História Tudo por Amor - Capítulo 52


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Ashley Marin, Emily Fields, Ezra Fitzgerald, Hanna Marin, Jason Dilaurentis, Jessica DiLaurentis, Lucas Gottesman, Noel Kahn, Pam Fields, Spencer Hastings, Toby Cavanaugh, Wayne Fields, Wren Kingston
Tags Fanfic Emison
Exibições 160
Palavras 2.820
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi amores...voltei! Espero que tenham tido um ótimo fim de semana porque o meu foi maravilhoso com o meu Palmeiras campeão! \o/ Mas enfim, vamos ao capitulo!
Música do capitulo: "Written In The Stars - Westlife"

Capítulo 52 - Alivio


Fanfic / Fanfiction Tudo por Amor - Capítulo 52 - Alivio

*DIAS DEPOIS:

 

POV EMILY:

 

   Haviam se passado alguns dias desde que vivemos um dos momentos mais tensos das nossas vidas, mas que felizmente não aconteceu nada com o nosso filho nem com a Ali, pois caso contrário, minha vida perderia completamente o sentido.

   A Sydney foi presa e pagará por tudo que fez, ela também acabou contando todos os crimes pelos quais o Toby estava sendo investigado e inclusive contou que foi realmente o Toby que sumiu com o Edward pela primeira vez e que a Sydney que ficou com ele enquanto o Toby passava o dia na delegacia para não levantar suspeitas.

   A Hanna vai acompanhar tudo em relação a Sydney de perto, pois ela disse que quer ter certeza que ela passe o resto da vida presa por ter ajudado o Toby em tudo de ruim que ele fez.

   A Ali passou alguns dias tendo pesadelos e sempre acordava assustada no meio da noite, mas a exemplo do que ela fez comigo, eu estava sempre acordada para lhe abraçar forte e dizer que ia passar, que eu estava ao lado dela e ela nunca iria está sozinha. Eu ainda tentei cantar pra ela como ela fez comigo, mas acabei desistindo ao perceber que não tinha dom para isso, porém consegui arrancar alguns sorrisos dela.

   Depois dessas madrugadas que vivemos, ela já está bem melhor em relação ao que aconteceu, já não tem mais pesadelos e já entendeu que se eu estou aqui hoje é porque ela fez o que tinha que ser feito e eu serei eternamente grata a ela por isso.

   Estamos nos arrumando para irmos jantar no apartamento do Wren e do Ezra enquanto o Edward nos espera já pronto, sentado na nossa cama. O jantar é para a Ali, a Hanna, a Spencer e eu possamos conhecer a filhinha deles, pois finalmente eles conseguiram a guarda provisória da garotinha e eles querem dividir essa felicidade com a gente.

   Quando terminamos de nos arrumar, seguimos para o apartamento deles enquanto vamos conversando com o Edward durante todo o percurso, explicando para ele que existem crianças que não tem pai ou mãe e que vivem em uma casa muito grande, junto de outras crianças esperando que alguém cuide delas e que foi isso que o Wren e o Ezra fizeram, e que hoje ele vai conhecer a mais nova amiguinha dele. Alguns minutos depois eu estaciono o carro na frente do apartamento deles e assim que saímos do carro vemos um carro parar atrás do nosso e eu logo percebo que são a Spencer e a Hanna. Em seguida as cumprimentamos, nos aproximamos da portaria e o porteiro logo nos reconhece, autorizando a nossa entrada e seguimos para o elevador enquanto vamos conversando com a Spencer e com a Hanna que brinca com o Edward ao mesmo tempo. Logo depois paramos em frente a porta do apartamento, tocamos a campainha em questão de segundos o Ezra abre a porta com um sorriso que traduz toda a sua felicidade. Em seguida ele nos pede para entrar e quando entramos, vemos o Wren segurando uma linda garotinha no colo com o mesmo sorriso de felicidade que vimos nos lábios do Ezra. Então ele vem em nossa direção e ainda sorrindo nos fala.

Wren: Minhas amigas essa é a nossa filha Caroline!

Emily: Oi Caroline! Você é linda!

Alison: Ela é realmente linda! Posso pegar ela no colo?

Wren: Claro que pode!

Ezra: Mas que pergunta é essa, raio de sol? Você se acostuma com sua nora logo.

Spencer: Ei! Que conversa é essa? Decidimos que o Ed que vai escolher.

Ezra: Você fica quieta porque vocês ainda nem encomendaram o bebê de vocês.

