História Trust Issues - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Drama, Mistério, Reencontro, Romance, Trust Issues
Visualizações 260
Palavras 3.379
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


TRUST ISSUES IS BACK!! Isso mesmo que vocês leram, depois de muitos pensamentos, eu resolvi fazer de tudo pra voltar. Pode ser que os capítulos não sejam tão grandes, mas eu vou tentar elaborar a história pra vocês. Eu vi muito comentários de vocês e foi isso que fez com que eu voltasse (PRA VOCÊS VEREM QUE OS COMENTÁRIOS AJUDAM MUITO). Estava com muitas saudades <3 Obrigada por todos os favoritos e os comentários, vocês são demais

Bom, eu devo estar postando uma vez por semana porque também tenho prova toda semana :( Enfim, espero que vocês gostem, eu não revisei e não esqueçam de ler as NOTAS FINAIS...

Boa leitura.

Capítulo 7 - 06. Você?


Fanfic / Fanfiction Trust Issues - Capítulo 7 - 06. Você?

Você? (06) - Trust Issues

Raleigh – Carolina do Norte

Hoje faz uma semana. Uma semana da última vez que vi Bieber.

Nós voltamos para casa naquela noite, após aquilo ele não apareceu mais. Dave disse a nós que ele havia problemas para resolver em sua antiga residência antes de vir morar aqui. Não me importei, decidimos que não há nada entre nós e assim será.

Apesar de tudo, eu estive pensativa nas coisas que ele me disse. Foi um choque para mim, isso eu garanto. Eu não esperava nada daquilo, esperava gritaria e deboches sobre o que havia acontecido, ele era assim. Porém, ele realmente mudou para uma pessoa melhor, ou pelo menos é o que parece.

O meu estágio e minha faculdade voltam hoje. Esse ano, o meu estágio será remunerado e eu estou tão ansiosa. O Senhor White havia ficado tão contente com o meu trabalho no ano passado que resolveu me recompensar. Eu e ele havíamos estimulado uma amizade das grandes, ele é como se fosse um pai para mim, apesar de não ser tão velho, deve ter uns quarenta e poucos anos, é adorável e trata seus funcionários com muito profissionalismo. Sempre falava que eu quero ser como ele quando eu me formar, o mesmo garantiu que eu tenho uma vaga na empresa.

Além de eu receber o meu próprio dinheiro agora, eu iria ser responsável por organizar e ajudar os trabalhos realizados por ele, exclusivamente. Quando soube da notícia, eu fiquei completamente feliz, foi uma conquista muito satisfatória. Afinal, eu estou terminando a faculdade e ele aproveitou isso para ajudar a si próprio, disse que precisa de alguém de confiança e irá arriscar isso numa estagiária, para me preparar principalmente, garanti-o que não iria se decepcionar e eu não vou.

Agora estou me olhando no espelho do meu quarto com um vestido vermelho social que expõe todas as minhas curvas. Dou uma viradinha e sorrio, é bom ser confiante com si próprio as vezes. Meu cabelo está solto, porém estou carregando algo para prendê-lo. Pego minha bolsa e confiro se está tudo ali.

O diretor da faculdade concordou em coincidir o meu estágio com as aulas de minha faculdade já que estávamos no fim, minha formatura iria ser em breve por conta de alguns pedidos. Agradeci-o por isso demais, o mesmo estava até assustado.

Hoje seria apenas o estágio, assim como quarta e sexta pela parte da tarde.

Desço as escadas para cumprimentar todos e vejo Henry e Noah sentados tomando café. Dou bom dia aos dois e dou um beijo na bochecha de cada um.

— Olha quem está bonita. – Henry disse me analisando e eu dei um tapa em seu ombro.

Henry e eu nos aproximamos muito desde do que aconteceu na casa de praia, durante toda a semana estávamos juntos, já o tratava como irmão e ele me tratava como uma irmã, mas estamos em progresso ainda. Sem dúvida, ele é o que sou mais próxima dos três.

— Onde está a minha mãe e Dave? – Pergunto.

— Devem estar dormindo, eles chegaram tarde ontem. — Balanço minha cabeça antes que eu crie suposições do que eles estavam fazendo.

— Tenho que ir. – Pego meu copo de café e me despeço dos dois.

Vou até a o meu carro, que é um Range Rover Evoque branco, coloco minha bolsa no banco de carona e ligo o rádio para me distrair com a música até eu chegar na empresa. Não demoro muito, em torno de 15 minutos estou em frente da Remarkable.

— É bom vê-la de volta, Violet. – Jake diz a mim quando entro para estacionar o carro. Ele é um senhor adorável.

