História True Love Or True Disaster? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Visualizações 526
Palavras 2.385
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, FemmeSlash, Festa, Ficção, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Orange, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então, esse capítulo explica bem esse triângulo amoroso 😍😍😍 vocês vão entender o que se passa na cabeça da Belle e no seu coraçãozinho também ❤ Boa leitura ❤

Capítulo 1 - Tente resistir e falhe miseravelmente


Fanfic / Fanfiction True Love Or True Disaster? - Capítulo 1 - Tente resistir e falhe miseravelmente

                     Pov Belle

Não acredito que tô na escola em uma quinta... Eu tenho trezentos e dezesseis anos na minha idade de vampira, então eu realmente não entendo porque eu estou aqui se já estudei esse merda bilhões de vezes! Sou despertada de minhas lembranças por uma professora velha estalando os dedos em minha frente.

 - Tudo bem por aqui Srta. Belle? - É impressão minha ou ela está olhando para os meus peitos?! 

 - Sim, porque não estaria? - Perguntei olhando pra cara pervertida dela, a maioria das professoras ficam querendo me pegar, eu hein... parece bom, entretanto, é horrível, ainda mais quando se quer pegar duas alunas e não uma professora.

- Porque você estava salivando e olhando pra mim com uma cara de tarada depois que eu cortei o dedo - Ela praticamente esfregou o dedo na minha cara,  sinceramente, ela tá pedindo pra eu mordê - la, mas eu tenho controle sobre isso.

- Primeiro, como você sabe que eu estava salivando? Tá muito interessada na minha boca né? - Todos riram, menos Cruella, que me encarava com um olhar estranho, ela estava mordendo o lábio? -  E segundo que eu estava viajando aqui, por acaso meu olhar acabou parando no seu dedo, não foi minha intenção te deixar desconfortável, peço desculpas por isso, mais alguma coisa?

- Ui! Ela é afiada! Você poderia ser assim na nossa cama - Ruby sussurrou somente para eu ouvir - Ela sabe o que sou, por isso fica fazendo essas coisas.

- Você bem que podia dar uma passada na minha casa - Cruella sussurrou e aproveitou para morder o lóbulo da minha orelha. - Por que senhor? Por que essas merdas só acontecem comigo?! Pude ouvir os rosnados das Mills e suas garras arranhando a mesa das mesmas. Ruby se levantou junto de Zelena, a mesma veio até a minha carteira, deixou um lápis cair e me olhou por uns instantes.

- Adoraria  sua  presença  em minha casa Srta. French, por volta das dez, sem atrasos - Que ótimo! Agora que eu vou ser arrombada. 

Cruella ia falar algo, mas desistiu quando o sinal bateu e Zelena e Ruby tinham ido embora. Juntei minhas coisas, saí de sala e fui em direção à enfermaria. Subi as escadas, parando bruscamente ao ver as Mills conversando animadamente. Esses sorrisos...

- Han... Desculpa interromper, eu... Volto outra hora - Elas me olharam e andaram lentamente até mim. Merda! Vou sair daqui! Tentei abrir a porta, mas a mesma trancou do nada. - Porra... - Okay, é agora que eu me fodo.

- Está fugindo de mim? - Isso é meio óbvio, mas okay né...

- De nós? - Maldita Lucas! 

- Como vocês?  - Nem tive a coragem de me virar, fiquei parada no mesmo lugar, como se algo estivesse me impedindo de andar.

- Mais cedo ou mais tarde, o lobo sempre encontra sua presa - Okay, se a Ruby me morder, eu juro que eu arranco o pau dela.

- Eu não sou sua presa Ruby! E nem a sua Zelena! Essa obsessão de vocês já está ficando ridícula - Finalmente consegui me mexer, ato esse que me fez virar, o que não deveria ter feito, pois elas estavam a poucos centímetros de mim.

- Sim, você é. Uma que nós definitivamente adoramos caçar - Zelena falou enquanto cheirava meu pescoço.

- Dá pra abrir a porta?  - Ruby riu e colocou uma mecha do meu cabelo que insistia em cair, atrás da minha orelha.

- Hum... Até dá mas...  Com uma condiçãozinha, uma pequenininha - Duvido que seja...

- Qual? - Bufei e me encostei na porta. 

- Eu quero um beijo, e ela também - Ah mas era só o que me faltava! 

- Vai se fuder, Ruby! Abre logo a porra da porta! - Ruby fez que não com o dedo e pegou seu celular em seu bolso. Elas sentaram no chão e me ignoraram completamente.

- Temos o dia todo, então sugiro que você tome uma decisão logo - Zelena disse sem tirar os olhos de seu celular.

- Vocês não querem nada além disso? - Perguntei já sem paciência.

- Queremos muitas coisas - Ruby deu de ombros e esticou seus pés.

- Sentir o gosto da sua carne em nossa boca - Pera, elas salivaram?

- Transar com você todos os dias - Zelena deu um pulo e guardou seu celular.

-  Te deixar sem sentar por semanas - Okay, agora eelas estão me assustando.

