História Twins - Capítulo 32


Escrita por: ~ e ~Bi4_Potter

Postado
Categorias Originais
Exibições 21
Palavras 1.222
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


heeey ♡
nada pra dizer aqui, então, boa leitura 📖

Capítulo 32 - Cap 8, parte 1: social


toc, toc, toc
"posso entrar?" disse à professora.
"está..." ela olhou para o relógio "...7 minutos atrasada. a tolerância é de 5"
"por favor?"
"sim, é a última vez"
me sentei na frente atrás da Mad.
"é a 20ª vez que ela diz isso" falei, e ela riu.
"quer compartilhar sua piada com a classe, Anna?"
"não, senhora"
"então, preste atenção na aula, suas notas não estão as melhores possíveis"
e esse foi o começo do meu dia. passaram-se algumas aulas, o mais devagar possível.
quando o intervalo finalmente chegou, fiquei conversando com minhas amigas. resolvi ir falar com o Leo.
"oie" cheguei, abraçando-o.
"oi" ele retribuiu.
"você não sabe como me deixa feliz, sabia?"
"e você não sabe como eu me sinto realizado com você ao meu lado. ih, rimou"
rimos e ele disse.
"está gostando do presente?"
"macaco gosta de banana?"
rimos novamente, e conversamos mais um pouco. até que o sinal bateu, e fomos até a sala juntos.
então, chegou uma menina chamada Catarina. nunca falei muito com ela, mas ela queria minha ajuda. dei um abracinho  no Leo, que foi conversar com os amigos.
"o que foi?"
"é que, bom, eu queria que você me ajudasse numa coisinha. mas você jura que não conta pra ninguém?" ela levantou o dedo mindinho.
"claro" disse, sinceramente, e entrelacei meu dedo com o dela.
"é que... que vergonha" ela ficou vermelha como um pimentão. lembrei da Sophie "eu estou gostando de um menino. e ele é, tipo, seu amigo. eu queria que você me ajudasse"
"claro, quem é?" disse, curiosa.
"é o... Rafael"
ahn? uke? ela gostava do Rafael? bem, como eu diria pra ela que ela não podia gostar dele?
"Rafael, você quer dizer, Rafael Oliveira?"
"sim, ele mesmo"
me segurei pra não rir da cara dela. coitadinha.
"bom..." minha fala foi interrompida pela professora pedindo pra nos sentarmos.
"te vejo no fim das aulas"
a aula passou como uma lesma, e eu fiquei pensando em como diria para a Catarina que ela não tinha nenhuma chance com o Rafael.
depois do intervalo, foi entregue um aviso de que haveria uma ida ao sítio na próxima semana.
todo mundo ficou empolgado, e foi a maior barulheira.
todo mundo sempre ficava muito empolgado, apesar de aquela turma ser bem velha e a maioria ja ter ido pelo menos 4 ou 5 vezes.
mas todo mundo sempre ia. era quase uma tradição, pelo que me disseram. e eu só tinha ido uma vez, no ano anterior.
aparentemente, todos ja tinham certeza de que iriam. e ninguém queria que eu faltasse.
depois da aula, eu estava conversando com um grupinho, quando ela me cutucou.
"tudo bem se descermos agora? meu ônibus sai daqui a 5 min. sem querer abusar de seus favores, claro" ela parecia bem tímida. e eu entendia o porquê.
"ahn, tudo bem" eu disse.
chegamos lá embaixo e levei-a para um lugar mais vazio e silencioso. nos sentamos num banco e tentei ser direta.
"olha, Catarina..."
"pode me chamar de Cati"
"ok. olha, Cati... vou tentar ser bem direta com você. vamos direto ao ponto. o Rafael ta no nosso time."
"como assim?" epa, ela não entendeu.
"quero dizer... me desculpe, mas nem você, nem eu, nem a Ceeh, nem Mad, nem ninguém tem chance com o Rafael"
ela pareceu bem triste. eita. parece que ela tinha interpretado errado novamente.
"quero dizer que ele é gaiam"
"como?"
"o Rafael, ele é gaos. quer dizer, gael"
"quê?"
"ele é... ga gue gui go gu"
"desculpa, mas eu não to entendendo." ela achou que eu estava brincadeira com a cara dela, e ia se levantar.
