História Twitter - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Kaya Scodelario
Personagens Justin Bieber
Tags Justin Bieber, Kaya Scodelario, Naruto, Revelaçoes, Romance, Skins
Visualizações 172
Palavras 2.796
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Romance e Novela, Saga, Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, amooooooooooooores. Tudo bom?
Então, eu gostaria de agradecer pelos comentários e favoritos. Vocês são incríveis, de verdade. Quando comecei a escrever Twitter, não imaginava que vocês iriam gostar e se apaixonar desta forma. Eu estou incrivelmente feliz em alegrá-los com esses capítulos e fico muito mais feliz ainda quando vocês dizem que isso faz o dia de vocês melhor, quando dizem que choram de emoção, ou até mesmo se envolvem. Isso me deixa bastante feliz!

Sobre o capítulo de hoje, eu queria dizer que esse foi um pedaço da experiência da pwt que eu tive aqui no Rio, então como eu ia acabar escrevendo esse capítulo, usei algumas partes.

Enfim, boa leitura, xuxus, e obrigada por tudo!

Capítulo 20 - Purpose World Tour


Fanfic / Fanfiction Twitter - Capítulo 20 - Purpose World Tour

New Jersey, Trenton

 

P.O.V Kelsey Hayes 

— Bom dia, Kelsey  — Justin me acordou, dando um beijo demorado em minha bochecha  — Tudo bem?

— Cansada...  — resmunguei, colocando o lençol em meu rosto, cobrindo parte dele  — Muito cansada.

— Por que?  — perguntou, dando um sorriso safado  — Trabalhou muito ontem?

— Cala a boca, garoto.

— Você também me cansou, não reclama  — deu um beijo em minha testa, que no momento estava descoberta  — O dia hoje será cheio.

— Por que?  — perguntei, tirando novamente o lençol do rosto e o vendo levantar. 

— Purpose Tour  — sorriu animado, pegando seu celular  — Daqui algumas horas.

— Mas já? 

— Graças á Deus  — ele deu um sorriso novamente, pegando suas roupas que estava no chão, de costas pra mim  — Estou com saudade dos palcos.

— Falando assim nem parece que gostou das suas férias comigo.

— Eu gostei sim, e muito  — ele virou o rosto, olhando pra mim por cima do ombro  — Mas você vai comigo, então...

— É o quê?  — perguntei rindo de nervoso  — Tá brincando, né?

— Felizmente, não.

— E quando tava pensando em me avisar sobre isso?  — disse, cobrindo os olhos ao notar que Justin havia virado pra mim.

— Para de ser fresca, Kelsey  — ele resmungou, se referindo ao meu ato  — Você já viu tudo aqui.

— Shh  — fiz um barulhinho em forma de silêncio.

— Explorou meu corpo todinho  — ele sussurrou com sua voz rouca de sono — Dá até vontade de relembrar como foi... Mas você não quer.

— Quem disse que eu não quero? — dei um sorriso maroto, seguindo seu corpo com meus olhos enquanto ele caminhava até o banheiro.

— Você é safada, hein  — ele gargalhou  — Depois diz que é inocente.

— Mas eu sou inocente  — respondi manhosa, me levantando para colocar a roupa.

— Não se faz, Kelsey.

— Pelo menos eu era antes de te conhecer.

— Aham, aham, tá bom  — ele disse irônico, voltando do banheiro apenas com a parte de baixo da roupa  — Inocente não faz o que você fez ontem, Kelsey.

— Foi o calor do momento, tá?

— E que calor, hein  — ele sorriu novamente, olhando-me, que já estava com a lingerie, de baixo pra cima  — Então, hã...  — pausou, mordendo o lábio interior  — É melhor você colocar a roupa logo, não acha?

— Relaxa, Bieber  — aproximei-me dele, dando-lhe um selinho  — O dia hoje está cheio, lembra?

— Sim, mas...  — pensou  — Vinte minutinhos só não mata ninguém, né?

— Pelo amor de Deus  — gargalhei  — Você não perde uma chance, né?

— Não custa nada tentar  — deu de ombros, abraçando-me  — Eu amo você, princesa.

— Gosto de você, Bieber  — dei um beijo na ponta de seu nariz.

— Esperando ansiosamente ouvir você dizendo que ama.

— Não custa nada tentar  — soltei-me dele, dando um sorriso largo  — Vai pra casa?

— Sim, eu tenho que buscar algumas coisas... 

— Hm, ok.

— Mas eu vou te esperar, nós vamos juntos.

— Tenho aula hoje, Justin  — respondi, olhando para o relógio  — Segunda.

— Falei com Scooter falar pra Universidade que você teria que faltar por alguns dias. 

