História Twentieth - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Crystal Reed, One Direction
Exibições 70
Palavras 4.279
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Escrevi e postei pelo celular, então provavelmente a formatação ficou ruim. Desculpem! ❤️
Notas finais são importantes😉

Capítulo 9 - Garry Brown


Fanfic / Fanfiction Twentieth - Capítulo 9 - Garry Brown


Milão, Itália 
Olivia Argent


O desfile começaria dentro de uma hora e meia e eu não poderia estar mais nervosa. Corria de um lado para o outro sobre os saltos altos no backstage, as modelos estavam terminando de serem maquiadas e os cabeleireiros finalizavam seus trabalhos. 
Harry estava na entrada do salão, auxiliando as recepcionistas e terminando de organizar o mapa de cadeiras. 
– Olivia, minha deusa – Keith gritou – Preciso de sua ajuda com essa saia. 
Eu preferia trabalhar em casa, então não aparecia muito no escritório, desse modo Keith era meu auxiliar e meu representante, ele coordenava as costureiras e conferia o estoque de tecidos e materiais. 
– O que aconteceu? – perguntei segurando um pequeno kit de costura que estava solto sobre uma das cadeiras. 
– A cintura está solta e há um rasgo na barra – ele contorceu o rosto – Não sei como isso aconteceu, Liv, sinto muito. 
A modelo permaneceu estática enquanto eu ajustava o tecido em seu corpo e Keith tentava resolver o rasgo. 
Meu celular começou a tocar em alto volume, fazendo-me fechar os olhos, com medo de uma noticia ruim. 
– Keith, a cintura está pronta. 
– Muito obrigada, Liv. Eu termino aqui, pode atender seu homem – ele falou indicando o aparelho que brilhava sobre a bancada de maquiagem. 
– Me chame se precisar de algo – pisquei antes de pegar o celular, vendo o nome de Liam brilhando na tela. 
– Alô – atendi a chamada enquanto saia do backstage barulhento. 
Muito ocupada agora? 
– Tenho alguns minutos livres. 
Como você está? 
– Nervosa – respondi mordendo o lábio. 
– Não fique, tudo vai estar perfeito, exatamente como você planejou. 
– Você acha? 
Sim. Você não tem motivos para ficar nervosa, é uma grande profissional e tenho certeza de que todos irão amar suas criações. 
– Obrigada – minha voz soou baixa. 
Eu costumava ficar nervosa antes de desfiles de novas coleções, já era algo corriqueiro, entretanto naquele dia eu estava me sentindo extremamente ansiosa e tinha dificuldade até mesmo para respirar, era como se algo estivesse errado e eu não conseguisse perceber. Não me sentia segura, algo estava faltando e eu tinha um palpite do que eu precisava naquele momento, mas admitir em voz alta a saudade de Liam era demais para mim. Admitir que um abraço apertado e recheado com seu perfume incrível acalmaria meus ânimos era como aceitar uma pena de morte. Eu não devia e nem queria. 
– Preciso voltar ao trabalho, parece que um idiota tentou grafitar a muralha da Torre de Londres
– Tudo bem, vai salvar o mundo – um sorriso leve surgiu em meu rosto.
Você vai ficar bem? 
– Sim. 
Vou buscá-la no aeroporto amanhã, Harry me enviou o horário de chegada do seu voo. 
Romeu, precisamos de você aqui! – alguém gritou ao fundo. 
Um segundo, Connor! – afastei o aparelho da orelha quando Liam gritou – Desculpe
– Não se preocupe, você precisa ir. 
Fique calma, seu desfile vai ser incrível. 
Payne, não estou brincando! – outra voz gritou.
Acredito em você – Liam disse rápido antes de encerrar a ligação. 
