História Tudo o que você é - 2 temporada - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias 30 Seconds to Mars, Cara Delevingne, Esquadrão Suicida, Jared Leto, Margot Robbie
Personagens Cara Delevingne, Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina), Jared Leto, Margot Robbie, Shannon Leto, Tomo Milicevic
Tags Arlequina, Cara, Coringa, Delevingne, Harley, Jared, Jargot, Joker, Leto, Margot, Quinn, Robbie, Shannon
Visualizações 115
Palavras 1.870
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi meus amores!
Gente.. não sei o que anda acontecendo comigo, to super inspirada esses dias e milagrosamente com tempo pra escrever e postar sem muita demora. Se no capítulo anterior algumas de vocês já vomitaram uns coraçõeszinhos com a reconciliação entre Jared e Margot, nesse então, vão ter um leve derrame, assim como eu tive escrevendo hehehe Mas infelizmente nem tudo são flores e vem tretas malignas por aí. Mas por enquanto, aproveitemos o paraíso Jargot :D

Lembrando que seus adoráveis comentários são meu eterno combustível motivacional. ❤

Capítulo 12 - Meu Norte


Fanfic / Fanfiction Tudo o que você é - 2 temporada - Capítulo 12 - Meu Norte

POV Margot

Vou lentamente abrindo os olhos ao escutar uma musiquinha vindo do meu celular no criado mudo ao meu lado da cama. Ainda com os olhos meio cerrados, estico os braços e desligo o despertador. São 6:30hs. Apesar de ter tido uma boa noite de sono, ainda estou cansada devido às crises de choro e estresses do dia anterior pela briga com Jared. Dou graças a Deus que nos resolvemos e junto coragem para sair da cama e tomar um banho. Tenho uma reunião com o diretor e a produtora do meu próximo filme e não posso me atrasar.

Vou ao banheiro, tomo um banho quente, faço minhas higienes pessoais e preparo um café da manhã reforçado. Enquanto como no balcão de minha cozinha, fico pensando em Jared e na conversa que tivemos sobre confiança. Precisávamos urgente confiar um no outro, senão como eu já havia dito a ele, nosso namoro já era. Tenho que me controlar, principalmente se aquela vaca da Halsey ficar na mesma cidade que ele nessa próxima turnê. Essa possibilidade não saia da minha cabeça. Talvez eles se trombassem em outros eventos também, afinal ambos são músicos. Merda!

Eu sabia que ele havia ficado com várias garotas, muitas delas famosas, mas aquela Halsey eu nunca engoli, desde o primeiro dia. O fato dela ter ido atrás dele no camarim só confirmou minhas suspeitas de que tenho que tomar cuidado com ela.

Antes de escovar os dentes, mandei um bom dia pra Jared e um áudio pra Cara explicando tudo rapidamente sobre como eu e Jared havíamos nos resolvido noite passada. Eu não escondia nada dela, pelo contrário, ela é meu diário ambulante. Aproveitei e já a agradeci pela mãozinha que ela deu mandando mensagem pro Shannon com a intenção de me ajudar.

Como não me aguento, fiz questão também de falar sobre o fato do meu cunhado estar afim dela, mas que está apenas se fazendo de difícil. Já conseguia imaginar Cara com os olhos arregalados soltando seus 700 palavrões e fazendo aquela expressão de “vou me vingar” dela. Eu sentia que essa história não acabaria tão cedo e no fundo eu estava me divertindo com tudo, Cara e Shannon me lembravam eu e Jared no início de tudo: super enrolados, confusos, querendo um ao outro, mas cismando em negar e disfarçar. Foi tudo tão emocionante que relembrar esses momentos faz com que eu esboce um sorriso automaticamente todas as vezes.

Penteei os cabelos, coloquei um terninho preto básico, salto alto, maquiagem e sai de casa. A reunião começava as 8hs, olhei no relógio ao entrar no meu carro e eram 7:35hs. Como seria em Los Angeles mesmo e minha casa não ficava longe, daria tempo certinho. Minha esperança era terminar a tempo de eu conseguir ver Jared no aeroporto. Não me conformava de termos perdido nosso dia juntos. Como era difícil essa vida de relacionamento a distância, agora eu só o veria em umas três semanas.

