História Two Babies (Long Imagine Jimin - BTS) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Filhos, Imagine, Jimin, Você
Exibições 74
Palavras 1.447
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi oi gente, como vai?
Então, eu já estava com essa fic escrita a um tempo, mas por estar perto das férias acabei esquecendo ela, mas, esses dias eu a encontrei na minha lixeira e pensei em voltar a escrevê-la, espero que dê certo dessa vez.
Se tiver qualquer erro pode me falar, as vezes passa despercebido sabe u.u
Italico é o flashback e o "________" seu nome, é sempre bom esclarecer porque talvez alguns não saibam.
OB: Garotinho da foto é o filho deles ^^
Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Two Babies (Long Imagine Jimin - BTS) - Capítulo 1 - Capítulo 1

_________

— Tudo certo aí? – Olho pelo retrovisor conferindo se ele havia colocado o cinto corretamente.

— Sim mamãe, já pode ir. — Sorriu de forma doce, involuntariamente sorri também.

— Ok.

Dei partida no carro e enfim sai do estacionamento do prédio rumando ao hospital, tínhamos marcado para às 18h00m com YoungSan já que era o único horário que daria para eu leva–lo pra  consulta. Kihyun tem problemas pulmonares e ultimamente suas faltas de ar vem se agravando, por conta disso usa tubos respiratórios no nariz que ajudam a prevenir mais crises que costuma ter de vez em quando.

Observo de soslaio o vendo brincar com um Geodude de pelúcia que Jimin deixou comigo, ele amava tanto aquele bichinho que quando o esquecia no dormitório me fazia ir buscar junto com ele para que dormisse em meu apartamento, às vezes até me pergunto se nesse tempo todo acabou se esquecendo dele, já que fez questão de que levasse para o Canadá como forma de me manter junto a ele, ou comprou outro, não sei, decidi romper nosso contato desde que descobri que estava grávida, o conhecia o bastante pra saber que perceberia que estava escondendo alguma coisa.

Em partes me arrependo, mas não queria acabar estragando o sonho dele, um filho é algo sério e sei que Jimin abandonaria tudo pra poder mima–lo o tempo todo e tempo é o que a profissão dele não deixa sobrar muito fácil. Mesmo assim, depois de 3 anos ainda o amo e tem sido cada vez mais difícil aguentar viver longe dele sem poder cuidar quando esta doente ou quando briga com o pai, a única coisa que me faz sentir melhor quanto a isso é saber que ele tem amigos pra fazerem isso por mim, principalmente Seokjin.

Por incrível que pareça ainda falo com ele, é com certeza meu confidente favorito, que me escuta quando a saudade bate. Até certo tempo ele não sabia do Ki, mas houve uma vez que o menor tinha acabado de chegar com meus pais de um passeio no parque aquático que há meses eles estavam tentando me convencer de deixar leva–lo, acho que sou uma das pessoas mais protetoras que conheço, ainda mais com os que amo. Enfim, como meu pequeno estava bastante animado, gritou “Mamãe!” e me abraçou, eu percebi que Jin ficou chocado, mas como não ficaria? Éramos melhores amigos, contava tudo sobre mim e ter escondido isso é meio difícil de acreditar. Depois que Ki foi dormir o chamei no vídeo chamada novamente e expliquei tudo.

 

— Comece quando achar melhor. — Tentou me acalmar vendo o quão tensa estava.

— Ok. Eu não contei porque achei que ia acabar falando para o Jimin, eu não quero que ele saiba, pelo menos por enquanto, eu consigo cuidar dele sozinha. — Suspiro me sentindo um pouco mais aliviada, nunca disse a ninguém sobre o pai de Kihyun, para todos ele veio de alguém irresponsável o bastante pra não assumir o que fez.

— Olha, eu entendo que você fez isso pensando no bem dele, mas esse é um dos casos que ele precisa saber, até quando vai esconder isso? E se a criança acabar tomando raiva dele achando que não o queria? — Ralhou, sabia que era uma bronca e com razão, a verdade que eu vivo fugindo.

— Eu vou saber o momento certo e o Ki tem bastante paciência com isso, não é como se chorasse rios por não ter um pai, ele lida com isso naturalmente, mesmo sonhando com o dia que vai o conhecer. — Lembro de todas vezes que me perguntou “Como o papai é?” e “Por que ele não vive com a gente?” e sinto meu coração se apertar. — Isso é mais difícil do que você imagina SeokJin, ainda mais pra mim.

— Entendo, não se preocupe, vou respeitar seu tempo e não contar, mas, se eu perceber que está passando dos limites não penso duas vezes antes de falar, estamos combinados? — Arqueia as sobrancelhas esperando minha resposta, mordo o lábio e assenti relutante. – Tudo bem, agora me fale mais dele. — Sorriu curioso e ri.

— Uma verdadeira miniatura do Jimin, não precisa nem de um DNA pra saber que é seu filho, às vezes fico até me sinto mais perto dele. — Digo com um sorriso no rosto.

