História Twenty-Two - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Avenged Sevenfold, Taylor Momsen, The Neighbourhood, The Pretty Reckless
Personagens Jesse Rutherford, Synyster Gates, Taylor Momsen
Tags Jesse Rutherford, Synyster Gates, Taylor Momsen
Visualizações 59
Palavras 5.836
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá minhas amoooraas, e nos somos 90 <3
Haaaa, queria muito agradeçer cada uma de voces <3

Bom, esse capitulo é de um conjunto de tres, ele conta o mesmo dia, só que por tres personagens diferente, esse é contado pala nossa Tay Tay <3

Não se esqueçam de ler o cap com a Playlist do capitulo, e me digam o que estão achando, o que estão esperando que aconteça, quero saber de tudo.
Peço desculpas se houver algum errinho ortográfico, ainda não foi feita a betagem.


Fatos sobre a fanfic para vocês conseguirem se situar e não se perder.
- Sempre prestem atenção nas datas, por que a fanfic sempre vai e volta no tempo. <3
- Se tiverem mais de quatro comentários eu vou postar o próximo no dia seguinte, se não o próximo capitulo saira dentro de 3 a 4 dias <3
A fanfic já está totalmente terminada, então eu simplesmente irei acompanhando a história com vocês <3
Acho que é só isso mesmo, espero que gostem do Capitulo.
Até as notas finais.

Capítulo 24 - Big Girls don't Cry (1-3)


Fanfic / Fanfiction Twenty-Two - Capítulo 24 - Big Girls don't Cry (1-3)

No Capítulo Anterior…

— Eu não vou te dar nenhum motivo para ficar — Falou sério para mim, ele falava alto — Porque você não merece ficar com alguém como eu. — Seus olhos se enchiam de água cada vez mais e elas escorriam ferozes e rápidas por seu rosto, as palavras dele entravam por um ouvido e saiam pelo outro — Você merece ser feliz, e realizar todos os seus sonhos que eu não sou capaz de realizar.

— Só que eu não quero que mais ninguém realize eles se não for você. — Minhas pernas estavam ficando cada vez mais moles, e eu estava prestes a cair. Brian foi rápido e me segurou, nós sentou no chão um ao lado do outro, passou seus enormes braços em volta de mim, me envolvendo em um abraço de urso.

Com os lábios colados no alto de minha cabeça, ele me ninava, enquanto eu tentava lutar comigo mesma. A bile me subia com fervor na garganta, enquanto eu tentava em vão me mover mas nada acontecia, chorei baixinho contra seu peito, tentando lutar contra o que acontecia, só que naquele momento todos os esforços que eu fazia pareciam ser em vão.

Fechei meus olhos com força e tentei controlar a minha respiração. Meus pensamentos me atraiam, meu cérebro me dizia que Brian estava cansado de mim, e tudo isso era uma enorme desculpas para ele se ver livre. Cansada de lutar contra mim mesma, contra Brian e todo o mundo, eu me senti afundar.

Ao meu redor tudo escureceu, a praia foi sendo consumida por si mesma, e de repente eu não estava mais nos braços de Brian, eu estava no infinito. No infinito da minha mente. Cai de joelhos contra o chão preto e duro, cansada demais para continuar lutando eu me rendi.

...

Sábado, um de Janeiro de 2016, Huntington Beach, Califórnia.

No dia seguinte...

Abri os olhos lentamente, a claridade do quarto me cegava me sentei na cama, suspirei. Os acontecimentos da noite passada voltaram em flashes rápidos em minha memória, levei a mão a cabeça sentindo uma dor aguda. Suspirei mais uma vez e me ajeitei na cama com dificuldade, sentia meu estomago se revirar. Eu havia bebido demais noite passada, suspirei mais uma vez, não conseguia me lembrar do resto da noite, a última coisa que havia em minha mente era a resposta de Brian, e ela ecoava como uma música tocando em uma sala vazia. Se repetia e se repetia em minha cabeça. Sentia que estava prestes a vomitar.

Virei levemente meu olhar para o lado, onde Brian dormia confortável e quietamente, estava todo enrolado entre os lençóis como sempre, e seus cabelos espalhados em uma confusão preta pelo travesseiro. Senti meu estômago afundar e a bile subir na garganta. Respirei fundo tentando em vão me acalma.

Eu realmente iria fazer isso? Perguntei a mim mesma, mas já sabia a resposta de cor. Sim, eu faria isso.

