História Turbilhão - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Grey's Anatomy
Personagens Amelia Shepherd, April Kepner, Arizona Robbins, Owen Hunt
Tags Amelia, Hunt, Omelia, Owen, Shepard
Visualizações 26
Palavras 1.550
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Me desculpem o atraso foi devido a problemas de saúde do meu filhote!!!! 😭

Capítulo 11 - Tragédias


Fanfic / Fanfiction Turbilhão - Capítulo 11 - Tragédias

O que houve? Você parece nervosa? – ele pergunta 
Não, está tudo bem, eu queria saber da Anna. E estava sem jeito de te perguntar – ela responde sem graça 
Anna? – ele pergunta se entender – ela está bem, teve consulta com você três dias atrás, você viu algo errado? – se preocupou
Na verdade – ela para e pensa na forma de falar – ela não veio as duas últimas consultas, nem cancelou e por isso vim saber se ela está bem – ela fala timidamente.
Como assim não veio? Ela me disse que esteve com você – ele disse surpreso – porque ela mentiria?
Arizona estava nervosa e se sentia culpada por entregar a mulher mesmo que sem querer.
Arizona preciso – ele não conseguiu terminar de falar 
Claro pode ir – ela disse nervosa-  conversa com ela e talvez tenha sido tudo uma grande confusão – sorriu sem graça alguma. 
Ele apenas acena com a cabeça e sai. Passa pela ER sem escutar ninguém, apenas queria saber o porquê Anna teria mentido.

Ele conversa com April para que ficasse em seu lugar por algumas horas. Se troca e vai em direção a casa da mulher.
Owem que surpresa – sorri a loira ao abrir a porta – que cara é essa? Aconteceu alguma coisa? 
Porque você não foi na consulta com Arizona Robins? – foi direto ao ponto
O..O que? – sorri nervosa – do que você está falando? É claro que eu fui.
Nesse momento ele bufa e bate na porta com extrema força fazendo a mulher pular de susto – para de mentir – grita.
Owem calma – ela diz nervosamente 
Quero uma explicação Anna – falou com raiva nos olhos – odeio que mintam pra mim.
Owen eu não fui porque eu decidi mudar de médico – ela disse que chorando
Porque? – diz ainda com raiva 
Porque eu me sinto mais à vontade – diz.- aquela mulher é amiga da sua ex esposa e elas podem me fazer mal.
O.. você tá louca? – ele diz incrédulo – Arizona é profissional, a melhor em Seattle, nem ela e muito menos a Amélia fariam mal à alguém – diz irritado.
Ok, você pensa como quiser, mas eu irei continuar com meu novo médico – falou 
Você decide, mas eu quero o nome e o sobrenome desse médico para saber se o conheço e quão bom ele é. – falou virando de costas.
Owen – a mulher chamou – quer ver o rostinho dele? 
O homem parou no mesmo momento e se voltou pra ela – ele? – disse emocionado 
Ela sorriu com lagrimas nos olhos, entrou em casa e voltou com algo mãos, ela esticou para ele que pegou boquiaberto – ele é lindo – disse quase chorando vendo a foto da USG.
É sim – ela se aproximou e o abraçou, ela se afasta um pouco e o beija, ele se deixa levar e quando percebe já estão dentro da casa aos beijos no sofá – o que você está fazendo? – ele fala irritado.
Como assim? – ela sorri sem entender 
Eu não vou pra cama com você – ele fala ríspido – eu estou aqui pelo meu filho, não quero nada com você, eu amo a minha esposa. 
Anna estava com raiva, se via nos olhos o ódio que a mulher nutria por Amélia.
Owen se levanta e sai, voltando para o hospital, deixando uma Anna furiosa.


Afasta -  se ouve o grito de April enquanto utiliza o desfibrilador – que bom que voltou isso aqui está uma bagunça – disse olhando para Owen.- estão chegando inúmeras ambulâncias dentro de alguns minutos.
O que aconteceu? – ele perguntou se aproximando.
Tiroteio em um shopping – Owen pode perceber então o nervosismo de toda a equipe ali presente.
Fiquem calmos – ele disse tentando acalmar a si mesmo também – temos que estar bem para tratar de todas as vítimas que estão chegando. Sei que todos tem lembranças ruins quando se trata desse tipo de violência, mas preciso que todos se empenhem ao máximo para ajudar essas pessoas que estão passando pelo mesmo que nós passamos. – Owen ao se virar se depara com Amélia o admirando.
Todos já estão posicionados esperando os feridos. Algumas ambulâncias chegam de uma só vez – como está a situação lá? – perguntou Callie a uma paramédica
Muitas vítimas fatais – disse triste – e muitos feridos a caminho.
Owen recebe um paciente assim como quase todos os outros.
Amélia espera a penúltima ambulância chegar e se depara com um paciente com um tiro de raspão na cabeça.
Paciente não identificado – ela diz já na sala de trauma – precisaremos fazer uma TC. Dra Edwards preciso da Dra Callie o paciente parece ter uma fratura na clavícula.- Edwards sai em busca de Callie.
Volta alguns minutos depois – dra Shepard a dra Torres está em cirurgia e não tem previsão de sair de lá. 
Ok Edwards – ela responde- mais alguma coisa? – perguntou ao ver Stephanie parada a olhando.
O atirador está no hospital – imediatamente Amélia a olha assustada 
O..O que? Temos um código branco e ninguém avisa? – ela diz 
Me desculpa Dra Shepard – a residente diz nervosa – ele está como paciente, está entrando em cirurgia. 
Amélia respira aliviada – Dra Edwards quando você for dar uma notícia seja direta – diz irritada. – por favor preciso que você fique na cola da Torres.
A morena acata a ordem da superior. Amélia volta a tratar do paciente.

