História Trust Nobody - Jelena!❤✴ - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Personagens Originais, Selena Gomez
Tags Alfredo Flores, Ashley Benson, Charlie Puth, Chaz Somers, Cris, Demi, Hailey Baldwin, Jelena, Justin Bieber, Ryan Butler, Selena Gomez, Vanessa Hudgens, Zayn Malik
Exibições 84
Palavras 3.541
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nada a declarar desse capítulo!
Só Boa leitura!😚

Capítulo 4 - Children .


Fanfic / Fanfiction Trust Nobody - Jelena!❤✴ - Capítulo 4 - Children .

          Pov's of Selena Gomez. 

Saio às pressas daquele local, passo perto de algumas pessoas , mas nem me importo com os seus olhares. Fico tão distraída que nem me preocupo com mAis  nada e até esqueço de avisar ao Charlie e a Ashley. Quando ponho os pés para fora daquela mansão sinto um grande alívio no meu corpo.  Ando a passos largos, prestando atenção em cada movimento da rua, às vezes a nossa vida é tão corrida que nem temos tempo de reparar o quão Los Angeles é lindo , a cidade em si é outra coisa quando estando iluminada. Às vezes eu me pergunto por que a noite não podia ser mais escura, digo os postes de iluminação apagados, assim teríamos a visão perfeita da batalha das estrelas. Neste momento, estou sozinha , mas ao mesmo tempo acompanhada de meus medíocres pensamentos. Eles são os únicos que falam alto. Por um momento lembro de tudo que me ocorreu como um tudo, as lembranças voltam a aparecer e só cai a ficha quando lembro do rosto de minha mãe.  A essa hora me encontro em uma pracinha qualquer, estava tão distraída com os meus pensamentos que acabei de não dar conta que estou nesse local. Sento- me num banco qualquer e os flashbacks aparecem rapidamente, como se dessem pequenas surras na minha cabeça. 

              FLashbacks...

Saiu do pequeno balcão com Kaitryne , minha coleguinha. Estamos dando altas risadas dos escorregões que recebi só hoje. Despeço me dela e vou a caminho do pequeno esconderijo , que passou a ser o lar meu e da minha mãe.  Ao me aproximar do local, vejo a pior cena da minha vida, o corpo de minha mãe ensanguentado no chão, cortes em todo o braço. Despero, é a única coisa que tomou conta naquele momento. Me aproximo do corpo pálido e gélido de minha mãe. O choro toma conta do meu corpo num todo, saiu do local desesperada, corro o mais rápido possível, tentar pedir ajuda. Meus pézinhos estavam descalços , algumas vezes triscavam em pedrinhas espalhadas pelo o chão e o sol escaldante. Dando um leve desconforto para mim . Mas mesmo assim eu não parava de correr, corria igual uma louca. As lágrimas tomaram conta do meu rosto, a essas horas ele já se encontrava vermelho. A visão ficava embaçada, lágrimas corriam e molhavam o meu pequeno vestido florido.  Corrir sem rumo, até tocar em algo duro, no corpo alto de um homem. Paro imediatamente, meu corpo fica estático. Ele me olha preocupado, eu abaixo o olhar. E minha respiração fica pesada. Ele era alto, com os olhos castanhos escuros, pele clara , trajava um terno , seus cabelos estavam arrumados, parecia que tinha gel nos mesmos.

----- O que uma menina linda está fazendo aqui sozinha e chorando!? --- Ele pergunta compreensível.  Apenas respiro e inspiro. Mas o choro  não cessa. Tento gesticular algo, mas nada nos meus pequenos lábios sai , apenas soluços, por que palavras em si eram invisíveis.

------ É....M- me ajuda, Pu Favo!! --- Grito e finalmente as palavras saem.

------- Claro mocinha, o que precisa!?

-------- Só segui eu, pu favo!! 

