História Truque de Mestre - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Tokyo Ghoul
Personagens Akira Mado, Hideyoshi Nagachika, Juuzou Suzuya, Ken Kaneki, Koutarou Amon, Kureo Mado, Shuu Tsukiyama, Touka Kirishima
Tags Akira, Amon, Donato, Fbi, Hide, Juuzou, Kaneki, Kanou, Magica, Roubos, Seidou, Touka, Touken, Truques
Visualizações 27
Palavras 2.770
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei!!! Boas notícias, ontem eu fui ao médico e fui liberada, então continuarei a postar os capítulos normalmente, caso não haja nenhum imprevisto, mas por hora é só, boa leitura!!!

Capítulo 6 - Hora do Show


Fanfic / Fanfiction Truque de Mestre - Capítulo 6 - Hora do Show

Existe uma teoria muito antiga, no Egito, que um grupo de pessoas chamadas "o olho", davam um jeito de enganar os faraós para roubar comida e dar para os pobres, eles usavam o ilusionismo para equilibrar a justiça, seria os nossos cavaleiros uma nova linhagem dessa teoria que só os tolos acreditam? Eu sou Donato Porpora, e vou desvendar todos os seus truques.

A câmera parou de filmar e palmas foram ouvidas de longe, Kanou apareceu entre os vários "equipamentos" de mágica.

- Bravo senhor Porpora.

- Ou você tem um mandato para que eu pare, e eu sei que não tem, ou então deveria ir embora.

Kanou riu ironicamente.

- Se eu quiser que algo pare, eu faço parar.

Os dois se sentaram

- De acordo com meus contadores, você pode ganhar apenas 2 milhões com seu melhor show, bom eu tenho aqui um cheque com o dobro - Kanou retirou um cheque do bolso e colocou sobre a mesa.

Donato gargalhou.

- Se fosse por dinheiro não teria graça alguma. Você ganha com o sucesso deles e eu com o fracasso

- Essa é a sua última palavra?

- Sim.

Kanou pegou uma vela e queimou o cheque.

- Sabe... - o Akihiro pegou um boneco vudu - a verdade é o seguinte: minha conta bancária é muito maior que a sua e meus advogados são muito melhores. Como eu disse antes, se eu quiser que algo pare, eu faço parar, por bem ou por mal, eu posso zerar sua conta bancária em segundos se quiser. E você vai ver tudo o que construiu desmoronar na sua frente.

- Não é a primeira vez que sou ameaçado.

- Claro que não é, mas é a primeira vez que é ameaçado por mim. - Ele colocou o boneco com certa força no lugar.

- Opa... Não devia ter feito isso... De acordo com a superstição quando você aplaca sua fúria com um boneco atrai a mesma fúria para si mesmo.

- Engraçado, pensei que não acreditasse em superstições.

Kanou se levantou e foi embora.







Amor estava se arrumando quando Kaneki entrou. 

- Existe uma coisa chamada porta, sabia?

- Ta... ta... sei... sabe, eu estava lendo sobre aquela dupla de mágicos, escuta só isso, Kureo estava dando show num parque e escolheu aleatoriamente um homem do público, ele mandou o velho assinar uma carta e depois a carta sumiu, em seguida eles abriram uma árvore e a carta estava lá, dentro em um pote de vidro. Como isso aconteceu?

- Não sei mas sei que tem uma explicação lógica.

- Sabe eu estudei um pouco sobre os conceitos da mágica e...

- Tá... Tá... - Amon disse passando por ele - não ligo para essas merdas, eu só quero acabar com a raça deles, é pedir demais?!

- Se quer tanto prende-los, você tem que entender como eles fazem.

Amon o olhou seriamente.

- Vamos logo. - Ele falou seco.

No caminho para o teatro, no banco de trás de um táxi, Kaneki brincava com um baralho e Amon estava do seu lado pensando.

- Então... Você odeia todos os mágicos ou só aqueles caras?

- Eu não odeio mágicos, eu odeio pessoas que tiram proveito das outras.

