História Tvd crazy hot - Capítulo 11


Escrita por: ~ e ~Sra_TVD

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Tags Delena, Klaroline, Stelena
Visualizações 357
Palavras 1.352
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Ecchi, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi amoreeeeeeeeeeees, td bm? Espero q ss.

Demorou mais aqui estamos nós trazendo mais hot p vcs. Espero q gostem.

Boa leitura e dsclp qqr erro ortográfico.

Bjsssssssssssssssssssss.

Capítulo 11 - A Perfeita Dançarina


Fanfic / Fanfiction Tvd crazy hot - Capítulo 11 - A Perfeita Dançarina

P.O.V Elijah

Sempre que fico entediado ou cansado de tudo, eu vou para uma boate. Lá sempre tem boas meninas que me destraem de minha vida chata e do meu trabalho careta. Ver elas dançando é um enorme prazer para mim, com todas aquelas curvas, todos aqueles movimentos.

Hoje não foi diferente dos meus dias. Fui para minha boate favorita: Boate de Nova Orleans. Disseram-me que eles teriam uma nova dançarina, estava louco para ver quem era, mesmo que eu não possa ver o rosto das dançarinas por conta da máscara, eu queria muito ver seu corpo e suas curvas.

Me sento a uma mesa em frente ao palco, ansioso pela entrada da nova dançarina. Como o show ainda não estava prestes a começar, saquei meu celular do bolso e comecei a mexer nele. Entrei no Spirit Fanfic e comecei a ler as histórias que eu havia salvado mais cedo, mas quando abri o capítulo, um homem começa a falar:

-E agora, apresentamos a nossa mais nova dançarina: Miss Mistery!

Olhei o mais rápido possível para o palco e vi a entrada de uma linda morena, com uma langerie sensual e brilhosa, salto quinze no pé, ela estava muito formosa, não daria para negar. Sua cintura é fina e delicada, seus peitos são volumosos e acenturados, sua bunda é redondinha e perfeitinha, mas suas pernas foram o que mais havia me chamado a atenção, eram gostosas. Ela era inteiramente perfeita, seu único defeito era não poder mostrar o rosto. Fiquei deslumbrado a cada passo que ela dava, chegando mais e mais próximo da barra de polidance.

Ela agarra com as duas mãos a barra de ferro e olha para o público, quando a música começa a tocar, ela se concentra nos movimentos e sobe na barra, com a força de seu braço. Seu corpo subia e descia por todo aquela extenção de metal, confesso que aqueles movimentos abriram espaço na minha mente para uma coisa nada descente. Imaginei ela subindo e descendo em meu pau igual fazia na dança.

Me inclinei mais para frente para poder prestar melhor atenção nela, até que, uma hora, ela olha para mim e vê que toda minha atenção está nela e me lança um sorriso, e começa a dançar para mim, me olhando. 

Eu não queria que a dança acabasse nunca, mas a música parou de tocar e a dançarina saiu do palco. Chegou uma outra no lugar dela, mas nem dei atenção, apenas me retirei da mesa e saí para fumar um cigarro na parte externa do bar.

Me encosto na parede e vejo que uma morena, de jaquetão, meia calça e bota de salto preta, se encosta ao meu lado e puxa o cigarro da minha mão e coloca entre seus lábios. Olho para ela confuso e um tanto surpreso.

-Pensei que me curtisse- falou ela. Olhei mais confuso ainda para ela- Eu sou a dançarina que você estava secando no palco.

Ela dá mais um tapa no cigarro e joga o resto no chão, pisando em cima para apagar a parte acesa.

-Pensei que dançarinas não pudessem revelar suas idêntidades- falei apreensivo.

-Bom... Você não tem cara de quem vai sair contando meu segredo para todo mundo- ela sorri divertida, como se fosse um tipo de jogo.

Solto uma risada nasal, já entendendo seu jogo.

-Você não vai fazer mais nenhum show?- pergunto com um sorriso.

-Não, por que? Algo em mente para nós dois?- ela pergunta. Caralho, essa mina sabe jogar.

-Só se você tirar a máscara- eu desafio.

Ela olha para os lados, procurando algo. A rua não estava deserta, mas também não era como se só tivesse nós dois aqui.

-Aqui não- ela fala preocupada.

-Por que?- eu pergunto com um ar de quem ganhou briga.

-Muita gente- ela responde.

-Mas você vai tirar pra mim- eu digo confuso.

