História Tudo está diferente entre nós - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Ash, Finn, Fionna, Hudson Abadder, Marceline, Marshall Lee, Princesa De Fogo, Principe Chiclete, Rainha Gelada
Tags Hora De Aventura
Exibições 19
Palavras 1.480
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


oi meu amores, espero que gostem do cap.

Capítulo 47 - Mãe?


Depois de alguma horas já estava na hora de enterrem o corpo, todos estavam jogando flores no caixão, eu iria recitar um texto que fiz pra ela.

“Sempre foi a mais linda, a mais exuberante e uma das mais belas rosas, por causa de um erro seu brilho se apagou na terra para se acender bem mais forte no céu, sempre ira alegrar os anjos com seu senso de humor maravilhoso e com esse lindo sorriso, não importa quanto tempo se passar você sempre estará em meu coração”. Para meu eterno amor Fionna, desculpe se não lhe disse antes, mas eu te amo.

 Depois de algumas pessoas se despedirem eles a enterraram, não consegui ir até lá ver eles descendo o caixão, fiquei ao lado de Marshall e Marceline lá perto, ela estava bem mal, e eu estava dilacerado, tentei conter o choro mas a dor foi mais forte, lagrimas começaram a escorrer pelo meu rosto, Marceline me vendo naquele estado veio me abraçar, secou minhas lágrimas e disse que estava tudo bem chorar.

~POV MARCELINE~

 Consolei o Alex o Maximo que pude. Já estava na hora de ir embora então entrei no carro com o Marshall, no caminho vi uma garota de cabelos loiros, olhei fixamente para ela parecia muito com a Fionna.

 Marceline: Marshall, amor você viu aquela menina?- Digo o cutucando freneticamente.

Marshall: Que menina Marcy? Não tem nada ali.- Andava bem lento tentando achar a suposta garota.

 Marceline: Nada não amor, acho que estou vendo coisas, só isso.- Peguei na mão dele e sorri.

 Chegamos em casa e fui dormir um pouco, estava muito abalada. Passei a semana inteira mal, já era segunda feira então fui andar um pouco, fui até um parque que tinha lá perto de casa, percebi que estava sendo seguida, virei para trás e não tinha nada, então segui meu caminho, vi uma sombra atrás de uma árvore, era tão parecida com a minha mãe, até me assustei. Acho que estou ficando louca só pode.

Marceline: Acho melhor voltar pra casa.- Digo virando e apressando o passo.

 Sinto uma brisa leve, e um perfume inebriante, ou melhor dois perfumes, entravam em minhas narinas me causando êxtase, pude identificar, eram da minha mãe e o de Fionna, sempre amei o perfume delas, tanto que até agora não saíram da minha mente, era como se elas estivessem ali do meu lado, depois de alguns segundos percebi que estava levitando, então desci afinal não queria que soubessem meu segredo ne. Andei um pouco mais rápido e finalmente cheguei em casa, aquelas duas estavam atormentando minha mente, sinto a falta delas. Subi para meu quarto e tirei a roupa lá mesmo. Comecei a fitar a janela, estava olhando fixamente para a casa da frente, era como se estivesse alguém lá, olhando fixamente para mim. Estava tão concentrada naquilo, era como se nada existisse ao meu redor, até que senti mãos se entrelaçando em minha cintura, era Marshall, que me puxava para mais perto de seu corpo, apenas me virei e lhe dei um selinho.

Marshall: O que você estava fazendo nua na janela meu amor?- Me fitava.

Marceline: Não sei, tinha algo, ou alguém lá, aquilo estava me intrigando.

Marshall: Amor, não tem ninguém lá, aquela casa está abandonada há anos.

Marceline: Não sei, tinha alguém lá, estou certa disso.

Marshall: Bom, pelo que eu to vendo você ia tomar banho ne?.- Apenas confirmei com a cabeça.

Marshall: Então vamos.- Disse me pegando no colo e me levando até o banheiro.

Ele já havia preparado meu banho, me colocou dentro da banheira, e começou a me ensaboar, estava me sentindo como uma criança, eu apenas o fitava , seu cabelo preto que caia em seus olhos, e suas lindas órbes negras como a noite brilhavam, seu belo rosto e sua barba mal feita, poderia ficar olhando para ele o dia inteiro que não iria cansar, mas então ele terminou de me dar banho. Apenas sai da banheira e me sequei, coloquei um pijaminha qualquer e fui me deitar, o dia foi cansativo para nós dois, estávamos acabados. Assim que me deitei, virei pro lado e dormi. Acordei no meio da madrugada com som de passos, me levantei e fui seguir, a pessoa estava indo para o telhado da casa, então eu acompanhei, chegando lá vi uma moça de cabelos negros, compridos e pele pálida, senti o mesmo cheiro que me entorpeceu mais cedo.

Marceline: Mãe?

