História Tudo por você, Daryl. - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Bob Stookey, Carl Grimes, Carol Peletier, Daryl Dixon, Lizzie Samuels, Maggie Greene, Michonne, Negan, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Pete Anderson, Rick Grimes, Ron Anderson
Tags Daryl
Visualizações 61
Palavras 842
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá 💓

Capítulo 11 - Você está?



P.O.V Daryl

Infelizmente, levamos todos os alimentos da última vez que passamos por aqui, que nós fez deixar vulnerável agora. Meu ponto fraco? Comida. E já que ficaremos aqui por algum tempo, sou obrigado a ir falar com Rick até porque, ele é meu melhor amigo. Como Melanie ainda estava apagada seria tempo suficiente pra falar com ele. 

P.O.V Melanie

Acordei já havia escurecido. Olhei em minha volta e reconheci de primeira aonde estava. Meu nariz doía muito, fico imaginando se Daryl fez isso com raiva. - Daryl? - andei pela casa toda procurando o indivíduo mas, ele não estava. Estou com muita fome e já que não tinha nada pra comer o jeito era me distrair com algo que foi apenas ficar na janela do quarto admirando a bela lua cheia. 

Escuto barulho vindo da sala e corri para ver quem era, sendo que no fundo já sabia que era ele, Daryl. O abracei com tanta força que era bem provável ter quebrado alguns ossos seus. Eles respondeu o abraço. Fiquei tão feliz. 

- Trouxe umas coisinhas pra gente. - Ele foi no carro e pegou duas bolsas que estavam bem "gordas" e algumas armas que ajudei a trazer pra dentro. 

- Pra que isso tudo? Não vamos voltar pra Alexandria? 

- Não, conversei com Rick e até o Negan desistir de te procurar que acho impossível, vamos ficar aqui.

- Ah sim mais acho que deveríamos voltar pra ajudar. - Ele ri fraco, beija minha testa e vai em direção ao quarto com metade dos itens e eu logo atrás levando o resto. Ele joga tudo no chão e vai com tudo pra cama, me sento na beira da cama. - Sabe Daryl...  eu sou uma pessoa que pouco fala porque acho muito chato pessoas que falam demais mais , tem coisas que são necessárias que acrescentam em sua vida, queria ter alguns assuntos com você que não fosse algo relacionado ao caos que vivemos.

- Hum?! Tipo? - Esse "tipo" dele me fez ver que existe pessoas mais tintas do que eu. Não o culpo sabe, não expliquei exatamente. Apenas falei o que estava preso na minha garganta.  

- Sobre nós. Falarmos sobre nós, você falar um pouco sobre você e eu sobre mim. Quero comenhecer você melhor Daryl. 

- Que tal perguntas? Ou pergunto algo sobre você e você pergunta sobre mim. 

- Ok. 

- Me fale um pouco sobre seu passado. Sua vida de antes. - Não passei por tantas coisas assim como Daryl passou, não sei muito bem o que falar. - E?

- Eu fazia faculdade de direito, já morava sozinha antes disso tudo acontecer, desde pequena sempre tive um sonho de ser independente mais por ser a filha única era

- Mimada. - Olhei pra ele serio. - Você não é muito boa de fazer um resumo sobre sua vida né. - Ele fala rindo. Reviro meus olhos de um modo brincalhão. - Eu não tive todo esse luxo. Morava com meu irmão, a gente caçava, só vivíamos em festas. Não tivemos uma comunhão boa com nossos pais pois eles só viviam brigando entre si e a gente desde pequenos presenciava isso então quando meu irmão completou seus 20 anos, comprou uma casa simples e me levou com ele. 

- hm. - Isso fez me sentir um pouco mal mais não é tão diferente da minha. - Meu pai, ele era agressivo, arrogante, brigava com tudo. Minha mãe sempre suspeitava que ele traia ela e esse sempre era o motivo deles brigarem e me colocavam no meio de suas brigas e eu acabava sendo a "piscologa" - faço sinal de aspas com os dedos. - deles. Minha mãe tentou se matar várias vezes, havia uma arma lá em casa e em cada briga deles eu a escondia pois eles eram muito descontrolados. 

- Pelo visto tivemos quase a mesma vida. - Ri com seu comentário. 

- É verdade. - Me deito olhando pro teto, Daryl faz o mesmo. 

- Por que insistiu em ficar? - Quando ele perguntou isso foi como se tudo meu travasse. 

- Eu não sei. Acho que foi o nervosismo. Nunca passei por uma situação assim antes. Então, obrigada pelo soco que você me deu para impedir de que ficasse lá, gentileza sua. - Me viro de lado ficando de frente pra ele e o mesmo faz igual. Ele ri pelo nariz. 

- De nada. - ele me beija. O seu beijo era calmo, não havia pressa, o tempo parou ali. Sua mão passeava por todo o meu corpo e cada vez o puxava ele pra mim. Era como se um precisasse do outro, ou melhor, necessitasse um do outro. Mais estraguei tudo quando senti uma imensa vontade de vomitar, corri para o banheiro. - Você está bem? - Ele pergunta abrindo a porta do banheiro devagar para entrar, quando parei de jogar tudo que não tinha no estômago fora olho para Daryl que seu olhar já era de preocupação. Parecia pensativo sua expressão muda de preocupação para como se estivesse surpreso. - Perai, você está?


Notas Finais


Espero que gostem💓
Desculpe sobre os erros ortográficos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...