História Tudo que eu Preciso. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Visualizações 13
Palavras 1.516
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - A nova vida de Mey.


A nova vida de Mey.

Mey On:

Já estamos no mês de Agosto, e faltam duas semanas para as aulas voltarem e estou com medo de como os meus colegas vão reagir, agora que minha vida mudou,morando com o Justin, eu não sei como a escola INTEIRA vai reagir em relação á mim.

 Hoje eu e o Justin vamos andar de skate, apesar de eu saber um pouco, eu não sou boa o suficiente para andar nas rampas, mas ele disse que vai me ajudar. Andar de skate me lembra quando eu fui ao mês passado com ele para gravar o clipe de “What do you mean” e eu gostei  achei o início um pouco “hot” entre ele e sua afflair tem uma relação mais íntima, e no final tem muita comemoração e gente andando de skates incluindo ele. O clipe vai lançar nesse mês e estou muito ansiosa.

 Chegamos à rampa e me deu um nervosismo não tenho coragem de descer e falei:

 - Justin, mudei de idéia eu não vou conseguir.

(Justin)—Calma você consegue. Vamos, eu te ajudo.

 No final eu desci com ele de mãos dadas, no início fiquei com muito medo e tomei vários tombos, e no final eu já descia sozinha.

(Justin)—Você vai ficar melhor que eu. Você aprende rápido.

(Mey)-- Melhor que você já é meio difícil... Olha ta chegando umas beliebers ali. Eu não consigo imaginar mais que eu poderia estar entre elas. Você vai falar com elas?

(Justin)—Elas estão muito longe, mas um gesto elas entenderão o que eu quero dizer (Ele acenou e fez coração para elas e elas gritaram muito).

  No caminho pra casa (a minha nova casa), falei:

—Justin, eu precisava ir ao banco e transferir a metade de meu dinheiro arrecadado com os doces que vendi nos meses atrás (já que eu não preciso pagar conta mais, eu coloquei na minha conta bancária) para a conta dos meus pais e depois comprar um celular melhor.

(Justin)—Em falar em seus pais, você já conversou com eles?

(Mey)—Sim, mas eu não contei que a senhora Lewis me abandonou e muito menos que fui violentada. Se eu contar, provavelmente terei que voltar para o Brasil. Somente disse que a senhora Lewis me transferiu para alguém mais responsável que ela.

 De carro, passamos perto da Apple e o Justin pediu para o motorista parar o carro:

(Justin)—Mey, desce vamos à Apple comprar seu celular, não precisa gastar seu dinheiro com isso, e transfere todo o dinheiro para seus pais. Com esse seu jeito independente eu sabia que você não pediria.

  (Mey)—(risos) Eu me acostumei a ser assim.

(Justin)—Aaann... Pra você não precisar de me pedir, vou te dar uma mesada, ai você gasta quando quiser. OK?

(Mey)—Sério? Não preci-

(Justin)—Eu insisto.

(Mey)—Tudo bem! Eu aceito.

 Pensei em pegar o mais barato na Apple, mas ele pegou o Iphone 6s e colocou na minha mão, não tive opção e levei-o. Não vou mentir que eu sempre queria esse celular antes, mas faltavam condições.

  Toda ansiosa para usá-lo, baixei alguns aplicativos fui entrando primeiro nas minhas redes sociais que não entro a um bom tempo, a última vez que entrei eu nem morava com ele, então, ao entrar minha conta do Instagram travou de tantas solicitações e curtidas. Percebi que mesmo eu não sendo famosa, isso fazia parte de mim agora e preciso acostumar com isso.

    Justin foi só observando minhas contas travando e ao ver minha cara de espanto, começou a rir de mim.

Tive que excluir minha conta do Facebook e criar uma página, as pessoas estavam me usando como um pombo correio para falar com o Justin então exclui e no Whatsapp vou ter que tomar cuidado, se meu número vazar, vou ser usada novamente como um pombo correio. Meus amigos de anos que moram no Brasil, ficaram surpresos com tudo que acontecia comigo e tive que explicar tudo com calma.

À noite, nós fizemos um lanche, foi divertido, até na cozinha fazemos bagunça. Deixei cair presunto no chão (fiquei toda envergonhada), até ele deixar o queijo Cheddar e começamos a rir da situação. Apesar de ele ser muito rico, ele é bem humilde. Fomos ver filme no NETFLIX, e acabamos dormindo no sofá.

Duas semanas se passaram e a música “What do you mean” já tinha lançado e está bombando...

1 de setembro - Volta às aulas.

Acordei e lembrei: Hoje é à volta as aulas, ai que medo. Sei que não vai ser a mesma coisa de antes, uma aluna não notável na sua sala e muito menos na escola com um único amigo.Essa sou eu na escola.