      Antes do mesmo dizer algo , pego suas mãos e puxo, tento correr, mas o mesmo demora para entender o recado. Até que ele começa correr, já eu corro muito mais, como que se tivesse batido o espírito do Bolt. Até que finalmente chegamos no local, só que ao chegar lá não encontro nada. Fico desesperada, o choro volta com tudo. O mesmo me olha assustado, mas eu não digo nada. Quando ele ia se aproximando de mim, saio correndo e desta vez sem parar, aparece algumas pessoas, muitos me olham aleatoriamente , outros me olham com um olhar penoso, mas ninguém teve coragem de tocar uma si quer palavra para mim, para eles os olhares já bastavam. Eu só precisava de um abraço sincero, de um "vai ficar tudo bem" ou " Você não está sozinha" . 

Fico muito tempo andando sem rumo, sem destino, eu mesmo sendo pequenina , sabia o que estava ocorrendo e o que iria ocorrer. Ando até cansar, quando estava prestes a sentar em baixo de uma árvore, sinto mãos quentes e protetoras a me envolver num singelo abraço.  Eu mesmo sem entender nada e sabendo de que não podia abraçar estranhos, abracei a mesma sem nem pensar duas vezes . Naquele momento eu estava carente e aquela senhora chegou na hora certa, eu precisava daquilo. Despois daquele dia, eu nunca mais vi o rosto da minha mãe. As lembranças e memórias eram as únicas chaves para essas recordações da minha mãe. 

................ Dias atuais............

Um vento forte se apoderou dos meus cabelos, agora que percebo que o céu estava nublado, com uma cor cinza e bem sem graça. Respiro e tento afastar os pensamentos tristes do falecimento da minha mãe, até agora não sei aonde foi parar o corpo da minha mãe, ele simplesmente sumiu. Hoje não choro mais, acho que já chorei tanto que o estoque que à anos atrás tinha, simplesmente faliu ,pois não choro mais. Já vivenciei algumas coisas, boas e ruins, experiências novas e velhas. Por isso que não tenho para quê temer, nem para onde correr. Não sou rancorosa, sou apenas realista. O mundo hoje em dia está claustrofóbico, quem não sabe dos assuntos da atualidade, da violência e do desrespeito. Só podem estar vivendo numa bolha, já a mim eu estou vivendo numa bolha de neve, a cada vez mais afundando e entalando em algo indescritível,  algo que me puxa igual areia movediça. 

Sinto algo tocar no meu braço, ao tocar na minha blusa o objeto, ouço o barulho de uma bola inflável. Me viro e dou de cara com três loiros, que agora estão me encarando. Levanto- me e vejo que o maior dos loiros,  o homem, estava parecendo nervoso. Já as duas crianças estavam rindo fraco. A menininha era loirinha e muito fofa, era maior que o loirinho menor que também era muito fofo e tinha algo que me parecia familiar. Eles todos estavam bem vestidos, aparentam ter dinheiro e classe. 

Eu gosto de crianças, a inocência delas, a forma de encarar os problemas sorrindo, elas são as únicas pessoas que conseguem me despertar um lado fofo e um sorriso verdadeiro. Quem tem o coração? Quem tem? Cujo o coração é maior!? As crianças . Na minha opinião, acho que nós podemos fazer a diferença. Devemos ser visionários para mudança, somos a geração, me pergunto o quem será o único que irá lutar por ela!? Somos as inspirações para essas crianças , felizmente ou infelizmente. 

Se aproximam de mim, e a menininha logo fala. 

------ Eh, é essa!! --- Ela fala sorridente e eu a encaro confusa. Oi!? Essa não, meu Deus o que será que eu fiz!? 

------ Modos Jazzy, e você nem a conhece. Por tanto, pessa desculpa pela bolada. 

------ Desculpas! --- Ela fala sorridente, retribuo o sorriso genuinamente.

------ Não tem por que. 

------ Você é linda igual uma plincesa! --- o menininho fala e eu sorriu. Awn.. Ele é tão fofo! Só que me parece com alguém, seus rostos , seus traços são muito semelhantes a alguém familiar. Só que não me lembro, não me recordo quem possa ser. 