— Tem foto? Não deu pra ver o rosto dele direito porque uma certa pessoa não deixou sabe! — Me olha fingindo estar bravo e ri novamente.

 

Chegamos ao hospital e estaciono em uma vaga qualquer, estava quase que vazio então não era muito difícil achar um lugar. Desço pegando Kihyun no colo junto com a mochila que havia comprando pra facilitar na hora de andar com o tubo de oxigênio, além de alças para levar nas costas tinha rodinhas também, com certeza é mais confortável pra ele do que levar aquela coisa pesada.

Entro e digo que tenho hora marcada para a recepcionista que prontamente me leva a sala de Young, abre a porta pra mim, pois estava com as mãos ocupadas e agradeço escutando ela se fechar depois de ter passado. Sento o menor deixando a mochila no chão ao seu lado, o cano era grande, não teria problema. Cumprimento meu amigo com um aperto de mão, por mais que ele seja japonês morou muito tempo na minha cidade estudar assim como eu e acabamos nos tronando amigos.

— Como vai pequeno Ki–San? — Levanta de seu lugar se abaixando a altura do garotinho com um sorriso, era um apelido carinhoso que ele havia dado e que o menor parecia adorar, pois quando Young se esquecia de chama–lo assim o repreendia.

— Só um pouco sem fome, mas a mamãe disse que se eu não comer, não vou ficar forte como o Hulk. — Faz um bico e ri, vocês não tem ideia de como é difícil alimentar esse ser.

— Mas ela está certa, você te que comer bastante para melhorar logo e não ficar fraco, porque se não se alimentar direito vai acabar ficando mais doente ainda, você quer isso? — Olha sugestivo para o a sua frente que nega. — Então coma direito, combinado? — Estende o mindinho que logo é entrelaçado pelo do menor.

— Combinado, mas dessa vez coloca mais comidas gostosas, aquelas coisas verdes são ruins. — Faz careta e nos rimos dele.

— Mas são aquelas coisas verdes que vão te ajudar a ficar forte Ki–San, se não comer, não adiantará de nada todo esse esforço que está fazendo para ficar bem.

— Entendi. — Suspira dando se por vencido e Young levanta se sentando na cadeira escrevendo algo, são as vitaminas que Ki tem que tomar, não gosto de da–las a ele porque o deixa com insônia e obviamente com sono na manhã, que é o horário de ir para escola, mas eu já tinha o avisado sobre isso quando liguei para marcar a consulta e ele disse que passaria algum remédio pra ajudar. — Aqui está. — Me entrega a receita e olha para o menor ao meu lado. — Tenho uma péssima noticia pra você Ki–San.

— O que Tio? — Tenta parecer calmo como sempre, mas eu sabia que ele estava tão nervoso quanto eu.

— Você vai ter que tirar sangue de novo, tenho que ver como está de maneira mais completa e esse é o único jeito. — Suspira sendo acompanhado por ele que assente contragosto. — Mas você o Hulk não é? Com certeza não vai se importar com aquela picadinha. — Sorri tentando o animar.

— Sim, já estou me acostumando com isso toda semana. — Sorri fraco cabisbaixo, olho para Young que retribui o olhar soltando um longo suspiro.

— Olha meu amor, sabe que isso é por seu bem, certo? — Fico de frente com seu rosto para olha–lo, ele me encara de volta assentindo. — Eu sei que é ruim, mas vai acabar, eu prometo.

— Tudo bem mamãe. — Seu semblante fica um pouco mais ameno e fico aliviada.

— Ok. A Tia Naomi está aqui hoje então diga que não aceitará outra a não ser ela! — Naomi era sua esposa, eles se conheceram na faculdade e tem o prazer de trabalharem juntos na clinica que os próprios construíram, ele médico e ela enfermeira.

— Certo. — O menor sorri sapeca já se levantando indo rumo à sala, ele gostava de ir sem mim, pois dizia que era “Um homem responsável”.

— Obrigado San, até semana que vem. — Ri do outro e me despeço.

— Até menina ________. — Sorri e fecho a porta indo para a recepção esperar meu pequeno.

Me sento na poltrona lendo os nomes das coisas que teria que comprar dessa vez, não eram muito fortes, mas me sentia um estopim em ver meu bebê tendo que tomar 3 tipos de remédios diferentes por dia, não vejo a hora de tudo isso acabar.


Notas Finais


Foi isso!
Assim, eu não sei se vão sair atualizações frequentes, talvez eu demore muito mesmo, mas garanto que de dois meses não passa kkkkk
Caso queria me dizer se ta bostinha, se ta aceitável, se devia voltar pra lixeira, se eu tinha que para de passar vergonha vindo com uma merda dessa aqui na cara lavada... comentários tá aí pra isso, ficaria muito feliz se me dissesse sua opinião ^^
Até a próxima my babies ~*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...