   Assim que o Ezra acabou de falar, a Spencer olhou para a Hanna sorrindo e logo depois a Hanna nos olhou e falou.

Hanna: Bom nós iríamos falar isso apenas na hora do jantar, mas eu estou muito ansiosa pra falar logo.

   Ela voltou a olhar para a Spencer que fez um sinal de positivo com a cabeça como se estivesse autorizando ela a falar algo e em seguida a Hanna continuou.

Hanna: Eu estou grávida!

Alison: Não acredito! Que noticia maravilhosa mana!

Spencer: Pois é cunhadinha! Você terá um sobrinho ou uma sobrinha em breve!

Emily: Nossa! Eu fico muito feliz por vocês!

Wren: Quando vocês decidiram isso?

Spencer: Já faz um tempo, mas nós só queríamos contar a vocês depois de ter certeza que deu certo.

Ezra: Vocês sabem que eu implico com vocês porque amo demais as duas e eu estou muito feliz por vocês.

Hanna: Nós sabemos!

Wren: Isso merece uma comemoração dupla.

Ezra: Já vou buscar a champanhe!

   Alguns minutos depois o Ezra voltou com a champanhe e as taças, entregando cada uma em nossas mãos e ainda com a champanhe na mão, olhou para mim depois olhou para a Ali e disse.

Ezra: Uma das duas pode abrir porque são duas mulheres de força. Uma arrebentou a cara de duas vadias e a outra deformou a cara de um demônio de tanto soco que deu, portanto qualquer uma das mãos pesadas podem abrir a champanhe.

   Todos rimos do comentário do Ezra e em seguida eu peguei a garrafa para abrir, já que a Ali estava com o Edward no colo junto do Wren fazendo ele se entrosar com a Caroline.

   Depois de brindarmos as boas noticias, pois parece que desde a morte do Toby as coisas finalmente começaram a dá certo na vida de todos e já vivemos sem medo, podendo transbordar a nossa felicidade sem receio do que pode acontecer.

   O Edward estava distraído, brincando com a Caroline enquanto todos nós olhávamos a interação dos dois, até que a Hanna olha para cada um de nós e com os olhos levemente marejados, ela diz.

Hanna: Daqui a alguns meses o nosso bebê também vai está junto dos filhos de vocês e eu não vejo a hora disso acontecer.

Spencer: Eu também não vejo a hora.

Alison: E de pensar que há uns anos atrás a Spencer não tinha pretensão nenhuma de ter filhos.

Emily: O amor tem o poder de transformar as pessoas, de fazê-las mudarem os pensamentos que tinham antes. Se as pessoas soubessem a força que tem esse sentimento, o mundo com certeza seria um lugar muito melhor.

Ezra: Sábias palavras pipoco do trovão!

   Em seguida o Wren olhou para o Edward e a Caroline, nos fazendo olhar para eles também e em seguida disse.

Wren: A maioria das pessoas deveriam ser como eles, pois eles não fazem acepção de pessoas, não julgam, não desejam mal a ninguém, acredita no amor do jeito que são ensinados a acreditar, sem nenhum tipo de preconceito.

Emily: Verdade Wren! E nós fazemos questão de ensinar que o amor está acima de qualquer coisa.

Hanna: Por falar nisso, vocês já conversaram com ele sobre vocês duas?

Alison: Ainda não, mas pretendemos fazer isso em breve! Se bem que ele já parece entender isso, mas queremos poder falar assim mesmo do nosso jeito.

Spencer: O Ed é um garoto muito inteligente e esperto! Tenho certeza que apesar da pouca idade, ele vai entender tudo, afinal a linguagem do amor é universal e todos com o mínimo de amor no coração são capazes de entender esse sentimento.

Wren: A Spencer tem razão, pois até a Caroline com apenas 3 anos já entendeu que terá dois pais.

Ezra: Isso mesmo! Sabemos também que teremos que conversar bastante com ela, pois nem todas as pessoas vão entender isso e ela pode sofrer algum tipo de preconceito no futuro, por isso vamos fazer questão de ensiná-la como agir nesses casos, afinal nem sempre existe uma protetora pipoco do trovão que defendeu o Wren e eu quando passamos por um momento assim.

Wren: Verdade! Eu jamais vou esquecer esse dia que a Emily mostrou todo seu valor, caráter e amor ao próximo, pois sem nunca ter nos visto antes, ela defendeu a nossa causa e esse foi um lindo ato.