"espera. ele é... gay"
"não é possível, mas ele é tão bonito!"
ahn, concordo. eu pensei.
"concorda?"
espera, eu tinha falado aquilo em voz alta? parecia que sim. enfim. o Rafael era mesmo bonito.
"mas... isso é sério? quer dizer, ele gosta mesmo de garotos?"
"sim"
"ai meu Deus" ela parecia surpresa "mas, nem parece..."
"não, quer dizer... se você falar com ele, conversar, vai perceber que sim"
"ahn... obrigada, eu acho"
"por nada"
ela se levantou e foi embora.
coitada dela, cara. eu tinha realmente, muita pena dela. não, espera, uma galinha inteira.
olhei as horas em meu celular e, como? já eram 12:56. meu ônibus saia às 12:55! MEU DEUS, EU PERDI O ÔNIBUS!
saí correndo pra tentar alcança-lo. e ele estava partindo quando cheguei no ponto.
droga.
eu teria que ir pra casa à pé. e não, não era perto.
andei muito, e acho que perdi todo o peso que ganhei naquela semana, só em um pedaço de tarde.
cheguei em casa exausta. tomei banho e me joguei na cama. era sexta. aleluia.
fui almoçar, estava faminta. como não tinha comida pronta, fiz umas dessas lasanhas de microondas.
quando terminei de almoçar, brinquei um pouco com o meu cãozinho e fiquei assistindo séries depois. nem reparei meu pai chegando.
até que a Mad me liga. ué, por que será? atendi
~ ligação on ~
eu: hey, mad, o que foi?
mad: já tô passando aí pra te buscar
eu: buscar pra quê, minha filha? ta maluca?
mad: a gente tem uma social na casa do Lucas agora, esqueceu?
eu: MEU DEUS, JÁ SÃO 18:36, EU PERDI O HORÁRIO
mad: ande logo, ja tô cheg...
~ ligação off ~
desliguei o telefone (quase) na cara da Mad e fui me trocar.
em 5 min, estava passando meu rímel, quando a Mad buzina na minha porta. saí correndo. abri a porta, e meu pai estava em frente a televisão.
"vai pra onde?"
"pra casa de um amigo"
"fazer o que? volta que horas? qual o endereço? quantos anos tem? RG? CPF?"
"eita pai, só vou sair com meus amigos. volto antes... um pouco depois da meia noite"
"como? ANNA GIULIA"
"tchau pai, eu vou me cuidar, relaxa" fechei a porta e entrei no carro. o irmão da Mad iria nos deixar lá.
chegando na casa do Lucas, falei com todo mundo e ficamos conversando, comendo, e nos divertindo durante muito tempo, que passou bem rápido.
Ceeh: vamos brincar de verdade ou desafio?
todos toparam. pegamos uma garrafa vazia de refri e fizemos uma roda. Bela pergunta pra Kamilla. João pergunta... pra mim.
"verdade, desafio, consequência, nota ou sabão?"
"nota" respondi.
"que nota você dá... pro Leo?"
"9,9" respondi novamente.
brincamos mais um pouco, e minha vez de novo. o Lucas perguntava pra mim.
"verdade, desafio, consequência, nota ou sabão?"
"desafio" não sei falei aquilo, mas tava com vontade.
"eu te desafio a beijar o Eric"
"como? Lucas, eu tenho namorado!"
"você pediu desafio, então aqui está o desafio"
"eu não posso..."
"você pediu desafio, então aqui está o desafio. agora, já foi"
bufei, reclamei, mas não adiantou.
só queria ver a cara do Leo quando descobrisse. ele não estava ali porque não podia ter ido, e eu sou obrigada a fazer uma coisa daquelas.
olhei envolta, e o Eric estava ali, olhando pra mim. eu sabia que ele era afim de mim desde que entrei no colégio. resolvi me livrar logo daquilo.
fui bem rápida. e eu ia dizer aquilo pro Leo, ser sincera. não queria esconder nada dele.
ele não ia ficar feliz em saber daquilo. já a Bianca, ia se aproveitar disso pra colocar coisa na cabeça de meu namorado. eu tinha absoluta certeza.

 


Notas Finais


espero que tenham gostado 💕
próximo cap: quarta, às 19:30
;; giu 🍟


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...