História Truque de Mestre - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Tokyo Ghoul
Personagens Akira Mado, Hideyoshi Nagachika, Juuzou Suzuya, Ken Kaneki, Koutarou Amon, Kureo Mado, Shuu Tsukiyama, Touka Kirishima
Tags Akira, Amon, Donato, Fbi, Hide, Juuzou, Kaneki, Kanou, Magica, Roubos, Seidou, Touka, Touken, Truques
Visualizações 25
Palavras 2.370
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiii! Aqui estou mais um dia!!! Bom hoje eu queria mandar um beijo para todos os/as meus/minhas leitores/leitoras:

~chicakawaiib
~Tia_Nath
~Kawaii86
~Ladypopstar
~UmNekoQualquer
~annemicaelle173

e um especialmente para paras as minhas leitoras: ~UmNekoQualquer e outro para ~Kawaii86 que sempre estão comentando.

Boa leitura!!!

Capítulo 7 - Fuga


Fanfic / Fanfiction Truque de Mestre - Capítulo 7 - Fuga

Amon acordou no hotel com uma puta dor de cabeça, ele foi até a cozinha e fez um café amargo, não dos melhores, é claro, e encheu de aspirina.

Quando ele olhou para trás viu Kaneki encostado no batente da porta.

- E aí? A noite foi boa, né?

- O que diabos aconteceu? - Amon perguntou esfregando o olho.

- Ah, você não lembra? Bom, depois dos cavaleiros terem fugido, você foi para um bar começou a beber feito idiota, ficou bêbado, arrumou uma briga, torceu o braço e eu tive que carrega-lo até aqui, mas fora isso nada de interessante.

Amon continuou a beber tranquilamente seu café, fazendo apenas uns movimentos no braço dolorido.

- Isso explica muita coisa...

Amon terminou de beber sua xícara de café e encheu outra.

- Sabe, eu sou meio idiota as vezes...

- Meio?

- Cala boca! Meio, mas você até que é inteligente, diz aí, o que sabe sobre Os Quatro Cavaleiros?

Kaneki sorriu e pegou um livro, e o abriu sobre a mesa, numa página específica, estava o desenho de um olho e uma escritura em baixo.

- Escuta só isso: chamam de "O olho" conhecido a milhares de anos como defensor e protetor da mágica verdadeiro.

- "Candidatos a iniciação devem seguir uma série de ordens em cega obediência, pois somente dando um salto de fé seus olhos estaram abertos ao milagre" - Amon lia em voz alta atentamente - então os cavaleiros, os roubos, os shows, tudo foi para...

- Para entrar no olho. - Kaneki completou.

- Fala sério, eu fiz um juramento a uma fraternidade, mas só me pediram para tomar 4 cervejas e colocar uma fralda num esquilo. Só isso...

Kaneki riu da confissão de Amon.

- Como é que é? - ele perguntou desacreditado.

- É eu sou de uma fraternidade e um idiota.

- Você é até que legal.

Amon o olhou surpreso.

- Vamos parar com essa boiolisse.

Os dois terminaram de tomar café e foram para uma pequena instalação do FBI na cidade.

- Parabéns Koutarou.

Amon estranhou o menção de Houji em seu nome.

- Do que está falando?

- Seu celular estava com uma escuta.

Amon engasgou com o proprio cuspi.

- O que?

- Foi assim que eles tiveram acesso aos documentos e arquivos.

Amon ficou pensativo por alguns segundos, mas logo descobriu como eles haviam feito.

- Coloquem a gravação do interrogatório do Seidou.

- Ok, está no meu HD. - Houji falou preguiçoso.

Os quatro agentes, incluindo Amon, Houji, Marude e Kaneki, foram para uma sala privada, Houji colocou o vídeo para rodar.

- Acelera - Houji acelerou o vídeo até a parte em que Seidou pegou o celular de Amon - passa quadro por quadro.

O vídeo passou lentamente, quadro por quadro, Seidou trocou o celular de Amon por outro idêntico, todos ficaram olhando para o vídeo boquiabertos.

- Eu não acredito... Vamos fazer assim, coloque a escuta de volta no meu celular, e rastreiem o meu celular verdadeiro.

- Sim senhor. - Uma mulher falou e saiu da sala.

