História Trust me - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Turma da Mônica Jovem
Personagens Carmem, Cebola, Denise, Do Contra, Magali, Maria Mello, Marina, Mônica, Sarah, Toni, Xaveco
Tags Docônica
Exibições 65
Palavras 2.082
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Mil desculpas por não ter postado ontem, eu ja estava com o cap pronto mais resolvi modificar algumas coisas, e consegui deixar ele mais comprido, então espero que gostem 💙💚💛💜

Capítulo 12 - Lágrimas novamente


Fanfic / Fanfiction Trust me - Capítulo 12 - Lágrimas novamente

Mônica/Sexta/Acampamento

Dormi por um tempo, até acordar umas duas e pouco dá tarde, pra mim essas horas de sono foram ótimas, porque acordei melhor e além do mais não gostaria de ficar dentro de uma barraca o dia todo; apesar de estar com Mattheus... sei lá a algumas horas atrás eu estava com um pouco de raiva dele, mais não dá pra ter raiva desse garoto! Ele é sempre tão fofo imprevisível... eu o amo tanto e não quero brigar com ele aqui no acampamento e nem nunca. Mattheus ainda dormia então resolvi não acorda-lo; sai da barraca e lá fora estavam praticamente todos os alunos, inclusive Denise, Magali, Marina.

-Olá meninas. -disse

-E aí? -perguntou Denise com um sorriso malicioso

-Eu estou melhor, Obrigada por perguntar Denise.

-Não estou falando disso menina, e sim de Mattheus você... hein?

-É... Mattheus está lá dentro dormindo. -disse como se e fosse óbvio

-Ai meu Deus, esquece!

-Ao contrário da Denise, eu não quero saber o que vocês fizeram lá dentro, e sim oque vocês conversaram. E então está tudo bem agora entre vocês? -perguntou Marina

-Está tudo bem sim, mas espera como você sabe? -perguntei ainda confusa olhando pra Denise

-Oque foi? Por que está olhando pra mim, como se eu estivesse alguma coisa com isso? Ah tá bom vai eu contei pra elas, mas também qual o problema, delas saberem que você estava sim com ciúmes!?

-A Denise tem razão. Mô... nós somos suas amigas, só queremos te ajudar, mas assim também não dá né, você não conta mais nada pra gente! -disse Magali

-Tá bom, tá bom. Agora vamos comer, porque eu estou morta de fome.

Depois de comer, eu e a meninas ficamos conversando com o pessoal que ali estava por um tempo; já estava escurecendo então estava pensando em voltar a barraca

-Meninas eu acho que eu vou indo tá? Tenho que ver se Mattheus ainda está vivo lá dentro. -disse

-Vai mesmo! Qualquer coisa me chama aqui que eu chamo a ambulância. -disse Denise

-Não precisa, eu estou vivo. -disse Mattheus abraçando minha cintura

-Já estava preocupada, você dorme muito! -disse em meio de um sorriso -Deve estar com fome.

-Não, eu estou sem fome.

-Então veio fazer oque aqui? -perguntei

-Vim buscar minha namorada, oras! -disse ele sorrindo

-Isso aí! -disse Denise animada

-Boa noite Maria. -disse ele abraçando-a -Boa noite meninas... Agora vamos linda? -perguntou

-Vamos. -disse segurando sua mão

Eu e Mattheus fomos a barraca, e ficamos deitados conversando por um tempo, até porque havia bastante gente do lado de fora conversando também e não daria pra dormir; depois de um tempo só se ouvia grilos cantando, então dormimos.

  Mônica/Sábado/Acampamento

Todos no acampamento já haviam acordado, e eu já estava bem melhor então resolvi aproveitar mais um pouco o acampamento; hoje todos iriam ir em uma Cachoeira bem perto de onde estávamos. Estava bem calor então não faria nada mal; Depois de todos estarem prontos, fomos andando em direção ao local; ao chegar lá nos deparamos com um lugar calmo, onde só se escutava a água descer bem rápido em direção às pedras, o lugar parecia ser bem calmo e ao mesmo tempo bem perigoso, a correnteza estava bem forte então o Diretor/Professor Licurgo, pediu pra tomarmos cuidado.

-Não vai nadar linda? -Perguntou Mattheus

-Não, eu prefiro ficar aqui, tomando um sol...

-Hum sei... eu acho que você está com medo, hein? -disse ele sorrindo

-Mas é claro que não! Eu sei nadar.

-Mentira! -disse Denise se aproximando

-Ai Denise que susto! Mas é claro que eu sei nadar!

-Não sabe não!

-Sei sim, caramba!