Respirei fundo, guardando o celular no bolso traseiro de minha calça magenta. Empurrei o cabelo para trás e fechei os olhos, precisava me acalmar ou teria um ataque de nervos. 
– Liv, procurei você por toda parte! – Harry apareceu agitado, tirando-me do meu estado de serenidade forçada – Você precisa se arrumar, há uma equipe pronta para você, venha. 
– Não estou me sentindo bem, Styles – murmurei segurando sua mão estendida e seguindo-o por corredores escuros.
– Você não comeu desde o café da manhã. Precisa se acalmar, se alimentar e se arrumar. 
Demorei pouco tempo para estar devidamente pronta. Eu estava usando um vestido da coleção, de veludo cobre com caimento solto e mangas longas, e uma sandália azul marinho de Gianvito Rossi, um amigo e estilista. 
– Vinte minutos para o desfile começar – Harry anunciou enquanto acompanhava até a cadeira marcada com meu nome. 
Eu continuava nervosa e não queria contato com nem uma pessoa, por isso desbloqueei a tela de meu celular, deparando-me com inúmeras mensagens. 
"Amo você e sei que hoje será mais um dia incrível para entrar na sua historia. 
Brilhe como sempre. 
PS.: Não esqueça da prova de vestidos amanhã no fim da tarde!"
dizia Emilia. 
"Acreditamos em você, gata. Seja maravilhosa como sempre e vá para alguma balada italiana comemorar!" a sugestão de Blair me fez rir
"Querida, sei que está nervosa, mas tudo vai ficar bem e você vai brilhar como nunca. Todos vão amar suas criações da mesma forma que amamos você." A mensagem de meus pais estava acompanhada por uma foto dos dois ao lado de Emilia e Zayn, todos sorrindo e fazendo "joinha" com as mãos. 
– Vai começar – disse Harry, sorrindo para mim. 
Uma a uma as modelos entraram na passarela, desfilando as peças criadas por mim ao longo de sete meses para esse desfile. As roupas logo estariam a venda pela internet. 
Quando faltava poucos minutos para  o a ultima modelo desfilar, dirigi-me até o backstage e me preparei para encerrar o desfile. Após a ultima modelo, Gisele Bundchen desfilar, todas se reuniram no inicio da passarela. Entrei na visão do publico e andei rapidamente até o centro da parte inicial da passarela, segurando as mãos de duas das modelos, Gisele e Isabeli Fontana – duas brasileiras maravilhosas que estavam sempre presentes em meus desfiles –, andei até o fim e então a chuva de prata foi ligada e as modelos começaram a se abraçar e parabenizar a mim pelo evento. 
Algumas horas depois minhas malas já estavam fechadas sobre a cama e eu estava vestida e com todo o necessário para a viagem em uma bolsa. 
– Por que você não viaja amanhã pela manhã e aproveita a noite? – Harry perguntou enquanto me ajudava a colocar as malas no elevador do hotel. 
– Saudade do Marsh – dei de ombros.
– Obviamente você está com saudade apenas dele, entendo. 
– Você vai ser demitido algum dia. 
– No dia em que as vacas voarem, você não vive sem mim. 
Harry ajudou-me a colocar a bagagem no taxi e então fui em direção ao aeroporto. Estava com tempo de sobra, então comprei café e um pedaço de bolo para comer enquanto esperava o voo. 
Falei com Emilia por mensagens, ajudando-a a escolher alguns itens da decoração do casamento e quando o horário finalmente chegou, fui até o portão de embarque, esperando na fila que se formava em frente ao balcão da companhia para entregar o passaporte e a passagem. 