- Agora eles estão na minha mão. Vamos deixá-los cegos. Eles tem energia? Cortem. Eles tem internet? Cortem. Cortem até a água, quero que eles sintam a nossa presença. Quero espreme-los que nem limão. Me tragam um avião, eu vou lá.


Do lado de fora de um prédio simples e antigo, vários carros do FBI estavam se preparando para invadir, Amon estava se preparando junto a os outros, quando alguém tocou seu ombro.

- Você. - Amon disse decepcionado quando se virou e viu Donato.

- Que vexame, hein? - ele falou rindo

- O que você está fazendo aqui? - Amon perguntou esperando uma resposta curta e rápida.

- Vem cá, você é tão idiota que nem desconfia daquele garoto que está trabalhando com você?

- Do que está falando? - ele ingagou curioso.

- A um quinto cavaleiro e com certeza é ele, um garoto da Interpol que chega para ajudar num caso suspeito, sem passado...

Amon revirou os olhos e foi embora aborrecido, Donato apenas riu e foi na direção contrária.

Amon foi em direção ao Marude e Kaneki.

- Qual é a situação? - Amon perguntou com as mãos na cintura.

- Os cavaleiros estã- - Kaneki começou, mas foi cortado.

- Não perguntei para você eu perguntei para ele. - Amon falou grosseiro

- Os cavaleiros estão dentro desse prédio, vamos entrar daqui 10 minutos, se preparem. - Marude falou após um suspiro cansado.

- Não, ele não vai. - Amon falou excluindo Kaneki da conversa.

- O qu- - Kaneki tentou falar novamente.

- Fica no carro, é uma ordem.

Kaneki bufou e obedeceu entrando num carro acompanhado de Houji.





Num apartamento velho e mal cuidado Os Quatro Cavaleiros arrumavam as coisas rapidamente.

Seidou pegou o celular de Amon e o jogou no chão, pisando em cima em seguida.

- Eles cortaram nossa internet - Akira falou enquanto mechia no computador.

- Eles quem? - Hide perguntou

- Eles, elas para que a gente está trabalhando. - Akira falou nervosa

- E para quem estamos trabalhando? Estamos preparados para ir em cana por eles? - Juuzou perguntou também nervoso

- Para de ser paranóico. - Seidou grosseiro.

Hide andava desesperado entre os papéis e documentos.

- Seidou tenho certeza que isso é seguro? Eu não quero morrer. - ele choramingou

- Você sempre diz que quer ser tratado como adulto, agora aja como tal. Queime tudo e depois fuja, se eles acharem esses documentos estamos fudidos - Seidou falou seriamente e pegou a mochila. Ele se virou para os outros que se levantaram - vem, vamos embora. 

Os outros três cavaleiros pegaram suas coisas e partiram naquele prédio sujo e imundo, Akira deu um beijo na testa de Hide e lhe desejou "boa sorte", Juuzou deu um "abraço de mano" nele e também lhe desejou "boa sorte", Seidou passou reto, mas mesmo assim murmurou alguma coisa do tipo, eles foram até um elevador de comida e Juuzou abriu com facilidade e apontou para Akira.

- Primeiro as Damas.

Akira não respondeu, apenas pulou dentro do pequeno elevador logo após Seidou também pulou e Juuzou foi atrás. 

Do lado de fora do hotel, os vários investigadores do FBI começaram a invadir o prédio. Eles enquadraram todos os apartamentos e foram subindo para o último andar.

Já no quarto Hide terminava de queimar os papéis, porém ele ouviu passos no corredor.

Fora do hotel um carro estava parado dentro dele havia várias câmeras e Donato falava ao telefone.

- Meu dinheiro está sendo bem aproveitado? - Kanou perguntou de dentro de um restaurante.

- Muitíssimo bem. Agora me fale, você vai querer os seus Cavaleiros fritos ou assados? - Donato perguntou em quando via os cavaleiros entrarem num táxi. 

- Picados. - respondeu Kanou com a voz amentrotadora.

Donato riu.

- Vou avisar o cozinheiro.

