamente me afasto.

- Ei Tancinha vamos que já tem gente reclamando da demora.

- É... Ma calma Carmela eu já tô indo, eu sou só uma. ( Digo desnorteada voltando meu olhar para Beto)

Beto: A gente tava tão perto, pude sentir sua respiração se pisturando com a minha, pena que a Carmela chegou e estragou tudo ou melhor me livrou de fazer uma burrada das grandes.

- Eu acho melhor eu ir ajudar também.(Digo coçando a nuca)

- Vai logo, cê já devia ter ido à muito tempo, as mesas estão esperando. ( Digo desimpaciente, aquilo não podia ter acontecido)

* * *

Tancinha: Com a correria Carmela não percebeu nada ainda bem, como eu ia explicar aquela cena pra ela. Estamos quase no final do dia, trabalhamos bastante, Beto como sempre com algumas atrapalhadas mas conseguiu ajudar muito e mesmo com a correria  não pude deixar de observar como algumas mulheres olhava para ele.

- Ufa! Até que enfim a gente terminou.

- Ma olha Beto muito obrigado pela ajuda, eu nem sei como agradecer, cê não existe.

- Claro que existo, olha eu bem aqui na sua frente (rimos)

- Seu Bobo, cê entendeu.

- Entendi, só tô brincando, olha não precisa agradecer foi um prazer ajudar vocês.

- Cê pra você prazer é servir mesas, depois varrer chão, lavar louça então você é louco meu amigo, eu tô exausta, ainda bem que a manhã é sábado. (Carmela diz resmungando)

- Eu também tô exausta viu, mas hoje acho que foi um dos dias que a cantina mais faturou!

- Que maravilha! Eu até que gostei do meu dia de garçon.

- Ah que bom que gostou, cê quiser vim ajudar outras vezes será muito bem vindo.

- Carmela para com isso! ( A repreendo)

- Foi brincadeira calma, mas uma coisa é verdade o cara veio almoçar e acabou trabalhando, oh sorte hein Beto.

- Não tem problema eu como alguma coisa em casa.

- Ma Beto cê nem almoçou, coitado ( Digo assustada, querendo ou não ainda me preocupava com ele, isso já é de mim).

- Ma olha eu guardei aquela macarronada que cê adora, cê come em casa. ( Eu ainda lembrava do que ele gostava ou não)

- Não acredito que cê guardou (digo surpreso, não pude deixar de dar um sorriso, percebi que ela ainda se preocupa comigo, não por algum motivo e sim porque ela tem um bom coração).

- Eu passei o dia inteiro pensando nessa macarronada, obrigado.( O melhor era que ela ainda lembrava dos meus gosto)

-  Ma não é nada Beto, é o mínino que cê merece depois dessa mão que cê deu pra gente, ma  vamos que já tá tarde né.

- Se vocês quiserem eu levo vocês de carro.

- Ma olha Beto muito obrigada mas a gente vai de ônibus.

- Tancinha a gente vai desperdiçar essa carona, não né?

- Carmela o Beto já fez demais, ele agora precisa ir pra casa e descansar, deixa de ser reclamona e vamos de ônibus. 

* * *

Beto: Nos despedimos e cada um foi para sua casa, em casa tomo um belo de um banho, como a macarronada que por sinal tava uma delícia à tempos que não comia uma comida tão saborosa, me deito para dormir mas me pego pensando na Tancinha no momento que tivemos, fico parecendo um bobo olhando pro nada.

- AiAi Tancinha porque cê ainda meche tanto comigo hein. ( Depois dessas palavras viro para o outro lado e o sono acaba vencendo)

* * *

Tancinha: Já em casa tomo um banho que a horas meu corpo tava pedindo, me sento na minha cama paro um pouco pra descansar e começo a pensar no Beto e no momento que tivemos, minha respiração começa a ficar ofegante meu coração começa a acelerar.

- Ma o quê que tá acontecendo comigo, não mi pode ser, será que... (Pego no lado esquerdo do peito)

- Será que, o que meu amor? ( Apolo me pergunta entrando no quarto)

Tancinha: Dou um impulso da cama e vou direto abraça-lo.

- Ei o que foi que aconteceu? Cê tá nervosa, tô até sentindo seu coração bater. ( Diz me abraçando de volta)

- Ma não é nada, só fica abraçado comigo. (Digo fechando meus olhos e querendo esquecer aqueles pensamentos)

* * *









Notas Finais


Espero que tenha gostado e não deixe de comentar! 😉💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...