-Haha, é ilario ver vocês duas discutindo, mas não se preocupe não linda se você se afogar, eu te salvo. -disse ele rindo junto de Denise

Ficamos conversando por um tempo ali, em cima de uma pedra; e acabamos ouvindo gritos, quando olhamos era Maria se afogando, a garota se debatia e nadava contra a correnteza que a levava, Mattheus não pensou nem duas vezes em ir salva-la, ja que todos estavam com medo por a correnteza estar bem forte. Acabou que não foi eu, que Mattheus precisou salvar... confesso que fiquei preocupada com Mattheus, eu admirava a atitude dele e tentar ajuda-la, enquanto todos não faziam nada, mas acima de tudo ele estava arriscando sua vida por ela... Eu tenho a consciência que ele agiu certo, mas é que... eles se conhecem a tão pouco tempo... ah quer saber, eu não estou me reconhecendo mais, eu nunca deixaria o ciúmes mudar o que eu sinto pelos meus amigos, e Maria é uma amiga, eu nunca deixaria o ciúmes tomar conta disso! Era uma vida que estava em jogo. Mattheus a trouxe em seus braços, para a pedra onde eu e Denise estávamos, a garota estava desacordada, Mattheus a sacodia desesperadamente, mas a mesma não reagia. Ele me olhou com um olhar triste, e ao mesmo tempo como se quisesse fazer alguma coisa, mas não queria que me magoasse, eu já sabia o que era, eu já esperava.... então apenas acenei com a cabeça, afinal era a vida de uma amiga que estava em jogo. Mattheus segurou o queixo da garota, e aproximou sua boca, ele desesperadamente, tentava reanima-la fazendo aquele mesmo movimento, várias vezes; até que Maria acordou, "cuspiu" bastante água que havia em sua boca, e abriu os olhos lentamente ainda um pouco "grogue", abraçou Mattheus bem forte, e sorriu para ele, ela parecia estar realmente muito agradecida. Enfim, depois desse susto, não tinha mais clima para poder ficar ali e também o Licurgo não deixaria, então todos voltaram para o acampamento. Quando anoiteceu, decidimos fazer uma fogueira e ficar conversando um pouco, ali, no meio do "círculo de macarracas". Já fazia um tempo que não via Mattheus, ele não estava lá com a gente.

-Denise você viu o Mattheus? -perguntei

-Não, eu não vi. Mas qualquer coisa eu te falo.

-Ok, Obrigada Denise. -disse pondo as mãos na cabeça

-Olha lá hein, não vai ficar pensando merda fofa.

-Eu não estou Denise, eu estou indo dormir, Boa noite.

Eu realmente não sabia onde Mattheus estava, depois do que aconteceu com Maria nós só conversamos um pouco, e depois não o vi mais, e eu também não vou ficar preocurando-o, eu nunca fui de ser tão ciumenta assim. Estava próxima de minha barraca, quando ouvi a voz de alguém chamando o meu nome, olhei para trás e lá estav Cebola encostado em uma árvore, eu não acreditei no que eu estava vendo, como esse garoto pode ser tão cara é pau assim?

-Ei Mô! Fala comigo.

-Oque você quer em cara? -disse me exaltando -Me deixa em paz, eu não tenho mais nada pra conversar com você!

-Calma Mô! Eu só quero conversar... -disse se aproximando -Quero te ajudar.

-Me ajudar com oque? Você só serve pra me magoar, aliás eu nem sei o que estou fazendo aqui conversando com você!  -disse se afastando

-Mô espera! Eu estou arrependido de tudo oque eu fiz com você, eu mudei! Eu quero te fazer feliz! Larga esse cara ele não te merece!

-Como? Eu não acredito! Como pode ser tão sonso assim?

-Eu estou falando sério! Mônica você é perfeita, sua boca, sua pele, seu corpo! Eu sempre quis ter você só pra mim garota! -Ele disse alisando meu rosto

-Não encosta em mim! Se você fizer alguma coisa comigo, dessa vez eu vou gritar!

-Eu não vou fazer nada com você Mônica! Eu devia ter enchergado antes, nenhuma dessas garotas são melhores que você! Elas não se comparam, você não sabe como eu me arrependo...

-Ah é? Mas na hora de dormir com elas você sabe não é? Você é um babaca Cebola!

-Se eu sou um babaca, esse cara é mais! Ele não te merece!

-Do que está falando? Me polpe, você já causou muito problema pra mim e Mattheus essa semana!

-Para de ser idiota! Você não percebe que esse cara só quer te usar? Vocês já transaram, não é?

