História Tudo por Amor - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Ashley Marin, Emily Fields, Ezra Fitzgerald, Hanna Marin, Jason Dilaurentis, Jessica DiLaurentis, Lucas Gottesman, Noel Kahn, Pam Fields, Spencer Hastings, Toby Cavanaugh, Wayne Fields, Wren Kingston
Tags Fanfic Emison
Exibições 187
Palavras 2.989
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi amores...cheguei! E bora ao capitulo!

Capítulo 50 - Tensão


Fanfic / Fanfiction Tudo por Amor - Capítulo 50 - Tensão

POV EMILY:

 

XX: Não! Eu não estou enganada. Ele já foi sim, o pai dele veio buscá-lo.

Alison: MEU DEUS! ISSO NÃO PODE ESTÁ ACONTECENDO!

Emily: EU NÃO ACREDITO NISSO! EU VOU MATAR O TOBY!

   Assim que a mulher na nossa frente afirmou com toda certeza que o “pai” do Edward veio buscá-lo, meu coração se dilacerou no mesmo momento e o ódio que eu sinto do Toby me fez perder completamente a razão, pois movida apenas pelo desespero e sem conseguir raciocinar, segurei na gola da blusa da mulher totalmente desesperada e falei.

Emily: COMO QUE VOCÊ DEIXA O NOSSO FILHO SAIR AO LADO DE UM HOMEM QUE NUNCA VEIO AQUI BUSCÁ-LO ANTES? E PIOR DE TUDO, UM HOMEM FORAGIDO DA POLICIA, UM DOENTE, UM PSICOPATA, UM DEMÔNIO!

   A mulher olhava para mim com os olhos assustados, demonstrando uma expressão de puro desespero, até que a Ali segurou em meu braço e me pediu que eu tentasse me controlar. Então eu olhei para ela e em seguida ao meu redor, vendo algumas crianças e alguns pais observando a cena que eu fiz movida pelo meu desespero e imediatamente eu soltei a mulher enquanto ela ainda me olhava assustada e arrumava a gola da blusa. Logo depois eu respirei fundo na tentativa de me controlar, mas cada vez que eu pensava que o nosso menino está nas mãos daquele doente, as lágrimas desciam dos meus olhos e com a Ali também não era diferente, pois ela chorava sem parar, mas parecia está um pouco mais calma que eu e percebendo que eu não teria condições de manter um diálogo civilizado com a mulher, ela toma a iniciativa.

Alison: Me desculpe o nosso desespero, mas aquele homem que levou o nosso filho é muito perigoso e nós temos muito medo do que ele pode fazer com o nosso menino.

   A mulher ainda olhava assustada para a Ali e parecendo entender a gravidade da situação depois que a Ali falou de um jeito levemente calmo, ela demonstrou uma preocupação nas suas expressões e visivelmente nervosa respondeu.

XX: E...E...Eu não sabia!

Alison: Mas como você liberou o Ed para um estranho dizendo que era o pai dele?

XX: Po...Por...Porque não fui eu quem liberou ele.

Alison: Então quem foi?

XX: Foi a professora novata que fica aqui comigo. Eu tive que sair por um instante para ir no banheiro e ela ficou sozinha por alguns segundos, mas eu jamais poderia imaginar que algo assim pudesse acontecer, por favor, me perdoem.

Emily: Onde está essa outra mulher?

XX: Eu vou chamá-la!

   Enquanto ela saiu para chamar a outra mulher a Ali olhou para mim com os olhos vermelhos de chorar, me abraçou forte e falou.

Alison: O que vamos fazer Em? Eu estou com tanto medo!

Emily: Eu sei meu amor! Eu também estou morrendo de medo, mas eu te prometo que eu vou achar o nosso menino e eu juro por tudo que é mais sagrado que eu não vou deixar o Toby fazer nada com ele. Confia em mim!

Alison: A gente tem que ligar para a policia.

Emily: Eu acho melhor ligarmos para a Hanna primeiro, pois ela vai saber como nos orientar, afinal o Toby pode querer entrar em contato com a gente e com certeza ele não vai querer a policia envolvida nisso.

Alison: Então eu vou ligar para a Hanna.

Emily: Eu não queria ter que estragar a lua de mel delas, mas é um caso extremamente urgente.

Alison: Elas vão entender.

   Assim que a Ali acaba de falar, as duas mulheres aparecem na nossa frente e a que não estava aqui antes, tem uma expressão de pavor e já chega falando.