- Hum... - Kaneki terminou de embaralhar o baralho e estendeu para Amon - escolhe uma.

Amon arqueou uma sobrancelha e o olhou.

- Sério?

- Vai logo - Kaneki insistiu, Amon suspirou vencido e pegou uma carta - beleza, agora olha, memoriza e me mostra. Não, não me mostra.

Amon riu e devolveu a carta. Kaneki voltou a mecher com o baralho e depois parou pegando uma carta qualquer.

- É essa? - ele perguntou esperançoso.

Amon olhou fixamente para a carta e sorriu.

- Não. 

Kaneki suspirou triste.

- Sabe... Eu estive pensando, será que a um quinto cavaleiro? Quer dizer, há um ano ninguém conhecia esses merdas, mas agora, eles são conhecidos mundialmente com certeza eles tiveram uma "ajuda" de fora... - Amon falou pensativo

- Está falando de Kanou? - Kaneki indagou enquanto reembaralhava as cartas.

- Não, ele é muito obvio, alguém do tipo do Donato, aquela cara de otário dele não me engana.

- Eu acho que não.

- Por que?

- Akira Mado.

- E...

- O pai dela era Kureo Mado, ele morreu por causa do Porpora, eu não acho que ela trabalharia com ele.

Amon arregalou os olhos surpreso, mas logo voltou a expressão séria.

- Vindo dela, eu não duvido nada. 

- Então tá, se você diz... - Kaneki estendeu o baralho novamente para Amon - escolhe outra - Amon escolheu sem exitar e devolveu rapidamente. Kaneki voltou o embaralhar as cartas e pegou uma - é essa?

Amon olhou a carta e sorriu, Kaneki suspirou esperando a notícia.

- É, é essa.

- Sério?! - ele perguntou desacreditado.

- Sim.

- Legal - ele falou voltando a "brincar".



No teatro...

- Senhoras e Senhores, a equipe Savoy apresenta "Os Quatro Cavaleiros: O segundo Ato" ao contrário dos shows tradicionais os cavaleiros insistem que vocês: Gravem, liguem para amigos, compartilhem, etc... Obrigado, o show vai começar em alguns minutos.

Kaneki e Amon já estavam sentados em seu devido lugar esperando pelo show. Algumas fileiras na frente deles Donato e Touka estavam sentados.

- Ah, já ia me esquecendo, eu sei como ele fez aquele truque. - Kaneki deu um pulo na cadeira quando lembrou assustando Amon

- Como?

- Quando Kureo tinha 14 anos, ele estava no Central park, e viu um buraco numa árvore, ele pediu para um sorveteiro assinar uma carta dizendo que era um truque de mágica e colocou dentro da árvore. O sorveteiro se aposentou, 18 anos depois, seus netos pediram para ele leva-los para um parque, chegando lá estava havendo um show de mágica, Kureo pediu para ele assinar uma carta e Voalá.

- A carta tá na árvore - Amon deduziu

- Ficou na árvore por 18 anos.

- A carta estava na árvore, a árvore cresceu em volta da carta por 18 anos, isso não é mágica. 

- Não, mas a questão é: o truque é não olhar tão de perto, mas sim tão de longe que podia ver 20 anos no passado. 

Amon apenas concordou com a cabeça e as luzes se apagaram.

- O teatro Savoy e Akihiro Kanou orgulhosamente apresentam pela primeira vez: Seidou Takizawa, Juuzou Suzuya, Akira Mado e Hideyoshi Nagachika, "Os Quatro Cavaleiros"

No centro do palco os quatro acenavam para o público feliz.

- O que é mágica? Na nossa opinião, nada além de enganação direcionada, hoje pedimos a vocês que prestem bastante atenção nos truques, pois eu garanto que por mais que pareça que não eles estão todos ligados, é o que vem após os 100 truques diferentes ou apenas uma grande ilusão? - Seidou começou.