Suspirei e me deitei novamente na cama, cheguei mais próxima de Brian e o abracei por trás colando nossos corpos nus, enfiei minha cabeça em seu pescoço sentindo o cheiro dele, enrolei minhas pernas nas suas e fechei os olhos.

Queria sentir aquilo, senti-lo em mim. Todo o meu corpo tocava o corpo dele, seu cheiro sua pele, tudo nele me envolvia, eu o amo tanto, como posso deixá-lo? Lágrimas começaram a escorrer de meus olhos, e eu não as impede, chorei baixinho pelo que pareceu uma eternidade, até que suspirei pesadamente, e contra gosto me afastei dele, me sentando na cama.

The smell of your skin lingers on me now

O cheiro da sua pele está em mim agora

Apoiei meu cotovelo nos joelhos e abaixei a cabeça fechando os olhos, minha cabeça doía tanto que parecia que ia explodir, eu não conseguia respirar direito, sentia como se alguém estivesse me sufocando. O sol entrava pela janela do quarto de Brian e iluminava tudo ali, sabia que logo ele poderia acordar com tanta claridade.

Limpei meus olhos e suspirando mais uma vez naquela manhã, me levantei. Tinha que fazer isso, tinha que arranjar forças e resolver logo tudo isso, eu estava andando em um círculos ultimamente, e estava na hora de seguir em frente.

I need some shelter of my own protection, baby

Eu preciso de algum abrigo para minha própria proteção, querido

Andei até as enormes cortinas e as fechei, olhei ao redor do quarto vendo a confusão que havíamos causado ontem a noite. Nossas roupas espalhadas por todo canto, copos quebrados no chão, e o sofá manchado de vinho. Desejei lembrar, queria tanto lembrar de tudo aquilo. Lembrar de como era senti-lo dentro de mim e de seu toque em minha pele. Como era beijar seus lábios, e colocar meus dedos em seus cabelos.

Mexi a cabeça de um lado para o outro, estava me distraindo, e não podia fazer isso. Suspirei e comecei a andar pelo cômodo ajeitando tudo que havíamos feito. Juntei nossas roupas do chão as dobrando em cima da cama, limpei os cacos de vidro espalhados e passei um pano na mancha do sofá. Depois que terminei olhei ao redor.

Sabia muito bem que estava evitando ir embora, que estava adiando. Me sentei em uma das cadeiras do bar que ali havia e fiquei o observando dali. Brian dormia quieto e sereno. Como eu poderia deixá-lo?

Suspirei e senti as lágrimas me consumirem. Naquele momento meus sonhos e desejos não pareceram nada importantes, pareceram apenas caprichos de uma menina mimada que morava dentro de mim. Não podia voltar a fazer isso, não podia voltar a ignorar meus sentimentos e vontades como se não fossem nada, só que ali dentro da casa de Brian envolvida pelo seu mundo, seu cheiro, sua pele, seus cabelos, lábios e olhos, eu não conseguia tomar nenhuma decisão sensata.

Be with myself in center

Estar comigo mesma no centro

Clarity, peace, serenity

Claridade, paz, serenidade

Desesperada por qualquer resquício de sanidade, caminhei corredor adentro até o closet de Brian, andei para a parte que era para ser minha e que agora mal tinha roupas, e peguei meu roupão colocando ele e partindo para fora dali, antes de passar pelas portas do quarto dele, peguei rapidamente meu celular dentro da minha bolsa amarela e o coloquei no bolso do roupão.

Precisava de ar. Precisava respirar e tentar colocar a cabeça no lugar.

Desci rapidamente as escadas, chegando a porta da área de festas, coloquei a mão nas chaves que Brian sempre deixava na porta e destranquei-a rapidamente, saindo lá para fora. Continuei caminhando até chegar na lateral da piscina, e então respirei fundo.

O sol me banhava com seus raios fortes, e eu fechei os olhos sentindo aquela sensação de calor se espalhar pela minha pele. Os passarinhos cantavam ao longe, e eu me deliciava com suas canções. Algum vizinho estava roçando a grama, podia sentir o cheiro de grama se espalhar pelo ar. O vento me envolvia com alento enquanto podia escutar os carros passarem na rua.

Cai de joelhos na grama e abaixei a cabeça. Lágrimas escorreram pelo meu rosto, eu não conseguia entender o que estava sentindo é como uma dor aguda que crescia pelo meu peito e chegava até a garganta, seguida por um alívio extremo e uma falsa sensação de paz e logo depois um pânico consumia todo o meu corpo, cada célula e cada veia, parecia ser tomado por ele, e eu me sentia paralisada.

