História Twins ¤ jikook - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Incesto, Jikook, Jimin Passiva, Kookmin, Namjin, Taeyoonseok, Vhope
Exibições 496
Palavras 1.680
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Só lhes digo uma coisa, ei não sei de nada.

Capítulo 1 - When I was seven years old


Fanfic / Fanfiction Twins ¤ jikook - Capítulo 1 - When I was seven years old

Eu tinha apenas sete anos quando os vi pela primeira vez. Eu tinha sete anos quando conheci os meus maiores pesadelos e amores ao mesmo tempo. Eu tinha sete anos quando minha mãe foi contratada por um dos homens mais poderosos do mundo como empregada. Eu tinha apenas sete anos quando por ironia do destino conheci os filhos desse homem. Eu tinha sete anos quando conheci Jeon Jeongguk e Jeon Jiyong, os herdeiros de uma das maiores empresas do mundo.

  - Mamãe! Mamãe! Onde estamos indo? - perguntei animado segurando a mão da mais velha que por nenhum momento parava de sorrir.

  - Estamos indo ao novo emprego da mamãe, meu anjinho. - falou sorridente apertando uma de minhas bochechas.

  - E onde é o novo emprego da mamãe? - perguntei retribuindo o sorriso que segundo a mais velha era o mais lindo do mundo.

  - Aqui meu anjinho! - falou cantarolando.

  Abri minha boca em admiração, aquela era a maior casa que eu já tinha visto. Parecia mais um hotel de luxo, era extremamente enorme, possuía vários jardins, piscinas, áreas de lazer, tinha até mesmo um heliporto. Não era porque eu vinha de uma família com uma renda extremamente baixa que eu estava admirado era porque aquilo era como um dos castelos das histórias que minha mãe contava antes de irmos dormir!

  Vi a mesma sorrir para mim por causa da minha expressão

  - Vamos? - falou. Logo um homem alto de terno abriu o portão, sorriu para minha mãe passando para ela conforto.

  Chegamos em um dos salões, minha mãe estava sendo atendida por uma moça que aparentava ser jovem em consequência soltou minha mão. Estava admirando o salão quando uma borboleta vermelha pousou no meu ombro, mas logo ela voou segui seu caminho com os olhos vendo ela passar por uma grande porta de vidro que levava para um dos jardins.

  Decidi segui-la para onde estava indo, eu passava por flores umas mais lindas que as outras e árvores muito bem cuidadas, tinha várias fontes e alguns lagos com peixinhos coloridos. Segui ela até que cheguei em uma área com grama mais baixa ela também era cheia de dentes-de-leão, muitas borboletas estavam alí, de diferentes tamanhos, formatos e cores. Corri sorrindo tentando pegar uma delas até que fiquei cansado me jogando na grama verdinha que parecia brilhar. Com o impacto no chão vi os dentes-de-leão voarem, era uma cena digna de contos de fadas.

  Fechei os olhos aproveitando o sol quentinho entrar em contato com a minha pele, a brisa refrescante balançava meus cabelos castanhos de forma leve. Depois do tempo senti o sol ser privado de entrar em contato, então abri os olhos. Era um garoto ele era mais alto e aparentava ser mais velho que eu, além é claro de ser muito bonito. Tinha olhos verdes esmeralda e cabelos negros, lábios rosados e pele levemente bronzeada.

  - Você parece estar se divertindo! - exclamou ele sorrindo, um sorriso de coelho diria eu, mas que não deixava de ser bonito.

  Me levantei ficando de frente para o mesmo, fitando-o com olhos curiosos

  - Hey, gguk! Eu achei ele! - gritou ele. Logo um garoto idêntico a ele apareceu correndo, a única diferença era que os olhos deste eram cor âmbar.

  - Eu falei que nós o acharíamos! - exclamou também sorrindo. Eu estava completamente confuso com a situação.

  - Oh! É mesmo, não nos apresentamos para você ainda Jimin, nos desculpe! - falou coçando a nuca.

  - Tudo bem…. - falei corando, eles tinham olhares intimidantes de tão belos.

  - Eu sou Jeon Jiyong, e este é meu irmão mais novo Jeongguk. Nós somos irmãos gêmeos idênticos. A única diferença são nossos olhos e nossa altura! - falou beijando minha mão, ato que foi feito também por Jeongguk. Corei fortemente com o ato.

  - Aigoo! Ele é tão fofo!

  - É sim!

  Quando eles pararam de apertar minhas bochechas e nos deitarmos na grama comigo no meio dos dois perguntei

  - Como…. Como vocês sabem meu nome? E quem são vocês? - perguntei com curiosidade.

  - Nós sabemos tudo sobre você Jiminie! - falou o mais novo dos irmãos.

  - E nós somos os filhos do dono de tudo isso! - o mais velho pronunciou.

  - T-tudo sobre mim?

  - Sim! Quando nós descobrimos que a sua mãe viria trabalhar e que você viria junto com ela tratamos de pesquisar sobre! - falou Jeongguk.

  - Seu nome é Park Jimin, tem sete anos, nasceu aqui em Busan, suas cores preferidas são verde e dourado, seu super-herói favorito é o hulk, seu animal preferido é gato, mas também adora cachorros, adora brincar com outras pessoas, é tímido e cora com facilidade, adora coisas doces, mas prefere as salgadas, adora coisas fofas principalmente bichinhos de pelúcia, vem de uma família extremamente pobre composta por você e sua mãe! - finalizou Jiyong sorrindo.