-Mas eu confio em você- ela me olha nos olhos- Não sei por que, mas confio.

-Vamos pro meu carro- falo revirando os olhos. Ela me lança um sorriso de agradecimento.

Ao entrarmos no carro. Ela se vira para mim e leva as mãos para trás da cabeça, desfazendo o laço. Quando a máscara cai e eu finalmente vejo seu rosto, e que rosto... Não era só seu corpo que era perfeito, mas seu rosto também, agora sim, defeinitivamente, ela era perfeita por inteito.

Nós ficamos nos olhando um bom tempo até que ela me surpreende e me beija, eu retribuo na mesma intensidade. Ela passa suas pernas por cima de mim e senta em meu colo, robolando sua bunda perfieta em meu pau. Ela tira aquele sobretudo que estava vestindo e me dá a visão de seu lindo corpo. Ela joga a peça de roupa no banco de trás e esfrega os peitos na minha cara, sem querer. Reparei que ela estava usando a mesma langerie que usava no palco, na hora do show.

Ela voltou a me beijar e eu levo minhas mãos, que até então estavam paradas, em sua cintura, subo-as e agarro seus peitos, como eu imagienei, eles couberam perfeitamente na minha mão. Deslizei minhas mãos para suas costas em busca do feixo do sutiã, quando acho, tiro-o rapidamente e jogo na mesma direção em que ela jogou sua peça de roupa anterior.

Sem quebrar o beijo, ela tira meu paletó e minha camiseta social e afasta de perto de nós. Uma de minhas mãos que estavam em seu rosto, descem para apertar seus seios nus, que enrigeceram, enquanto a outra que estava na cintura, desce para dentro de sua calcinha e a masturba. Ela inclina a cabeça para trás e geme, e eu aproveito a oportunidade para morder seu queixo, chupar e judiar de seu pescoço.

A Miss Mistery sai de cima de meu colo e senta no banco ao lado do meu, tirando sua bota, meia calça e calcinha, enquanto ela fazia todo esse processo eu tiro minha calça e minha cueca e jogo no banco de trás e volto a atacar seus lábios com desespero. Ela desce sua língua até meu queixo e meu pescoço e morde ambos. Sua boca desce mais um pouco e começa a chupar meu tanquinho, mas não fica parada por muito tempo, pois ela desce novamente e abocanha meu pau, que já estava latejando e implorando por ela. Ela desce a cabeça fazendo vários "vais" e "vems", eu seguro seu cabelo e deito minha cabeça para trás, só aproveitando e gemendo. Depois de eu ter gozado em sua boca e ela ter engolido tudinho, ela volta para meus lábios e me beija.

Sem quebrar o beijo, eu encosto ela delicadamente na porta do carro e desço meus lábios por todo seu corpo, fazendo uma parada especial em seus seios, chupando-os com vontade. Desço novamente e paro bruscamente em sua buceta, que já estava toda molhadinha. Chupo o que ela já havia produzido e engulo tudo. Continuo com movimentos devagar com a língua, circulando seu clitóres e fazendo ela gemer igual a uma louca:

-Me fodeeeee, agora, por favor- ela implorava.

Tiro minha cabeça de entre suas pernas e me sento novamente no banco de motorista, ela se senta em cima de mim e posiciona seu membro em sua entrada, roçando ele ali e me torturando mais, até que não aguento a enrolação e a puxo com tudo para baixo. Ela solta um grito eufórico por tudo ter entrado de uma só vez, mas depois ela acaba se soltando a cavalgando melhor em cima de meu pau. Eu segurava e mamava em seus peitos enquanto ela quicava e gemia.

-Oh meu Deus- ela geme- Aaaaaah...

Eu suspirava forte enquanto ela quicava cada vez mais rápido, quando ela foi desacelerando eu soube que ela estava chegando ao ápce, então eu comecei a acelerar os movimentos, penetrando ela com força, até que ela cai no meu ombro e eu chego ao meu ápce também.

Ela se senta no banco ao meu lado, mole e me encara.

-Meu nome é Hayley- ela diz com um sorriso malicioso.

-Prazer- eu digo- O meu é Elijah.

Nós trocamos um sorriso e ficamos um tempo conversando.


Notas Finais


Ent gente? Oq acharam? Gostaram? Espero q ss.

A gnt se vê no próximo capítulo. N esqueçam de deixar nos comentários qm vcs qrem p o próxim capítulo.

Bjsssssssssssssssssssssssss.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...