O público aplaudiu loucamente e as luzes se apagaram, quando se acenderam novamente, somente Akira e Seidou estavam no palco, Akira carregava um coelho branco no colo e no centro do palco havia uma caixa.

- E agora o truque mais antigo da  história da mágica, Seidou se importa de abrir a caixa para o público, para mostrar que está vazia?

Seidou abriu a caixa que era preta por fora e amarela por dentro.

- Eu vou colocar essa coisinha fofa aqui e colocar dentro da caixa.

Eles colocaram o coelho na caixa e fecharam

- Agora diga a palavra mágica - Seidou pediu

- Ah... Abracadabra?

- Ok, - Seidou tirou uma varinha do  o seu paletó - agora, abanamos a varinha mágica sem nenhum motivo e ele some.

Akira abriu a caixa que estava vazia.

- Agora vamos acabar com alguns mitos mágicos essa noite, todos sabemos que o coelhinho está bem - ela tirou um espelho da caixa que dava a ilusão que ela estava vazia - olha ele aí, vem cá fofo - ela pegou o coelhinho no colo.

- É apenas um espelho que dá a impressão que a caixa está vazia. Seidou explicou e as luzes se apagaram novamente.

Quando se acenderam apenas Juuzou estava no palco.

- Agora vou precisar de 12 corajosos voluntários.

Após as pessoas subirem no palco Juuzou as olhou divertido.

- E dorme - ele foi passando pelas pessoas tocando em seus ombros, as colocando em transe - abaixa, dorme, dorme, completamente adormecido, bom sono, dorme, apaga, sonhe, dorme, descanse os olhos e boa noite. Ok, quando ouvirem a palavra "parados" todos vão ser jogadores de futebol e vão atacar, derrubar, destruir, arracar pedaço por pedaço do "quarteback". Vocês saberam quem será o "quarteback" ele vai ser quem disse essa palavra "parados". Acordem!

Todos se reuniram no meio do palco e juntaram as mãos

- Matem Quarteback!!! - Eles disseram em coro.

- Voltem para suas poltronas, estou sentindo que eu verei vocês logo, logo.

As pessoas abedeceram e voltaram para os seus lugares.

As luzes se apagaram novamente e Akira e Seidou voltaram ao palco.

Seidou estava fazendo bolhas de sabão gigantes com as mãos as espalhando pelo palco.

Akira deu uma distância razoável de Seidou, que começou a abrir uma bolha gigante, Akira correu em direção a bolha e "entrou" dentro da bolha. Ela começou a flutuar acenando para a plateia virando de ponta cabeça e várias outras coisas, quando ela viu Amon em meio ao público ela piscou para ele, que apenas virou a cara.

Kanou a olhava maravilhado, como todos.

Porém, a bolha estourou e ela caiu, o grito pode ser ouvido por todos dentro daquele teatro ou até mesmo fora, quando ela estava quase atingindo o chão Seidou a pegou no colo.

Todos levaram um susto, mas logo se acalmaram, Kanou riu para descontrair.

Seidou a ajeitou no colo, com dificuldade.

- O que que houve? Você engordou? - ele perguntou.

Todos aplaudiram de pé inclusive Kaneki, que recebeu um olhar reprovador de Amon.

Luzes apagadas, Hideyoshi Nagachika no palco.

Hide brincava com o baralho olhando para a plateia.

- Eu deixei dois lápis por aí - duas mulheres da plateia gritavam e para hide - ok, agora levantem bem alto. 

- 3, 2, 1... - ele contou com o público e espalhou as cartas, uma foi direto no lápis da primeira mulher e logo depois ele lançou outra  que partiu ao meio o outro lápis.


Após um intervalo os quatro retomaram ao palco.

- Durante o intervalo pedimos que todos escrevessem seu saldo bancário num envelope de baixo dos acentos, podem pegá-los? - Juuzou começou - agora, todos gritem seu nomes bem alto.

Várias pessoas começaram a gritar seus nomes deseperadas para serem chamadas.

Juuzou colocou a mão no ouvido a se arqueou para a frente.