Londres, Inglaterra 


O universo parecia estar conspirando ao meu favor e tanto o voo quanto o taxi até minha casa foram rápidos. 
Larguei a bagagem perto da porta de entrada de meu apartamento e joguei-me sobre o sofá após tirar as botas de salto. Marsh saltitava e latia feliz, pedindo atenção que eu não tinha energia para dar. Meus olhos se fecharam e quando abriram eu estava deitada no chão, com meu cão descansando sobre minha barriga. 
– Você está com fome, Marsh? – perguntei
Suas orelhas negras levantaram e logo ele estava correndo alegre na direção da cozinha, onde seu pote verde ficava. 
Alguém bateu na porta enquanto eu terminava um pote de iogurte, girei a chave e puxei a maçaneta. 
– Liam – sorri 
– Você parece cansada – disse ele entrando em minha casa. 
– E eu estou. 
– Então arranje energia, pois no fim da tarde vamos para o litoral, onde iremos pegar o navio. 
– Você tem certeza que ele estará no cruzeiro?
– Sim. Garry Brown, garçom. 
– Certo – suspirei – Você ainda não encontrou nada sobre Sebastian? 
– Estou trabalhando nisso, não se preocupe. 
– Você não vai arranjar problemas no trabalho com tantas faltas? – perguntei sentando no sofá 
– Não, posso recuperar essas horas em outros dias e fiz um acordo com Connor, ele está me cobrindo. 
Concordei com um aceno de cabeça. Se Liam não estava com problemas na delegacia, tudo estava indo bem. Olhei meu celular e percebi que estava perto do horário da prova do vestido que Emilia havia me avisado. 
– Preciso ir provar o vestido para o casamento da minha irmã, quer me acompanhar? 
– Seria um prazer, senhorita – ele sorriu. 
Liam esperou pacientemente enquanto eu tomava uma ducha rápida e vestia roupas quentes acompanhadas por botas de salto e cano longo. 
Fomos em seu carro até a loja de vestidos de noivas e lá procurei a vendedora responsável por todas as roupas da cerimonia de Emilia. A mulher conduziu-me até uma sala grande, onde estavam minha mãe e irmã. 
– Você foi fantástica! – Em gritou assim que colocou os olhos em mim, correndo para me abraçar com força. 
– Foi um desfile brilhante, querida – disse minha mãe ao colocar sua mão sobre meu ombro e bate-la levemente. 
Logo a vendedora pediu que eu a seguisse até uma sala menor que servia de provador. O vestido, que havia sido desenhado por mim, estava pendurado em um cabide dourado. Seu tecido era estampado, com o fundo em um tom claro de rosa e a presença de algumas flores delicadas em toda sua extensão. 
Coloquei o vestido em estilo tomara-que-caia com a ajuda da moça, Sharon, e voltei para a sala onde os outros estavam esperando. 
– Você está linda – Liam foi o primeiro a comentar, com seus olhos fixos em mim. 
Sorri de volta e desviei meus olhos dos seus quando senti meu rosto se aquecer. Subi em um pequeno palco branco em frente a um espelho e deixei que Sharon usasse alfinetes para marcar os lugares que deveriam ser ajustados. 
– Você emagreceu demais – minha mãe disse com a boca contraída – Vai ser apenas pele e osso no dia especial de sua irmã. 
– Acho que Liv está perfeita, mãe. 
– Eu acredito que ela deveria cuidar mais da saúde e menos da segurança da cidade – disse ela disparando um olhar rude na direção de Liam. 
– Tenho compromissos agora, posso ir embora ou há algo mais a ser feito?
– Pode ir, Liv – Em respondeu-me – Já experimentei meu vestido e mamãe também, está tudo dentro dos planos. 
– Ótimo – desci do palco – Vou colocar minhas roupas. 
Sharon, que parecia encabulada após a situação tensa na loja, ajudou-me a retirar o vestido sem ter meu corpo espetado por alfinetes e, após vestir minha calça, sueter e casaco pesado e calçar minhas botas, voltei aonde Liam me esperava. 
– Seu compromisso envolve o policial? – minha mãe perguntou ríspida
– Isso é um assunto meu – pisquei – Mande beijos para meu pai. 
Despedi-me com um abraço apertado de Emília e segurei a mão de Liam para sairmos da loja. 
– Sua mãe não gostou de mim – comentou ele enquanto dirigia calmamente.
– Ela não gosta de mim também – dei de ombros – Desculpe pela situação. 
– Não se preocupe, contanto que você goste de mim, tudo está ótimo. 
– Não gostar de você tornaria nossa convivência insuportável.
– Então você admite gostar? 
– Com um pouco de álcool no organismo talvez eu possa responder isso. 
– Teremos uma maravilhosa viagem de cruzeiro juntos, vou me certificar que você tome algo que a deixe bem sincera. 
Algumas horas depois, após voltarmos para casa e organizarmos nossas malas, nos dirigimos a uma pequena cidade vizinha, em seu porto estava parado o enorme navio que iria até a Itália e depois em direção à América Central. Ficaríamos no cruzeiro até ele parar em San Fernando, no litoral da Espanha, próxima ao Estreito de Gibraltar, seria tempo o suficiente para encontrar Garry e estabelecer contato. 
Liam ficou responsável pela burocracia pré-embarque e enquanto ele resolvia tudo, eu falava com Harry via mensagem de texto sobre a sessão de fotos que eu faria para a revista Marie Clarie, vestindo minhas criações. 
– Tudo pronto, podemos embarcar – disse Payne surgindo ao meu lado. 
Um funcionário logo apareceu e se dispôs a colocar nossas malas sobre um carrinho e leva-las até nosso quarto.

