História Turtle is stranger - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Kuragehime, Princess Jellyfish, Romance Hetero, Transsexualismo, Travesti, Viagem, Yaoi
Visualizações 22
Palavras 1.002
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


OE

Então, eu ia postar esse capítulo ontem porque era aniversário do meu namorado (OI FEIJÃO <3) porque ele me ajudou e deu a idéia de fazer uma fic nesse estilo, então eu não taria escrevendo ela se não fosse ele.
Hehehe <3

Eu demorei pra postar, dsclp.

Eu queria pedir que para quem lê a fic, e gosta dela. Recomenda-se para os amigos ou sla, pessoa que gosta desse estilo de história.
Boa leitura <33

Capítulo 3 - Capítulo três


-Esse é o plano. Quer que eu fale ele de novo? - Ela pergunta, sorrindo torto.

-Você é maluca. - Digo.

-Obrigada, eu sei disso.

-Não tem como nós fazermos isso, não mesmo. Você vai se dar muito mal.

-Eu sei.

-A gente pode se ferrar legal.

-Eu sei disso, Will. Tenho tudo planejado.

Aquele era definitivamente um péssimo plano.

-Bosta. - Digo.

-Will, cara se acalma. Olha, nós apenas vamos para a minha casa, no horário que a minha mãe está tomando banho. E vamos até o escritório dela. Você vai ficar do lado de fora, e eu vou procurar o que quero. - Ela explica novamente, passando segurança para mim. Mas eu não havia feito nassa assim antes. Ela é maluca.

-Chloe, o que você vai pegar no escritório da sua mãe?

-O endereço da casa do meu pai. Eles se separaram e ela nunca deixou eu ir visita-lo. Ela me expulsou da porra da casa dela, então agora vou encontrar ele. Eu sei que ela tem o endereço lá. - Ela fala, abrindo sua mochila e revirando ela a procura de alguma coisa.

-Eu pensava que você ia roubar dinheiro. - Admito.

-Não, não preciso do dinheiro daquela puta. Eu já tenho minhas economias no banco, e trabalho. Não se preocupe, vamos apenas pegar o endereço. - Ela explica, mas mesmo assim. Ainda sinto um pouco da adrenalina em meu corpo apenas por pensar que iremos entrar em uma casa escondidos.

Aonde fui me meter?




_





Depois de jantarmos com o pessoal, e eu suspeitar de que Carlos está tentando flertar com a Chloe menino. - ou Noah- me senti estranho.

Não sei se foi ciúmes, ou tristeza. Mas me senti mal e com raiva por ver o Carlos dando em cima dela. E ainda porque ele pensa que Chloe é um menino.

Ele nunca iria falar com ela se soubesse que Chloe é uma menina.

Nós vamos para o meu quarto, normalmente. Ela decidiu que seria melhor esperar os meninos dormirem, e mesmo eu sabendo que Carlos fica a madrugada inteira escrevendo seus romances. E os outros fazendo sei lá o que. Nós simplesmente vamos ignorar esse fato e sair pela porta de trás, que dá para o quintal dos fundos da casa. Ou, a garagem. Aonde tem uma van, eu acho. Raramente vou lá.

-Acho que, se nós esperarmos uma hora. Como eu fazia lá em casa, eles não vão nos escutar saindo. E eu vou ter tempo de arrumar minhas coisas e separar minhas roupas. - Chloe diz, enquanto se senta em minha cama. Após chegarmos ao meu quarto.

-Nem pense em ficar nua no meu quarto, se você quer se trocar trate de ir ao banheiro. - Digo olhando-a sério.

-Ah nossa, porquê? Você não quer me ver nua? - Ela pergunta me olhando maliciosamente.

-C-cala a boca. Se você quer se trocar eu saio. - Digo, fechando a porta e indo para o banheiro.



_




-Para de se tremer, até parece que está tendo Parkison. - Chloe reclama enquanto descia o muro. Dando um salto.

Não sei como ela consegue fazer isso, me sento no muro e tento descer lentamente. Sem pular muito alto. Mas acabo caindo de bunda no chão.



Ótimo.



-Merda. - Xingo baixo, me levantando. Chloe está com a mão na boca para não rir alto. Já são 01:46 da noite.

A gente pode se dar muito mal.

-Vamos, Will. - Ela chama, caminhando em direção a uma janela. Provavelmente a janela do escritório de sua mãe.

-Porquê caralhas sua mãe estaria tomando banho a uma da manhã? - Pergunto enquanto caminhávamos silenciosamente em direção a janela.

-É um banho com aqueles sais de macumba, coisa que mulheres fazem. Pode acreditar, nem eu entendo. - a explica, quase sussurrando.

Ela pula na trepadeira que estava junto a parede. Escalando ela rapidamente e abrindo a janela com uma chave que estava em seu bolso.

Chloe estava vestida como um menino, e estava com sua mochila. Que havia lanternas e coisas assim dentro dela, mas não estava com o cabelo chanel dentro do boné. O que fazia ela parecer bem masculina, mas não um menino totalmente.

Ela abre a janela e faz um sinal com a mão para que eu suba. Meu coração quase para quando percebo que estou subindo em direção a ela. Nunca pensei que conseguiria fazer isso.




_




-Anda logo. - Sussurro para o vão da porta. E ouço Chloe falar algum palavrão. Daqui a pouco a mãe dela sairia do maldito banheiro, e Chloe ainda não havia encontrado o endereço da casa de seu pai. Não podia ir simplesmente tudo por água a baixo.

-Porra! - Escuto ela berrar do outro lado da porta, e a abro. Com medo de que ela houvesse quebrado alguma coisa, mas não.

Ela estava com provavelmente alguma conta que continha o endereço da casa dele, e estava com um sorriso enorme. Ela parecia realmente feliz.

-Você encontrou?

-Sim! - Ela responde, mostrando o papel em suas mãos para mim. Ela parecia uma criança que acabara de ganhar um brinquedo.

-Ótimo, vamos embora daqui logo. - Falo, indo em direção a janela do escritório.

Mas a mãe dela sai do banho neste exato momento.

-O que você está fazendo na minha casa?!? -Ela grita, vindo correr em nossa direção.

Ela está de toalha.



Que horrível.



-Will, corre! Bosta! Anda! - Chloe grita, já descendo pela janela. A sigo, quase tropeçando e caindo no chão. Mas consigo descer.




_





A mãe dela nos alerta que irá chamar a polícia enquanto descemos, e várias outrad chantagens, mas ela está de toalha. E não pode sair de casa, e também, era um direito de Chloe ir para a casa de seu pai.

-Você escutou, garota? Se eu te encontrar vou mandar prender você e esse guri por invasão de domicílio! Eu vou te encontrar! - Ela grita, furiosa. Da janela, Chloe ri sarcásticamente enquanto ela sobe o muro da casa, tentando chegar ao outro lado da rua. Assim como eu estava tentando fazer.

-Você não vai me encontrar, pode apostar. E também, eu não ligo! - Ela grita, rindo. Sua mãe começa a xinga-la. Chloe e eu descemos rapidamente do muro e ela mostra o dedo do meio para ela.


-Você nunca vai me achar! Sua bosta!


Notas Finais


E morreu.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...