 

Continua.... 

Depois de alguma horas já estava na hora de enterrem o corpo, todos estavam jogando flores no caixão, eu iria recitar um texto que fiz pra ela.

“Sempre foi a mais linda, a mais exuberante e uma das mais belas rosas, por causa de um erro seu brilho se apagou na terra para se acender bem mais forte no céu, sempre ira alegrar os anjos com seu senso de humor maravilhoso e com esse lindo sorriso, não importa quanto tempo se passar você sempre estará em meu coração”. Para meu eterno amor Fionna, desculpe se não lhe disse antes, mas eu te amo.

 Depois de algumas pessoas se despedirem eles a enterraram, não consegui ir até lá ver eles descendo o caixão, fiquei ao lado de Marshall e Marceline lá perto, ela estava bem mal, e eu estava dilacerado, tentei conter o choro mas a dor foi mais forte, lagrimas começaram a escorrer pelo meu rosto, Marceline me vendo naquele estado veio me abraçar, secou minhas lágrimas e disse que estava tudo bem chorar.

~POV MARCELINE~

 Consolei o Alex o Maximo que pude. Já estava na hora de ir embora então entrei no carro com o Marshall, no caminho vi uma garota de cabelos loiros, olhei fixamente para ela parecia muito com a Fionna.

 Marceline: Marshall, amor você viu aquela menina?- Digo o cutucando freneticamente.

Marshall: Que menina Marcy? Não tem nada ali.- Andava bem lento tentando achar a suposta garota.

 Marceline: Nada não amor, acho que estou vendo coisas, só isso.- Peguei na mão dele e sorri.

 Chegamos em casa e fui dormir um pouco, estava muito abalada. Passei a semana inteira mal, já era segunda feira então fui andar um pouco, fui até um parque que tinha lá perto de casa, percebi que estava sendo seguida, virei para trás e não tinha nada, então segui meu caminho, vi uma sombra atrás de uma árvore, era tão parecida com a minha mãe, até me assustei. Acho que estou ficando louca só pode.

Marceline: Acho melhor voltar pra casa.- Digo virando e apressando o passo.

 Sinto uma brisa leve, e um perfume inebriante, ou melhor dois perfumes, entravam em minhas narinas me causando êxtase, pude identificar, eram da minha mãe e o de Fionna, sempre amei o perfume delas, tanto que até agora não saíram da minha mente, era como se elas estivessem ali do meu lado, depois de alguns segundos percebi que estava levitando, então desci afinal não queria que soubessem meu segredo ne. Andei um pouco mais rápido e finalmente cheguei em casa, aquelas duas estavam atormentando minha mente, sinto a falta delas. Subi para meu quarto e tirei a roupa lá mesmo. Comecei a fitar a janela, estava olhando fixamente para a casa da frente, era como se estivesse alguém lá, olhando fixamente para mim. Estava tão concentrada naquilo, era como se nada existisse ao meu redor, até que senti mãos se entrelaçando em minha cintura, era Marshall, que me puxava para mais perto de seu corpo, apenas me virei e lhe dei um selinho.

Marshall: O que você estava fazendo nua na janela meu amor?- Me fitava.

Marceline: Não sei, tinha algo, ou alguém lá, aquilo estava me intrigando.

Marshall: Amor, não tem ninguém lá, aquela casa está abandonada há anos.

Marceline: Não sei, tinha alguém lá, estou certa disso.

Marshall: Bom, pelo que eu to vendo você ia tomar banho ne?.- Apenas confirmei com a cabeça.

Marshall: Então vamos.- Disse me pegando no colo e me levando até o banheiro.

Ele já havia preparado meu banho, me colocou dentro da banheira, e começou a me ensaboar, estava me sentindo como uma criança, eu apenas o fitava , seu cabelo preto que caia em seus olhos, e suas lindas órbes negras como a noite brilhavam, seu belo rosto e sua barba mal feita, poderia ficar olhando para ele o dia inteiro que não iria cansar, mas então ele terminou de me dar banho. Apenas sai da banheira e me sequei, coloquei um pijaminha qualquer e fui me deitar, o dia foi cansativo para nós dois, estávamos acabados. Assim que me deitei, virei pro lado e dormi. Acordei no meio da madrugada com som de passos, me levantei e fui seguir, a pessoa estava indo para o telhado da casa, então eu acompanhei, chegando lá vi uma moça de cabelos negros, compridos e pele pálida, senti o mesmo cheiro que me entorpeceu mais cedo.

Marceline: Mãe?

 

Continua.... 


Notas Finais


Sim, eu sei que sumi, mas estava bem ocupada desde que minha mãe foi pro hospital, fiquei bem perdida e esqueci totalmente da fic. E pra quem acompanha a outra, amanhã sem falta eu posto cap.
Obriigada por ler, titia nekko ama vocês


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...