Amon e outros agentes revistavam o prédio com cautela, quando ele foi até o último andar, acompanhado de Marude, eles abriram a porta de um quarto no final do corredor, 6a, ele e marude entraram no prédio e viram vários documentos e maquetes de palcos, truques e até o cofre, porém o prédio estava vazio ou era o que eles achavam, eles começaram revistar o prédio em busca de mais pistas sobre o paradeiro dos cavaleiros, Amon entrou num quarto e observou que estava vazio, porém atrás dele na porta do banheiro, Hide estava pendurado e saltou, andando lentamente para fora do quarto e indo para a cozinha, Amon não percebeu e continuo revistando, Marude estava na cozinha e Hide foi por trás dele, o Nagachika pegou um pano molhado e colocou na boca dele o impedindo de falar, ele prendeu Marude com paletó dentro da lava-louças ligou. 

Amon foi até a cozinha correndo por causa da agitação, se deparando com Hide.

Hide pegou a cin

- Você! - Amon grunhiu com raiva - Onde ela está?! - ele gritou com raiva não percebendo o uso errado das palavras.

Hide pegou a cinta de Marude e prendeu as mãos de Amon o fazendo largar a arma, o Hideyoshi pegou a arma e jogou contra Marude acertando em cheio o lugar entre as pernas dele, os dois trocaram socos e foram para a sala. Marude conseguiu se livrar do pano e gritou, no entanto, a lava-louças o puxou mais ainda

- Amon!!! - Marude gritou enquanto tentava se livrar da terrível lava-louças.

- Perai.

Hide passou por de baixo de uma mesa e Amon por cima, os dois trocaram mais alguns socos, e Hide pegou as algemas de Amon e o prendeu no pé da mesa rapidamente. O comunicador tocou e Hide o pegou.

- Unidade 4: Amon está tudo certo aí em cima?

Uma voz rouca e falhada foi ouvida, Amon o olhou com raiva.

- Seu merdinha! - Amon o xingou com raiva.

- Seu merdinha - ele repetiu.

- O que está fazendo?!

- O que está fazendo?! - Hide repetiu novamente.

Hide sorriu malicioso e apertou o botão para se comunicar.

- Tudo tranquilo aqui em cima continuem a revistar. - a voz de Hide ficou igual a de Amon ele desligou o comunicador.

Amon conseguiu se livrar das algemas e se levantou, Hide saiu correndo e pegou um um baralho e um isqueiro, ele foi "acendendo" as cartas e jogando contra Amon. O último desviava com dificuldade. Hide distraiu Amon com um cabo de ferro e depois o jogou para o alto, deitando para trás se jogando numa cortina azul, Amon também pulou em direção a ele, porém ele apenas se enrolou na cortina já vazia.

Hide apareceu do outro lado do quarto e começou a correr, Amon foi ao encontro dele e tentou pegá-lo mais uma vez, e mais uma vez, Hide desapareceu e apareceu pendurado na borda de uma parede ele se balançou e deu um chute em Amon, que desviou e acertou outro, o Hideyoshi caiu na frente de uma barra de ferro e várias cartas, ele olhou para os dois em dúvida, mas se virou com as mãos para o alto.

Amon andou em direção dele para literalmente "meter o cacete"

- Ei! Ei! Espera aí! - Hide pediu e por incrível que pareça Amon obedeceu, Hide sacou várias cartas.

- Sério mesmo? - Amon riu desacreditado.

- É, é sério.

Hide começou a lançar as cartas em Amon, uma pegou na sua bochecha fazendo um pequeno corte.

- Aí!

Hide continuou jogando as cartas, Amon colocou os braços na frente do rosto para se proteger, Hide jogou uma das cartas na cozinha acertando em cheio o rosto de Marude.

Ah, verdade, tinha me esquecido dele, após a carta ser jogada em seu rosto ele finalmente conseguiu se livrar da lava-louças.

- Amon!!! - ele gritou desesperado.

Amon parou de lutar, dando uma pequena brecha para Hide, que não desaproveitou e fugiu, sem antes pegar um documento que parecia importante.

Os dois agentes saíram correndo atrás do mágico de rua.

Hide foi para o corredor e pulou para dentro do elevador de comida, Amon foi até ele é também pulou, Marude que estava um pouco atrás ouviu os gritos e foi olhar dentro do pequeno elevador desacreditado.

Os dois saíram em meio ao lixo e Hide empurrou Amon contra um coxão velho.

Hide saiu correndo e pulou várias cercas, Kaneki que estava no carro via atentamente o movimento.