Oceano Atlântico, Norte 


A cabine tinha o piso revestido por um carpete estampado em azul marinho e bege, uma das paredes era totalmente revestida por vidro e se abria para uma pequena varanda. Havia uma grande cama de casal e em frente a ela, uma bancada com inúmeras gavetas e um espelho. Ao lado do armário ficava uma porta que se abria para o banheiro decorado em tons claros. 
Larguei minha bolsa sobre a poltrona branca que ficava em frente a parede de vidro e esperei que o funcionário do cruzeiro e Liam colocassem a bagagem no quarto. 
– Reservei uma mesa para você no restaurante do hotel hoje a noite, haverá um show durante o jantar e você vai ter chances de falar com Garry Brown. 
– E onde você vai ficar durante o jantar?
– No bar do navio, vou esperar você até a meia noite, se não aparecer entenderei que tudo está saindo como o planejado e então voltarei para a cabine. 
– Certo. 
– Vá se arrumar então, o jantar começa em duas horas. 
Após um banho rápido e morno, passei hidratante corporal e vesti o que havia escolhido que consistia em uma longa saia verde oliva com uma abertura sobre cada perna e um cropped preto amarrado ao pescoço. Calcei sandálias pretas de salto e então prendi meu cabelo em um coque e maquiei meu rosto de forma leve. 
– Você está, uau – Liam disse quando saiu do banheiro após seu banho e me avistou totalmente pronta.
– Acha que dessa vez vai dar certo? 
– Se ele for um cara decente, com certeza. 
– Se ele não for o certo sobrará apenas Sebastian. Já encontramos todos os outros e foram enormes decepções. 
– Não é sua culpa, eles apenas não eram certos. Agora coloque um sorriso no rosto e vá seduzir Garry Brown. 
– Me deseje boa sorte! 
O grande salão decorado em tons de bege e dourado estava lotado por mesas com toalhas brancas rodadas por cadeiras e no centro do local havia um palco onde uma banda tocava uma musica lenta.
Fui acompanhada pelo recepcionista até a mesa que Liam havia reservado, o homem puxou a cadeira e esperou que eu me acomodasse antes de perguntar o que eu desejava tomar, após meu pedido por uma taça de vinho branco ele se retirou. 
Havia garçons transitando por todo salão e a luz baixa do local dificultava minha visão, além disso eu havia apenas visto uma foto do atual Garry Brown, então precisava acreditar que minha memória fotográfica iria me salvar de um vexame desnecessário. 
– Seu vinho, senhorita – observei a taça pousar sobre a toalha clara – Deseja pedir agora ou mais tarde? 
Elevei o queixo para encarar os olhos do garçom e assustei-me ao me deparar com Garry Brown, exatamente como na foto; usava um smoking branco acompanhado por uma gravata borboleta preta, seu cabelo estava bem penteado e ele exibia um sorriso de dentes retos e brancos. 
– Nos conhecemos? - ele perguntou me encarando do mesmo modo que eu.
– Olivia Argent – estendi a mão em sua direção. 
– Claro! Como pude esquecer? Acompanho todas as suas criações, você se tornou uma profissional maravilhosa! Garry Brown – ele segurou minha mão – Como vai, Olivia?
– Ótima e você? 
– Vou muito bem. 
– Por que não colocamos a conversa em dia? Você tem algum horário de folga? – perguntei exibindo meu melhor sorriso e tentando expressar sensualidade em meu olhar. 
– Seria ótimo! Trabalho apenas a noite, mas já tenho planos para a tarde. Podemos conversar pela manhã. 
– Planos com companhia? 