 Arrumei-me e fui pra aula.

Já no colégio, nunca fui tão encarada na minha vida. Todos á volta estavam cochichando sobre mim. A maioria estava falando mal de mim sem eu mesmo dar motivo para isso, mas eu ignorei.

Assistir duas aulas, e eu estava sozinha, já que meu amigo faltou hoje. No intervalo eu estava no corredor e o meu celular tocou, e todos pararam e olharam para mim novamente, me sentir uma intrusa na escola, acabei saindo correndo e atendi na salinha de dispensa da escola:

—Alô? Justin!

(Justin)—Acordei e você não estava aqui.

(Mey)—Esqueci de avisar que eu iria ao colégio.

(Justin)—Você está no colégio? Você não é a mesma Mey de antes. Está tudo bem ai?

(Mey)—Eu....

 Segurei muito para não chorar com ele no celular e respondi com uma voz de quem estava segurando muito o choro:

—Es -está tudo bem. Não se preocupe.

(Justin)—Qualquer coisa, volte para casa.

Fui para minha outra aula e no meio da aula quem apareceu na porta? O Justin e foi uma bagunça de meninas gritando histericamente:

(Justin)—Com licença. Posso falar com a Mey?

O professor de matemática me liberou e pediu para conversarmos distante da sala para não atrapalhar a aula.

(Justin)—Mey percebi que você não estava nada bem ao conversar comigo no celular então vim na escola cancelar sua matrícula e acho melhor você estudar em casa por enquanto.

(Mey)—Obrigada, ent-(o sinal tocou e o colégio virou um caos ao verem ele.)

(Justin)—Vamos.

 Fomos saindo da escola e ainda bem que ele levou um de seus seguranças junto e no caminho, uma garota tacou um rolo de papel higiênico na minha cabeça e o Justin viu e olhou para ela (até eu fiquei com medo do olhar do Justin para ele), e mesmo assim, ela falou para mim:

—Você não era notável antes, e não vai ser agora que você será. Você deve está se sentindo superior agora com ele do seu lado não é? Mas não adianta se nem amigos direito nessa escola você tem.

 Todos que estavam ali riram de mim. Eu estava a ponto de voar no pescoço dela, mas o Justin me segurou e falou para ela:

(Justin)—Ela pode não ser notada na escola, mas se eu a notei é por que ela é especial, e mesmo assim, ela não mudou seu jeito, continuou sendo ela mesma e ela ter amigos do seu jeito, eu prefiro ela sem amigos.

Meu deus, que tirada. Se eu fosse ela eu nem aparecia mais no planeta e todos que estavam lá começou a zoar ela.

(Justin)—Vamos!

Entramos dentro do carro indo pra casa. Dentro do carro o agradeci:

—Obrigada por me defender.

(Justin)—Tudo bem, ela foi muito ignorante e sem motivos, você vai ter que aprender á se defender sozinha, isso pode acontecer sempre e ainda mais agora que é tudo muito recente, pelo menos até todos aceitarem (disse sem ser rude).

  Concordei com ele e mesmo eu sendo muito tímida em relação à escola, eu vou aprender de qualquer maneira a me defender.

(Justin)—Amanhã você vai acordar cedo.

(Mey)—An?

(Mey)—Nossa Justin, você pareceu meu pai falando.

(Justin)—Aula em casa. Já contratei os professores. Começa às 8 horas.

 (Mey)—Vou mesmo ter que estudar em casa?

(Justin)—Só por enquanto. Seus professores não gostam de atrasos.

(Mey)—Ta bom. Eu vou acordar bem cedo papai.

(Justin)—Só tenho 21. Posso ser seu irmão mais velho. (risos)

 Chegamos em casa e não fiz muita coisa de interessante. A noite foi muito legal. Eu e ele andamos de hoverboard e pegamos umas armas Nerf e fizemos guerra na área externa da casa, mas como uma desastrada de primeira, cai dentro da piscina e o Justin pulou lá dentro e continuamos dentro da piscina por mais tempo. Foi muito divertido. Depois disso tomei um banho e fui dormi.

 Acordei 1h antes de um dos professores chegar, tomei café e enquanto isso, o Justin estava indo para a gravadora com o Scooter (seu empresário) produzir uma música do álbum “Purpose”.

  O professor do primeiro horário chegou e era de matemática. Meu professor está me ensinando matérias mais avançadas que as escolas da minha série (primeiro ano de ensino médio). Ele é gente boa e conversamos até algo que não era de matéria, principalmente quando eu falei que quero ser piloto. Ele me deu muitas instruções.

 Essa semana, irei conhecer a Pattie (mãe do Justin). Estou muito ansiosa...

        Mey Off.

                                                                                                                                   Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...