História Tudo o que quero de Natal - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Personagens Originais, Shaka de Virgem
Exibições 70
Palavras 1.087
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Comédia

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Meu presente de amigo secreto para a Aisha!!!
Espero que goste flor ^^
Capa feita pela @Lisle

Capítulo 1 - Capítulo Único


 

Shaka deu um longo suspiro enquanto andava pelas ruas de Rodório, o clima natalino reinava na cidade, afinal faltavam apenas dois dias para o Natal e para a sua infelicidade ele ainda não havia comprado seu presente de amigo secreto e, para piorar, não tinha a menor idéia do que comprar.

Por diversas vezes o indiano questionou a si mesmo o porquê dele ter aceitado participar desse bendito Natal, mas Mu o convenceu com sua lábia diabólica e daí pra frente tudo desandou. Ele pensava apenas que era só comer e beber, mas não, tinham que trocar presentes também e, Shaka tinha a certeza que pela obra de Hades, sugeriram uma brincadeira, um tal de amigo secreto. Então arranjaram papel, caneta e uma sacola e pronto, seu precioso nome fazia parte da brincadeira do inferno. Um por um os cavaleiros foram tirando um papel de lá, Aiolia teve que devolver, pois tirou seu próprio nome e começou tudo de novo até que acabou Shaka ficou sem saber o que fazer porque tirou Máscara da Morte e não sabia nem o nome dele quiçá o que o italiano gostava.

Instintivamente ele passou a mão no bolso da calça se perguntando o que daria para o italiano, enquanto caminhava pelas ruas da cidade passou por um monte de lojas e já estava cansado disso, até que avistou uma pequena loja que lhe chamou sua atenção, não por ser vistosa, mas sim pelo absurdo e preciso nome de “Loja de quinquilharias e objetos avulsos da senhorita Aisha”, sendo assim ele entrou.

- Posso ajudá-lo, senhor?

Shaka se surpreendeu com a voz de uma mulher vinda ao seu lado, porque ao entrar ele ficou avaliando o local e tinha gostado do que via, havia várias coisas ali dentro que lhe despertara o interesse, inclusive o cheiro de incenso de canela.

- Ah sim, obrigado! - respondeu com um sorriso. - Estou procurando por alguma coisa.

- Algo específico? - a moça perguntou.

- Não, na verdade nem eu sei bem o que estou procurando - Shaka respondeu meio sem graça. - Não é estranho isso? 

Por um momento o sorriso de Aisha vacilou, mas logo se recompôs.

“É, já vi que esse cara vai dar trabalho,” pensou ela. 

- Eu entendo, mas temos muitas coisas por aqui e tenho certeza que vai encontrar algo para você - voltou a dizer a moça  emendado um sorriso.

- Hum, na verdade não é para mim - Shaka deu de ombros, passando os olhos pela loja. - É pra meu amigo secreto, sabe?

- Sei - Aisha respondeu compreensiva. - Sempre é difícil presentear alguém nessas brincadeiras - ela disse balançando a cabeça. - A gente nunca sabe que pessoa vai tirar e se a conhece direito.

- Exatamente!

- Mas me diga como ele é, assim o jeito, pra ajudar você a presentear seu amigo.

Shaka olhou para a mulher na sua frente, parecendo bastante confiante, e pensou no que poderia dizer. E tinha que pensar mesmo, porque ele não revelaria que seu amigo secreto até certo tempo era um sádico psicopata decapitador de pobres pessoas que cruzavam seu caminho, ou que ele possuía uma certa intimidade com os mortos. No mínimo ela acharia que ele também era maluco e sabe-se lá o que ela poderia fazer.

- Ele é difícil - disse Shaka, que por um momento pensou ter visto um brilho assassino passar pelos olhos dela, mas descartou esse pensamento, afinal ela estava sendo muito simpática. 

- Ok- Aisha respondeu contendo a vontade de gritar. - É um homem quem você tirou, certo? - Shaka balançou a cabeça confirmando.- Mais novo ou mais velho? - ela quis saber. 

O indiano franziu o cenho pensativo.

- Ele deve ter entre 25 e 30 - respondeu por fim, embora não fizesse a mínima ideia qual era a idade de Máscara da Morte.

- Hum, e como ele é?

“Um cretino filho da puta,” pensou Shaka.

- Ele é legal - decidiu por dizer isso

Aisha contou até dez mentalmente.

- Legal, isso é bom - falou com um sorriso amarelo. -  Ele gosta de viajar ou de aventuras?
 

 “Só se for no inferno,” pensou ele.

- Não que eu saiba - o loiro deu de ombros 

- Certo.

Aisha já estava perdendo um pouco da paciência.

- Mas você sabe pelo menos alguma coisa que ele gosta de fazer? 

“Matar pessoas,” novamente em pensamento ele respondia o que sabia de Máscara da Morte.

- Comer - respondeu depois de um tempo. - Ele gosta de comer.

Aisha puxou o ar com força, inalando o cheiro de incenso.

- Olhe, senhor …? - começou ela. 

- Shaka, meu nome é Shaka.

- Senhor Shaka, você precisa me ajudar para que eu possa te ajudar, concorda?

Ele balançou a cabeça.

- Então me ajude! 

- Mas eu não sei nada sobre ele! - protestou.

Aisha se apoiou em uma das prateleiras.

- Vamos fazer o seguinte, eu vou lhe mostrar alguns objetos masculinos e o senhor me diz qual mais combina com ele, tá bom? - Ele concordou.

- Ótimo!

Em seguida Aisha caminhou pela loja sendo acompanhada por ele, logo teve uma idéia para o presente.

- Ei, qual o nome de seu amigo, poderíamos gravar … 

Então Aisha parou, vendo os olhos arregalados de Shaka.

- Você não sabe nem o nome dele? - perguntou descrente.

- Entenda, é que … 

- Fora daqui!

- Mas … 

- Fora daqui! Seu louco!

Aisha correu pelo corredor alcançando a porta e abrindo-a, segurando a maçaneta com toda a força. Shaka ficou chocado, nunca fora tratado assim em toda a sua vida, quiçá expulso.

- Não deveria tratar seus clientes assim - ele disse indignado, já parando na porta. - Tenho certeza que a senhorita Aisha não ficaria nada satisfeita.

- Eu sou a Senhorita Aisha! - gritou a mulher, vermelha feito um tomate. - Rua! 

E Shaka se viu empurrado porta a fora por ela meio surpreso com o acontecido, virou rápido, mas deu de cara com Aisha trancando a porta e se embrenhando loja adentro.

- Maldição! Maldição!

Por que tinha que ser com ele? Se ele tivesse tirado Mu, Aiolia ou até mesmo Milo, seria mais fácil, mas não, ele tirou Máscara da Morte, o italiano que só sabia fumar e atentar o espírito do outro. Ainda parado na frente da loja, Shaka passou uma das mãos pela franja decidindo voltar no outro dia. Compraria uma cigarreira pra seu amigo secreto.  



Fim.


Notas Finais


Hehehe


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...