História Truer - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Visualizações 21
Palavras 1.315
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - VIVA


Fanfic / Fanfiction Truer - Capítulo 9 - VIVA

O apito irritante do despertador berra ao meu ouvido, meus olhos piscam freneticamente devido a luz que invadia meu quarto, merda, porque eu não fechei a janela ontem?!

Levantei em passos lentos até o banheiro, fiz minha higiene matinal e fui ao quarto do meu irmão mais novo, ele dormia calmamente, chamei algumas vezes até ver seus olhinhos sonolentos se abrirem. Sorri e pedi que ele acordasse para irmos para aula. Me dirigi novamente ao meu quarto, escolhi uma roupa qualquer, não estava com saco para me arrumar hoje. Uma blusa simples com o slogan da Channel, uma saia jeans clara e um vans cor de rosa. Penteei os cabelos e me maquiei, simples apenas destacando os olhos com um lápis de olho e rímel, nos lábios passei um brilho de menta, peguei minha bolsa preta de franja de sempre e me dirijo a cozinha.

Meu irmão já estava pronto com a farda da escola, cabelo bagunçado e de tênis. Dei um beijo no topo de sua cabeça e me sentei a mesa, comi o sanduíche que minha mãe fez e o suco. Ela estava na cozinha provavelmente arrumando a lancheira de Rodrigo. Dei-lhe um beijo no rosto e subi para meu quarto. Escovei os dentes e passei perfume. Saímos para a escola e rapidamente estávamos na porta da escolinha dele, sem a ajuda de ninguém logo saiu do carro com sua mochila e foi correndo para o portão em direção aos seus amigos.

Dirigimos mais alguns quilômetros e chegamos ao CCB, estava cedo então o fluxo de carros não era muito. Minha mãe me deixou na porta, ela me deu um beijo no rosto e partiu para o trabalho. Sai do carro e logo avistei uma garota de grandes cabelos cacheados negros com mais dois rapazes um pouco maiores que ela. Apressei os passos até a garota e dei um tapa na bunda dela fazendo ela dar um grito agudo e me olhar com ódio.

-Bom dia - falei dando um beijo na bochecha dela, tentando não rir pelo fato dela está pensando em formas de me matar a cada segundo. - Bom dia meninos - sorri abraçando Marcelo e Fernando.

Ficamos conversando besteiras enquanto zoávamos a Lina pelo seu grito. Em pouco tempo chegaram Enzo, Tales e Pedro. -Gostosos de minha vida - falei cumprimentando eles.
-Me ame menos - falou Enzo com uma voz meio gay e me abraçando.

Depois Camila e Abby apareceram juntas e se juntaram a nos. Até que ouvimos o toque irritante soar repetidas vezes e infelizmente nos dirigimos as salas.

Aula de Geometria = sono

Nesse momento eu me encontrava sentada numa das últimas cadeiras vazias, Pedro também estava na minha aula mas após 5 minutos de aula, o professor Kurt o mudou de lugar por conversar muito comigo.

Eu escrevia letras de músicas desconhecidas nas bordas do papel, o professor explicava pacientemente o conteúdo aos alunos, o tempo parecia passar cada vez mais devagar, meus olhos pesavam e eu estava lutando para não cair no sono.

A porta abriu trazendo claridade para minha sala, lá estava ele, ouvi os murmúrios de algumas alunas sobre o Justin do tipo "como ele é gostoso", " esse eu pego fácil", senti uma pontada de algo ruim dentro de mim mas ignorei o fato. Seus passos eram rápidos e estava de cabeça baixa, parecia esconder algo, ele se dirigiu a cadeira vazia ao meu lado, no entanto não me dirigiu uma palavra até o final da aula.

Todo esse mistério já estava me tirando do sério, logo quando o sinal tocou indicando a saída fui em direção a ele, mas Bernardo me impediu entrando na minha frente e impedindo minha passagem. Bernardo é um dos nerd da sala, ele não tinha muitas amigos e como eu era legal com ele, provavelmente ele me tachava como tal. 

- Oi Serena ! 