------ Obrigada, e você é lindo igual um príncipe! --- Falo sorridente, o mesmo cora de vergonha, se afasta e fica atrás do corpo esbelto do homem, pela sua aparência ele não é o pai dessas duas crianças, pelo menos eu acho que não. Ele é alto, tem um corpo esbelto, tem os olhos azuis , pele clara, loiro e possui um sorriso muito bonito. 

------- Você que c minha namolada!? --- Ele fala e eu sorriu. Quando ia falar, a meninina, Jazzy o repreende. 

-------Ja modos! --- Ela fala num tom um pouco sério, mas logo volta a rir. 

------- Jaxon você é muito novinho para pensar nessas coisas. É... senhorita não ligue para os meus irmãos, eles são às vezes inconvenientes. --- Ele fala meio constrangido, apenas assinto. 

------ Não se preocupe, eles são uns amores! --- Falo olhando para os dois loirinhos. 

------ Obrigada, como se chama srt linda!? --- Jazzy, acho que é esse seu nome fala. 

------ Me chamo Selena princesa e você!? 

-----Eh, lena! --- Jaxon fala e eu sorriu.

------ Jazmyn ,mas conhecida como Jazzy. 

------ Você gostaria de ser nossa babá!? ---- Jazzy pergunta na lata e apressadamente, parecendo que tinha que falar logo pois se não depois não teria coragem suficiente. 

------ Jazzy!!! --- O irmão mais velho fala e repreende seu ato, a mesma dá de ombros. A garotinha faz é rir.

. Olhando assim ela me lembra muito, de mim quando pequena, sempre fui geniosa. Sorriu. Aos poucos sinto que as mulheres, não estão sendo submissas aos homens, estão criando sua própria indentidade. Claro, que hoje em dia ainda existe machismo e muito, mas algumas mulheres querem fazer sua própria história nesse mundo. O medo nos faz sermos fracos, a submissão é algo que nos torna brinquedos de algo ou alguém.

------ Você não vai querer que eu chame o Justin, né!? --- O loiro maior fala e ela apenas nega a cabeça, aos poucos cessa a risada. Que estranho, parece que esse tal Justin tem um grande efeito na mesma. Pois a sua feição muda de risonha, para séria. 

------ Jus, jus cadê ele, Jo!? --- Jaxon fala e olha para os lados em busca desse tal Justin riu com sua atitude, esse menininho é muito fofo. 

------ Não adinta procurar, pois ele não está aqui. Além do mais não sei para quê tanta devoção para com o mesmo, sendo que ele nem gosta de vocês. ---- O irmão mais velho fala. 

------ Mentila, mentiloso. O Jus gosta sim!! --- Jaxon fala e desta vez ele fica vermelho, mas não de vergonha de raiva. Pois sua feição muda, como se fosse da água pro vinho. 

------ Não vamos brigar! Andem despeçam da moça e pedem desculpa para ela. --- Ele fala calmo e as crianças se aproximam de mim , logo sem perceber sinto 4 mãozinhas pequenas a me envolver num perfeito abraço. Logo retribuo e sorrio. Depois de 45 segundos se desfazemos do mesmo. 

------ Desculpas! 

------- Destulpas!

------ Você vem sempre aqui!? Nunca te vi nesse parquinho. --- Jazzy fala num tom divertido. Na verdade essa é a 1° que venho nesse local. 

------ Não, na verdade essa é a 1° vez que venho aqui. --- Todos falam um "atá" em uníssono, logo todos incluindo eu sorrimos. 

------- O papo está ótimo, mas precisamos ir Jaxon e Jazzy, Pattie está nos aguardando. 

------- Mas.. já!? Não, vamos ficar mais um pouco . 

------- Jazzy, você prometeu antes de sair de casa que iria me obedecer , então pois bem. Depois a gente volta, afinal vocês já brincaram muito. 

------- Naum, quero ficar com a Lena! --- Jaxon fala emburrado, fazendo beicinho, logo não me contenho e aperto suas bochechas levemente, o mesmo da uma leve corada. 