— Você fez o quê?  — perguntei brava, parando de procurar o roupão no armário de April.

— É só por alguns dias...  — fez biquinho, chegando perto de mim.

— Você não pode fazer isso, Justin.

— Isso o quê?

— Isso de ficar cancelando meus compromissos, principalmente a Universidade, você sabe que é importante.

— Desculpe, desculpe...  — abaixou o olhar, pegando o celular  — Vou ligar pro Scooter e dizer que você vai, então.

— Não, não faz isso agora  — neguei com a cabeça.

— Por que?  — perguntou animado, dando um sorriso.

— Porque vou passar a manhã com você, não sei quando vamos nos ver de novo, então...

— Você pode ir comigo, se quiser.

— Justin  — virei para ele, pegando o roupão e o colocando  — Você pode me esperar tomar um banho rápido?

— Sim  — ele assentiu.

— E depois vamos pra sua casa resolver essas coisas.

— Tudo bem, tudo bem  — ele se aproximou, dando um beijo em minha bochecha. 

Justin segurou minha cintura por trás, juntando nossos corpos, e começamos a andar juntos.

Lentamente, mas juntos.

— Será que April tá no quarto?  — ele perguntou perto do meu ouvido quando chegamos próximo á porta do meu quarto.

— Não fala assim não.

— Quê?  — perguntou confuso  — Do quê tá falando?

— Isso é jogo baixo, Justin.

— Que é, garota?

— Isso de ficar respirando e sussurrando perto do meu ouvido como fez na noite passada  — respondi, travando o maxilar em seguida — Tudo jogo baixo. 

— Na verdade, Kelsey  — ele sussurrou novamente, encostrando seus lábios próximo á minha orelha  — Acho que isso pode ser o efeito que eu causo em você.

— Não fala merda.

— Você fica toda arrepiada, bebê.

— Cala a boca, Justin, que merda  — sussurrei, parando em frente á porta.

— Ou então você é safada demais por achar que eu tô fazendo algo demais  — ele riu baixo, colocando seu rosto em minha nuca  — Relaxa, amor.

— Bom dia  — April disse abrindo a porta do quarto rapidamente, antes que eu pudesse notar.

— April  — Justin disse envergonhado.

— Oi, Justin  — ela sorriu como fazia do mesmo jeito que cumprimentava outras pessoas.

April já estava acostumada a ver Justin Bieber.

Nada demais.

— Oi pra você também, Kelsey  — ela sussurrou, passando a mão no cabelo  — Hã... Vocês estão juntos mesmo?  — perguntou, olhando para a forma que estávamos abraçados.

Justin olhou sério pra mim e travou o maxilar, como se não soubesse o quê responder. 

— Sim  — assenti com a cabeça, dando um beijo rápido em Justin.

— Hm  — ela disse séria  — Tudo bem então  — deu de ombros  — Eu vou pro meu quarto, e... Justin?  — ela o chamou, fazendo o loiro olhar diretamente em seus olhos  — Obrigada por ontem  — sorriu, passando por nós e indo direto para o seu quarto.

— Que momento tenso...  — Justin disse, empurrando-me gentilmente para o quarto.

— Por que?

— Duas primas brigando pelo amor de Justin Bieber  — ele se gabou, dando uma gargalhada e logo depois se jogando na cama.

— Não estou brigando com ninguém, Justin  — respondi simples, indo até meu closet, separando algumas roupas  — Você tá vendo coisa onde não tem.

— Exatamente  — ele balançou a cabeça, pegando o celular  — A guerra ainda não foi declarada.

— Você se acha demais. Jesus Cristo, hein  — dei um sorriso fraco, pegando a toalha e indo para o banheiro.

— Qual é, Kelsey? Sabemos que todas me querem  — ele gritou do outro lado do quarto.

— É? — perguntei, olhando para o espelho do banheiro. Eu estava horrível  — Então vai com as outras, ué.

— Mas a única que eu quero é você, e agora?

— Então não me faça ciúmes, idiota.

— Você com ciúmes de mim? Até que enfim admitiu.

— Vá pro inferno, Justin Bieber  — fechei a porta do banheiro, ouvindo uma última gargalhada dele.

Os minutos passaram rápido, e logo eu já estava vestida. 

— Será se você é a pessoa mais nervosa do mundo? — Justin perguntou, enquanto eu estava de braços cruzados e sentada na poltrona, revirando os olhos sem parar.

— Me deixa pensar, pelo menos.

— Pensar pra quê, Kelsey?  — perguntou, ajoelhando-se e ficando próximo a poltrona, fazendo aquelas carinhas que era difícil dizer não. 

— Você quer parar?

— Com o quê?

— De fazer essa carinha, Justin  — respondi, fazendo cara feia  — Pelo amor de Deus.