-Quem você acha que é pra se meter na minha vida assim? Isso só desrespeita a mim, e a Mattheus.

-Eu sei que já, eu percebo! Nos últimos dias do Colégio, você só fica enjoada, nunca está a sentindo bem. Mônica você pode estar grávida! Grávida desse cara! Ele só quis te levar pra cama, agora que ele já conseguiu oque queria, vai te largar! Será que você não percebe? Agora ele quer fazer a mesma coisa com Maria!

-Oque você está dizendo cara? Você é louco? Por favor vai embora!

-Está bem Mônica, eu vou. Mais acredita em mim, como eu disse é isso, é apenas isso que caras como ele fazem! -disse ele indo embora

Pois é... ele conseguiu mais uma vez me ferir, eu sei que não devo acreditar nele, eu sei que devo confiar em Mattheus, mas falar é fácil, eu sinto uma dor insuportável no peito, sei que isso pode ser verdade... isso foi a primeira coisa que pensei quando o vi, mas quanto mais tempo eu conhecia ele, eu via que ele não era relmente "esse Tipo de pessoa". Eu não deixo as pessoas me manipularem, mas esse cara consegue fazer isso, se a intenção dele foi fazer eu me sentir um lixo ele conseguiu. E mais uma vez as duas metades estavam ali; minha cabeça doia de tantos pensamentos que estavam por lá. O único jeito de eu resolver isso é conversando com Mattheus. Enxuguei minhas lágrimas e saí da barraca, precisava muito conversar com Mattheus; por minha sorte ele estava logo ali.

-Mattheus, vem aqui por favor. -disse com uma voz rouca

-Oi linda. -disse ele se aproximando -Espera, porque seus olhos estão vermelho? -tocando meu rosto

-Mattheus oque exatamente você quer comigo? -eu disse tudo de uma vez bem rápido

-Como assim?

-Por favor não minta pra mim. -lagrimando

-Eu nunca menti pra você Mônica! O que está acontecendo? Me diz por favor, por que está chorando linda?

-Eu não vou mentir pra você... eu confesso que estou com ciúmes, mas isso não me preocupa, eu não quero que você se afaste de Maria. Eu só quero que seja sincero comigo, muito sincero. Eu te amo, como nunca amei ninguém, por favor não me fassa sofrer. -disse soluçando

-Eu nunca vou te fazer sofrer linda... eu so não entendo o motivo do ciúmes, Maria é so uma amiga; eu não entendo o por que isso agora! Me diz porque?

-.....

-Eu não acredito! Foi aquele cara não foi? Caramba como você deixou ele te manipular, colocar coisas na sua cabeça?-disse ele se alterando e chamando a atenção de todos que estavam ali

-Eu jamais deixaria ele mudar oque eu sinto por você! Eu ja te disse isso! Eu so quero que você me entenda merda! Eu estou confusa! -disse lagrimando na frente de todas as pessoas que nos olhavam

-E por que você não pode, confiar em mim? Ja te provei o quanto te amo, oque eu posso fazer agora?

-...Eu preciso de um tempo pra pensar em algumas coisas Mattheus. -disse lagrimando

-De um tempo? Eu não consigo compreender isso! Oque você acha que eu sou hein? Me desculpa se eu não demonstro o suficiente do amor que eu sinto por você! Eu sempre estou me esforçando, pra te fazer feliz pra te fazer sorrir... agora se não foi oque você esperava! Eu não posso fingir ser outra pessoa! Eu sou assim Mônica, tentei ser um pouco mais carinhoso com você porque EU TE AMO, eu nunca fui assim com nenhuma garota! Mas se você duvida do meu amor por você... eu não posso fazer nada... Ou talvez eu possa não é? Posso ser o merda que voce pensa que sou.-Ele disse olhando nos fundo dos meus olhos

Naquele Momento eu via meu amor indo embora, eu via meu amor beijando outra garota, oque eu mais temia naquele momento aconteceu, eu sabia que Mattheus não era exatamente aquele tipo de cara, mas eu sabia também que ele poderia me largar... talvez eu pareça muito burra ao dizer isso, mais eu queria que Mattheus fosse sincero comigo, eu deveria acreditar em suas palavras, eu não deveria duvidar do seu amor... Mais aquelas palavras que Cebola disse entraram na minha cabeça, e nada poderia tiralas. Eu me sentia um lixo, as lágrimas escorriam sem parar dos meu olhos, molhando meu moletom, meu peito não parava de doer, como eu pude ser tão burra? Como eu pude deixa-lo ir?

   


Notas Finais


Se preparem para o drama 💔 até o prox capítulo bye Sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...