- Deixar nossa marca em você, pra você e inclusive todos, saberem que você é nossa e de mais ninguém - Okay, agora eu tô excitada.

- Todos devem saber a quem você pertence, quem domina seus pensamentos e quem são suas parceiras pra vida toda. Isso responde sua pergunta? - Puta merda! Elas me querem! Eu pensei que era só desejo carnal e essas coisas mas, elas realmente me querem! Tipo, querer mesmo!

- Sim... - Elas ficam me analisando como se eu fosse a coisa mais interessante do mundo. E bom, talvez eu seja mesmo.

-  Olha, eu tenho hora, então se puderem abrir a porta, seria ótimo! - Elas fizeram um legendado gesto indicando para a porta. Quase beijei o chão quando a porta abriu.

- Só mais uma coisa - Me virei e Zelena me puxou para um beijo. Aprofundei o mesmo e coloquei minhas mãos em seu pescoço. Me toquei do que estava fazendo e dei um tapa em seu rosto. - Por que me deu um tapa se gostou do beijo e aprofundou o mesmo?

-  Você que me agarrou sua tarada! - Ela gargalhou e passou a mão em sua boca que estava vermelha.

- Sei muito bem o que é um beijo e sei,  que o aprofundou - Ela se aproximou de mim e acariciou meu rosto com o polegar - Isso não é nada comparado ao que  farei com seu corpo. - Porra... Vou ser arrombada logo hoje?

- Tchau Zelena - Mostrei o dedo do meio fazendo a sorrir.

- Ah não! Você não sai daqui sem meu beijo! - Fui puxada de novo, só que dessa vez por Ruby. Seus lábios roçaram nos meus, me fazendo gemer baixo. Suas mãos desceram até o botão da minha calça. Ela finalmente me beijou. Liguei os pontos e a afastei de mim na hora que ela enviou suas mãos dentro da minha calça. 

- Isso... Não pode... Mais... Acontecer! - Pus as mãos no joelho para tentar respirar e quase caí, por sorte, elas me seguraram.

- Até à noite French - Elas me deram um beijo em cada lado da bochecha e foram embora, me deixando parada com uma cara de idiota apaixonada.

- CARALHO! QUE SUSTO! - Olhei na direção de onde ouvi a voz e quase caí pra trás, merda! - Han… Eu… Você … Que porra?

- O oi Mér - Fiquei meio sem graça e corada com essa situação.

- Nada de Mérito! Quem fez isso com você?! Não gosto de mentir para ela, mas é melhor assim, não sei o que sinto por elas, como diz a Camila, o que posso dizer? É complicado...

- O que posso dizer? É complicado...

- Não vem com Camila Cabello pra cima de mim! Foram elas não é? Porra Bel você tá um caco! - Bufei e sai dali, com Mérida me seguindo ainda. 

- Só... Só vamos pra casa - Ela assentou e foi me fez subir em suas costas. 

Chegamos em casa e meus irmãos estavam discutindo.

- Você só pode estar brincando Emma! - Tinker falou se alterando - Olha o que ela fez comigo! Aquela porra tem dedos enormes! Tem noção,  que se eu não tivesse acordado do transe que estava, teria sido arrombada?! E sabe o pior? EU GOSTEI! - Eu já sabia! Toda merda que acontece na nossa vida, é culpa daquelas pragas.

- Caralho... Como a gente vai fazer agora?! - David surtou, andando de um lado para o outro, parecendo um pouco alterado - Não, eu não posso me apaixonar por... Por um... Por aquele pirata!

Os ignorei e fui pro meu quarto, tomar um banho demorado. Escolhi uma calça preta, uma blusa branca de mangas, um vans preto e um gorro, já que é inverno. Pulei a janela e fui até a mansão dos Mills. Quando ia tocar a campainha, quem apareceu? Ruby! E como ela estava? De top e cueca...

- Tem certeza que quer entrar na casa do lobo mau? - Idiota...

- Sua palhaça! Vai me deixar entrar ou não?! - Ia dar meia volta quando ela abriu espaço e me deixou entrar. 

- Zelena está lá em cima no nosso quarto tomando banho, eu te levo lá. - Elas fazem tudo juntas mesmo, já era de se esperar que dormissem no mesmo quarto.

- Eu espero - Ela me olhou e gargalhou.

- Você prefere ficar aqui comigo ou com ela? - Perguntou cruzando os braços. Tentei ao máximo não olhar seu abdômen, mas, foi mais forte do que eu. Salivei com a visão que tive, ela é tão sarada e deliciosa... Minhas presas começaram a me machucar.

- Sinceramente, não sei o que é pior - Ela riu e tirou uma vida de sangue de uma sacola. Jogou pra mim que peguei na hora e dei um gole. - Obrigada

- Sem problemas, ela já deve ter terminado, vem, eu te levo - Ruby me guiou até o quarto. Quando entrei, Zelena estava deitada em sua cama com uma calça moletom cinza e uma blusa preta com mangas.

- Srta. French, pensei que não viria - Zelena disse se levantando. Zeus! Okay, foco Belle! Disfarça porque elas estão olhando.