  Eu estava com os olhos arregalados olhando para eles, como eles sabiam de tudo isso?

  - E aliás, nós somos seus hyungs jiminie! - falou Jeongguk,mas eu continuei estático. - Hmmm, eu acho que nós assustamos ele hyung…

  - Jimin você está bem?

  - S-sim, eu estou bem! Eu só fiquei um pouco surpreso!

  - Nós não queremos que nos chame pelos nossos nomes. Que tal um apelido? Você pode me chamar por algum apelido!

  - Hmm… Que tal, Kookie?

  - Sim! Eu gostei!

  - E eu?

  - Jiyoonie?

  - Adorei! Mas você também precisa de um apelido!

  - Eu chamo ele de minnie. - falou kookie.

  - Eu vou te chamar de chimchim!

  - Chimchim? - tombei a cabeça.

  - Sim, é fofo igual a você! - falou afagando os meus cabelos.

  - Acho melhor nós irmos. Sua mãe deve estar preocupada minnie.

  - Sim você tem razão. Vamos chimchim? - falou segurando minha mão direita, logo kookie pegou a esquerda.

  Nem percebi que segui a borboleta para tão longe, se eles não tivessem me achado certamente iria me perder alí. Já estava escurecendo, o jardim que antes estava cheio de borboletas agora era cheio de vagalumes, pareciam pequenas estrelinhas flutuando, aquele lugar era tão lindo eu estava com medo de que fosse um sonho e que a qualquer momento eu pudesse acordar.

  - No que tanto pensa chimchim?

  - Só estava pensando em como esse lugar é bonito. Parece os castelos dos contos de fadas, aqui é tudo tão mágico!

  - Então você nos permite ser seus príncipes encantados? Você seria a princesa. A nossa princesa minnie!

  - Mas as princesas das histórias são sempre meninas. - falei com um biquinho.

  - Na nossa história não chimchim. Você pode sim ser nossa princesa!

  - Sério!? - perguntei com os olhos brilhando em felicidade.

  - Com toda a certeza minnie!

  Logo chegamos na porta de vidro, quando entramos minha mãe correu na nossa direção, uma mulher que aparentava ser de meia idade estava com um olhar raivoso para mim.

  - Anjinho! Você está bem? Se machucou? Eu fiquei tão preocupada meu filho! Nuca mais faça isso! - falou me dando um abraço apertado.

  - Eu não me machuquei mamãe, eu estou bem não se preocupe! - falei retribuindo o abraço apertado dela. - O kookie e jiyoonie hyungs me ajudaram a voltar! - falei logo vi ela sorrir para eles.

  - Obrigado! Não sei como agradecer vocês dois por cuidar do meu anjinho!

  - Na verdade tem uma coisa! - os dois falaram juntos em perfeita sincronia logo trocando olhares cúmplices.

  - E o que seria? - perguntou mamãe sorrindo.

  - Você aceitaria ser nossa sogra? - falaram novamente juntos.

  - Mas eu não tenho nenhuma filha. - fez uma expressão de confusão.

  - Nós sabemos!

  - Nós queremos o chimchim! Afinal ele é nossa princesa e nós somos seus príncipes!

  - O meu filho…? - falou sentando no chão.

  - Sim!

  - Calma que eu ainda não estou preparada para ter genros. Aí minha santa sehuna! Eu estou ficando velha! - falou colocando a mão no peito com uma expressão muita engraçada.

  - E não vai estar! Meus filhos não vão ficar perto de alguém de classe tão baixa! - gritou enfurecida a mulher que até então estava calada me assustando.

  - E quem você pensa que é para falar do chimchim assim? - falou com uma calma assustadora.

  - Um pedaço de carcaça de um animal podre em decomposição vale mais que você. Não venha falar assim do minnie.

  - Aliás, você nem nossa mãe é. Nosso pai casou com você por um contrato quando nós já tínhamos nascido. Ele tinha e ainda tem pena de você.

  - Você deveria ter vergonha de si própria, você nunca amou nosso pai muito menos nós dois. Você ainda está aqui apenas por dinheiro, fama e poder.

  - Nós temos nojo e repulsa de você, você acha que não sabemos o que você faz quando nosso pai viaja? - a mulher arregalou os olhos.

  - Eu aposto que isso faria você cair desse trono que só você consegue ver, certo?

  - Suas pestinhas! - gritou batendo o pé saindo do salão.

  - Wow. - minha mãe falou impressionada.

  - Eu não entendi nada do que vocês falaram, mas eu gostei! - falei logo vendo os sorrisos voltarem as suas faces completas de fúria.

  - Ninguém meche com o meu chimchim! - falou cruzando os braços com uma expressão de vitória no rosto.

  - Mecheu com o minnie mecheu comigo!

  - Aliás! Você ainda não respondeu nossa pergunta! - falou para minha mãe.

  - Hm? É claro que eu aceito seus bobos! Desde que vocês o façam feliz! - eles abriram um sorriso enorme. - Mas… eu sei que vocês dois são dois anos mais velhos que meu filho, se vocês ousarem tirar a inocência dele eu arranco o a amiguinho de vocês. - falou autoritária. - Fora isso sem problemas! - voltou com o sorriso no rosto.

  - Nós prometemos sogrinha! - falaram juntos.

  - Hyungs, que amiguinho a mamãe vai tirar de vocês?

  - N-nenhum minnie nenhum! - falou rindo logo sendo seguido pelo irmão.


Notas Finais


Espero que vocês gostem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...