— Digo o mesmo, Jake. – Ele sorri fraco e eu passo por ele, estacionando em uma vaga qualquer.

Desligo o rádio e pego minhas coisas, tranco o carro e vou até o elevador. Quando ele chega, encontro Skylar.

— Oh meu Deus. – Ela sorri assim que me vê. — Quanto tempo, Violet. – Ela me puxa para um abraço e eu retribuo.

— Esqueceu que tem amigas? – Questiono-a e ela revira os olhos. Sky é uma funcionária que foi contratada assim que entrei para o estágio há 2 anos atrás. Eu e ela viramos super amigas.

— Eu estava viajando, meu amor. – Ela joga seus cabelos e eu gargalho com isso. — Você sabe que eu te amo.

— Seu andar está chegando. Devíamos conversar no almoço. – Eu sugiro e ela assente.

— Te encontro na recepção para irmos juntas. – Ela diz saindo do elevador e todos a olham. Reviro os olhos, rindo.

A sala da Senhor White é no último andar e esse prédio é enorme. Vejo no espelho como estou e dou uma retocada no meu batom.

Assim que chego no meu destino, cumprimento todos e vou em direção a sua sala.

— Violet. – Vejo Dominic ao meu alcance e a abraço. — Você está linda.

— Posso dizer o mesmo.

— Você vai entrar? – Ela pergunta e assinto com a cabeça. — Vamos então, também estava indo.

Dominic é a secretária do Senhor White. Ela tem uns trinta e poucos anos, mas é bem conservada. Tem cabelos louros e olhos castanhos, seu noivo é um gato. Eu, Skylar e ela sempre saímos para fazer algo quando vamos embora do expediente.

Adentramos na sala e vejo o Senhor White falando no telefone, mas ele desliga assim que me vê.

— Senti sua falta. – Ele me abraça e abre um sorriso.

— Aproveitou muito as férias, Sr.White?

— Apenas John, Violet. Isso me deixa irritado. – Ele diz sério e eu reviro os olhos, ele sempre fala isso.

— Tudo bem, John.

— Aproveitei sim, depois de tantos anos. – Respira aliviado. — Venha, vou mostrar seu novo parceiro.

Senhor White quando me deu a oportunidade, disse que iria eleger outro funcionário para se livrar de especulações falsas. Era sua primeira experiência com essa confiança e garantiu que irá dar tudo certo.

Eu sigo ele até o local onde iria trabalhar, sua sala é enorme.

— Apresento a você, seu novo parceiro de trabalho. – Ele abre a porta. — Justin Bieber. – Engulo seco. O quê?

Meu ex-namorado e o filho do homem que minha mãe está namorado, agora é meu parceiro de trabalho.

— Acho que já se conhecemos. – Eu digo e ele olha para mim, com a mesma expressão que eu.

— Como? – John pergunta confuso.

— Ele é filho do homem que a minha mãe está namorando. – Eu digo.

— Melhor assim. Vou atender um telefonema e já volto. – Ele se retira da sala, me deixando frente a frente com Bieber.

Apesar da conversa em que tivemos, eu apenas perdoei, mas não queria ser próxima nem nada com ele, agora sou sua parceira de trabalho.

— Coincidência, não é mesmo. – Ele diz algo, quebrando o silêncio e me analisa por completo. — Você está linda.

— Obrigada, eu acho. – Nunca fui muito boa em receber elogios, ele apenas sorri.

Eu sigo para a minha nova mesa. Coloco minhas coisas numa cadeira ao lado e pego meu notebook.

— O Senhor White já te deu algo para fazer? – Ele olha para mim.

— Ele estava te esperando.

— Oh.

— Você e ele são muito próximos?

— Somos muito. – Eu digo e ele pode ter entendido algo mais com minha intensidade. — Digo, eu e ele nunca...

— Violet, eu te conheço. – Oh meu Deus, sim. Você já namorou com ele, sua idiota.

— Como você conseguiu o estágio? – Mudo o assunto da conversa antes de ficar constrangedora.

— Eu fazia estágio numa filial em Seattle. – Que sorte. ­— Conseguiram me transferir para cá.

— Que bom.

Eu não sabia como puxar assunto com ele, isso não é fácil como eu pensava.

Senhor White não voltou a nossa sala durante toda a manhã, assim ficamos em nossos celulares ou organizando coisas, raramente se falávamos e eu agradecia por isso, era tão constrangedor.

Vejo no relógio e percebo que é hora do almoço.

— Está na hora do almoço. – Aviso a Justin que provavelmente não saiba.

— Ah, obrigado. – Sorrio e saio da sala para encontrar Skylar, precisava falar isso com alguém.

