História Turbulence - Capítulo 10


Postado
Categorias 24K, Bangtan Boys (BTS), Barbara Palvin, EXO, Fifth Harmony, Got7
Personagens Baekhyun, BamBam, Barbara Palvin, Chanyeol, Chen, D.O, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, JR, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, Tao, V, Xiumin, Youngjae, Yugyeom
Tags Barbara Palvin, Crime, Drama, Exo, Fifth Harmony, Gangsters, Gangue, Got7, Markson, Mortes, Revelaçoes, Romance, Trafico
Exibições 139
Palavras 1.399
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Depois de um tempinho sem atualizar, finalmente voltei! Eu realmente agradeço pelos comentários cheios de carinhos e conselhos deixados no "aviso". Não sei como agradecer, mas posso dizer que eles me ajudaram, me viram que tenho coisas por qual lutar. Me fizeram enxergar que tenho pessoas ao meu lado e que não estou sozinho. Não sei como agradecê-los, mas obrigada de coração!!!! Não esqueçam de tomar banho antes de dormir, de beber bastante água para se manter hidratado.

P.s: peço desculpas pelos erros de português, logo irei consertá-los.

Capítulo 10 - 10. Assault 1


Fanfic / Fanfiction Turbulence - Capítulo 10 - 10. Assault 1

Im Jaebum

00:15

Minha cabeça lateja como se tivesse levado uma porrada em cheio. Foco meu olhos no colete no braço do sofá branco, respiro fundo. Hoje seria o grande dia. Estico o braço, pegando-o e o pondo por cima de minha camiseta lisa preta. Visto minha jaqueta.

— Preparado? — Levanto o olhar e vejo Jackson parado na porta, encostado na batente. Todos nós estávamos com as mesmas roupas, as únicas coisas que mudavam eram os casacos/jaquetas.

— Só falta finalizar algumas coisas. — Me refiro às armas que se encontram em cima da mesa de aço no canto do cômodo e aos carregadores dentro de uma enorme caixa no chão ao lado.

— Vou chamar os outros. — Diz. Apenas afirmo com a cabeça e ele some de minha visão.

Eu realmente não lembro de nada do que aconteceu na noite passada e essa ressaca parece apenas piorar.

Vou até a mesa, pego a caixa em que tem os carregadores e ponho sobre a mesma. Pego a minha AK-47 e a recarrego. Ouço vozes se aproximando de meu escritório e em questão de segundos, no mesmo cômodo que eu.

— Vamos logo acabar com isso. — Hoseok fica ao meu lado e pega sua típica pistola preta.

...

Estamos a caminho do restaurante. Havíamos detalhado bastante o plano para que nada desse errado. Duas SUV’s pretas vão á frente de nossa van e mais duas atrás, formando um comboio. Jungkook ergue sua mão, a abrindo. Há várias escutas na palma da mesma.

— As ponham atrás da orelha. — Fala levando sua atenção ao seu notebook no seu colo, ligando-o. — Elas são pretas, como suas vestes também são e como está de noite, não dará para vê-las. — Assinto com a cabeça, pegando uma e colocando.

O fio é em formato caracol, ele fica exatamente atrás da orelha e dando uma volta. Puxo a gola de minha jaqueta que é grande, tampando todo meu pescoço e o fio.

Ergo-me sobre o banco, olhando através da janela escura. Seokjin dá uma volta, estacionando atrás do extenso restaurante como o planejado. Todos põem seus respectivos bonés pretos que tampam quase seus olhos e suas máscaras que escondem seus narizes para baixo.

Suga e Namjoon olham para mim que faço sinal com a cabeça, entendem e saem da van, indo para a parte da frente do restaurante. Escuto um tiro alto vindo de lá de dentro, faço sinal para os outros para irmos.

Jackson e os outros vão à frente, andando agachados pelo perímetro, verificando se está tudo certo. Os sigo pelos cantos parede, ajeitando o fuzil em minhas mãos e deixando na altura de meu peitoral. Tudo estava muito silencioso. Puxo uma mini lanterna de dentro de meu tênis e a ligo.

Damos coberturas para Yugyeom que destranca a enorme porta de metal com um mini pedaço de ferro. Gira-o por dentro da maçaneta e a puxa com força, abrindo-a, dando passagem para nós. Vou à frente, adentrando em um corredor mal iluminado e passando por um, enquanto, os atrás de mim, checam tudo.

— Vá reto que chegará á sala que está o cofre. — A voz de Jungkook ecoa pela escuta. Assinto com a cabeça e avanço mais três passos quando sou parado por Jackson que põe seu braço á minha frente, me intervindo de continuar.

Ele ergue um de seus braços com o indicador em direção á uma câmera que tem ao lado da porta no alto. Aproxima-se e mira seu revolver, dando um tiro, fazendo-a cair em pedaços no chão.

Youngjae avança á nossa frente, escancarando a porta e entrando no cômodo iluminado e faz sinal que está tudo limpo. Ando em passos largos até o enorme cofre preso na parede. BamBam e Jimin ficam de guarda na porta enquanto Jungkook passa as instruções para J-Hope para poder abrir.

Certo. — Pigarreia. — A parte dianteira de um cofre, há um botão circular que pode ser girado. — Ele procura pelo tal botão circular com os olhos e acha em questão de segundos. — Há números nessa circunferência, os quais geralmente começam no zero e progridem em sentido horário. Além de arrombar fisicamente o cofre, inserir uma série de números de modo correto é o único modo de abrir o abrir.

Jaebum... — Escuto uma voz grossa e masculina ecoar. — Que surpresa lhe ver aqui. — Tiro minha atenção de Hoseok e viro meu corpo para trás, onde dou de cara com Jinyoung e mais dois acompanhantes.