Emily: Pode ter certeza que eu faria tudo de novo!

Ezra: Nós sabemos disso pipoco do trovão!

   Logo depois seguimos para a mesa para jantarmos e continuamos com nossas conversas e o sentimento que estou vivendo no momento é totalmente novo, pois agora eu tenho certeza que a paz e a tranquilidade vai reinar sempre em nossas vidas a partir de agora.

 

 

POV ALISON:

 

   Depois do jantar no apartamento do Wren e do Ezra, a Em e eu pensamos na melhor maneira de conversar com o Edward e explicar para ele o que somos realmente, então decidimos que iremos fazer isso hoje.

   Aproveitamos que hoje é domingo e decidimos ficar os três em casa, fazer um programa em família para ter a conversa com ele no momento certo. Então logo após terminarmos o almoço, a Em e eu fomos ver um pouco de tv com ele enquanto eu tento disfarçar o nervoso que estou sentindo por ter esse assunto com ele e não saber como ele vai reagir, mas o jeito tranquilo da Em acaba me deixando um pouco mais tranquila também.

   Quando o filme que estávamos assistindo acabou, a Em olhou para mim me fazendo entender que agora é o momento, então chamamos o nosso filho para ir junto com a gente pra varanda da nossa casa que é o nosso lugar, o local onde ficou marcado pelos momentos mais especiais e inesquecíveis que vivemos. Em seguida a Emily foi pra o balanço com ele, o colocou sentado e começou a fazê-lo balançar enquanto eu observava os dois. Depois de uns minutos brincando com ele, a Em olhou para ele e falou.

Emily: Filho agora a gente tem algo pra conversar com você!

   Em seguida o pegou no colo e o trouxe até a varanda onde eu já estava sentada apenas aguardando os dois, então ela o colocou do meu lado e sentou ao lado dele também fazendo com que ele ficasse entre a gente. Logo depois olhou para mim e seus olhos pareciam perguntar quem deveria começar a falar, então eu respirei fundo, segurei na mãozinha do Ed e comecei a falar.

Alison: A gente vai te contar uma história que começou quando você ainda não havia nascido. A historia de quando eu e sua mamãe Emily nos conhecemos.

   Ele olhava atentamente para mim enquanto a Emily nos observava com toda atenção, até que foi vez dela de falar.

Emily: Então filho, esse lugar que a gente está agora é o lugar que sua mãe e eu sempre vínhamos para conversar e a gente falou aqui de um dia ter um filho que a gente colocaria o nome de Edward.

Alison: Isso mesmo filho! Então sua mãe Emily tirou um pedacinho dela de dentro da barriga dela, tipo uma sementinha que iria fazer um bebê crescer e foi aí que eu peguei esse pedacinho dela, essa sementinha e coloquei dentro da minha barriga que foi onde você cresceu aos poucos.

Emily: Por isso você é o nosso filho, campeão! Lembra que uma vez eu disse que o que importa na vida é a gente amar as pessoas, independente de qualquer coisa?

   Ele apenas afirmou que sim com a cabeça e a Em olhou para mim sorrindo, segurou minha mão e falou.

Emily: Sua mãe e eu nos amamos do mesmo jeito que amamos você também, só que é um amor diferente. Você é nosso filho e nós vamos cuidar de você, te proteger e te amar pra sempre, do mesmo jeito que sua mãe e eu também, nós cuidamos uma da outra, nos protegemos e nos amamos muito, mas não só como amigas, mas também como namoradas.

Alison: Você consegue entender o que a gente está dizendo filho?

Edward: Sim!

Emily: Então vem aqui e dá um abraço nas suas mamães!

   Logo em seguida ele nos abraçou forte envolvendo seus braços ao redor do nosso pescoço e assim que ele saiu do nosso abraço, a Em e eu beijamos o rosto dele e depois nos olhamos e foi o momento em que eu senti mais medo, por não saber como ele iria reagir a partir de agora, mas a Em me transmitia coragem apenas com o olhar, então nos aproximamos devagar, demos um selinho rápido e imediatamente olhamos para o Ed que sorriu para gente me fazendo sentir um alivio no coração e logo depois sorrimos para ele de volta e o abraçamos de novo e eu podia ver a mesma felicidade que estou sentindo agora refletida nos olhos da Em.

