História Two Big Child - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens V
Tags Bangtan Boys, Bts, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, Taehyung
Exibições 1
Palavras 1.446
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Visual Novel
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Minha primeira fic ^^ Espero que gostem <3

Capítulo 1 - Conhecendo pessoas


Fanfic / Fanfiction Two Big Child - Capítulo 1 - Conhecendo pessoas

Existe algo mais clichê que mudar de escola? Não, mas é isso que aconteceu comigo. Moro em Seul, fui transferida da minha antiga escola depois que meus pais cansaram-se da outra casa, e resolveram ir para um lugar mais longe do antigo colégio, e eu fui obrigada a aceitar, deixando todos os meus amigos para trás.

Meu nome é _____, tenho 1,55 de altura, 15 anos e estou no primeiro ano do ensino médio. 
Faltam dois dias para o reinício das aulas, pois estamos voltando das férias de verão. 

12:04

Estou trancada dentro do quarto lendo meu livrinho. 
~Meu Deus, Harry Potter é muito bom, socorro~ pensei
Ouvi minha mãe me chamar do andar de baixo, e vou até lá pra ver o que ela queria:

  _____- Mamãe? 
  

Mãe- Oi filha, você tá trancada nesse quarto há muito tempo, porque não sai um pouco e vai dar uma volta pela vizinhança?

_____-Nosa mamai tá me expulsando?

Mãe- KKKKKKKK Para de graça, menina, vai logo.

_____-Okay, vou trocar de roupa e já saio. 
Subi de volta pro meu quarto, tomei um banho e vesti uma camiseta preta, um short jeans azul, amarrei uma camisa xadrez na cintura, calcei um All Star preto, deixei os cabelos soltos, dei um beijo na minha mãe e saí.

Aquela vizinhança era realmente bonita, apesar de estar vazia demais para uma tarde de sábado. Continuei andando, até chegar em uma praça onde tinham algumas crianças se divertindo nos brinquedos. Me sentei em um dos bancos e comecei a observá-las, sei lá, acho que eu meio que me identifico com a infantilidade delas. 

13:37

O parquinho era bem pequeno e colorido, e tinha umas cinco crianças ali. Em um dos bancos próximos ao que eu estava, havia um garoto que aparentava ter a minha idade, acompanhado por uma adulta, e do outro lado, outro banco estava vazio.
Foi quando, subitamente, uma das crianças começou a chorar, acho que ela se machucou, ou algo do tipo. Seus pais não estavam por perto, então ela sentou-se no banco vazio que estava próximo, e ficou ali, chorando sozinha. 
Fiquei morrendo de pena, aquela criancinha estava sofrendo, e seus pais nem estavam perto para ajudar. Eu levantei do banco que estava, e me sentei ao seu lado.
  _____- Ei pequeno, o que aconteceu? Se machucou?
 

A criança me olhou, e me encarou por alguns instantes. Ele era realmente fofo, tinha a pele, morena, os olhos castanhos claros, quase amarelos, cabelos negros e bagunçados, e uma roupinha bem estilosa, pra idade dele. 
 

***- Eles não querem me deixar brincar - Disse apontando para o grupo de crianças no parque - Aquela menina ali não deixa eles ficarem perto de mim

 _____- Wow. Bom, qual é seu nome? 

***- Yuuri

_____- Yuuri, você quer brincar comigo? 

Yuuri- Com você? Você é adulta, não é?

_____- Naaaao - Disse arregalando os olhos, com certo medo do que ele disse. Eu? Adulta? Deus me livre- Eu também sou criança, só que cresci um pouquinho mais 

Yuuri- Ah, então vamos- Disse sorrindo alegremente

Nós corremos juntos para o parquinho, e começamos brincando no escorregador, as crianças ao redor assustaram-se com a minha presença, mas depois ficaram à vontade, e brincaram com a gente, até mesmo a tal menina que não queria ficar perto do Yuuri, acabou ficando amiga dele. 

18:41

Nós brincamos durante a tarde toda, mas o Sol estava sumindo no horizonte, e eu fiquei um pouco preocupada com as crianças 

_____- Gente, onde vocês moram? 

Cada uma delas apontou para uma das casa ali perto, e uma delas apontou para o menino e a adulta que estavam ali perto, ainda observando, e disse:

***- Minha mamãe vai me levar pra casa

Olhei para onde ela apontava, e a senhora nos olhava sorridente, enquanto o garoto parecia distraído. Sorri de volta para a senhora, e vi ela cutucar o mais novo, este olhou para ela, e em seguida para mim. Nossos olhos se encontraram, e após uns cinco segundos, nós sorrimos um para o outro. 