XY: M...Me perdoem! El...Ele chegou aqui acompanhado de uma mulher morena, ele tinha barba e cabelos grandes e disse que tinha acabado de chegar de viagem com a esposa e que veio direto visitar o filho, pois estava morrendo de saudade dele e disse que já havia falado com vocês e que vocês haviam liberado que ele viesse buscar o Edward. No começo eu achei estranho e não quis liberá-lo porque o garoto ficou um pouco assustado quando o viu e até chorou, mas o tal homem disse que isso era porque a fisionomia dele estava um pouco diferente do que o Edward era acostumado a ver e que logo o garoto ia perceber que ele é seu pai, ele também me mostrou o registro de nascimento do Edward e o documento de identificação dele para que eu tivesse certeza de que ele é realmente o pai do Edward e ainda ameaçou me processar se eu não liberasse o menino e eu acabei acreditando na história dele, mas eu juro que não fazia ideia de nada disso, por favor, me perdoem eu posso ajudar no que vocês precisarem, posso ir na policia com vocês, faço o que vocês quiserem.

   No momento que ela falou que o Edward chorou quando viu o Toby, meu coração se despedaçou ainda mais no mesmo instante que as lágrimas desceram dos meus olhos por pensar em como o nosso filho deve está apavorado. A Ali olhou para mim com o rosto coberto por lágrimas também e eu a abracei forte enquanto repetia para ela que nós vamos encontrar o nosso menino. Logo depois eu voltei a olhar para a mulher que nos contou como o Toby conseguiu levar o Edward e em seguida falei.

Emily: Você viu se ele estava de carro? E se sim, qual a cor do carro? Modelo? Pra que lado ele foi? Como era exatamente essa mulher que estava com ele?

XY: Eu não tive como ver essas coisas porque estavam chegando outros pais para buscar seus filhos e eu acabei voltando minha atenção para as outras crianças.

   Respirei fundo enquanto pensava no que fazer agora e a Ali logo diz que vai ligar para a Hanna, então enquanto ela liga para a irmã dela, eu pego o nome, endereço e número de telefone da mulher, pois não sei como, mas ela pode ser útil para policia ou até mesmo para a Hanna.

   Em seguida vou saindo indo de encontro a Ali que tinha se afastado um pouco para poder ligar para a Hanna, quando me vem uma lembrança na mente de algo que a Samara nos contou no dia que foi na casa dos meus pais para falar das armações do Toby, então eu volto até a mulher e falo.

Emily: Por acaso essa tal mulher que veio junto com o demônio do Toby buscar o Edward tem mais ou menos a minha altura?

XY: Sim!

Emily: Olhos escuros? Cabelos longos? E lábios carnudos?

XY: Exatamente isso!

Emily: Eu sabia!

XY: Você a conhece?

Emily: Sim! Mas agora ela vai se arrepender de ter me conhecido um dia.

   Eu fui saindo apressadamente indo em direção a Ali e antes que ela pudesse me dizer algo, eu olhei para ela e falei.

Emily: Eu sei quem foi a mulher que veio com o Toby.

Alison: Sabe? Quem é?

Emily: A filha da puta da Sydney.

Alison: Claro! Naquele dia a Samara falou que ela era apaixonada pelo Toby e que era capaz de fazer qualquer coisa por ele.

Emily: Isso mesmo! Nós vamos na casa dela agora e ela vai ter que me dizer onde o Toby está com o nosso filho porque caso contrário eu vou desfigurar aquela cara dela.

 

 

POV ALISON:

 

   A Em dirigia em alta velocidade demonstrando todo seu nervosismo e eu a entendia perfeitamente, pois a cada minuto que passava o meu desespero aumentava um pouco mais. Enquanto ela corria com o carro eu contava que a Hanna ficou muito preocupada com a noticia que eu lhe dei e que ela e a Spencer vão tentar voltar ainda hoje e que se tudo der certo, elas devem está de volta na madrugada.

   Depois de alguns minutos que mesmo com a Emily em alta velocidade pareceram horas, finalmente chegamos a casa da Sydney, então saímos do carro apressadamente quase correndo e em seguida começamos a bater na porta da casa dela enquanto a Em e eu gritamos o nome dela sem obter nenhuma resposta, pois a porta continua fechada, mas continuamos insistindo, até que a Em olha para mim e fala.

Emily: Ela não está em casa.

Alison: Ela com certeza está com ele.

Emily: Você tem razão! Foi burrice achar que iríamos encontrá-la aqui.

Alison: E agora Em? O que vamos fazer pra encontrar o nosso filho?

   As lágrimas voltam a escorrer dos meus olhos, assim como também descem dos olhos dela e mais uma vez ela me abraça forte e diz.