------- Eu Também, chatonildo. --- Jazzy fala brincalhona encarando o loiro mais velho. O mesmo bufa. Riu com o apelido. 

-------- Eu Também te amo Jazzy! --- O loiro fala brincalhão, ela nega frenéticas vezes com a cabeça e logo rir. 

-------- Agora vamos crianças! Despedem de Selena. --- O loiro fala e eles assentem tristonhos. 

-------- Tchau! 

--------  T-tchau! 

   Balançam as mãozinhas em sinal de 'tchau' , Jazzy joga um beijinho no ar, Jaxon balança frenéticas vezes as suas mãozinhas e pisca os seus olhinhos . O irmão mais velho fala um breve "até  logo" e o Jaxon só para de balançar as mãos quando entra no carro. Sorriu involuntariamente, como seria bom se todos nós fôssemos crianças, alma e aparência de crianças, onde são criaturinhas fofas que desconhecem da maldade. 

           Pov's of Justin Bieber. 

Após ter saído do local aonde eu e a ratinha estava, resolvo ir a procura de Hailey para ir embora. A mesma está sumida, vou a área da piscina e encontro os meus amigos. Ryan, Chaz, Cris, Alfredo, Vanessa minha grande amiga , o insuportável do Zayn e a Anabel irmã do Chaz. 

Conversamos sobre coisas aleatórias até que Anabel toca no assunto da ratinha. 

------ Quem viu a menina caindo no chão e derrubando as taças de drink, que cômico.!? 

------- Certeza que todos viram! --- Cris fala debochado.

-------- Eu vi, mas não foi para tanto, afinal aquela menina não fez de propósito! Larguem de serem maus. --- Vanessa fala e todos riram. 

-------- Vocês viram a Hailey!? --- Falo já impaciente, sinto que irei chegar atrasado no trabalho.  

--------- A carrapato!?  Vi ela no 1° andar com a falsa da Jenner. ---- Vanessa fala debochada e eu sorriu. Vanessa sem dúvidas é uma grande amiga minha. 

--------- Ok, então é isso vagabundos e damas, até mais, o trabalho me espera.

--------- Mas...já capitão!? --- Zayn fala debochado e cínico. Reviro os olhos.

--------- Infelizmente sim, sei que a festa  não será o mesmo sem mim, mas paciência. Pois ao contrário de muitos daqui eu não sou desocupado, pelo contrário eu trabalho.---- Falo e desta vez, quem é cínico sou eu. 

-------- Boaa Jay Bee, vamos procurar a carrapato! ----Vanessa fala e vai me puxando, acho que ninguém daquele rodinha estava bêbado, eu pelo menos bebi duas latas de cerveja e estou sóbrio. Mas a Vanessa estava um pouco , literalmente,  quase tropeçando no seus pés e rindo de qualquer coisa. 

-------- Você está bêbada!? -- Pergunto, mesmo sabendo que é uma pergunta retórica.

-------- Não cretino favorito, estou apenas louca e rindo de qualquer coisa do nada. Por que eu sou louca sabe!?. ---- Ela fala irônica , debochada e logo eu riu. Bem que ela sabe.

Quando estávamos andando e procurando a Hailey, ouço vozes familiares, parece que era da tal Ashley, garota gostosa por sinal e juntamente vindo do garoto, no qual estava perto da ratinha no sinal. Olho para Vanessa e a mesma parece que entendeu o recado, tira seus braços envolta do meu pescoço e me dá um selinho rápido, logo sai rindo e falando algo que não entendi. Vanessa e eu temos uma amizade, que pode ser considerada colorida. Mas não é algo sério, pois somos como irmãos e melhores amigos, ela conta várias coisas para mim e eu para ela. Não que sejamos unha e carne, mas é quase isso. Ela pode fazer o que quiser, mas sempre estar nos momentos mais loucos da minha vida. 