Amon passou por eles gritando para bloquearem as saídas.

Houji pegou o rádio do bolso e ligou.

- Eles estão passando por aqui.

Kaneki revirou os olhos e saiu do carro correndo.

- Ei! Volta aqui!

Kaneki ignorou os gritos e continuou correndo, um homem tinha acabado de sair do carro e estava falando no telefone, Kaneki parou na frente dele e mostrou seu distintivo.

- FBI, preciso do seu carro.

- O que-

Kaneki o empurrou e entrou no carro e saiu que nem um louco.

Quando Hide conseguiu sair do hotel dois agentes estavam do lado de fora, Hide abaixou a cabeça e colocou a mão na testa. Porém os dois não deixaram passar.

- Ei! Senhor o que est-

Hide não o deixou terminar e começou a bater neles, ele torceu o braço de um dos agentes e pegou o braço do outro, ele os jogou para longe e deu a volta no carro, Amon estava logo atrás dele, porém o menino já havia saído.

Amon colocou a mão na testa e massageou as têmporas, ele se virou para trás e viu um carro parado atrás dele, o Koutarou forçou a vista para ver quem estava dirigindo e deu de cara com Kaneki, com a expressão nada boa.

- Boa garoto!

Amon sussurrou e entrou no carro, sem antes olhar para trás e ver Donato os observando.

- Você nunca mais me manda ficar no carro! Eu não sou uma das suas putas para você mandar! Seu merda!

- Tá! Tá! Agora vai!

Kaneki começou a dirigir a mais de 180km/hr, ambos os carros se esforçavam para não atropelar ninguém, Hide virou a esquerda e Kaneki passou direto.

- O que está fazendo?! Seu bosta ele foi para o outro lad-

O carro saiu na frente deles novamente, Amon se encolheu no banco e ficou quieto, Kaneki apenas deu um sorriso vitorioso.

Amon pegou o rádio e ligou.

- Estamos em perseguição sentido leste na-

- Aqui é norte. - Kaneki o corrigiu

- Isso, estamos indo em direção norte.

Um helicóptero da TV percebeu a movimentação e começou a gravar.

- Estamos tentando pegar uma imagem melhor...

- Marude onde você está?! - Amon perguntou nervoso

- Estou tentando alcançar vocês - Marude disse enquanto estava á alguns carros atrás deles.

Eles continuaram a perseguição até irem parar na ponte.

- Cheguem logo! - Hide grunhiu de dentro do carro.

Ele mudou da faixa várias vezes, porém, Kaneki o acompanhava.

- Estamos tentando conseguir imagens melhores, quando conseguirmos mostraremos ao vivo.

- Cola nele - Amon ordenou.

Hide passou por um ônibus e Kaneki tentou passar também, porém o ônibus entrou na frente e ele teve que desacelerar. 

- Vai, passa ele!

Kaneki tentou passar o ônibus pela outra faixa, porém um táxi entrou na sua frente.

- Merda!

Dentro do carro Hide comemorava e por um deslize de um segundo ele bateu o carro na guia o fazendo capotar várias vezes.

- Merda! Merda! Merda! - Marude gritou de dentro do carro.

Kaneki parou o carro e Amon saiu desesperado.

- Droga! Ele não pode morrer!

Amon foi até o carro e tentou tirar o garoto de lá sem sucesso, a única coisa que ele conseguiu foi o papel que Hide protegeu com a vida.

Kaneki pegou Amon pelos ombros e arrastou ele para longe do carro.

- Vai explodir!

- Não me solta! Ele vai morrer!

- Vem logo! A gente não pode fazer nada! É tarde!

Como dito, o carro explodiu em seguida, o impacto fez com que tanto Amon quanto Kaneki fossem jogados para longe.

O corpo de Hide queimou sem deixar vestígios.




Notas Finais


Espero que tenham gostado, desculpem pelos erros ortográficos, acho que deu para perceber que eu mudei um pouco o começo desse capítulo, bom, se não for muito incomodo será que vocês podem imaginar que o jornal que Amon estava vendo foi um pouco depois do show? Se sim muito obrigado!!! Se não, me perdoem não foi por querer é que não iria bater com esse capítulo, eu pretendo consertar esse erro amanhã, então até mais!!! Boa noite!

Próximo capítulo: O último ato


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...