Quando chego na recepção, Sky está mexendo em seu celular.

— Preciso falar com você. – A puxo para a lanchonete que há ao lado da empresa.

— Olá para você também.

Sentamos em uma mesa e pedimos o de sempre.

— Fale. – Ela diz curiosa.

— Você não acreditar em que é meu novo parceiro.

— Quem?

— O... – Estava prestes a falar, quando ouço uma voz rouca me chamando.

— Violet, posso me sentar? – Ele diz olhando para mim. — É meu primeiro dia, não conheço muita gente.

— Claro. – Sorrio.

— Será um prazer. – Skylar diz e eu reviro os olhos, rindo. Esse olhar irá murchar rapidamente.

Nosso pedido chega e Justin pede o dele.

— Acho que não se apresentamos ainda. – Ela diz olhando para Sky e ele olha para ela. – Prazer, sou Skylar Jackson.

— Prazer, Justin Bieber. – Ela se engasga com a própria bebida e eu começo a querer rir. Justin a olha assustado e eu ajudo-a.

Ela olha para mim e eu faço um sinal que é isso mesmo que ela está pensando. Sky sabia de tudo, eu contei a ela o que aconteceu, mas apenas para ela. Dominic apenas conhece a existência dele.

— Isso é muito constrangedor. – Ela fala e engulo seco. — Agora eu te entendo, amiga. – Por que eu só arranjo amiga inconveniente?

— Ela sabe. – Eu digo a ele e o mesmo desfaz o olhar de confuso, travando seu maxilar.

— Oh.

— Você é um babaca. – Sky fala e eu coro na mesma hora, puta merda.

— Skylar, não é hora para isso. – Eu digo e ela bufa, bebendo sua bebida logo em seguida.

Justin se sente desconfortável, mas seu pedido chega e a tensão é desfeita.

Almoçamos em silêncio.

— Olha quem está aqui. – Trevor para em frente a minha mesa e me analisa. ­— Está linda como sempre, Violet. – Esse cara é um saco.

— Pena que não posso dizer o mesmo. – Eu digo, apesar dele ser muito atraente.

— Quando irá parar de ser tão difícil e aceitar de sair comigo? – Ele sorri debochado.

— Babacas como você, nunca.

— Vamos ver isso quando estiver na minha cama. – Ele diz e eu abro a boca.

— Sonha, Trevor. – Ele balança a cabeça e segue para sentar com seus amigos.

— Quem é esse? – Justin murmura.

— Trevor Smith. – Skylar pronuncia. — Ele é apaixonado por Violet.

— Ele só quer me comer.

— Bem, você só atrai gente assim. – Bingo! Indireta para o Justin, ele olha para Sky e ignora. Eu irei me desculpar com ele depois.

— Ele trabalha em que área? – Justin desvia o assunto.

— Gerente de financias. – Eu digo e ele franze o cenho.

— Ele parece ser jovem.

— Trevor tem 28 anos.

Trevor Smith é conhecido por estar afim de todas as mulheres da empresa, ele sempre quis sair comigo, mas nunca aceitei por seu histórico. Ele é atraente demais, cabelo castanho com os olhos claros, porém é um babaca por completo.

Após que Smith apareceu, terminamos de almoçar e Skylar não provocou mais Justin. Eu agradeci mentalmente por isso.

Quando voltamos para o expediente, Dominic avisou-nos que John pediu pequenas coisas para fazermos, como organizar e destacar trabalhos importantes.

Pensei que iríamos demorar, mas conseguimos organizar tudo em apenas duas horas.

Enviei uma mensagem para John avisando que havíamos acabado tudo, ele nos disse para irmos embora mais cedo. Tentei afastar meus pensamentos enquanto estava dirigindo sobre Justin, acho que não caiu a ficha que ele havia voltado. E é tão estranho sermos apenas colegas ou qualquer coisa desse tipo, eu era apaixonada por ele, e nós dois tratamos como se não tivemos um passado juntos.

Aurora mandou uma mensagem avisando que iria numa boate com os meninos e pediu para que eu fosse. Aceitei sem hesitar, eu tenho que aproveitar o resto da minha juventude. Ela avisou que iria encontrar comigo em minha casa, às nove horas da noite.

Cochilei por algumas horas e comecei a me vestir. Coloquei um vestido preto justo, sua manga comprimida era de renda, completando com o corpo do vestido, um salto dourado para contrastar, abusei no rímel, um batom vermelho e passei delineador, mas não tão visível assim, além de alguns acessórios. Peguei minha bolsa dourada e conferi se tudo estava ali.