E então logo depois, todas as sensações sumiram, e eu sentia um completo vazio. Pisquei algumas vezes a fim de recobrar a minha consciência, eu havia tido 3 ataques em menos de um dia, sabia muito bem que isso não poderia significar algo bom. Respirei fundo e limpei as lágrimas do meu rosto enquanto me acalmava.

Peguei no bolso o meu celular o desbloqueando com a digital, cliquei rapidamente na lista de contatos, e meu dedo parou em cima do nome que procurava. Senti um vazio me preencher. Não queria ligar para ela. Não queria incomodá-la, mas Jimmy não estava mais aqui para me socorrer e ela é por incrível que pareça é a única pessoa que eu quero no momento.

I hope you know

Espero que você saiba

That this has nothing to do with you

Que isso não tem nada a ver com você

It's personal, myself and I

Isso é pessoal, eu mesma e eu

Sequei as lágrimas que escorriam involuntárias pelo meu rosto, e respirei fundo só então apertando no botão de ligar, levei o celular até a orelha e escutei chamar.

— Mackenna— A doce voz disse do outro lado da linha, e sem nenhum motivo aparente, voltei a chorar. — Alô? Taylor? — Ela disse enquanto me escutava soluçar

— Oii, — Disse tentando me acalmar mas acabou sendo totalmente em vão. — Kenna

— tá tudo bem Tay? — Perguntou, pude notar o tom preocupado em sua voz.

— Me diz — Solucei — Me faz lembrar por que eu não posso ficar com ele.

— Haaa Taylor — Ela parecia desconfortável com a situação e eu a entendia, estava fazendo algo horrível ao pedir isso a ela. — Não sei se sou a pessoa certa para te ajudar.

— Eu sei que estou te pedindo demais — Disse e funguei — Só que eu não sei mais a quem recorrer, você é a única que eu confio para isso — Passei a mão com violência no rosto secando as lágrimas, e voltei meus olhos azuis para o céu límpido a cima de mim — Eu estou desistindo Kenna, estou sentindo que vou desistir, que vou ficar com ele para sempre, não vou ter filhos. Vou acabar virando uma velha ranzinza e mal amada — Disse enquanto soluçava — Preciso que você me ajude Kenna, eu sei que estou pedindo de mais — Funguei passando a mão no nariz — Só que se você não me ajudar eu não vou conseguir, eu não consigo sozinha.

Do outro lado da linha, a irmã de Brian respirou fundo.

— Tudo bem — Ela disse e limpou a garganta antes de continuar — Eu vou te ajudar por que você fez bem a ele, você o ajudou e esteve ao lado dele durante todo esse tempo, mas sabe por que você vai deixá-lo? Por que ele é um babaca egocêntrico que só pensa no próprio umbigo — Pude escutar raiva em seu tom de voz — Você vai deixá-lo para fazer ele perceber que é muito melhor ele ter uma família e filhos com a mulher que ama, do que nunca mais tê-la em seus braços — Ela falava tudo com convicção, eu engoli em seco sentindo as palavras surgirem efeito — Você vai deixá-lo porque você não se rebaixa a homens, e a ex-noiva dele te humilhou na frente de todos que você conhece, e ele não foi homem o suficiente para te defender. — Ela fez uma pausa, e depois de soltar o ar continuou — Aposto que vai ser melhor para você se eu te dizer exatamente o que tem que fazer, então se prepare:

“Você vai subir para o quarto dele, e tomar um ótimo e longo banho na banheira de 15.000 dólares dele, — Ela começou e quase podia vê-la fazer gestos com as mãos — e então vai pegar todas as coisas que tem sua naquela casa e vai colocar em quantas bolsas conseguir. — Levantei o olhar para frente anotando em minha mente como uma lista de compras tudo que ela falava — Vai dar um ultimo beijo nele e vai direto para o seu carro, vai entrar nele e vai ir para sua casa. — Engoli em seco sentindo toda a dor antecipada — Lá você irá deletar o número dele e tentará fazer o máximo para esquecê-lo de sua mente.”

Ela respirou quando terminou de falar, e eu tinha um sorriso triste no rosto.

— Quero você como minha irmã — Eu disse.

— Você já tem uma irmã — Ela falou provocativa mas pude escutar um sorriso na sua voz.

— Desculpe por te fazer passar por isso — Disse e suspirei passando a mão no rosto — Eu simplesmente não sabia para quem ligar, e você foi a primeira pessoa que me passou pela cabeça.