Owen operou o jovem acusado de ser o atirador, o rapaz foi algemado na cama depois da cirurgia e Owen se responsabilizou por acompanhar a evolução clínica do paciente, se via a raiva na face do ruivo, alguns anos atrás eles passaram pelo mesmo trauma e até hoje não tinham se recuperado – todo o hospital estava abalado e um jovem de 25 anos era responsável por isso. 
A noite se passou  e pela manhã o atirado acordou, Owem chegou no quarto no momento em que a polícia iria começar a interrogar  o jovem – preciso verificar o paciente – ele disse.
Sr. Precisamos fazer nosso trabalho – disse um policial
E eu preciso fazer o meu – disse Owen irritado – se eu não fizer o meu vocês não terão como fazer o de vocês .
Os policiais se retiraram e deixaram Owen fazer seu trabalho – obrigada – disse o homem sorrindo.
Eu só fiz o meu trabalho – Owen disse sério – se não fosse o juramento que fiz  você estava morto a muito tempo. Mas eu fiz o  meu melhor para você sobreviver e morrer na cadeia. 
Senhores – Owen fala chamando os policiais de volta – terminei aqui, ele é todo de vocês.  
Owen está saindo quando  escuta o policial dizer – onde está o outro atirador? 
Não sei do que estão falando – ele respondeu sarcástico.
Sabemos que você não estava sozinho – disse o policial – se você colaborar  você pode ter direito à negociar sua pena.
O homem pensou e logo falou – ele levou um tiro na cabeça, estava jogado no chão junto com as vítimas.
Não encontramos nenhum homem com um tiro na cabeça ou com uma arma perto do corpo – disse o homem de farda.
Eu peguei a arma dele para me defender – disse
Como ele era? – outro policial perguntou – anda responde – falou extremamente irritado.
Branco, mediano, estava usando uma jaqueta prata com preta – respondeu – agora quero saber do meu acordo – falou irritado.
Que acordo? Entre pena de morte ou perpétua? – o policial disse com raiva – o dr tem razão, você vai morrer na cadeia.
Os dois policiais saem junto com Owen deixando o atirador com dois guardas – vamos fazer uma busca nas imagens das câmeras de segurança do shopping para ver se encontramos alguém que bata com o perfil passado. 
Owen assente com a cabeça e se retira.
Alguns minutos depois os homens voltam sérios e apressados em busca de Owen – Chefe Hunt – o policial comprimenta.
Algum problema? – pergunta percebendo a preocupação dos homens.
Na verdade sim – o policial disse – precisamos que voce cerre o hospital.
O que? Isso é impossível – disse nervoso sem entender o porquê dos homens pedirem tal atitude.
O hospital está passando por um código branco – disse o homem 
Como se o atirador está algemado – disse 
O outro atirador foi confundido como uma das vítimas e está no hospital – Owen estava boquiaberto.
Ao que tudo indica ele está ferido na cabeça – Owen sentiu um frio na espinha.
Owen você viu a Dra Shepard? – perguntou Callie – ela pediu durante a noite que eu olhasse um paciente com um tiro na cabeça e que estava com a clavícula fraturada mas eu estava em cirurgia, e quando estou livre e a procura dela ela some. 
Quem era o residente? – Owem gritou nervoso
Edwards – ela disse sem entender - esteve comigo até alguns minutos atrás.
Ele imediatamente manda chamarem a residente – Dr Hunt, algum problema? – ela pergunta chegando próximo ao homem
Onde esta a Amelia? – pergunta nervoso 
Na verdade eu também estou a procura dela – responde – a vi algumas horas atrás com o paciente com o tiro na cabeça.
Como ele era? – o policial pergunta apressado.
Edwards olha para Owen sem entender, ele assente com a cabeça pra que ela responda – branco, uns 30 anos 
Que roupa ele trajava? – pergutou o homem fardado – uma jaqueta preta e prata – ela responde sem entender. – o que está acontecendo? 
Owen imediatamente olha para os policiais, pega o pager e chama a segurança e pede que fechem o hospital e declarem código branco imediatamente, ele estava nervoso muito mais que o normal.
Owen o que houve? – pergunta Callie 
Amélia está com um dos atiradores – ele responde nervoso.


Notas Finais


Ai gente esse cap foi difícil de escrever, espero que gostem. Até o próximo!!! 😘❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...