História Twitter | Justin Bieber - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Maddie Hasson
Personagens Justin Bieber, Maddie Hasson
Tags Bieber, Hasson, Justin, Maddie
Visualizações 227
Palavras 1.001
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Leiem as notas finais. Boa leitura.

Capítulo 16 - Luna


 Depois de ter pocurado mil vezes a bendita da chave, eu me sentei no paralelepípedo da calçada esperando a minha carruagem chegar. 

 — Eu ainda mato aquela vadia. — Digo para mim mesma, tendo certeza de quem tirou a chave do seu devido lugar.

 Me levanto limpando a bunda do vestido ao ver que o carro de Justin se aproximava do lugar aonde eu estava parada.

 — Puta que pariu, já estava criando teia em mim. — Digo olhando para o Justin, enquanto entrava no carro. 

 Coloco meus saltos no banco de trás e coloco o cinto de segurança. Logo depois Justin saiu cantando pneu.

 — Se você virar á esquerda vai ter um hotel logo no começo da rua, pode me deixar lá por favor? — Digo olhando para as pessoas que passavam pelo vidro do carro como se fossem vultos por causa da velocidade.

 — Que hotel o que Luna. Você vai lá para casa, quando for mais cedo eu te levo de volta. — Ele disse sem tirar os olhos dá estrada um minuto se quer.

 — Eu não vou dormir na sua casa, vai que as pessoas lá dentro acham que eu sou uma... Prostituta, ou sei lá. — Olho para ele que mantinha seu maxilar travado. 

 — Eu moro lá sozinho relaxa. — Ele para no sinal vermelho e ai sim, me olha. 

Respiro fundo e solto o ar preso que eu nem sabia que prendia.

 — Quem acha que foi? — Olho para ele sem entender o que ele queria dizer e ele percebe e continua. — Que tirou a chave do lugar. 

 — Tenho cem porcentagem de certeza que foi a minha prima. Eu bati nela antes de sair para ir te encontrar. — Digo como se fosse a coisa mais natural do mundo. Mais é a coisa mais natural do mundo. 

 Ele arregala os seus pequenos olhos e solta uma gargalhada que me faz sorrir. 

 — Do que está rindo? Não achei um pingo de graça. — Digo séria e o mesma para de rir, respirando fundo várias vezes. 

Acho que ele estava tentando se controlar. 

 — Céus, você é uma menina louca. — Ele diz saindo do sinal vermelho e virando a esquerda, revelando uma enorme mansão que daria para ver lá dá caralholândia.

 — Eu não sou uma menina, eu sou uma mulher de vinte e um anos. — Tiro o cinto de segurança e saio do carro, não antes de pegar os meus saltos. 

Ele abre a porta da sua casa e eu entro o mais rápido possível, estava com vontade de ir no banheiro. 

 — Me diz, aonde fica o banheiro? — Digo dançando, estava quase me mijando. 

 — É só subir as escadas, e a segunda porta á direita. — Disse sem ao menos me olhar, pois estava trancando a porta. 

 — Obrigado. — Corro pelas escadas e acho o banheiro. 

 Entro no mesmo e tranco a porta, levanto meu vestido e abaixo minha calcinha.  

— Não caga no meu banheiro, se ficar fedendo você que irá limpar. — Ele disse entre gargalhadas. 

 — Vá a puta que pariu que fica na casa do caralho Drew. — Digo lavando minhas mãos. Saio do banheiro e Justin Estava falando ao celular. 

 — Sim, sim. Daqui á quinze minutos? Certo, obrigada. — Desligou a chamada e eu me sentei na bancada da cozinha. — Pedi duas pizza para nós dois. 

 — Tá. — Digo olhando a minha volta.— Sua casa é tão bonita. 

 Ele apenas sorri e sai, indo para a sala. Desco da bancada e vou atrás dele.

 — De nada Justin. — Digo irônica como se ele tivesse pedido obrigada. 

 — Obrigada. — Ele diz sem me olhar. 

Ele se senta no tapete da sala perto da gaveta. Ele abre a gaveta e pega um filme que eu não consegui identificar. 

 — Vamos só esperar a pizza chegar e eu coloco o filme. — Ele se levanta e arrasta a mão na sua roupa.

 Dou um sorriso sem descolar os lábios e abro os braços para o Justin, que entende o que eu quis dizer e me abraça.

 Pego impulso e prendo minhas pernas na sua cintura, sem desfazer o nosso abraço, fazendo o mesmo cambalear para trás e cair sentado no sofá.

 Ainda nos braços do Justin, a campainha toca e nós continuamos abraçados. 

 — Eu tenho que atender. — Ele disse com a boca colada em meu ouvido, me arrepiando lentamente. 

 Saio de cima dele e me sento ao seu lado, ele levanta e vai pegar a pizza. 

 Minutos depois nós já estávamos sentados no sofá com a luz apagada e as caixas de pizza na mesinha de centro, junto com os nossos copos de refrigerante.

 

****** 


 Uma hora e meia depois o filme, finalmente, acabou. 

 Não sei porque, mas Justin não levantou para acender a luz e nem para tirar o filme do DVD. Estava tudo escuro, eu não conseguia ver nada. Eu olhava para todos os cantos da casa a procura de alguma coisa que eu não sabia exatamente o que era, quando sinto as mãos de Justin segurando meu rosto. 

 — Justin, oque você... 

 — Shiiii! — Diz antes que eu terminasse de falar. 

 Sem ao menos perceber os lábios de Justin já estavam colados aos meus.

 Ele inicia um beijo calmo e lento, nossas línguas exploravam cada canto da boca um do outro, era uma sensação tão maravilhosa que eu nunca queria parar esse beijo. 

 Já cansados de estar sentados, Justin vai me deitando lentamente no sofá sem quebrar o beijo. 

 A falta de ar já gritava dentro de mim e acho que nele também porque ele parou de me beijar e me deu mais dois selinhos e se levantou, acendeu a luz e pegou as coisas que estava na mesinha de centro.

 Eu ainda estava deitada, sem acreditar no que havia acabado de acontecer.

 Eu beijei meu ídolo. Na verdade, meu ídolo me beijo. Meu Deus. Eu só posso estar sonhando.    


Notas Finais


Me desculpem por ter demorado tanto à postar, estou muito ocupada com a escola. Se eu desaparecer Novamente, vocês já sabem o motivo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...