— Não me leve a mal Tay — Ela disse, seu tom de voz agora mais triste e sereno — Eu realmente te amo muito, mas Brian ainda é e sempre vai ser meu irmão… — Suspirou pesadamente — E se eu tiver que escolher um lado nisso tudo. Eu vou escolher o dele.

— Eu nunca iria querer que escolhesse o meu — Falei para ela, abaixando o olhar, e me sentindo culpada por deixa-la dividida.

— Tudo bem Tay — ela me disse — Agora vai logo e sai dessa casa antes que você volte a pirar.

— Valeu Kenna, eu te amo —

— também te amo, Tay Tay — Ela falou e eu tirei o telefone da orelha desligando. Antes de me levantar suspirei pesadamente.

We got some straightening out to do

Nós sempre temos algo a ajeitar

Caminhei para dentro da casa bem devagar, e comecei a juntar as minhas coisas que haviam no andar de baixo. Abri o armário onde ficavam as xícaras e peguei a única que era minha dali, fui até o estúdio improvisado e peguei os meus únicos três livros na estante. Eu sabia que iria embora, já havia antecipado isso e tirado tudo de maior que tinha ali, passei pela sala vazia olhando em volta para ver se não tinha nada meu, e acabei por lembrar dos momentos que tivemos ali.

Tive que me forçar a esquecer daquilo e continuar a minha missão. Subi para o andar de cima, e respirei fundo antes de abrir a porta do quarto dele, rezando para ainda não estar acordado, não sei como conseguiria ir se ele me olhasse com aqueles olhos castanhos.

Assim que a porta se abriu diante de mim eu soltei a respiração que prendia, ele continuava na cama, agora em uma posição diferente, mas não havia acordado. Em silêncio caminhei para o corredor, entrei no closet pegando uma de minhas malas, coloquei as poucas roupas que eu tinha deixado ali, e andei com ela até o banheiro.

And I'm gonna miss you

E eu sentirei sua falta

Like a child misses their blanket

Como uma criança sente de seu cobertor

Enquanto que eu colocava minhas coisas na mala acabei por me deparar com a minha enorme caixas de jóias, respirando fundo tomei coragem e a abri. O enorme colar de rubis e diamantes que Brian me dera estava colocando no meio da caixa em um lugar especialmente para ele. Passei levemente os dedos pelas pedras enquanto lembrava das doces palavras que ele havia me falado aquele dia.

Quero que fique com ele para sempre se puder, mesmo que a gente termine que não tenhamos mais nada. Peço que jure que vai ficar com ele. Eu preciso que você tenha algo que lhe faça lembrar de mim.

Meu coração se apertou, queria que ele tivesse algo para se lembrar de mim também. Fechei minha caixa de jóias e a coloquei de lado.

Eu sei que você abre a sua caixa de jóias todos os dias, e acho que vai fazer isso para o resto da vida. Se por acaso, isso realmente não der certo eu preciso que você se lembre de mim todos os dias, por que eu sei que vou lembrar de você em todos os minutos.”

Peguei meu perfume de cima da bancada e espirei pelo ar, espalhando o cheiro por todo o cômodo. Fechei o perfume e o coloquei no balcão vazio que antes estava lotado de produtos meus, no canto eu vi minha cartela de anticoncepcional, ela tinha acabado a alguns dias atrás, deveria ter me esquecido de jogar a cartela fora, suspirei, e lembrei a mim mesma que no final não precisaria mais delas. Me agachei até a mala e peguei dali uma de minhas meias ⅞ que Brian ama tanto, a coloquei ao lado do perfume, toquei levemente a meia calça e suspirei em silêncio me afastando do balcão, fui empurrando minha mala pelo pequeno corredor até o quarto de Brian, peguei a roupa que usara noite passada e a coloquei dentro da mala, enquanto pegava um vestido leve junto de uma calcinha e sutiã, antes de entrar novamente no corredor olhei para Brian que ainda dormia serenamente.

But I've gotta get a move on with my life

Mas eu tenho que seguir em frente com minha vida

Passei pelas pias entrando no cômodo onde ficavam os chuveiros, coloquei minhas roupas na pequena bancada que tinha ao lado da banheira, e caminhei até ela ligando na água quente e a enchendo.

Enquanto ela enchia, deixei meu roupão cair sobre meus ombros no chão, me inclinei para pegar o sal de banho e espalhar na banheira criando espuma. Não demorou muito para ela encher e eu entre ali dentro, me cobrindo com a água morna. Fechei meus olhos e fiquei ali aproveitando a tranquilidade.