- Han... Oi- Era isso ou ficar de quatro e entre essas duas opções, prefiro a primeira.

- Ruby, será que você pode nos deixar a sós? - Ruby assentiu quando Zelena jogou a mesma roupa para ela. Joguei a bolsa de sangue fora, tô tão nervosa que bebi tudo de uma vez.

- Fui! - Ruby saiu e em poucos segundos ouvi a porta de baixo bater. 

- Oi - Nervosa? Eu? Claro que não! Estou super confortável com essa situação toda!

- Olá - Ela apontou para cama, hesitei um pouco, mas, sentei. 

- Han... Certo... Enfim... Eu só passei aqui pra dizer que não vou ser tratada como um objeto ou uma das putas que você come por aí! E eu não sou a porra da sua presa! Eu sou uma dama, tá entendendo? - Ela gargalhou e levantou da cama.

- Em primeiro lugar, não como putas, isso é com a Ruby, quanto a presa, é uma maneira de dizer que te desejo, porém, se você não gosta, tudo bem, podemos resolver esse pequeno detalhe. E por fim, nunca disse que você não é uma dama, pelo contrário, vivo dizendo que a senhorita é uma dama, a minha dama! Quando você estiver confortável para ser minha sexualmente, me diga, sei que  não está agora, eu entendo, pois sou uma pessoa muito paciente, posso esperar. 

- Como assim minha sexualmente? Porque você não falou minha? - Perguntei me levantando.

- Porque você já é minha aqui - Apontou para o meu coração. - Aqui - Apontou para a minha cabeça. - E aqui - Me puxou pela cintura, colando nossos corpos. - Só precisamos consumar isso.

- E... eu... Tenho que ir... - O estranho, foi que eu fiquei parada no mesmo lugar.

- Então porque não vai? - Perguntou enfiando suas mãos dentro da minha blusa. Me arrepiei ao sentir suas garras subindo e descendo em minha barriga.

- Eu não consigo... e também... Não quero ficar longe de você - Ela sorriu e acariciou meu rosto. - Coloquei minhas mãos em seu pescoço e a beijei, não um beijo cheio de desejo, e sim um beijo onde eu esperava dizer, que estou apaixonada por ela.

- Você está apaixonada por mim? - Assenti com a cabeça e encarei o chão, ela levantou meu rosto, me fazendo olhá - la nos olhos. - Eu também estou apaixonada por você Srta. French. - Dessa vez, fui eu quem sorriu. Zelena foi até a janela e chamou Ruby. Ela apareceu alguns minutos depois, ofegante e suada, que tanquinho senhor!

- E aí? - Ruby perguntou gesticulando com as mãos.

- Ela disse que me pertence aqui. - Apontou para o seu coração. - Ruby me olhou e sorriu - Agora é sua vez - Zelena saiu me deixando sozinha com Ruby.

- Eaí delícia da minha vida, então, você gosta da minha irmã hein... - Ela sorriu e se encostou na parede.

- Não é só dela que eu gosto - Ela desfez o sorriso e me olhou sem expressão alguma.

- De quem mais você gosta? - Perguntou cruzando os braços.

- Eu gosto de você lobinha - Ela sorriu, veio até mim e me abraçou com muita força, me erguendo no ar. Ela é muito palhaça mesmo, mas é a minha palhaça.

 - Eu também estou apaixonada por você minha vampira - A abracei e lhe dei um beijo calmo e suave, mas como ela tem que ser a Ruby, ela o transformou em um cheio de desejo. - Vou parar por aqui, quando se trata de você, não tenho controle.

- I... isso, b... bom, eu já vou i... indo - Ela fez que não com o dedo e foi até a janela. - Zelena! Vem logo! Belle quer ir embora! - Zelena apareceu na hora, em sua forma lupina. Ruby pegou uma toalha e jogou em cima dela.

- Você não vai embora, está tarde, mesmo sendo uma vampira, é perigoso, você dorme aqui hoje - Me virei quando Ruby pegou um top e uma cueca para Zelena. - Não precisa se virar, assim como você me pertence, eu te pertenço. - Sorri com isso. Me virei e ela tinha acabado de colocar a cueca.

- Olha eu... - Fui interrompida por Zelena.

- Você fica, vai dormir na minha cama, comigo e com a Ruby. - Eu? Na mesma cama que elas? Não vai dar certo.

- Não vai dar certo - Desisti quando elas ficaram me encarando e rosnando. Fiquei no meio, Zelena na esquerda e Ruby na direita.

- Você vai dormir assim? - Assenti com a cabeça - Me aconcheguei no meio delas, virei para Ruby, dando um selinho na mesma e fiz o mesmo com Zelena. - Você quer dormir de conchinha?

- Sim - Elas riram, assim como eu e abraçaram minha cintura - Boa noite.

- Boa noite amor - Disseram juntas.

 Agora assim, me sinto... completa!








  


 

   


Notas Finais


Desculpa qualquer erro, até qualquer hora!
Bye ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...