História Turn me On - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Divórcio, Drama, Família, Homem, Mulher, Romance, Sexo
Visualizações 17
Palavras 1.080
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Poesias, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Quando você ouvir meu nome - Au revoir Mon Amour.


Fanfic / Fanfiction Turn me On - Capítulo 1 - Quando você ouvir meu nome - Au revoir Mon Amour.

Quando você ouvir meu nome.

   Querido Ben,

Eu odeio você. Com todos os pedaços do meu corpo, cada átomo de mim, até a minha sombra te odeia. Eu te odeio a ponto de querer gritar alto o suficiente para toda a vizinhança ouvir. Benjamin. Eu te odeio, odeio o que você fez conosco, odeio o que você fez comigo.

Benjamin, conheci você antes mesmo de me conhecer, antes de decidir se usaria um vestido azul ou lilás nos meus 15 anos, eu já sabia que você iria de branco, porque você gosta de se sentir limpo, antes mesmo de descobrir se te amava, já sabia que você me pediria em namoro, ali mesmo, no seu aniversário de 18 anos, só por causa da enorme quantidade de vezes que você apertava a minha mão e fechava os olhos como quem pede ajuda a Deus… Antes mesmo de saber se eu cursaria direito, psicologia ou administração, já sabia que você se tornaria um grande engenheiro, porque você falava de construir coisas, impactar o mundo, mudar processos, realidades… e neste momento querido Ben, nem a sua maior construção é grande o suficiente para erguer uma ponte entre nós dois, porque nesse momento, meu amor, eu estou dividida em tantos pedaços que posso estar em todos os lugares, ou em lugar nenhum.

Queria ter maturidade o suficiente para te agradecer pelos momentos bons, afinal, você foi o meu melhor amigo, intérprete e amante… mas neste instante, pensar no quanto éramos bons juntos, só me machuca ainda mais.

Quando você ouvir meu nome, que o seu coração se transforme na imitação perfeita de uma montanha russa, que o desenho do meu rosto se esboce por detrás da sua retina, que o sorriso mais lindo que eu já dei na vida acompanhe o rascunho dos meus traços e que meus olhos imitem meus lábios nesse doce sorrir.
Quando você ouvir meu nome, que a sua alma e o seu corpo gritem de saudades minhas, que surja um aperto profundo e incansável no fundo do peito e que cada átomo seu implore por um abraço que apenas meus braços sabem dar, que seus olhos se transformem em caçadores dos olhos meus, que tenham sede de qualquer vislumbre ou notícias minhas.
Quando você ouvir meu nome, que a caixinha onde você guarda as suas melhores lembranças se abra, pois sei que estarei em mais de 80% delas. Que as lembranças das manhãs chuvosas e repletas de carinhos e aquele café gostoso na cama invada as suas manhãs frias e vazias. Que você se lembre das tardes desperdiçadas no sofá da sala assistindo qualquer filme idiota, enquanto eu sentia a sua respiração ofegante em minha nuca e seu corpo abraçava o meu. Que quando você estiver sozinho na sua cama, olhando para o teto, ouça a minha voz te chamando de qualquer apelido carinhoso, sinta meu corpo se jogando ao lado do seu e meus lábios enfeitando de beijos o seu rosto, que você lembre de quantos céus noturnos contemplamos na cobertura, fazendo juras e promessas de amor, que se lembre de quantas manhãs assistimos nascer e de como nossas mãos se encaixavam perfeitamente uma na outra. Que se lembre de como você dizia  que seu corpo nasceu um molde do meu e que você divide facilmente a sua vida em: antes de mim e depois de você.
Quero que você sinta a minha ausência na metade do seu corpo, que eu descobri que funcionava como travesseiro para o meu corpo inteiro, que sinta a minha falta no entrelaçar dos pés jogados em um tapete qualquer em uma tarde nublada. Quero que quando você ouvir o meu nome, ele venha trazendo com ele todas as músicas lindas que fizeram parte de nossa história, que traga as travessuras, as gargalhadas que preenchiam qualquer ambiente, que tragam os jogos e as apostas e todas as coisas que eram somente nossas. Que quando você ouvir meu nome, ouça a saudade gritar dizendo que a culpa é sua. Que o seu coração e o seu cérebro se unam e encontrem na sua consciência o porquê de eu ter escolhido partir da sua vida e que você jamais esqueça de que todos que partem, partem partidos.
Quero que você sinta nos ombros o peso de milhares de pedacinhos, que encontre seu nome cicatrizado em todos eles e que reconheça o quebra cabeça que se tornou meu coração. Que quando você ouvir meu nome, se pergunte se ainda acordo descabelada, se ainda adoro o filé à parmeggiana, se ainda tenho os mesmos sonhos, se já fiz a tatuagem que sempre quis, se estou construindo boas amizades, se tenho novas histórias para contar e se uma vez ou outra eu ainda lembro de você. Que quando você ouvir meu nome, você sinta a minha falta, sinta saudades, sinta vontades e sinta um angústia muda e saiba que você foi o principal responsável por essa minha fuga.
Que você saiba que eu te amei além do que o amor pode amar, que senti saudades, que já senti vontades, mas que hoje eu apenas sinto muito. Sinto muito por você, que conseguiu me perder de todas as formas possíveis. Que quando você ouvir meu nome, se lembre de como ele combinava perfeitamente com o seu. Que quando você ouvir o meu nome, ele ocupe o maior espaço possível em seus pensamentos, que você passe as tardes, as manhãs e as madrugadas se perguntando o porquê de tudo isso ter acontecido, o porquê da minha distância, ausência e fuga e que quando isso acontecer o seu reflexo denuncie o maior culpado.
 Você sabe, já teve o seu coração despedaçado antes, sabe que o tempo cura, que o amor próprio faz a sua magia e que tudo isso traz de volta a segurança maravilhosa de ser quem é, que mesmo partido o seu coração ainda é um bom partido e por mais difícil que possa ser, talvez o amor possa acontecer de novo.  

Querido Ben, quando você ouvir meu nome... que a saudade bata e que você apanhe.

Respirei fundo mais uma vez, dobrei o papel e guardei dentro do mesmo envelope que guardei os papéis do divórcio.

- Entregue ao Benjamin, por favor. - foi tudo que consegui dizer.

- Certo, mais alguma coisa Helle?

- Diga ao Benjamin que se ele precisar de mim… não, não diga nada Stella. Tenho que voltar para o escritório. Se cuide. - me despedi da secretaria com um sorriso e fui embora.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...