- Não dá para falar agora Bel, até depois - O interrompi passando por ele e encontrando a cadeira do Justin vazia.

Sai da sala desesperada e corri até a saída o avistando encostado no murro sozinho, fumando um maço de cigarros. No entanto uma garota de cabelos claros se aproximou dele, começou a beijar seu pescoço, fazer carinho em suas nuca e falar coisas em seu ouvido. Imaginei que ele fosse gostar e esse tipo de coisa mas não. Ele fechou a cara e falou sério com a garota. Ela riu como se não acreditasse e ela voltou a passar as unhas pela camisa dele.

Uma fúria desconhecida por mim tomou todo o meu corpo, meu maxilar ficou tenso e uma expressão de raiva se fez em minha face, quando me dei conta já estava na frente dos dois.

- Querida pode voltar pra sua esquina, que esse aqui tem dona. - Falei separando os dois e entrando na frente de Justin, ficando de frente a frente para a garota.

- Não pareceu, porque ele parecia estar adorando. - Disse dando um sorrisinho malicioso pro Justin e fazendo charme. "Essa vadia tá querendo morrer."

- É uma puta mesmo. - falei com nojo, encarando a figura baixinha a minha frente.

- O que você falou fofa?! - perguntou com raiva.

- Além de puta é surda!

- Não seria "além de burra é surda"?!- Justin se pronunciou, eu virei o rosto para ele e sequei aqueles olhos, dei um sorrisinho e recebi outro em resposta.

- É isso também. - Eu estava rindo abertamente enquanto o olhava, Justin fazia um esforço absurdo para não rir.

- Você é uma vadia mal comida isso sim - a loira falou, mas logo se calou cambaleando com o tapa que eu acabara de dar na mesma.

- Você pense bem antes de abrir a boca pra falar de mim garota, porque eu não vou pensar duas vezes antes de meter uma bala no meio da sua testa quando você falar merda de mim, então cala a porra da sua boca, cretina ! - Gritei irritada e pronta para voar em cima daquela vadia. - ENTÃO DESAPARECE DA MINHA FRENTE PORRA !!  ANTES QUE EU FAÇA UM TRATO NESSE ROSTINHO CHEIO DE BOTOX- falei chegando perto da garota e apertando seu maxilar com força, deixando seu rosto mais perto do meu, dava para notar o medo em seus olhos.

Quando soltei seu maxilar estava notável a marca dos meus dedos em sua face, a garota praticamente voou de volta para onde havia saído. Virei meu corpo e encarei a figura a minha frente, com um sorriso despreocupado no rosto e um soltando um trago no meu rosto, ele continuava encostado no murro como se nada que ele havia presenciado tinha ocorrido.

- O que foi isso ?! - ele se pronunciou dando uma risada arfada, sinceramente não sabia aonde enfiar a cara, eu não tinha pensado quando falei aquilo.

-D-d-desculpa...- falei escondendo o rosto com as mãos, para tentar amenizar o rubor em minhas bochechas.

Ouvi sua risada rouca de expandir e ele me puxando para perto do seu corpo, fazendo-me deitar sobre seu peito. Uma de suas mãos estava alisando meu cabelo, enquanto a outra repousava em minha cintura com delicadeza, logo ele deu um beijo carinhoso em minha testa.

- Ai ai garota, porque você me deixa tão confuso?!- ele sussurrou, mais para si mesmo do que para mim.

Me senti mal por fazer isso com ele, eu realmente gosto dele, de uma maneira que eu nunca senti por ninguém, eu não sei demonstrar. Afastei minha cabeça de seu peito e selei nossos lábios, nossas línguas se acariciavam e dançavam gentilmente, logo fui imprensada contra o murro com as mãos de Justin em meu rosto e as minhas em seu peitoral, mas tivemos que nos separar pela falta de ar. 

- Como alguém famoso disse uma vez : " Viva a sua vida, antes que alguém viva ela por você ". 


Notas Finais


VOLTEI
A PEDIDO DA MINHA SIS
IAE ?
VAMO OU BORA?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...