Ouço um pequeno pedaço da conversa de Ashley e o tal garoto. 

------ Você tem certeza que não viu a Selena!? ---- O garoto pergunta e a Ashley balança a cabeça frenéticas vezes em sinal de negativo. Selena deve ser a ratinha. 

------ Não, eu já disse. Ela foi para o andar de cima apedido do Ju... --- Ela fala e logo é interrrompida pela minha presença, causando um choque na mesma. Bingo!!          Como imaginei a ratinha se chama Selena.

------Ashley, minha cara, será que podemos conversar!? --- Falo num tom desafiador e a mesma assenti, abaixa a cabeça, engole a seco e logo depois sai do local deixando o garoto sozinho e com uma cara de pata choca. Adoro pessoas que me obedecem, adoro estar no comando. Na verdade eu sempre estou no comando.

 Vou na frente e ela atrás, paramos num corredor menos movimentado e logo falo. Com um olhar um pouco impaciente. 

------- Será que da para deixar a nossa conversa restrita e o meu nome também. !?Principalmente quando for falar da ra...Selena! Sim senhor ou Sim mestre!?

------- Sim senhor... Bieber! 

-------- Ótimo, cuidado com a sombra! 

Saio e deixo a mesma estática com um olhar amedrontado, não me aguento e sorriu debochado. Vou ao encontro de Hailey. Até que enfim acho a mesma. Até que enfim saímos da mansão. 

No caminho foi tranquilo, Hailey tocou em poucos assuntos, todos bem aleatórios. Falamos a respeito de festas desse mês e só.  Não demorou muito para eu chegar na casa da mesma. Hoje ela como eu tinha a agenda um pouco lotada. A mesma tinha sessões fotográficas e uma intrevista, coisas típicas de modelos. A casa dela tinha o térreo e 1 andar, ela não era uma mansão , mas era bonita,  tinhas cores bem realçadas. Ela despedi de mim , depositando um selinho nos meus lábios e depois sai, fechando a porta e rebolando. Nada a declarar!!

..............Poucos minutos depois........

   Chego na frente de casa , avisto 2 carros super conhecidos por mim, mas um me intriga. É uma Land Rover branca, pelo o que conheço e tenho a certeza é do meu irmão. O John, digamos que nós dois não temos uma boa relação e isso dês de pequenos. Ele sempre foi o quietinho, bonzinho,  estudioso e tímido,  o nerd não notado,  mas aclamado pelos meus pais. Já eu o oposto , o aluno encrenca, chantagista, bagunceiro, ' o do Fundão' nada estudioso, o mais popular e aclamado pelas cheerleaders.

Avisto o Braun e Derek, os meus seguranças mais confiáveis, os mesmos me cumprimentam com toque de manos. Logo depois, bufo e vou a caminho da porta... Se eles estão aqui ou é para me dar uma bronca, ou por pedir algum favor. 

Giro a maçaneta e encontro Domenica sorrindo compreensível, como sempre para mim. Não confio em ninguém, mas Domenica sempre me mostrou ser de muita confiança, pois não é qualquer um que me aguenta. Sou turrão às vezes, meu humor muda como o clima. Ela representa algo que não sei explicar, sempre muito paciente comigo. E sempre fala com um sorriso, trabalha com uma verdadeira disposição e o mais importante não é incoveniente. 

Depois de relance vejo os meus pais, minha mãe me olha espantada. Talvez por perceber, que eu cresci não sou mais aquele menino de antes. 

------- Querido, como você está ótimo e crescido. Não é mais meu menininho! --- Pattie , minha mãe, fala e  levanta do sofá e me envolve num dos seus abraços maternos e pegajosos. Isso ela não mudou. Fico estático. 

-------- Nada como uma boa academia e tempo, que não resolvam. Definitivamente eles fazem milagres. --- John fala debochado, apenas o ignoro. Desfazemos  do abraço caloroso de minha mãe.  

-------- Meus filhos não vão começar. --- Jeremy fala compreensível e eu apenas bufo. 

