História Trust Your Life on Me... (Leo-VIXX) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Hongbin, Hyuk, Ken, Leo, N, Personagens Originais, Ravi
Visualizações 26
Palavras 1.612
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii
To meio chateada pq a fic ta flopando, porém eu vou continuar e terminar ela por que eu simplesmente to amando essa história...seja oq tiver q ser né :,)
Boa leitura <3

Capítulo 4 - My Little Lion - 27.10.07


Fanfic / Fanfiction Trust Your Life on Me... (Leo-VIXX) - Capítulo 4 - My Little Lion - 27.10.07

 

     27 de outubro de 2007

    

     Eu comia um bolinho de arroz na sala de aula, durante o intervalo.

     Eu costumava brisar muito na mesa do professor, que era revestida por uma tinta azul marinho intensa e desgastada – Ari-ssi, está me escutando? – tinha esquecido completamente de minha unnie e do que ela falava – A-R-I-N-A! – ela balançou minha cabeça ao soletrar meu nome.

     - Ah! Desculpa Kyung, eu tava brisando – mordi mais uma vez o bolinho.

     - Ué, isso não é canibalismo? – disse ela, fazendo eu ficar completamente confusa.

     - Canibalismo? – indaguei.

     - Sim...Agora há pouco eu estava dizendo que toda a escola sabe seu apelido, por que o Taek contou pra os amigos dele – naquele momento, eu só pude pensar : “ MERDA!”, acontece que, Taekwoon tinha se mudado para minha escola naquele mesmo ano, porem, antes disso ele era de outra escola, então não tinha ninguém espalhando fofocas ou apelidos sobre mim, mas naquele dia, eu soube que Taek se mudar para minha escola, não foi a melhor ideia de seus pais, pra mim principalmente – Então, você é um bolinho de arroz, né? – ela riu.

      - Sua besta! – dei um soco em seu seio.

      - AWN! ISSO DÓI! VOCE SABE COMO DÓI! – ela fez uma carinha de cachorro mas ignorei. Segundos depois, vi Taek entrar na sala junto a um de seus amigos, meu suposto crush: Kim Wonsik – Ih amiga, alá seu crush – ela piscou.

      - Arina, você não deve comer quem é a da sua espécie – diz Taek, se aproximando e me zoando. Revirei os olhos e continuei a comer – Não me ignore!

      - Aff... – suspirei e cruzei as pernas. Os dois se aproximaram, a medida que Wonsik chegava perto, eu estremecia – Ah...Vai encher o saco de outros, vai! Aqui nem é sua sala!

      - Ih! – disse Wonsik, rindo – Não achei que essa garota fosse tão brava...

      - Ah! N-NÃO É ISSO! É só a presença do Taek, ele vive me irritando – suspirei e logo sorri para o maior.

      - Posso entender, ele faz isso com muita gente, mas no fundo, ele ama a todos – os dois se abraçaram e sorriram – Ele me contou o motivo do seu apelido... – arregalei os olhos. Kyung se aproximou, para escutar melhor. Ela sempre fora extremamente curiosa.

     - Ah, é!? – estremeci mais ainda.

     - Sim, ele me mostrou como foi gordinha aos seis anos – ele riu de mim. No momento, um peso de humilhação caiu sobre mim, e vontade de matar Jung Taekwoon só aumentou – Hey! Isso não é motivo pra um cara não querer ficar com você – Wonsik sussurrou em meu ouvido. Naquele momento eu corei imensamente. Taek nos encarou como se soubesse oque Wonsik falou, apesar de ter falado tão baixo – Enfim...a aula já vai começar...

 

 

    Eles haviam saído da sala, e eu havia criado esperanças de ficar com aquele homem que na época, para mim, era o mais bonito do mundo.

    Depois que a aula acabou, eu voltava pra casa com Taekwoon. O clima entre nós estava tenso, apesar de eu estar feliz, por ter chances com Kim Wonsik – Hm ... – eu sorria de orelha a orelha, segurando a mala com as duas mãos e olhando pra frente, uma verdadeira sonhadora. Olhei para trás e vi aquela figura brava e triste, me encarando, tenso.

    - Oque foi? – ele disse, com seu olhar assustador.

    - N-nada...apenas...Não devia ficar assim, sabe...

    - É minha obrigação ficar assim, caso eu queira – elevou o tom de voz nas ultimas palavras.

    - Não precisa gritar comigo.

    - Eu não estou gritando com você...idiota – grunhiu e deu passos a frente, imediatamente fui atras dele.

    - DO QUE ME CHAMOU!? – puxei ele pelo ombro. O maior revirou os olhos.

    - IDIOTA! – gritou. Seu grito saiu como uma trovoada, pois no mesmo momento, uma chuva forte começou – Merda... – ele olhou para frente e avistou sua casa. Me pegou pelo pulso e nos fez correr até lá.

     Havíamos entrado, encharcados, mas inteiros.

     Taekwoon suspirava enquanto olhava pro chão ao soltar meu pulso – Me desculpe...Eu não devia gritar assim com você...- ele voltou seu olhar pra cima, quando viu minha blusa branca encharcada, em que meu sutiã branco transparecia – AH – ele havia ficado sem palavras, apenas corava intensamente. No momento, eu fiquei paralisada, sem  muita reação, e num gesto de “não sei oque fazer”, eu apenas abri todos os botões da camisa dele – OQUE VOCE..!? – revelei seu abdômen definido e atraente.

      - N-Nós... – eu o encarei nos olhos ao gaguejar – Nós precisamos de um banho... – subi as escadas, ele apenas me seguiu.

      Fui até seu banheiro, aonde liguei o chuveiro – Você vai primeiro? – ele perguntou, espreitando a porta.