— Por favor, Kelsey...  — ele pediu novamente, fazendo biquinho.

— É pra onde mesmo?

— Texas.

— Outro lado do país, Justin  — falei, olhando pra ele com desdém  — São mais de um dia de viagem. Você tá louco? 

— Jatinho, Kels  — disse simples.

— Por que você me odeia, hein?  — perguntei, já sem paciência.

— Não odeio você.

— Odeia sim.

— Só alguns shows...  — ele disse  — Por favor, Kelsi.

— Você pede assim por causa das crianças, porque sabe que eu não sei dizer não.

— Risos  — ele disse, rindo em seguida.

— Pelo amor de Deus, eu tô no próprio Inferno.

— Vira essa boca pra lá, garota. 

— Tá, Justin, tá  — disse por vencida  — Mas só alguns shows.

— Eu amo você, mulher da minha vida  — ele disse animado, levantando-se rápido.

Algumas horas depois...

— Dois minutos pra quatro horas da tarde  — Justin disse, olhando para seu relógio de pulso.

Ele estava nervoso, assim como toda a sua equipe.

— Você sempre fica nervoso em todo show, Jorten?  — Jazzy perguntou, sentando ao lado de Justin, que balançava o pé constantemente.

— Às vezes, Jaz  — ele respondeu, pegando-a no colo  — É porque eu tenho medo de não fazer a noite das minhas Beliebers ser inesquecível.

— Posso falar um negócio, Jorten? — dessa vez Jaxon perguntou, descendo do meu colo e correndo até seu irmão mais velho.

— Pode sim, homem-aranha — Justin faloul, pegando o mais novo em seu colo.

— Não importa se você errar a letra, ou se você desentoar, ou qualquer coisa do tipo, Jorten — o pequenino sussurrou, passando a mão na bochecha de Justin em forma de carinho — O importante é que você se esforçou para fazer a noite delas ser bem legal, tá bom? Igual o Bob Esponja, ele se esforça pra fazer a gente rir e isso que importa. Apenas de ver elas, você já faz a noite dela ser inesquecível, Jortinho —  ele sorriu — Só fazer de colação.

— Que bonitinho, Jaxon — disse, olhando para ele, que sorriu pra mim.

— Essa frase tá muito linda, Jax. Será que não foi a Kelsey que pediu pra você dizer? 

— Não foi a Kelsi  — ele cruzou os braços e fez uma carinha feia, como se estivesse ficado com raiva por causa disso.

— Deixa o menino ser poético, Justin. Para de estragar os momentos dele  — respondi, olhando para o lado quando ouvi uma grande multidão gritar.

— São elas  — ele respondeu sorrindo. 

Justin colocou Jaxon no chão, e correu até a coxia, onde dava pra ver parte da multidão que o esperava lá fora.

— Kelsey, vem cá  — ele sussurrou, acenando com a mão. 

Corri em sua direção e me aproximei dele, vendo os fãs que esperavam ele na parte de fora.

Alguns corriam e outros já estavam esperando em seus devidos lugares.

Era uma imagem incrível. 

Haviam pessoas chorando, e outras levantavam a mão como se estivesse agradecendo á Deus por estar aqui.

— Isso não é lindo?  — ele perguntou, olhando pra mim.

— Justin, isso é incrível  — disse boquiaberta  — É um amor muito maior que eu esperava que fosse. Algo...

— Surreal, né?  — ele completou a frase, sorrindo.

— Você deve ser uma pessoa muito feliz em tê-los como fãs.

— Sim, eu sou  — ele assentiu, soltando a cortina da coxia e voltando para trás, onde os maquiadores o esperavam  — Mas há alguns momentos em que eu sei que as machuco...

— Como assim?

— Por exemplo, quando eu fui preso ou tirei aquela foto com a stripper  — pausou, me fazendo lembrar do que havia acontecido. 

Pareciam que anos haviam se passado, mas foram apenas semanas.

— Eu sei que isso as machucou, ou até mesmo fez elas chorarem  — disse cabisbaixo  — E foi por isso que eu sorri. Eu sorri para não fazê-las chorar. 

— Você aprendeu com seus erros, Justin  — disse, vendo-o entrar no camarim  — Isso que importa. 

— Eu sei que posso estar aprendendo, ou até mesmo melhorando  — ele assentiu, sentando em uma cadeira, vendo sua estilista, Karla, escolher a roupa do show  — Mas me machuca lembrar que eu já machuquei as pessoas mais importantes da minha vida, entende?

— Sim, eu entendo...

— Eu estou aqui com elas e unicamente pra elas, sabe?  — ele perguntou, batendo a mão no sofá para que eu sentasse lá.

E assim eu o fiz.