Olho de relance e vejo o meu mini eu, mais conhecido como Jaxon! Ele logo que ver o meu olhar sobre ele, corre e envolve meu corpo num abraço que ele chama de "abraço de urso". Ficamos grudados por 45 segundos, logo desfazemos o abraço .

------ Jus...TIN!!! --- Jaxon fala estridente e eu sorriu da forma que ele fala. 

------ Ja...XON!! --- Imito e tento soar brincalhão o mesmo rir bobo. O levanto e seguro no alto, balanço e o mesmo rir estridente, logo ponho o mesmo no chão. 

------- Saudades pirallho! ---- Falo brincalhão e logo bagunço suas madeixas ralas e loiras.

-------- Também saudades pirra.io!! --- O mesmo me imita , me puxa , me curvo e fico de joelhos, especificamente do seu tamanho e o mesmo  estica as suas mãos pequenas no meu cabelo e logo bagunça o mesmo, repetindo meu ato anterior. Riu fraco com essa situação. 

Jazzy e meu pai Jeremy riram, mas Pattie e John só me encaram e balançam a cabeça em sinal de repreensão. Bufo e me levanto . Já até sei o por que disso. 

------- Jaxon, meu amor. Não precisa imitar tudo o que o Justin faz. --- Minha mãe fala compreensível e Jaxon rir , e balança a cabeça frenéticas vezes em concordância. 

------- E Justin meu filho, tenha um pouco mais de modos. Da o exemplo aos seus irmãos mais novos. 

------ Sim, senhora D. Pattie. --- Falo cínico e ponho minhas mãos na testa, fazendo continência. 

------- Sim, senhora mamãe Pattie. --- Jaxon fala e faz continência , o mesmo ato que fiz a segundos atrás. Jeremy rir e Pattie também. 

Afasto um pouco de Jaxon e vou mais perto de Jazzy. Ela me olha assustada e logo, fica vermelha. 

--- Oi!? -- Falo breve. 

--- O-oi! 

Antes de mais nada, ela me envolve rapidamente em um abraço, logo se desfaz e a mesma sai correndo, sumindo do local. Ninguém naquele ambiente entende nada, Domenica vai ao encontro da mesma e leva consigo o Jaxon também. Deixando somente os adultos. 

------ Vamos ser francos! O que vocês vieram fazer aqui em Los Angeles!? 

------ Iremos voltar a morar aqui. --- John fala com uma voz de tédio. 

------ Oi!? E o Canadá!? 

----- Ele no momento vai ficar lá, você precisa de nós, você está correndo perigo. ----Pattie fala breve e sua feição muda para tiste. 

----- Dês de quando!? 

----- Dês de agora!! ---- Jeremy fala breve. 

Aonde eles tiraram essa ideia!? Eu correndo perigo!? Que confusão! 

     #Continua!😆


E quanto as crianças!? 

Olhe para todas as crianças que podemos mudar .

E quanto a visão!? 

                   Seja um visionário para a mudança.  

Nós somos a geração. 

Quem será o único a lutar por ela!? 

Somos a inspiração. 

Você acredita o suficiente para morrer por isso!? 

♡♡♡♡

Quem tem o coração!? 

Quem tem!?

Cujo o coração é o maior!? 

Vista- o em sua luva 

Que nós podemos fazer a diferença.

Quem tem o coração!? 

Oh, yeah!

Mestre nosso mozão: Jay Bee!😍😍❤✴💯🎵🎶♔♪♯♬♫

 Music:  Children = Crianças!










Notas Finais


Oii amoras, não revisei o capítulo e pensei milhares de vezes em mandar. Fiz duas vezes, só que deu uns probleminhas. Então foi isso, até amanhã. Nesse capítulo pus uma pitadinha de mistério. Espero que gostem, no próximo terá Jelena!😍
Bjinhos, até loguinho.
Desculpas os errinhos!
Segredos!? Suspense!? Mistério!? Coincidências!
Sel fofa e Jus também!? Esperem só para o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...