– Sim, meu namorado também trabalha aqui no cruzeiro. 
– Namorado? Homem? – perguntei confusa
– Sim! 
– Mas eu achei que... achei que você  era hetero. 
– Eu também achei por um longo tempo, talvez pela pressão do meu pai, você lembra como ele era? "Meu filho precisa namorar varias mulheres" – ele revirou os olhos – Mas percebi que a sensação de vazio que eu sentia quando estava com mulheres não era sem fundamento. E tudo graças a você! 
– A mim? 
– Sim, Liv. Percebi durante nosso namoro e você sempre me disse para ser quem eu realmente sou, então terminei com você, mas não estava pronto ainda para expor a novidade. Quando finalmente me senti preparado, não tínhamos mais contato. 
– Uau –arregalei os olhos – Fico extremamente feliz por ter ajudado você. 
– Eu devo agradecimentos a você – ele se abaixou e abraçou-me rapidamente – Preciso voltar ao trabalho, mas nos vemos amanhã no saguão! 
Observei seu corpo alto e musculoso desviar de mesas e cadeiras em seu caminho de volta para a cozinha, tentando lembrar de como havia sido nosso término. 
Garry me chamara para sair e fomos até uma pequena sorveteria perto de seu trabalho, então ele me disse que não estava feliz com nosso relacionamento e queria terminar tudo antes de fazer alguma besteira como, por exemplo, me trair. Foi uma atitude que mostrou caráter de sua parte e lembro que não me senti triste, pois ele havia sido sincero. Talvez se ele tivesse dito o real motivo, eu poderia ter ajudado em sua revelação para os pais, ou talvez não. Não há como saber. 
Então naquele momento a realidade me atingiu com força. O numero 19 havia acabado de ser riscado, eu tinha apenas mais um ex namorado e Liam não fazia ideia de como encontrar Sebastian o que significava que talvez demorasse muito tempo até que eu o reencontrasse. E o casamento de Emília estava muito próximo, havia sido por isso que eu pensara em buscar meus antigos namorados, isso significava que todo meu esforço e o de Liam havia sido desperdiçado, por nada. 
Suspirei derrotada sentindo meus olhos se encherem e meu peito se apertar. Virei a taça cheia e em seguida pedi mais outra, e mais outra e mais outra, até que minha língua deixou de acompanhar a velocidade de meu cérebro e percebi que não havia comido nada e nem sentia fome. Informei o numero de minha cabine para que o valor do vinho fosse adicionado a conta e sai do salão, tentando pescar meu celular da bolsa pequena. Faltava vinte minutos para a meia noite, Liam ainda estava no bar. 
O bar do navio era um local amplo e iluminado por luzes azuis, roxas e alguns feixes de luzes brancas. Havia um grande bar circular, cuja bancada apresentava colunas finas de ferro que ligavam a base de mármore ao teto de vidro que possuía luzes brancas. Havia uma pista de dança brilhante em frente ao bar e mais distante ficava um conjunto de sofás em volta de mesas de sinuca. 
Me dirigi aos sofás em passos cambaleantes, até chegar a Liam que estava sentado no acolchoado preto e segurava um copo cheio. Puxei seu copo e bebi todo o liquido de uma vez. 
– Você está bem? 
– Deu errado. Ele é gay. Não tenho chances — disse pausadamente 
– E o que você pretende fazer? Ainda temos alguns dias aqui.
– Vamos aproveitar o navio, mas hoje eu pretendo me embriagar. 
– Você já está embriagada. 
– Não o suficiente – pisquei