Depois de uns 10 minutos quando meus pensamentos começaram a seguir para nossas lembranças, e para o caminho ao qual eu não queria que seguissem, finalmente tomei meu banho, não demorou muito e sai dali em seguida.

Me sequei e coloquei a roupa que tinha separado, não fiz questão de pegar meu roupão do chão, tinha sido um presente de Brian, e queria que ele o encontrasse ali, para que soubesse que antes de ir eu tinha estado ali.

It's time to be

Chegou a hora de ser

A big girl now

Uma garota grande

And big girls don't cry

E garotas grandes não choram

Com a consciência pesada por essa ação adentrei o outro cômodo, e caminhei até a pia, amarrei meus cabelos no alto da cabeça, e não me preocupei em fazer maquiagem alguma. Respirando fundo, sabia que não havia mais nada para mim fazer ali.

Caminhei novamente para o quarto de Brian, onde andei até a minha bolsa, tirando dali a enorme carta que havia escrito para ele, levei seis meses inteiros para escrever-lá, tinha ficado um pouco grande, mas ali tinha tudo que eu sempre quis dizer a ele. Talvez ele nem le-se e a jogasse fora, mas não ligava, só de saber que ele a pegaria nas mãos meu coração se enchia de amor.

Levei a carta ao nariz onde senti o cheiro do meu perfume, peguei na bolsa rapidamente um batom preto e passei nos lábios, ao lado de onde eu tinha escrito o nome dele, beijei a carta a manchando com meu batom e a olhei por um momento.

Me sentia triste e nostálgica, suspirei e levantei o olhar para onde Brian dormia, e percebi naquele momento que não poderia mais chamá-lo de meu namorado, ou de meu qualquer coisa, a partir daquele momento Brian seria uma página virada em minha vida.

The path that I'm walking I must go alone

O caminho que estou trilhando eu devo seguir sozinha

Engoli o choro e calcei o mesmo calçado que usara na noite anterior, caminhei até a cama onde Brian dormia e coloquei a carta sobre o travesseiro do lado que eu usava. Suspirei e andei até o lado que Brian estava virado, me sentei no chão a sua frente, ficando reto com seu rosto, me aproximei e passei meu braço por cima da sua cabeça o apoiando no travesseiro.

I must take the baby steps 'Til I'm full grown

Devo engatinhar até eu ser adulta

Foi então que eu percebi ele piscar com os olhos fechados, ele estava acordado, sabia o que eu estava fazendo. Sabia que eu iria embora, e iria me deixar ir. Tentei segurar um soluço, mas foi em vão ele escapou dos meus lábios junto com o choro da minha garganta.

Apoiei minha testa na beirada do colchão enquanto olhava para baixo e chorava. Tentei me acalmar diversas vezes mas parecia não adiantar, então simplesmente deixei rolar. Continuei ali sentada no piso frio, de frente para ele enquanto chorava até não aguentar mais.

Não sabia quanto tempo havia se passado quando consegui controlar o choro, mas eu sabia que tinha que ir. Levantei meu rosto para o seu e ele continuava com os olhos fechados enquanto fingia estar dormindo. Passei meus dedos levemente pelo seu rosto, enquanto tentava decorar cada feição dele. Levei meus lábios aos seus em um selinho tímido, não sabia se poderia fazer isso afinal.

E foi quando eu senti a mão de Brian em meu rosto, segurou-me firme enquanto abria sua boca e pedia para sua língua passar, era tão fácil dizer sim a ele e foi o que eu fiz, deixei-o entrar abri minha boca correspondendo ao doce beijo. Suas mãos se enroscaram em meus cabelos me puxando para ele. Eu me levantei separando nossas bocas, tirando rapidamente os sapatos, subi em cima da cama, os olhos castanhos agora me olhavam atentos.

Fairy tales don't always have a happy ending, do they?

Contos de fada nem sempre têm finais felizes, têm?

Eu subi em seu colo colocando as duas pernas ao redor do seu corpo, ele se sentou rapidamente e grudamos nossas bocas em um beijo desesperado.

Brian foi rápido ao levar as mãos para de baixo do meu vestido, tocando na pele nua da minha bunda com fervor. Pegou então na barra do vestindo o puxando para cima me afastei dele e pela primeira vez olhamos dentro dos olhos um do outro.

Eu sabia o que eu tinha no meu olhar, havia dor e desespero, mas não esperei ver o que vi em seus olhos, eles estavam vermelhos como se Brian tivesse chorado a noite inteira.