   Depois de passarmos o resto da tarde brincando com o nosso filho, tomamos banho, jantamos e ficamos na sala vendo um filme que ele escolheu, até que uns minutos depois do filme ter terminado ele acabou adormecendo no meu colo, com as pernas sobre as pernas da Em, então quando ela percebeu que ele já dormia, o pegou no colo para levá-lo para o quarto dele e eu a segui. Logo depois ela o colocou na cama enquanto eu observava a cena e em seguida beijou sua testa com todo amor e falou baixinho.

Emily: Dorme bem meu filho!

   Logo depois eu fui até eles, beijei a teste do Ed também, segurei a mão da Em e segui com ela até o nosso quarto. Assim que entramos, eu fechei a porta e a beijei com todo amor enquanto suas mãos passeavam pelo meu corpo, até que nos despimos devagar enquanto ela me conduzia até a cama. Em seguida me deitou devagar, deixando seu corpo pesar sobre o meu aos poucos e voltou a me beijar com todo amor enquanto minhas mãos passeavam por toda extensão das suas costas. Depois ela desceu seus beijos até o meu pescoço, beijou, mordeu, chupou enquanto eu sentia meu corpo inteiro arrepiar e começava a gemer o nome dela baixinho. Em seguida ela desceu ainda mais os seus beijos até os meus seios, beijou os meio deles e depois deslizou sua língua até o esquerdo, onde segurou o bico entre os dentes enquanto sua língua o acariciava devagar, até que ela o chupou com toda vontade e meu corpo impulsionou instintivamente me fazendo gemer um pouco mais alto. Logo em seguida ela deslizou a língua até o outro seio e repetiu os mesmos atos enquanto eu apertava suas costas. Então enquanto ainda chupava meu seio com toda fome, sua mão direita deslizou pelo meu corpo passando pela minha barriga, cintura, virilha, onde ela apertou forte minha coxa próximo ao meu sexo, me fazendo morder o lábio inferior e em seguida levou a mão até meu sexo, gemendo meu nome quando me sentiu molhada e me fazendo gemer também por sentir o toque dela. Logo depois ela deslizou seus dedos por cada parte do meu sexo, lambuzando todos os dedos e em seguida passou a massagear meu clitóris no mesmo momento que seus lábios voltaram a encontrar os meus em um beijo ávido.Em seguida seus dedos deslizaram até a minha entrada e ela parou o beijo para me olhar intensamente e logo depois falou.

Emily: Você quer me sentir dentro de você?

Alison: Quero! Quero muito!

Emily: Então pede!

Alison: Em, por favor, eu preciso te sentir dentro de mim.

   Assim que eu acabei de falar, seus dedos foram me preenchendo aos poucos no mesmo momento que puxei sua cabeça para voltar a beijá-la de novo. Seus dedos se movimentam cada vez mais rápido dentro de mim e meus gemidos aumentavam a cada movimento mais rápido que ela fazia. Meu quadril já se movimentava indo de encontro aos dedos dela enquanto minha língua deslizava na dela, me fazendo ir a loucura, até que senti que meu orgasmo já se aproximava e eu sussurrei entre seus lábios com a voz rouca e entre cortadas.

Alison: Eu...Eu vou...Vou gozar, Em.

Emily: Então goza pra mim meu amor.

   Quando ela concluiu sua fala com a voz carregada de desejo, eu atingi o clímax, sentindo meu sexo contrair os dedos dela e me deliciando com a expressão de puro prazer refletida nos olhos dela. Depois que meu corpo inteiro parou de se contrair, ela tirou os dedos de dentro de mim devagar, os chupou um por um enquanto me olhava e logo em seguida deixou seu corpo deslizar para o lado do meu e eu logo segurei em seu rosto e a beijei com todo amor e quando já não era mais possivel ficar sem respirar, paramos o beijo e quando nossos olhares se encontraram, falamos juntas.

Emison: Eu amo você!

   Logo depois eu me aconcheguei em seu peito enquanto ela acariciava minhas costas, me fazendo ter certeza que eu estou no melhor lugar que pode existir, que é os braços dela, os braços da mulher que foi capaz de vencer todo obstáculo que a vida colocou no caminho dela para está aqui comigo hoje, me fazendo sentir a mulher mais amada que existe e sendo o motivo da minha felicidade dia após dia.

 


Notas Finais


Link da música: https://www.youtube.com/watch?v=oYm5xgOSv-Y
Então isso amores! Bom estamos caminhando para os últimos capítulos e provavelmente só teremos mais três capítulos no máximo, portanto aproveitem bastante essa reta final.
Até mais!
Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...