Liam pediu alguns copos e bebemos rapidamente, fazendo algumas caretas ao sentir os líquidos descendo por nossas gargantas. Uma musica conhecida começou a tocar e motivada pela ousadia recém adquirida por meio do álcool, levantei do sofá e sussurrei a letra da música no ouvido de Liam. 
"hey hey, few things that I wanna say, still got my dignity" 
Virei-me de costas e andei rebolando o quadril até o bar, olhei por um segundo por cima do ombro para ter certeza de que Payne me observava e quando me certifiquei disso, apoiei-me na bancada e subi com a graciosidade que o álcool me permitia, equilibrei-me sobre os saltos e gritei junto com a música. 
"but there's one thing I gotta say: she can fuck you good, but I can fuck you better" 
Incentivada pelo ritmo da música segurei a coluna e fingi que dominava as técnicas de pole dance, rodopiando em torno do ferro enquanto rebolava o quadril e roçava meu corpo no metal frio. 
Peguei um copo que estava sobre a bancada e tomei o resto de vodka pura que estava ali, sentindo o gosto ardente em minha boca. 
Balancei meu cabelo, jogando-o de um lado para o outro. Passei as mãos por meu corpo e voltei a rodopiar, arriscando-me ao fazer algumas piruetas que foram bem sucedidas. Já segurava minha saia comprida na altura das coxas quando senti mãos segurando minha cintura e puxando meu corpo em direção ao chão. 
– Liam! Eu estava me divertindo! 
– Você pode se divertir na cabine, estou com sono e não posso deixa-la aqui sozinha nesse estado. 
– Minha performance deixou você com sono? – perguntei ofendida enquanto ele me puxava em direção ao corredor de nossa cabine 
– Claro que não, me deixou bem acordado. Mas estou cansado, preciso dormir. 
– E se eu não deixar você dormir? 
– O que você quer dizer com isso? – perguntou me olhando 
– Você entendeu.
Empurrei seus ombros com força, mas ele não se moveu, então joguei meu corpo em sua direção e quando ele estava com as costas coladas a parede, ataquei seus lábios com ferocidade. As mãos de Payne correram por minhas costas até chegar ao meu traseiro, ele o apertou antes de puxar-me para cima, encaixei minhas coxas nos lados de seu tórax, comprimindo seu corpo para não cair. Liam me segurou enquanto andava até a porta que deduzi ser a nossa, ele a abriu com o auxilio do cartão-chave e jogou-me na cama sem cuidado antes de voltar até a porta e tranca-la. 
Payne tapou meu corpo com o seu e colocou seus lábios contra meu pescoço, sugando com força minha pele. Coloquei as mãos por baixo de sua camiseta e forcei minhas unhas contra suas costas, sentindo-o tencionar os músculos e apertar meu quadril com as mãos fortes. Ajeitei minhas coxas ao redor de seu corpo, acolhendo melhor seu quadril e sentindo a presença do volume na parte frontal de seus jeans. Colamos os lábios novamente, fazendo nossas línguas se enrolarem e eu sentir seu gosto de bebida. 
– Eu não posso fazer isso, Liam – falo ofegante, tentando empurrar seus ombros para trás. 
– Por que não? – pergunta com a boca em minha orelha. 
– O número – respiro fundo, tomando fôlego – Não posso aumenta-lo. 
– Liv, esqueça isso – ele beija meu queixo – É uma bobagem. 
– Eu ainda tenho chances, não posso esquecer – falo abraçando sua cintura com força 
– Oral então. 
– Isso é sexo, Liam.
– Sexo oral, não é a mesma coisa.
– Desista, vamos apenas continuar assim, certo?
– Tudo bem – ele suspira e beija meu pescoço uma ultima vez – Vou tomar uma ducha fria e volto logo. 
 