- Ginshi Shirazu?

- Eu!!!

Um ruivo gritou lá do fundão.

- Ok, legal, lá do fundão, beleza eu quero mais nomes.

As pessoas gritaram novamente, os únicos calados eram: Amon, Donato, Kaneki, Kanou e Touka.

- Touko Harima?

- Aqui!!!

Uma mulher um pouco mais na frente se levantou e gritou, ela tinha olhos Ônix e cabelos castanhos até o pescoço.

- Hairu Ilhei?

- Sou eu!!!

Outra mulher no segundo andar gritou, seus cabelos eram rosas Chanel.

- Ok, agora eu quero você se concentre no seu saldo, conte de 1 a 9.

- 1,2,3,4,5...

- Pare! O primeiro dígito é 5?

- Sim.

- Ok, agora conte de novo um pouco mais rápido.

-1,2,3,4,5,6...

- Pare! 6 é o segundo dígito do seu saldo? De novo.

- 1,2...

- Pare! Hairu, seu saldo é de 562 dólares atualmente?

- Sim, é tudo que eu tenho.

- Infelizmente, está errada. Touko! Hum... - ele se virou para a Touko e colocou o mão na cabeça - 1,4,7...7?

- Sim.

- Você também está errada.

Ele se virou para o ruivo.

- Ginshi seu saldo não é de 6.500 dólares. Ok agora todos levantem e coloquem seus envelopes na testa - todos fizeram como pedido e Juuzou olhou para eles desesperado - oh, meu Deus, era o que eu temia... Na verdade, o saldo de todo mundo está errado.

Akira e Seidou apareceram atrás dele e Seidou sussurrou algo em seu ouvido.

- Ah claro, já havia me esquecido - Juuzou falou - esse show não seria possível se não fosse pelo nosso grande bem feitor, Akihiro Kanou - uma luz branca iluminou Kanou que acenou para o palco.

- Uma salva de palmas para ele! Senhor Kanou por favor desça aqui no palco.

- Vem aqui em baixo Kanou - Akira chamou.

Kanou se levantou e desceu no palco.

Amon apertou o pequeno microfone no ouvido para se comunicar com os agentes do lado de fora.

- Fiquem ligados - ele avisou e desligou.

- Hiro, você preencheu seu envelope? - Akira indagou e o Akihiro negou - não precisa, nós preenchemos para você.

Hide entrou no palco com um grande envelope em mãos.

- Hiro, eu vou dar um chute: mais de 140? - Juuzou perguntou com a mão na cabeça.

Kanou riu e assentiu.

Akira abriu o envelope com a ajuda de Seidou no papel estava marcado o número: U$ 144.579.651,00

- Aliás, eu falei em milhões - Juuzou lembrou.

- Juuzou, como os envelopes de todos eles estão errados e o envelope do Kanou está certo? - Akira perguntou curiosa.

- Simples, ele também está errado. Agora todo mundo pegando os papéis, debaixo das cadeiras de vocês tem lanternas, peguem-nas e aqueçam o papel. - todos começaram a fazer curiosos - o saldo verdadeiro irá aparecer. - Juuzou completou.

- Ah, não se preocupe Hiro nós também pegamos uma lanterna para você. - Seidou o "tranquilizou"

Hide voltou com uma lanterna gigante. Ele acendeu a lanterna assustando Seidou e causando risos, porém os números começaram a mudar.

- Ué? A um segundo havia U$ 144.579.651,00, mas agora tem 70 mil dólares a menos. Como?

Hairu passava a lanterna pelo papel e do lado direito dos seus 562 dólares o número 70 apeteceu.

- Hairu, poderia se levantar, por favor

A mulher se levantou lentamente desacreditada.

- Qual é o seu saldo agora?

- 70,562 agora na minha conta.

- Será possível que os 70 mil dólares apareceram na conta da Hairu são os mesmos que sumiram da conta do Hiro? - Akira falou

- Pessoal presta atenção, tá acontecendo de novo. - Hide avisou.