— Sabe qual é meu maior sonho, Kelsey?

— Casar comigo? — brinquei.

— Também — gargalhou — Mas estou falando de agora.

— Qual seu maior sonho?

— Meu maior sonho é saber que todas as Beliebers do mundo inteiro já compareceram ao meu show —  pausou —  Porque dói demais saber que algumas não tem condição financeira pra ir... E por isso, sempre quando está quase começando o show, a TeamBieber vai lá fora do estádio e libera alguns ingressos para as pessoas que não conseguiram entrar.

— Eles fazem isso mesmo? — perguntei e ele assentiu — Você e sua equipe são pessoas incríveis e de bom coração.  

— Posso deitar aqui? — disse e eu assenti sorrindo.

Justin encostou sua cabeça em meu colo e segurou uma de minhas mãos, olhando para mim.

— Dá carinho em mim, Kelsey  — pediu manhoso, encostando minha mão em seu cabelo.

— Não fica assim, amor...

— Do quê me chamou?  — deu uma gargalhada, fazendo-me ficar vermelha.

— Nada, nada  — respondi rápido.

— Tudo bem, princesa. Cada coisa no seu tempo  — o loiro sorriu, pegando em minha mão, beijando-a.

Nós ficamos conversando por horas, enquanto a movimentação crescia dentro e fora do palco. 

Suas fãs estavam cada vez mais enlouquecidas, e era capaz de ouvi-las gritar e dizer que amavam Justin, o que causava risadas gostosas e lágrimas em seus olhos cor de mel.

— Eu amo minhas Beliebers  — ele sorriu, sentindo lágrimas escorrerem pelos cantos de seus olhos  — Elas, você, Pattie, Jazzy e nossa futura filha são as mulheres da minha vida.

— Nossa futura filha?  — perguntei sorrindo.

— Sim  — ele deu de ombros, colocando sua jaqueta.

— Você realmente pensa num futuro comigo, Justin?

— Kels  — ele disse, se aproximando  — Eu sei que você pode não estar preparada pra todas essas coisas que podem e vão acontecer, e sei que as coisas estão difíceis pra você ultimamente. Fama e namorar Justin Bieber não é uma coisa fácil, não é qualquer garota que passa por isso da forma natural que você faz. O que eu quero dizer é que... Ok, isso não tem relação nenhuma —  ele gargalhou — Mas, enfim... Sim, eu penso num futuro com você. Eu não sei se você quer isso, mas eu quero. Eu quero acordar todos os dias da minha vida e saber que você é a mulher com quem eu vou estar. Eu quero olhar pra nossa mão esquerda e saber que ali tem uma aliança. Kelsey Hayes, eu sei que pode ter pouco tempo que nos conhecemos, mas eu realmente quero ter uma linda família com você, para escrevermos uma linda história.

— Ok... — assenti com a cabeça, sorrindo feito boba  — Você me deixa sem jeito, Bieber.

— Eu amo você, princesa  — ele sorriu também, dando um beijo em mim  — Queria ter mais tempo com você, mas preciso ir agora...

— Tudo bem.

— Me deseje um bom show.

— Não preciso desejar bom show, Justin. Você é talento e faz isso por si só.

— Já disse que amo você?

— Já  — sorri sem graça  — Mas agora você precisa ir  — disse por fim e ele assentiu, descendo as escadas do camarim.

Karla disse que seria aconselhável eu assistir o show no palco, bem perto da coxia. Então ela sorri, abraçou-me de lado e me levou lá.

Eram exatamente oito e cinquenta e oito da noite quando Justin subiu na caixa.

As luzes se apagaram e um silêncio foi feito.

Logo em seguida, explosão de luzes foram feitas, e uma música começou.

Mark my words.

A caixa subiu lentamente enquanto Justin sorria para o publico que veio de longe apenas para assisti-lo. Ele olhou pra mim rapidamente e deu um tchau. 

As meninas olharam para onde eu estava, e foi aí que começou a explosão de gritos.

Suas fãs cantavam. Às vezes até mesmo intercalavam em gritos agudos. E foi quando Justin começou a escrever em sua caixa com uma caneta da cor amarela.

Jesus loves you.

— Aproveitem o show de hoje, Beliebers  — ele disse ao microfone, fazendo as mesmas gritarem  — A noite de hoje será inesquecível. 


Notas Finais


Vocês gostaram? Pra quem já foi pra algum show do Bieber, conte pra nós sua experiência.
E pra quem não foi, meus amores, eu tenho um pequeno recado: NUNCA desista dos seus sonhos. Corra atrás, lute, conquiste e quando conseguir, viva cada momento como se fosse único. Vocês vão conseguir, ok? Basta terem fé!

Um beijão e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...