Engoli em seco e quando eu ia falar, Brian arrancou com violência o vestido pela minha cabeça, o jogando em algum canto pelo quarto. Quando voltamos a não ter nada entre nós Brian foi rápido em grudar nossos lábios em um beijo quente. Eu fechei meus olhos aproveitando a sensação de ter ele me tocando.

Segurou com firmeza nas minhas costas e em um movimento rápido e inesperado me jogou na cama ficando por cima. Voltou a me beijar com vontade enquanto, eu levava minhas pernas a agarrarem sua cintura, seu pênis duro como pedra tocou minha boceta por cima da calcinha e eu gemi em sua boca me contorcendo de baixo dele. Arranhei com força seus fortes braços tatuados.

And I foresee the dark ahead if I stay

E eu vejo a escuridão a frente se eu ficar

Meu deus como eu estava molhada, sentia a luxúria correr pelas minhas veias, e o tesão crescia cada vez mais. Brian levou rapidamente as mãos até a minha calcinha e em um movimento rápido despedaçou o fino tecido. Meu coração afundou ao lembrar que eu nunca veria aquilo novamente. Procurei o rosto dele com minhas mãos e o fiz olhar para mim, eles desviou o olhar rapidamente, e engoli em seco.

O que estávamos fazendo? Levou o rosto para o meu pescoço onde passou o nariz carinhosamente e refez a mesma trilha beijando-me. Suas mãos passeavam pela minha pele com um cuidado exagerado. Era como se a qualquer momento pudesse quebrar.

Arqueei as costas para ele poder abrir o fecho do meu sutiã o que ele fez com rapidez e praticidade, o jogando em seguida o mais longe possível. Minhas mãos pegaram em seu membro e comecei a estimulá-lo. Pude escutar Brian abafar alguns gemidos em minha pele. O levei até meus clitores esfregando a cabeça de seu pau em toda a extensão da minha boceta, quando seu membro ficou lubrificado o suficiente o posicionei em minha entrada e tirei minha mãos dali o levando para o rosto de Brian onde o segurei com força.

Precisava que ele olhasse dentro de meus olhos, precisava que ele fosse devagar e que isso tudo fosse infinito.

It's time to be a big girl now

Chegou a hora de ser uma garota grande

And big girls don't cry

E garotas grandes não choram

Brian então fez isso. Cravou os olhos dentro dos meus enquanto entrava lentamente de mim. Seu braço caiu ao lado de minha cabeça e nossos rostos estavam colados um no outro, enquanto eu sentia a sensação infinita crescer dentro de mim, me sentia ser preenchida e amada pelo homem de olhos castanhos, sentia os lábios dele tocaram os meus com alento e admiração, sentia ficar cada vez mais excitada enquanto ele começava a entrar e sair mais rápido, sentia as lágrimas doces rolarem pelo meu rosto impunes, sentia ele as secar com dor em seus olhos. Me ajeitei querendo que ele tivesse total acesso e que entrasse fundo como nunca havia entrado. Precisava ser única para ele.

Like a little school mate in the school yard

Como colegas no pátio da escola

Precisava que ele não esquecesse disso. E então eu o joguei embaixo de mim na cama, enquanto montava nele e subia e descia em seu colo com rapidez e delicadeza, ele gemia enquanto enterrava os dedos com força na minha pele.

I'll be your best friend

Eu vou ser sua melhor amiga

Brian se sentou na cama colando nossos peitos nus. Ele rápido nós separou e me jogou na cama a sua frente, ficando de pé ele me puxou até a beirada da cama, se posicionou na minha entrada e então, olhando dentro de meus olhos começou a me penetrar fundo e com força, a cama começava a bater forte nas paredes de vidro, mas nenhum de nós dois falávamos ou ligavamos para isso.

And you'll be my valentine

E você vai ser meu namorado

A única coisa que importava naquele momento era atingirmos o clímax juntos e rápido, embora não queríamos que aquilo acabasse nunca.

Eu gemia enquanto sentia Brian bater com força na parede do meu útero e puxava com força os lençóis. E foi quando ele gozou dentro de mim que eu me derreti ao seu redor soltando os tecidos aos quais eu me agarrava e perdendo todo o resquício que havia me sobrado de consciência.

Yes, you can hold my hand If you want to

Sim, você pode segurar minha mão se você quiser

'Cause I wanna hold yours too

Porque eu quero segurar a sua também

Meu coração batia acelerado, o peso do corpo de Brian em cima do meu começava a pesar, eu levei minhas mãos até seus cabelos macios, e assim que meus dedos começaram a acariciar a sua cabeça ele se levantou e saiu de dentro mim, se jogou no outro lado da cama e me deu um doce beijo doce na boca, depois de respirar com dificuldade ele colocou uma mão no meu rosto  e beijou demoradamente a minha testa e se virou para o lado quieto.