Esperei Aurora chegar e fomos com seu carro. Chegamos na boate e entramos sem precisar enfrentar a fila, a minha amiga tinha alguns contatos com alguém dentro da boate que sempre nos ajudava. Procuramos por Miles e Logan, avistei eles próximo ao bar e fomos até eles.

— Olá meninos. – Eles pararam de conversar assim que sentiram nossa presença.

— Vocês estão gatas. – Miles nos olhou dos pés à cabeça.

— Aproveitem, está cheio de gatinho aqui. – Logan disse articulando as mãos, sua mania era hilária.

— Já pegou algum hoje? – Disse perguntando a Logan.

— Não, mas ainda vou. Quero esquecer aquele babaca.

Grant foi o primeiro namorado de Logan, desde quando assumiu ser homossexual. Seus pais não aceitaram de primeira, mas depois entenderam e apoiam seu filho em suas decisões.

— Por acaso isso é uma reunião da escola? – Aurora disse olhando para o fim da boate e eu franzi o cenho confusa. — Pensei que seria apenas daqui a uma semana.

Olhei para onde minha amiga estava olhando e pude ver Justin adentrando na boate. Miles estava com o maxilar travado e Logan de boquiaberta, ele não sabia de nada ainda e iria me matar por isso.

Pensei que não tivesse como ficar pior. Porém, estava errada.

Justin estava vindo em nossa direção.

Aurora não estava com a cara muito boa, isso iria dar merda.

Eu não tinha culpa de Justin estar na boate, em nenhum momento eu o chamei para vir aqui, muito menos comentei na empresa. Os olhares de meus amigos sobre mim me amedrontavam, porém não me importei.

— Boa noite. – A voz rouca no meio de tanto barulho exalou sobre o local. Aurora continuou com sua expressão séria e Miles travou o maxilar.

— Boa noite, sumido. – Logan foi o único a cumprimenta-lo, agradeci por não ficar um clima tenso.

— Boa noite. – Disse para não ficar mais esquisito que já estava, sou adulta e sei lidar com essas coisas.

— Logan, quanto tempo! – Murmurou e deu leve batidas sobre o ombro de meu amigo, que apenas sorriu fraco. — Miles, posso conversar com você? – Ele olhou para o mesmo com as sobrancelhas arqueadas, Miles suspirou.

— Por que não?

Os dois saíram para um lugar mais calmo e eu não podia negar que estava curiosa para saber o que esses dois iriam se falar. Respirei fundo e esbanjei o melhor sorriso para Aurora.

— Não posso negar que queria ser, nesse momento, uma abelha para saber o que os dois estão falando. – Logan quebrou o silêncio, Aurora e eu gargalhamos concordando com a cabeça.

— Vamos nos divertir, deixem os dois. – Peguei o pulso de ambos e os puxei para a pista dr dança, colocando o copo sobre a mesa do bar.

Tocava “One Dance” by Drake e é claro que todos estavam balançando o corpo, essa música é fantástica. Meu quadril se mexia a partir das batidas da música, seguindo seu ritmo. De vez em quando, eu dava algumas reboladas e desci até o chão. Senti uma mão em uma cintura e virei para ver quem era, um menino de olhos claros e moreno sorriu ao me ver, comecei a mexer meu quadril em contato com o seu, sentindo o volume depositado na calça, cada vez mais que eu aumentava meu movimento, nossos corpos estavam ainda mais pertos. Sua mão apertava minha cintura mais forte, começou a beijar meu pescoço e meus olhos reviraram de prazer. Quando abri meus olhos, Justin estava dançando com uma menina, muito linda por sinal e me olhava, ele queria provocar.

Eu sabia disso.

Uma multidão, rapidamente se abriu e estavam apenas eu e o garoto, a menina e Justin no centro da pista, os olhos de todos estavam sobre nós.

— Olhem isso! – o DJ agitou a galera, apontando para nós. — Quem dançar melhor, ganha bebidas de graça durante um mês.

Oh isto era uma competição? Vamos ver quem ganha.

O DJ botou para tocar “Closer” do The Chainsmokers.

— Qual seu nome? – Perguntei ao menino quem estava dançando comigo.

— Jared e o seu?

— Violet. Pronto para ganhar?

— Sem dúvidas. – Sorriu e pude reparar que seu sorriso era maravilhoso.

Dei uma girada com o auxílio de seu braço e ele colou nossos corpos, colocando minha mão em seus ombros e as suas em minha cintura. Começamos a dançar no ritmo e eu esfregava meu corpo sobre o dele, fazendo-o arfar e isso era música para meus ouvidos.