Emily: Eu não sei o que fazer agora, mas nós vamos encontrar um jeito.

   Logo depois voltamos para o carro com a tristeza estampada em nossas faces e decidimos ir para a casa dos meus pais e enquanto ela dirigi até lá, eu fico encarregada de ligar para os pais dela para que eles possam nos encontrar lá, pois nesse momento tudo que precisamos é do apoio total da nossa família.

   Depois de dirigir por alguns minutos entre choros, onde uma sempre tentava consolar a outra, finalmente chegamos à casa dos meus pais e eles já estão na porta nos aguardando junto com o Jason e a Aria. Então a Em estaciona o carro e assim que saímos dele, meus pais, o Jason e a Aria se aproximam da gente e imediatamente meus pais me abraçam enquanto o Jason e a Aria abraçam a Em que assim como eu, chora feito criança.

   Logo em seguida entramos em casa e logo depois meu celular toca e todos olham para mim apreensivos, mas quando eu olho no visor vejo que é a Hanna e logo aviso para eles, então eu atendo a ligação dela e ela diz que conseguiu comprar as passagens de volta e que deve está chegando nas primeiras horas da manhã. Ela também disse que já ligou para o delegado e já o deixou ciente de tudo que aconteceu e que ele já deve está vindo para casa dos nossos pais, mas de um jeito que não levante suspeitas, tudo em sigilo, pois não sabemos se o Toby está nos vigiando. Em seguida eu agradeço a ela por tudo, me despeço dela e depois transmito a todos o que ela acabou de me dizer.

   Se passam alguns minutos que mais parecem uma eternidade e de repente olho para a janela e vejo que já anoitecer e começo a pensar no Ed, assustado, com medo e não consigo controlar as lágrimas e o choro desesperado, então a Em me abraça forte e começa a chorar também, pois a sensação que tinha era que ela estava tentando ser forte o tempo todo por mim. Enquanto choramos abraçadas, eu falo baixinho.

Alison: Eu quero o nosso menino, Em! Eu não sei viver sem ele.

Emily: Eu também quero ele juntinho da gente porque eu também não consigo imaginar nossa vida sem ele.

   Assim que ela acaba de falar, eu olho para ela e com um olhar assustado e em seguida falo.

Alison: Será que ele vai levar nosso menino pra longe?

Emily: Acho improvável, pois eu tenho quase certeza que ele pegou o Edward para se vingar da gente de algum modo. Você lembra no dia que eu tirei você da casa dele? Ele jurou que um dia ainda se vingaria da gente, sem contar que ele não conseguiria embarcar, pois depois que você falou com a Hanna, ela imediatamente ligou para a policia e tenho certeza que no mesmo momento eles reforçaram a segurança na saída da cidade e nos aeroportos mais próximos. O meu medo é de que ele faça alguma maldade com o nosso filho para nos atingir.

   Ela falou a última frase com o choro descontrolado e voltamos a nos abraçar forte, até que sentimos alguns braços nos envolverem e quando olhamos, eram os pais dela que haviam chegado, então choramos os quatro juntos por um bom tempo, até que o delegado chegou acompanhando de alguns policias e estavam todos à paisana, provavelmente para não levantar suspeitas, como a Hanna falou. Então o delegado se aproximou de mim e da Emily e logo falou.

Delegado: Vamos fazer os procedimentos para rastrear todas as ligações que vocês duas receberem nos seus celulares e faremos isso no telefone residencial também.

Alison: Façam tudo que for preciso.

   O delegado deu a ordem a um dos policiais e ele começou a digitar algo no notebook enquanto eu andava de um lado para o outro, impaciente com essa falta de noticias.

   A cada hora que passa meu desespero aumenta ainda mais, o choro já é constante, tanto em mim, como em todos os nossos familiares que acompanham de perto todo o sofrimento que a Em e eu estamos vivendo. O silêncio que se faz presente na sala, deixa tudo ainda mais tenso, pois parece que eu consigo ouvir as batidas do meu coração completamente aceleradas e sinto o clima de medo, nervosismo e angustia presente em cada respiração mais forte que eu escuto.