Olhando para o teto, eu ainda recobrava a minha consciência quando percebi o que tínhamos acabado de fazer virei meu rosto rápido para o homem ao meu lado, Brian tinha virado de costas para mim, estava de frente para a parede, passei a mão no rosto e levantei rapidamente da cama, fui atrás das minhas roupas que estavam espalhadas pelo chão e as coloquei rapidamente.

Fui até o lado dele da cama para poder pegar meus sapatos, e olhei bem rápido para seu rosto, ele estava com os olhos fechados como se nada daquilo tivesse acontecido e ele ainda estivesse dormindo. Minha consciência começou a pesar, peguei meus sapatos e sai dali, não querendo constrangê-lo.

Os calcei, e então calmamente andei até a minha única mala, a peguei e fui arrastando-a até a porta de seu quarto, abri e esperei ali em pé parada, queria que ele me dissesse alguma coisa, que me fizesse ficar, que lutasse por mim.

But it's time for me to go home

Mas é hora de ir para casa

It's getting late and dark outside

Está ficando tarde e escuro lá fora

Só que ele não fez nada disso, continuou deitado com os olhos fechados enquanto fingia estar dormindo, senti lágrimas escorrerem pela minha bochecha e sem dizer uma palavra sequer passei pelas portas fechando-as atrás de mim. Desci devagar as escadas, ainda com a esperança acessa em meu peito. Quando cheguei a base da escada, eu parei.

O que eu faria agora? Iria para casa? Como poderia deixá-lo lá em cima depois de fazer amor com ele da forma como eu fiz? Peguei meu celular na bolsa e procurei o nome de Matt na minha agenda, assim que achei cliquei em seu nome levando o telefone à orelha, e saindo para fora da casa.

I need to be with myself in center

Eu preciso estar comigo mesma no centro

Clarity, peace, serenity

Clareza, paz, serenidade

Ele atendeu no terceiro toque

— Fala Tay Tay — Ele disse, eu levei minha mão ao pescoço segurando firme o fino colar de ouro que usava.

— Oii Matt — Falei com a voz fraca.

— Tá tudo bem? — Ele perguntou mais sério.

— É o Brian… — Disse e respirei fundo, me perdia em meio ao meu caos de sentimentos facilmente. — Ele… — Comecei, mas não consegui terminar.

— Taylor, você tá me deixando preocupado — Falou dessa vez sua voz ganhou um tom a mais. Pigarreei.

— Eu estou deixando Brian — Disse de uma vez só, mas não teve como impedir de minha voz acabar se perdendo no meio da frase, levei a mão aos lábios sentindo a dor crescer, e as lágrimas escorrerem pelo meu rosto — Ele não está nada bem, e não posso deixá-lo sozinho.

— Que merda Taylor — Ele falou sua voz transmitia frustração — Já to indo para aí.

Ele disse e desligou, engoli em seco sentindo minha garganta se fechar, e lentamente abaixei a mão que segurava o celular. Continuei parada ali, olhando para frente. Meus pensamentos voavam ao meu redor em uma velocidade estratosférica, a força que estava fazendo para não apagar estava me cansando, e logo eu desistiria de lutar. Foi quando eu vi Matt aparecer no portão, peguei as minhas cópias das chaves e abri o portão deixando-o aberto.

Matt atravessou o jardim calmamente, e parou à minha frente.

— Tudo bem — Ele falou respirando fundo — O que aconteceu?

Então o contei como a messes atrás havia dado um prazo a Brian, e ele tinha expirado a resposta não era a que eu queria e estava deixando-o.

— Você não pode mais vir atrás de mim me fazendo voltar Matt — Engoli em seco — Dessa vez não tem volta.

Ele respirou fundo e me olhou atentamente.

— Ele sabe que você está indo?

— Ele acabou acordando antes de eu ir embora — Disse e pigarreei — E nós… — Comecei a tentar dizer, mas era extremamente estranho falar isso com ele, abaixei o olhar — Você sabe. — Disse por fim e Matt afirmou com a cabeça — A questão é que ele está estranho. Não trocou uma palavra comigo. Ele mal me olhou — Eu me sentia a pior pessoa do mundo.

— Vai para casa Tay. — Ele disse tocando em meu braço, sua expressão era calma. — Eu cuido dele.