      - Não...Nós vamos juntos, igual quando éramos crianças – sorri de canto, um sorriso inocente, que fez o maior sorrir também. Taek começou a se despir antes mesmo de eu notar. Eu não pude evitar olhar. Meus olhos estavam fixados nele enquanto o chuveiro esquentava. Me virei uma vez para checar a temperatura da agua e... ele estava completamente nú. Seu membro estava a mostra, e minha reação foi apenas corar ainda mais.

     - Tá esperando oque? –ele disse, parecendo um pouco envergonhado.

      Eu então comecei a me despir. Sua reação era muito parecida com a minha, porem ele vinha com uma intensidade, mordendo os lábios e observando o movimento de minhas mãos. A ultima peca fora o sutiã, que caiu no chão ao abrir do feixe – Você é linda...Sempre foi... – ele se aproximou e então, beijou minha testa, sorri feliz ao sentir o calor de seu peito. Entramos no box.

    - Você cresceu tanto... desde que nós éramos crianças – falei, pegando o sabonete para usar em suas costas – Eu percebo pelas suas costas, são tão largas agora – ele riu.

    - Achei que ia falar que outro lugar cresceu...

    - Safado! – dei um tapinha em sua bunda e o mesmo riu de novo – Tudo bem...esse lugar também cresceu – ele olhou pra trás com seu olhar convencido.

    - Você também cresceu, Ari – ele se vira e num movimento rápido, me pegou no colo, e me fixou na parede – Por isso mesmo, eu não posso deixar uma garota tão linda parar nas mãos de um cara qualquer – ele sussurrou e fez meu coração acelerar.

     - Então... com quem você acha que eu devia ficar? – sussurro de volta.

     -...- ele corou intensamente- N-Não sei...alguém que eu vá escolher – ele riu e me soltou.

     - Você!? Escolher um namorado pra mim!? Nem ferrando! – peguei o sabonete do chão.

     - Por que não? Vou escolher um cara que beije como eu – ele disse com sua expressão um tanto “inexpressiva”. Ele não disse mais palavras, apenas se aproximou, me fazendo corar mais ainda – Olha...vou te mostrar como é...- com seu dedão, ele puxou e soltou meu lábio inferior, o encarando. Aproximou seus lábios, eu segurei em sua nuca e então, iniciamos um beijo...meu primeiro beijo. Estava tão quente no box, mas o beijo apenas o aqueceu ainda mais. Os lábios de Taek eram intensos ao me tocar e foram se tornando muito tentadores ao descer pelo meu corpo. Eu observava o maior de cabelo castanhos, enquanto acariciava os fios macios.

      Seus beijos se estenderam até o meio de minhas pernas, aonde ele fui sutil e delicado no inicio, beijando minha intimidade e então chupando-a :

      - Ahn! – eu gemia, ainda que baixo, mas o prazer era intenso – Taek...isso é muito bom – mordia os lábios. Pressionei sua cabeça contra minha intimidade e o maior começou a morder meus lábios vaginais, e delicadamente, ele colocou um dedo, que doeu  muito – AH! – ele olhou pra mim assim que gritei:

      - Dói? – ele começou a ser delicado, mais do que já estava. Olhava em meus olhos enquanto penetrava devagar seu dedo, até meu corpo se acostumar, e ele colocar outro. Dessa vez, o segundo dedo não doera tanto. Taek continuou a chupar minha intimidade, e seus dedos chegaram aonde queriam, e então, estimularam meu clitóris. Meus gemidos foram se tornando intensos. Meu corpo estava vulnerável, eu nunca havia me masturbado antes ou até mesmo feito relações com alguém, assim, eu apenas pude sentir que ele fazia um trabalho maravilhoso. Sua língua estava quente e os dedos então começaram a acelerar. Minhas pernas foram se tornando bambas, eu estava próxima do ápice.

     Taek fez movimentos mais rápidos e intensos, não demorou muito para que ele notasse meu momento de ápice, e colocasse sua boca em minha intimidade, assim, meu liquido saiu – AHN! TAEK! – arranhei sua nuca ao sentir minhas pernas molejarem, ele estava lambendo cada parte de minha intimidade, certificando-se de beber todo o líquido, que como eu não esperava, saíra muito.

 

      Depois do banho, Taek percebeu o quão tonta eu estava.

      Me levou coberta pela toalha até a cama de seu quarto, e lá me deitou como se eu fosse um bebe – Prontinho... – ele me soltou e sentou ao meu lado. Eu o encarava com o rosto completamente corado, ao ver minha expressão, o maior sorriu e ajeitou meus cabelos – Que bolinho de arroz fofo! – ele disse, estampando um sorriso em meu rosto – Ari...Não acha que você devia me dar um apelido?

      - Ué... – fiquei olhando pro teto – Por que?

      - Acho que você está no direito, afinal, eu sempre te dei apelidos mas você nunca me deu nenhum – ele bagunçara os cabelos na intensão de seca-los, fazendo seus fios castanhos parecerem uma juba, me fazendo rir de sua face – Ei! Do que está rindo!?

     - Eu já sei...- apertei sua bochecha – Vai ser...Leãozinho.

     - OQUE!? – ele me olhou espantado, eu apenas ri do quão engraçado ele estava.

 

    Naquele dia, Jung Taekwoon fora o primeiro homem a me tocar, acabei me sentindo alguém especial na presença dele, mas assim, eu não pensava que sentia algo...


Notas Finais


"Poxa, Wonsik, pq n me nota!"
Fiquei com a musica na cabeca kkkk
Boa noite gente...adimito q to ficando desmotivada, mas...veremos né kk só Deus sabe ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...