Faço sinal para Suga e Jackson darem cobertura a J-Hope que começa a tentar abrir o cofre. Puxo minha máscara para baixo, deixando-a debaixo de meu queixo. Respiro fundo.

— O que você quer? — Pergunto frio, encarando-o. Mark tem sua arma apontada para  cabeça de Jimin e Sehun com a sua apontada para a de BamBam. — Aliás, acho que está faltando gente da sua ganguezinha de merda. — Forço um sorriso sem mostrar os dentes.

Uma gargalhada irônica escapa de seus lábios e a minha veia pulsa de raiva.

— Sério que vieram assaltar um restaurante? — Ignora minha fala anterior. — Vocês pensam muito pequeno. — Trinco o maxilar. — E quer saber... — Puxa fôlego. — Menos papo e mais ação.

Apareceram três homens encapuzados em questão de segundos com suas armas apontadas para nós. Sem pensar duas vezes, eu já havia dado um tiro na mão de um, arrancando-a fora. E os outros dois, um tiro em cada cabeça, deixando sangue respingado na parede atrás.

Automaticamente, mirei minha arma em Jinyoung que também tinha a sua mirada em mim. Um alívio me percorreu ao ouvir o cofre sendo aberto, mas continuei com a minha atenção cravada ao meu inimigo á minha frente que tinha seus olhos presos á mim.

— Se renda logo, Im Jaebum. — Silaba lentamente. — Sabemos que já ganhei isso. — Um sorriso vitorioso se forma em seus lábios.

— Ganhou? O quê você ganhou exatamente? — Faço me desentendido. Ele fecha a cara e dá dois passos á frente, deixando nossos rostos á centímetros.

Sinto o cano de sua arma encostar-se à minha cabeça ao lado, deixando todos os outros alertas. Mudo minha arma de mão, segurando ela com a esquerda e a encostando ao outro lado de sua cabeça. Meu corpo se enrijece.

Escuto tiros sendo disparados na parte da frente, aproveito e jogo o meu fuzil no chão ao meu lado. Antes que Junior pudesse reagir, puxo sua pistola de sua mão, jogando-a em um lugar qualquer.

Fico meio tonto ao receber um soco no meio de meu rosto, me fazendo cambalear para trás. Ele avança para cima, ao erguer seu braço para me dar outro soco, pego no mesmo, agarrando-o e começo a torcê-lo enquanto grita.

Jimin consegue sair da mira de Tuan, arrancando sua arma de si e a jogando para o corredor. Ambos começam uma lutam corpo a corpo. Levo meu olhar á BamBam que me dá um olhar que me deixa sem entender o que quer dizer.

Ele desliza com uma de suas mãos cautelosamente ao lado de seu corpo, puxa a barra de sua camisa para cima, onde me dá a visão de uma pistola. Em questão de segundos, a puxa, vira seu corpo bruscamente para Sehun deixando-os cara a cara e um tiro é disparado.

Jackson choca o corpo de Jinyoung contra a parede e ele grunha de dor ao suas costas ser chocada com tamanha força. Isso o irritou. Park dá um chute no estomago de Wang fazendo-o cambalear para trás, quase caindo, mas consegue se equilibrar.

Passa o polegar no canto de sua boca em que escorre sangue.

— Pega o dinheiro e vaza daqui! — Grito para J-Hope que sem exitar e com ajuda de Suga, começam a colocar o dinheiro dentro da bolsa preta.

Recuo para trás ao olhar para minha frente. Jinyoung parado com meu fuzil em suas mãos, mirando em mim. Seu nariz escorre sangue e um de seus braços, está meio torto. Em meio á uma briga travada com Mark, Jackson me joga sua arma que agarro e miro imediatamente para Junior.

— Se for para eu morrer, você também vai. — Digo entre os dentes, a destravando. — Iremos fazer companhia um ao outro no inferno.

Um sorriso diabólico surge em seus lábios. Um som ensurdecedor de tiro invade meus tímpanos, puxo a escuta do meu ouvido rapidamente, fecho meus olhos e dou algumas cambaleadas para trás, a arma de minhas mãos caí no chão, disparando um tiro contra a parede. Ao abrir meus olhos, meu corpo congela ao vê-lo caído no chão.


Notas Finais


Peço desculpas se tenha ficado pequeno ou se tenho os decepcionado. Para quem me acompanha minha nova fanfic "Mayday" (Markson) amanhã devo atualizá-la. E caso queiram a ler, deixarei a sinopse e link abaixo.

É preciso gritar para o mundo te ouvir, mas eu não consigo. Não consigo fazer com que me enxerguem como um ser humano, apenas como um garoto que foi morador de rua, ou melhor, "mendigo". Não consigo fazer com que me respeitem. Vivo nas sombras de um garoto sozinho. E se fosse você no meu lugar? Como se sentiria diante de tantos preconceitos e julgamentos? Fingiria não ter ouvido e fingiria estar tudo bem? — Mark Tuan.

Só você que não está escutando o meu chamar por seu nome. Só você que não está ouvindo as minhas súplicas para voltar para mim. Estou preso á sua alma, não adianta fugir e até mesmo, fingir que não sente nada. Querendo ou não, são duas respirações. São dois corações presos um ao outro. São dois lábios necessitados um pelo outro. São dois corpos querendo um ao outro. Cada vez que te trago de volta, ou pelo menos, tento, você traz consigo mil gritos e eu os aceito como um verdadeiro idiota. Então, me diga, qual é a sua próxima desculpa? O que temos a perder? Já que estou lhe perdendo? — Jackson Wang.

https://spiritfanfics.com/historia/mayday-7087698


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...