- Sério, nossa! É mesmo o saldo do Hiro baixou mais 200 mil.

- Touko? - Juuzou chamou e a mulher se levantou de imediato.

- Meu saldo agora é 201.677 dólares. - ela revelou quase desmaiando.

- Nos temos uma confissão a fazer. - Akira começou.

- Ela tá certa a gente mentiu para vocês. - Hide continuou

- É, nenhum de vocês foram escolhidos ao caso. - Seidou falou seriamente

- Todos tem algo em comum. - Juuzou comentou.

- Todos passaram por um tempo difícil que atingiram várias cidades da América, vocês perderam suas casas, seus carros...

- Seus negócios... - Hide

- Seus entes queridos... - Seidou.

- Mas todos vocês eram assegurados pela mesma empresa. - Akira

- Akihiro Transportadora! - eles disseram em coro e apontaram para Kanou.

O público começou a xinga-lo e gritar.

- Vocês foram abandonados! - Hide gritou.

- Foram enganados! - Akira incentivou.

- Não compraram o acordo. - Seidou apoiou as falas de seus companheiros.

- Isso é tudo um show não é? - Kanou perguntou irritado

- Quer dizer, a gente fazer isso na frente de uma plateia gigante, é, é sim... - Akira falou "disfarçadamente" para ele com a mão na boca.

- Meu! Eu tenho 80 mil dólares na minha conta! É o que está dizendo no meu celular! Todo mundo pegando o celular! Rápido! Todo mundo! - um cara gritou da plateia.

Todos que olhavam na conta percebiam um número diferente do que estava antes e começaram a gritar de felicidade.

Amon ligou o microfone.

- Ei! Isso é verdade?!

Dentro da combi do lado de fora do teatro, Marude olhava os computadores que estavam todos "bugados".

- Eu não sei! - Marude revelou

- Como não sabe?! - Amon perguntou raivoso e desligou.


No palco...


- Perai vocês fizeram isso?! - Kanou perguntou furioso.

- Como? - Seidou indagou.

- Não temos a sua senha. - Hide o lembrou enquanto ria.

- Teríamos que ter acesso a informações que você nunca passaria para a gente... - Akira lembrou

- A é, precisaríamos responder perguntas de segurança como: o nome do seu primeiro bicho de estimação, ou o nome de solteiro da sua mãe. - Juuzou falou.

- Como eu disse: informações que você nunca passaria para a gente. - Akira reforçou

Os quatro foram para o fundo do palco e quatro cordas foram jogados para eles.

- Nós somos Os Quatro Cavaleiros e desejamos uma boa noite para todos vocês - eles se curvaram e foram puxados para o alto.

Amon saiu correndo para o palco  e vários outros agentes entraram.

- PARADOS! - Amon gritou subindo no palco.

Em meio a correria 12 pessoas pararam a correram até o palco, pulando em cima do Koutarou.

- Quarteback!!!













- Hoje o FBI pagou um "mico" em rede nacional, após um roubo de milhões do magnata Akihiro Kanou, os quatro cavaleiros fugiram sem deixar pistas, um dos agentes foi atacado por 12 pessoas, e isso atrasou todo o "processo". Aqui está um vídeo armador - ao lado do jornalista um  o vídeo de Amon sendo "esmagado" apareceu - Eu Kuki Urie e trago as notícias o mais rápido possível, tenham uma boa noite e tchau!

O jornalista terminou de falar a Amon desligou a TV furioso. Ele terminou de arrumar as malas e Kaneki entrou no quarto.

- O chefe quer falar com você.

 


Notas Finais


Bom, espero que tenham gostado, eu pretendo fazer apenas 10 capítulos (pelas minhas contas são mais uns quatro ou cinco capítulos que eu terei que postar) dessa fic e se ser tudo certo vai ser 10 ou 11 capítulos, eu também estou ansiosa para começar outra (já fiz até capa), bom por hora é só, boa noite!!!

Próximo capítulo: Fuga


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...