   O dia está quase amanhecendo e a Em e eu estamos de frente para a janela completamente abatidas, com olheiras e com os olhos vermelhos e inchados de chorar a noite toda. Os pais dela e os meus pais estão sentados no sofá grande com a expressão de tristeza e ao mesmo tempo de preocupação, enquanto a Aria e o Jason estão sentados nas poltronas, um segurando a mão do outro, também com a expressão de cansaço, tristeza e preocupação. De repente eu volto a olhar pela janela e vejo um táxi parando na nossa porta e a Em e eu imediatamente corremos até o carro, mas quando nos aproximamos, vemos a Hanna e a Spencer descendo do táxi, então assim que elas nos veem, correm ao nosso encontro e a Hanna me abraça enquanto a Spencer abraça a Em. Logo depois entramos na casa dos meus pais de novo e a Hanna imediatamente se aproxima do delegado para conversar com ele enquanto a Em e eu continuamos olhando pela janela na esperança de que o nosso filho apareça, até que meu celular começa tocar e meu coração logo dispara, eu fico ofegante, o corpo inteiro treme e assim que o pego no bolso e olho no visor, vejo que é um número privado, então vejo todos me olhando apreensivos, até que um dos policias me dá o sinal para que eu possa atender e é isso que eu faço.

 

*LIGAÇÃO ON:

 

Alison: Alô!

XX: Sei que essa ligação está sendo rastreada, por isso eu vou falar rápido, portanto preste muita atenção no que eu vou dizer.

Alison: PELO AMOR DE DEUS! SÓ ME DIZ SE O EDWARD ESTÁ BEM, TOBY!

Toby: Ele só está assustado, mas por enquanto ele está bem sim.

Alison: Me deixa falar com ele, por favor!

Toby: CALA A BOCA! VOCÊ NÃO ESTÁ EM CONDIÇÕES DE ME PEDIR NADA!

Alison: Eu só preciso ouvir a voz dele pra ter certeza que ele está bem, por favor! Eu imploro!

   Assim que eu acabei de falar, a Em pegou o celular da minha mão sem que eu pudesse fazer nada para impedir e ela continuou a falar com ele.

Emily: ME DEIXA FALAR COM O MEU FILHO SEU DOENTE!

Toby: Olha! Veja só quem está toda nervosinha!

Emily: Se você fizer alguma coisa com ele, eu juro que eu te mato!

Toby: Eu AINDA não fiz nada com ele, mas isso vai depender de vocês.

Emily: Eu faço o que você quiser! É só dizer, mas não faz nada com ele, por favor!

Toby: Acho que estamos começando a falar a mesma língua! Escuta bem o que eu vou dizer porque eu não vou repetir.

Emily: Pode falar!

Toby: Você e a Ali, mas apenas vocês duas, você me entendeu?

Emily: Sim!

Toby: Se eu perceber que vocês estão vindo acompanhadas da policia eu juro que vocês vão ter que levar o peste do garoto apenas para fazer o enterro dele.

Emily: NÃO! EU PROMETO QUE VOU FAZER DO JEITO QUE VOCÊ ESTÁ DIZENDO!

Toby: Muito bem! Você e a Ali devem pegar a estrada que leva até a cidade de Clifton, chegando lá vocês vão ver que é um pequeno vilarejo, então vocês vão seguir até a última rua da vila e vai seguir sempre em frente, até chegar no final da estrada, onde você vai ver um casebre. Eu estarei esperando por vocês lá. Não esqueça que devem ir sozinhas! Eu espero vocês as 19hrs!

 

*LIGAÇÃO OFF.

 

   A Em ainda tentou falar algo, mas ele já havia encerrado a chamada, então o policial disse que dentro de uma área relativamente grande, foi possivel ter uma localização, mas não uma localização exata e antes que ele pudesse continuar, a Emily o interrompeu e falou.

Emily: Ele quer que eu vá sozinha com a Alison.

Delegado: Emily é muito perigoso.

Emily: A vida do nosso filho que está em risco e eu não posso arriscar.

Alison: Ela está certa! Se ele quer apenas nós duas, faremos como ele disse.

Hanna: Nós precisamos pensar em algo que não coloque a vida do Ed e nem a de vocês em perigo.

Emily: Hanna ele deixou bem claro que se perceber que a gente está indo com a policia, ele mata o Edward.

Alison: NÃO!

   Assim que eu acabei de gritar, a Em me abraçou forte, me fez olhar para ela e disse.

Emily: Isso não vai acontecer! Eu não vou permitir que ele faça nenhum mal ao nosso filho! Eu prometo!

Hanna: Ele não vai saber que a policia está indo. Eu creio que o delegado deve ter alguma estratégia para poder se fazer presente sem que ele saiba, estou certa?

   A Hanna falou enquanto olhava para o delegado e ele logo respondeu que sim, que tinha uma estratégia e nos chamou para nos contar para ver se concordávamos.


Notas Finais


Então é isso amores!
Até mais!
Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...