Enquanto eu dirigia até o local da reunião, pensei novamente naquela solução de eu e Jared morarmos juntos ou até mesmo casarmos. Seria perfeito, diminuiríamos nossos compromissos profissionais (especialmente ele que faz de tudo um pouco) e teríamos muito mais tempo pra ficarmos um com o outro. Sorri sozinha ao imaginar nós dois morando na mesma casa e eu acordando e adormecendo ao seu lado todo dia. Mas meu sorriso se desfez ao lembrar que ele fugiu do assunto na noite da balada e que sequer tocou nele quando foi em casa. Fiquei desanimada novamente. Aquilo ainda era um desejo meu e sinto que ele ignorou e se fez de louco, como se nada tivesse sido dito. Mas depois de todo aquele rolo de ontem, acho melhor não tocar mais no assunto. Agora que finalmente fizemos as pazes, não quero trazer esse assunto à tona e ocorrer o risco de brigarmos ou eu ficar triste de novo. Seria isso, não tocaria mais nessa questão, pelo menos não tão cedo. Vou deixar as coisas esfriarem e ver no que dá.

Em 15 minutos chego ao prédio no centro de L.A. Subo as escadas e encontro a produtora do meu novo filme, Jéssica. Era uma moça de uns 30 e poucos anos, muito simpática, de óculos e cabelos escuros até os ombros. Já havia encontrado brevemente com ela algumas vezes, mas somente hoje realmente iríamos sentar e conversar de verdade.

- Oi querida, bom dia! – ela me cumprimenta com um sorriso e um beijo no rosto.

- Bom dia. E o diretor? Estou atrasada? – pergunto a cumprimentando também com um sorriso.

- Imagina, Margot, está bem no horário. Jack ainda não chegou, mas me avisou que já está a caminho. Vamos nos sentar. – disse ela me apontando uma cadeira.

Após uns 10 minutos, Jack, meu novo diretor chega e enfim começamos a reunião. Eu ainda não o conhecia, era um cara alto, por volta dos 40 e poucos anos, usava um terno cinza, tinha cabelos curtos castanhos escuros e barba, até que bem apresentável. Devo dizer que não me senti muito bem logo que nos cumprimentamos, ele tinha alguma coisa estranha, alguma malícia no olhar, como se estivesse escondendo alguma coisa, não sei explicar, ou talvez seja coisa de minha cabeça.

A reunião correu bem, apesar do tempo todo eu achar Jack muito esquisito comigo. Já eram 11:15hs e eu discretamente olhei no relógio apreensiva, com medo de não ter tempo de ver Jared no aeroporto.

- Algum problema, senhorita Robbie? – perguntou Jack ao me ver olhar o relógio.

- Oi? Não, não, nenhum.

- Está com pressa? Tem algum compromisso?

- Não, não. Bem, na verdade sim, mas tudo bem, por favor, continue. – digo sem graça. Não queria parecer mal educada.

- Jack, podemos fazer uma pausa, certo? – disse Jéssica – Estamos aqui há mais de 3hs. Acho que já resolvemos bastante coisa a respeito do filme, só faltam os detalhes mesmo. E daqui a pouco é hora do almoço. Que tal voltarmos a conversar amanhã? Seria possível, Margot?

- Claro! Por mim sem problemas. – digo respirando aliviada e dando graças a deus que Jéssica quis dar a reunião por encerrada.

- Ok, amanhã podemos acertar os detalhes e assinar os contratos então. Aproveitamos e apresento você para o resto da equipe. – disse Jack.

Marcamos o novo encontro para o dia seguinte às 14hs. Me despedi dos dois com um abraço em Jéssica e apenas um aperto de mão em Jack. Desci as escadas e literalmente corri em direção ao meu carro. Olhei no relógio novamente e eram 11:25hs.

- Merda! – disse em voz alta batendo a porta do carro e colocando a chave no contato.

Eu tinha exatos 20 minutos pra chegar ao aeroporto. Pisei fundo e a cada semáforo parado meu coração acelerava de ansiedade. Olhei meu celular e vi que Jared respondeu meu bom dia e disse que estava torcendo pra que eu conseguisse vê-lo. Mandei mensagem dizendo que estava quase chegando.

Após muito custo e vários sinais fechados, cheguei ao aeroporto. Ele, Tommo, Shannon e mais o resto dos músicos e a equipe que organizava os shows deles iria pegar um avião particular. Jared me falou onde estaria e eu fiquei que nem louca procurando-o. Finalmente o avistei na parte mais distante do aeroporto quando ele esticou os braços para que eu pudesse vê-lo. Fui na direção dele e ele também veio na minha.