Matt deixou o braço cair ao lado do seu corpo, eu suspirei e abri minha boca para falar que ficaria se ele quisesse, mas a fechei em seguida quando percebi que lá estava eu fazendo sempre as mesmas escolhas, Matt continuou em pé na minha frente me olhando tranquilo, peguei o meu conjunto de chaves, e tirei as da casa de Brian, estiquei para Matt, às colando no meio da enorme mão do homem à minha frente. Dei o primeiro passo em direção ao carro e segui até ele.

Quando cheguei até o carro estacionado, abri o porta malas e coloquei a única que tinha comigo ali dentro fechando-o em seguida.

Com o choro preso na garganta caminhei até a porta do banco do motorista calmamente, e antes de entrar ali, levantei o olhar para Matt, que estava virado em minha direção com as mãos nos bolsos, algo me dizia que ele não sairia dali até eu desaparecer pela estrada. Respirei fundo e entrei dentro do carro, fazendo os movimentos monótonos, e previsíveis liguei o mesmo, dei a partida saindo pelo portão aberto cantando pneus.

Era a última vez que eu passaria por aqueles portões. Meu coração afundou, tentei não chorar e me concentrar no trânsito, em menos de 10 minutos eu estava estacionando meu carro na garagem do apartamento.

Desliguei o carro, e olhei para a parede de concreto do outro lado do parabrisa, então era isso. Eu estava solteira, sozinha. Tinha deixado Brian e não o veria mais, não iria dormir mais em seus braços e ver seu sorriso safado, ou escutar as suas piadas sem graça. Era quase cômico de se pensar que 7 anos tinham acabado do dia para a noite. Engoli em seco e tomando fôlego, abri a porta do carro. Sai para fora, bem na hora que um carro passou estacionando do lado direito do meu. Continuei seguindo até o porta malas onde o abri e tirei dali a única mala com todas as coisas minhas que havia na casa de Brian.

I hope you know

Espero que você saiba

That this has nothing to do with you

Que isso não tem nada a ver com você

Fechei-o e me virei para começar a levar a mala até o elevador.

— Está indo viajar de novo? — Uma voz perguntou atrás de mim, e eu pulei levando um susto, olhei em direção a ela, e Jesse ria do meu susto. No mesmo instante em que meus olhos encontraram os seus senti um arrepio se espalhar pelo meu corpo, e na mesma hora a culpa voltou a me subir na garganta. Fiquei estática olhando para ele, depois de alguns segundo seu sorriso se desfez, apontou para minha mala, e falou — Está precisando de ajuda?

Eu abri a boca e fechei umas duas vezes olhando ao redor. Jesse parecia ficar mais envergonhado a cada vez que eu não lhe respondia e tentava escapar da sua atenção.

— Qual é Taylor — ele falou alto dando um passo em minha direção — não fiz por querer você sabe disso.

Engoli em seco, que merda será que a vida não poderia me dar pelo menos algumas horas antes de colocar mais problemas na minha frente?

— Jesse eu te entendo, não é como se eu não tivesse retribuído o beijo — falei séria para ele

— Então o que aconteceu? — ele me perguntou sério — porque você não agia assim comigo antes do beijo, e a última coisa que eu quero é que aquilo atrapalhe a nossa amizade.

Mordi minhas bochechas por dentro, e o olhei impassível.

— Você realmente é meu amigo? — perguntei seria

— Claro que sou — disse bufando.

— Então... — comecei sentindo o choro chegar a garganta mais uma vez naquela manhã, tentei engolir só que foi em vão — se eu te contar que não estou afim de ter essa conversa agora, sem precisar de mais detalhes você me deixa em paz?

Ele me olhou de cima em baixo e voltou a olhar para a mala.

— Você o deixou... — Ele afirmou, tinha a boca levemente aberta e os olhos cheios de preocupação, soltei o ar e algumas lágrimas escorreram livres pelo meu rosto, desviei o meu olhar do dele não aguentando mais tudo aquilo.

It's time to be a big girl now

Chegou a hora de ser uma garota grande

And big girls don't cry

E garotas grandes não choram

 


Notas Finais


Mais um capitulo que chega ao fim amoras
E como sempre eu quero saber o que vocês acharam então não se esqueçam de comentar tudo que pensaram enquanto estavam lendo.
TRAILER DA FANFIC: https://www.youtube.com/watch?v=iz1gzfJx5N8&feature=youtu.be

Não se esqueçam também de favoritar a fanfic para continuar acompanhando os próximos capítulos.
Beijinhos
Momsen <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...