***- Tiaaaa, tá ouvindo?

_____- Ahn? Ah, oi, diga criança- Falei sorrindo para a pequena perto de mim

***- A gente tem que ir agora, quer brincar mais vezes com a gente? 

_____- QUERO- Falei meio alto, e as crianças riram- Que tal na segunda?

***- Acho que minha mamãe deixa. Pode ser, pessoal?- Disse a menina, olhando para as outras crianças

Todos- Sim

_____- Okay, estarei aqui, qual é o nome de vocês mesmo?

Eu nunca tive uma boa memória -.- 

***- Eu sou Esther, esses são Marcos, Rick, Yuuri e Fernanda- Disse apontando para cada um deles 

_____- Obrigada, não vou mais esquecer ^^
Todas elas me deram tchau, e eu esperei lá com Yuuri e Esther para que todas estivessem dentro de suas casas,  então ele me agradeceu meio tímido e correu para uma casa ali perto. Esther correu em direção à senhora.

Acenei para eles dizendo tchau, e me direcionei para minha casa. 

Estava caminhando tranquilamente para minha casa, quando sinto alguém tocar meu ombro. Tomei um susto enorme e virei pra trás em pose de luta para me defender. Ele fez o mesmo, imitou o que eu estava fazendo, e pareceu que a gente ia lutar mesmo. Quando percebi quem era, comecei a rir muito alto, acompanhada pelo ser ali perto. O garoto da praça estava ali, rindo maravilhosamente ao meu lado, e, quando nós paramos de rir, ele disse:

***-Então, eu queria agradecer pelo que você fez pela minha irmãzinha lá no parque, ela queria muito ser amiga do Yuuri, mas a amiga dela não gostava muito dele, e pediu pra ela não ficar perto. Você fez ela ganhar um amiguinho novo, o que é ótimo, porque ela é tímida... Bom, meu nome é Kim Taehyung, mas meus amigos me chamam de Tae- Disse sorrindo e estendendo a mão para mim.

_____-Você não precisa agradecer, sua irmã é uma fofa, adorei brincar com ela- Respondi e apertei a mão dele, achei muito legal da parte dele agradecer por algo tão bobinho

Tae- Precisa sim, e eu queria saber se posso te deixar em casa, tá meio tarde pra uma criança andar por aí sozinha.

_____- Hahaha Pode sim 
Começamos a andar, eu estava andando na calçada, ele estava se equilibrando no meio fio, e eu resolvi puxar assunto:

_____-Você me chamou de criança, mas quantos anos você tem?

Tae- 16

_____-Nossa, falou o idoso

Tae- Eu não, credo, eu sou criança, obrigado de nada 

Eu olhei pra ele impressionada e feliz, não era todo mundo que falava assim que era criança e se sentia feliz com isso. Hoje em dia os mais novos têm mania de agir como adulto, e isso não serve pra mim. 

_____- QUE DAORA

Tae- TU TAMBÉM É CRIANÇA?

_____- SOU

Tae- Nossa me abraça 

Estávamos fazendo várias brincadeirinhas, do tipo ele correr atrás de mim, nos empurrarmos, etc.

Nós rimos muito, descobri várias coisas sobre ele, e falei um pouco sobre mim, até que chegamos na minha casa. Tae encarou a casa por um instante

Tae- Sério que você mora aqui??

_____- Sérião, por quê?

Ele apontou para uma casa ali perto, e eu entendi.

_____- Ah não, para, sério que você mora ali???

Tae- Sério- Disse ele sorrindo quadrado 

_____- Então acho que vamos nos ver muito- Disse sorrindo sem mostrar os dentes

Tae- Pode apostar que sim- Respondeu me olhando profundamente, quase como se encarasse minha alma- Pode me dar seu número?

_____- Farei esse sacrifício- Ri 

Anotei no celular dele, ele se curvou para dizer tchau, e foi, observei ele atravessar a rua e destrancar a porta, antes de entrar, virou-se para mim, acenou dando pulinhos, achei aquilo engraçado e fiz o mesmo. Enquanto fazia isso, pensei no que havia descoberto sobre ele. Tinha 16 anos, 1,79 de altura, morava com a mãe e a irmã mais nova, seu pai tinha abandonado a família, mas ele não sentia saudade, nem o odiava. Tem medo de fantasmas e altura, gosta de carne e bolhas de sabão, tocou saxofone por três anos, e nunca esteve em um relacionamento sério.
Passamos uma eternidade dando tchau um para o outro, então sorri e entrei em casa.

20:23 

Meus pais estavam no sofá, e ao me verem, sorriram e perguntaram como foi

_____- Foi ótimo, fiz vários amigos pequenininhos, e virei amiga de uma criança mais alta.

Pai- Como assim?

Apenas sorri, e subi as escadas. 

_____- Boa noite, amo vocês muito muito 

Pai/Mãe- Boa noite, Filha 

Tomei banho e fui deitar, pensando no quão incrível foi meu dia. Logo dormi.
 

 P.O.V. _____ Off / P.O.V. Pais da ____ On 

Mãe- Ela nunca muda

Pai- Nunca mesmo 
 


Notas Finais


Se quiserem, porque eu não mando em ninguém (🙄), comentem o que acharam, aceito sugestões e críticas ^^
Beijos unicornianos 🦄


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...