- Jared! Ufa.. consegui ver você a tempo – disse ofegante segurando levemente em seus braços.

- Pra variar, tudo na nossa vida é assim de última hora, como você disse, não é? Até quando, senhor?  - ele sorriu olhando pros céus e aquele sorriso fez todo o esforço valer a pena.

- E como foi a reunião? – ele pergunta segurando minha mão.

- Foi tudo bem, mas tivemos que remarcar outra pra amanhã pra acertamos os últimos detalhes.

- Espero que você não tenha tido que sair de lá as pressas pra vir aqui, nossa Margot, se te atrapalhei, desculpa mesmo, eu..

- Jared, claro que não. Sai de lá as pressas mesmo, mas está tudo bem, já estávamos exaustos, tanto a produtora como o diretor concordaram em continuarmos amanhã.

- Ah, então tudo bem. Cara, falar dessas reuniões me lembra quando iniciamos em Esquadrão Suicida! Que saudades da turma, do David, das piadas do Will.. – disse ele sorrindo nostálgico – Lembro da sensação de quando te vi pela primeira vez.. Uau! Parece surreal até hoje, sabia? A mulher mais linda que já vi. – ele acariciou meu rosto.

- Ai Jared, você sabe como me deixar totalmente boba por você, não é? – digo levemente corada e com um sorriso de orelha a orelha  – Mas foi mesmo a melhor época. Eu estava hoje mesmo lembrando quando..

- Heyy!! Romeu, estamos partindo!! – gritou Shannon de longe, perto da enorme porta de vidro que dava lá pra fora onde o pequeno jato estava a espera – Até mais, Harley Quinn, se cuida! – ele disse acenando pra mim com um sorriso.

Não aguento Shannon me chamando de Harley Quinn. Acho que ele esquece que na vida real sou Margot. Aceno de volta e volto a olhar pra Jared que no mesmo segundo já está com as duas mãos no meu rosto e selando seus lábios nos meus, me pegando de surpresa. Fecho os olhos instintivamente, seguro seu rosto e me entrego aquele beijo apaixonado, sentindo cada pedaço de sua língua e seus lábios passeando pela minha boca numa perfeita sincronia.

O beijo dura apenas alguns segundos e infelizmente chega ao fim com um selinho. Abrimos os olhos, estamos a poucos centímetros de distância, nossos rostos continuam praticamente colados. Ele me olha tão profundamente com aqueles olhos azuis lindos e intensos que sinto até arrepios.

- Sinto muito termos perdido o dia de ontem, minha linda. – ele diz enquanto acaricia meus cabelos.

- Tudo bem, também colaborei de certa forma praquilo ter acontecido – digo meio chateada relembrando o que houve.

- Isso é pra você. – Jared tira do pescoço um cordão cujo pingente é uma rosa dos ventos, indicando as direções. Ele o coloca em meu pescoço, me fazendo usá-lo – Isso é pra você se lembrar que não importa onde eu esteja. Perto ou longe .. você sempre será meu Norte.. e eu sempre voltarei pra você.

Meus olhos enchem de lágrimas. Aquilo foi uma das coisas mais lindas que ele já me disse. Seguro o pingente e volto a olhar pra ele estampando um sorriso no rosto, sentindo que aquelas lágrimas estão prestes a cair de meus olhos.

- Te amo! – digo lhe dando um abraço demorado e apertado – Se cuida, por favor.

- Obrigado, meu amor. Também te amo. Te aviso quando chegarmos. – ele diz retribuindo ao abraço, sinto seu corpo quente contra o meu e suas mãos me apertando e alisando minhas costas. Minha vontade era ficar ali pra sempre.

Jared beija minha mão como o lorde que é e vai em direção ao jatinho do lado de fora. Eu o olho se distanciar, sentindo as lágrimas finalmente escorrerem de meu rosto, mas ao mesmo tempo sorrio e seguro o pingente com força dentro de minha mão direita. Aceno antes dele entrar no avião e vejo o mesmo decolar alguns segundos depois, perdendo-se entre as nuvens.


Notas Finais


Como é difícil expressar exatamente minhas emoções por aqui, deixo um gif que me representa totalmente nesse momento. Gif é vida, gente! E eu sou só a Adele depois desse capítulo: http://media0.giphy.com/media/oiH8n9eNzfSHC/giphy.gif

Super beijo, lindonas! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...