História Tudo Me Leva a Você... - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Cana Alberona, Erik (Cobra), Erza Scarlet, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Lucy Heartfilia, Lyon Vastia, Natsu Dragneel, Personagens Originais, Scorpio, Ur, Virgo
Tags Gruvia, Nalu
Visualizações 19
Palavras 887
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom... O capitulo está pequeno para a demora que eu tive, mas por motivos eu não estou conseguindo escrever nem pensar em nada sobre a fanfic. Contudo não posso deixar vocês sem capítulos por muito tempo, então me perdoem se eu demorar muito a postar... Não vou acabar com a fanfic, só irei demorar mais do que o esperado.
Espero que me entendam!
Boa leitura!



OBS. Prestem muita atenção no poema do final, ele será muito importante para a fanfic!

Capítulo 10 - Chave Daqueles Sonhos Trancados....


Fanfic / Fanfiction Tudo Me Leva a Você... - Capítulo 10 - Chave Daqueles Sonhos Trancados....

- Você não deveria ter feito aquilo.

Juvia se pronúncia ela primeira vez depois do ocorrido. Os dois se encontravam sentados em uma mesa de um restaurante voltados para o parque á frente. O tempo começava a fechar, e os poucos raios de sol, meio alaranjados, já estavam sendo encobertos pelas densas nuvens.

Cobra levanta seus grandes olhos castanhos do cardápio que estava em suas mãos. Mostra um pedido ao garçom, que esperava pacientemente a escolha, que sai logo em seguida.

- Hum... Creio que seria mais pertinente que você reformulasse para uma pergunta!

- Não preciso de uma pergunta para saber a resposta da que eu desejo. - Ela argumenta seria o que o faz dar um leve sorriso.

- Então a senhorita está dizendo que meus motivos foram os mesmo que os teus.

- Não estou falando de motivos.

- Sim, está. A partir do momento que você afirma que sabe a resposta então sabe os meus motivos... Pois se você, moçinha, se deixou cortejar pelo rapaz, os meus motivos foram os mesmo que os teus, puro e exclusivamente prazer!

- E quem disse que esse foi o MEU motivo?

- Você! Acho que antes de tudo, uma pergunta deve vim sempre antes de uma afirmação. Perguntas podem doer, mas as respostas vindas são sempre piores. OK?

Ele fala enquanto a olha o encarar, com os olhos frios e azuis. Ela logo os desviam e começa a encarar o movimento das ruas.

- Como está o placar? Um para você e um para mim... Isso está começando a ficar interessante!

***

A porta é aberta vagarosamente fazendo a bela mulher levantar os olhos das planilhas e plantas jogadas no chão.

- Bem-Vindo ao lar!- Ela sorrir gentilmente ao filho que guardava seu casaco. A vê-lo virar e seus olhos tristes se mostrarem, ela se torna aflita- Tudo bem filho?

- Sim, estou bem... Vou para o meu quarto me deitar, só quero dormir.

Ele sobe sem deixar a mãe delimitar as perguntas que seu rosto tanto expressava. Ao abrir a porta de seu quarto, ele encara o desenho que estava estampado na parede de seu quarto.

Ele joga a mochila no chão e segue até a pequena sacada, observa ao lado da sua, o quarto a frente do seu... E a pequena janela, escura, de detalhes peculiares observada pelo mesmo...

O céu estrelado em um dia chuvoso.

Uma flor em uma neve densa.

Seis anos em uma carta.

Uma pintura triste com um aroma de esperança.

Um poema em um campo de girassol.

- Acho que por esse quarto escuro eu não consigo terminar de pinta-la.

A garota pálida, interminável e sem cor era como sua janela sem luz... Sem o brilho eterno que ela tanto admirava!

***

Nossa capacidade de sorrir é tão rápida como a de perdê-la no final de um dia. Palavras são fontes de uma sabedoria plena, mas muitas vezes podem terminar de acabar com um coração solitário.

Isso era o que o jovem garoto de cabelos negros pensava a ver a velha amiga sair de um carro. Ele observa o belo contraste que o negro faz com a palidez da menina. Seus olhos perdidos ao encarar o lar e as mãos tremulas ao atingir a maçaneta, onde os olhos de Gray não podiam chegar.

- Vejo que Erik aproveitou bastante o tempo dele.

O pai exclama ao ouvir o estralar da porta e os passos leves da filha subir as escadas. Ele mantinha os olhos fixos nos papeis mesmo depois da rápida reverência da filha.

- Aproveite essa sua cota de passeios logo ela acabará!

Sua voz é avarenta e mesmo depois da rápida entrada da garota ao quarto. O temor do pai querer descontar sua raiva nela era, quem sabe a tortura-la era enorme, contudo era o medo dele possuir o simples fato de Ter... Ter a chave daqueles sonhos trancados.

Quem sabe essas ações estejam sendo controladas por algo ou por alguém. Talvez os olhos que se encontram em quartos escuros estão interligados por histórias cruzadas e medíocres. E por que não dizer que a noite também é vista por olhos meigos e quem sabe esperançosos.

A uma teoria que gosto muito é que apesar das belezas apresentadas pelas ações e desejos, o seu Outro Eu, espera ser alcançado de qualquer forma. Seu Eu solitários, feliz, triste, morto, bom ou mau, ele só espera ser alcançado. E talvez alguém esteja delimitando isso, e esse alguém continua sendo o escritor dessas histórias... Simplesmente Você.

Apesar de histórias escondias em duas famílias próximas mas ao mesmo tempo tão distantes e secretas, estão indo para caminhos interligados. Histórias perdidas, perguntas sem resposta, pessoas escondidas em lembranças em um quarto dos sonhos.

Mas é claro, não podemos esquecer que para cada sonho que conquistaremos uma pergunta deve sempre vim antes!
 

 

 

- Tudo calmo senhor. Acho que com a chuva e o frio próximo, as pequenas lembranças de Abril podem começar. Ainda ficarei de olho alguns minutos, ninguém realmente nos verá...  Só precisaremos do poema!

 

 

"Nesta profunda solidão e terrível cela,
Onde a contemplação celestial do pensamento habita,
E sempre reina a meditação melancólica;
Que significa esta agitação nas veias de uma virgem?
Por que meus pensamentos se aventuram além do último retiro?
Por que sente meu coração este amplo e esquecido calor?...”

 


Notas Finais


Então é isso... Espero que tenham realmente gostado!
Até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...