Terminei de amarrar a parte superior de meu biquini e cobri meu corpo com um vestido com tecido fluido e transparente. Sai da cabine enquanto ajeitava meu chapéu marrom com uma mão e tentava fechar a porta com a mão que segurava minha bolsa. 
Com a proximidade do Mar Mediterrâneo, o dia estava quente e ensolarado, então Liam e eu decidimos aproveitá-lo no deck do navio. 
A brisa maritma atingiu meu cabelo quando sai do corredor para a parte exterior do navio. Fechei os olhos e respirei fundo, aproveitando a sensação de calma que não durou muito. Esbarrei em um corpo alto e andei alguns passos para trás, meio confusa. 
– Ei Liv! Como você vai? – Era Louis, com sua esposa perfeita. 
– Ótima. 
– Vimos seu show ontem a noite no bar, você tem muito talento na dança – disse ela com um sorriso que poderia ser amigável, mas eu julguei como falso porque não queria simpatizar com a loira. 
– Verdade, você estava bem animada. Parecia a Olivia do ensino médio. 
– Obrigado – sorri sem saber se aquilo havia sido algo positivo ou não.
– Olivia, comprei seu remédio e uma garrafa de água. Você precisa se hidratar e por o álcool para fora. 
Liam se aproxima e coloca uma das mãos sobre a base das minhas costas, entregando-me o comprimido e pegando minha bolsa para que eu pudesse tomar a água. 
– Então você é o noivo da Liv? Vejo que felizmente voltou em ótimas condições do Iraque – Louis diz olhando para nós dois 
– Sim, já casamos na verdade – falo antes que Liam se pronuncie 
– Estão passando a lua de mel aqui? Nós também! – Rachel fala animada
– Que coincidência incrível, não é mesmo? – Liam segura minha mão e entrelaça nossos dedos – Precisamos ir andando, tenham um ótimo dia. 
Sorrio para o casal perfeito como forma de despedida e ando ao lado de Payne até chegar a área das piscinas. Rapidamente encontro uma cadeira livre e largo minha bolsa no chão ao seu lado. 
– Tire o vestido. 
– Isso foi uma ordem? – arqueio a sobrancelha 
– Não, um pedido. Vou passar protetor solar nas suas costas – ele sorri, levantando a embalagem azul do produto. 
Tiro o vestido e o coloco dentro da bolsa, fico parada enquanto Liam desliza suas grandes mãos por toda a área de minhas costas. Ele chega na barra de meu biquini e então passa suas mãos em minhas nádegas expostas, apertando-as de leve antes de dizer que estava pronto. 
Retribuo o favor, passando o protetor em seus ombros largos e costas musculosas, sentindo sua pele quente com as pontas dos dedos. 
– Pronto para o sol – afirmo passando as mãos em minhas pernas para tirar o resíduo do produto branco. 
– Obrigada, senhora Payne – ele fala sorrindo e puxando meu quadril em sua direção.
– Senhora Payne? 
– Somos casados afinal, não?
Liam coloca a cabeça em meu ombro e beija lentamente meu pescoço, fazendo-me perder a linha de raciocínio. 
– O o que? – gaguejo. 
– Se estamos na nossa lua de mel, nada mais justo do que aproveitá-la – ele beija meu queixo – Estou errado? 
– Está coberto de razão.
E com isso puxo seu queixo para mim e junto nossos lábios. Sinto suas mãos passeando por minhas costas, ao passo em que as minhas se revezam entre arranhar levemente sua nuca e esfregar seus ombros. 
Eu estava perdendo o foco, Liam deveria me ajudar a encontrar o cara certo para mim. Ele não era esse cara, não podia ser. 
Eu ainda precisava encontrar Sebastian antes de declarar minhas chances como nulas. 
Mas não faria mal aproveitar alguns momentos com Payne, se esse era um desejo reciproco. Certo? Sim. 
 


Notas Finais


Desfile 👉 https://www.polyvore.com/cgi/set?id=202969176

Jantar 👉 https://www.polyvore.com/cgi/set?id=208162687


Gostaria de esclarecer as razões pela minha demora para postar: falta de tempo por causa da escola e dos dois cursinhos que eu faço pro vestibular, tive vaaarios problemas de saude e, alem disso, ontem a noite perdi uma pessoa extremamente importante na minha vida, por isso peço que ignorem se o final do capitulo ficou uma merda, mas acabei de escrever essa parte e a ultima coisa que eu consigo pensar no momento é no enredo da fanfic.
Vocês podem ficar calmas, eu não vou abandonar a fanfic enquanto não finalizar ela. De acordo com minha programação ela vai ter uns 15 capitulos (embora eu ame ler fanfics longas, não me sinto confortavel em escrever esse tipo).
Enfim, espero que tenham gostado.
Até o próximo!
Bjo bjo ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...