— Vamos voltar ao tempo. “You are The One That I Want” Grease para vocês. – O DJ anunciou e eu sorri. — Porém, vamos trocar os casais. — Engoli seco, mas eu e Justin já apresentamos uma coreografia dessa música na escola quando estávamos juntos, não me importei se fosse para ter bebida de graça eu faria isso. Troquei rapidamente e Justin me olhou sorrindo.

— Eu quero a bebida, então vamos voltar ao tempo. – Eu disse e ele sorriu fraco com malícia em seus lábios.

Seguimos em nossas posições de anos atrás assim que começou a tocar a música. Fiquei dançando e ele rodeou meu corpo. No refrão, juntamos nossos corpos e seguimos com o ritmo da música, dando giradas por todo o salão, ameacei em sair de seu corpo e ele me puxou pelo braço, colocando os braços na minha cintura, deixando um mínimo espaço entre nossos lábios.

Assim que chegou a segunda parte da música, soltei de seu corpo e balancei meu quadril, ele veio atrás de mim e continuei andando, virei meu corpo para ele, colocando meu braço sobre seu ombro, seus pés iam para trás e eu acompanhava o ritmo, pegou meu quadril e encontrou com o seu.

Isto não fazia parte da coreografia, ele sabia disso, mas se aproveitou da situação. Porém, todos gritaram quando ele fez esse movimento, bufei e não me importei em rebolar sobre o movimento de sua calça, que estava crescendo a cada ritmo.

No refrão final, repetimos a da outra parte, porém com mais frequência e com distâncias mínimas entre os corpos. Acabou a música, e ele jogou meu corpo para o lado e deixou um micro espaço entre nossos lábios. Todos estavam gritando “Beija,”Beija”. Quando seus lábios estavam prestes a se encontrar com os meus, saí de seus braços, ele revirou os olhos.

— Sem dúvidas, esse casal ganha as bebidas. – Apontou para nós dois e eu comemorei, abraçando-o. Foi involuntário este ato.

A multidão voltou a preencher o local e eu segui para onde estava meus amigos.

— Bebida de graça! – Eu disse e eles levantaram o copo. — Quem vai de shoot?

— Você tem que trabalhar amanhã. — Aurora disse e eu balancei os ombros.

Pedi ao garçom para separar 7 shoots de vodka para mim. Todos gritavam “Vira, vira”. Por incentivo, fechei os olhos a cada bebida e bebi rapidamente todos, levantei meu braço em vitória. Agora, sem dúvidas, estava tonta.

Voltei a pista de dança dançando.

— Violet, temos que ir embora. – Justin olhou para mim.

— Me deixa, seu chato. - Bufou.

— Já está tarde?

— Você não é meu dono, nem meu pai para falar o que tenho eu fazer. – Pronunciava as palavras com dificuldade.

— Você está quase caindo.

— Como você se importasse comigo. Você me deixou, seu babaca.

— Isto não é hora de discutir isso.

Ele me pegou pelas pernas e colocou sobre os seus ombros, minha cabeça estavam em contato com suas costas.

— Me solta.

— Não.

— Eu te odeio.

— Eu levo ela para casa, tenho que falar com meu pai também. – Justin falou possivelmente com Miles, Aurora e Logan.

— Tudo bem. – Miles concordou. Eles tinham se resolvido?

Ele continuou a andar e pegou suas chaves, abrindo a porta do carro e colocando-me no banco.

— Mudou o carro.

Justin começou a dirigir.

— Sim.

— Não devia ter me tirado de lá. Eu estava me divertindo.

— Você vai me agradecer quando acordar.

— Você é um chato. Como pude namorar com você?

— Era apaixonada por mim.

— Devia ter merda na cabeça.

— Você não me engana, Tulipa. – Ele murmurou, era golpe baixo me chamar de Tulipa. — Sentiu minha falta, eu sei.

— Só nos seus sonhos.

Chegamos a casa de minha mãe e ele me pegou pelas pernas novamente.

— Silêncio, se não minha mãe vai descobrir que transei com você.

Comecei a rir baixinho.

— Você está muito bêbada.

— Estou nada.

Pude ouvir barulho de porta se abrindo.

E só uma consigo pensar em uma única coisa:

Fudeu.

 

 

 

 

 


Notas Finais


GENTE E AI?? O que vocês acham que vai acontecer?

Tenho uma pergunta pra vocês; Será que eu devo fazer um capítulo do Justin narrando?? (COLOQUEM AS RESPOSTAS NOS COMENTARIOS)
Gente, eu sei que é chato pedir pra comentar mas POR FAVOR comentem porque a opinião de vocês e a interação é ESSENCIAL.

Amo vocês.
Xx.

Falem comigo qualquer coisa: @ietmeiovyou


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...