História Two Moons - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekyeol, Chanbaek, Chansoo, Hunhan, Kaisoo, Sebaek, Sulay, Taoris, Xiuchen, Xiuhan
Exibições 350
Palavras 6.253
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Ecchi, Lemon, Mistério, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


CHEGAMOS AO FIM (Cry ;-;)
Mas essa é apenas a primeira fase, ainda tem a segunda YEEEEEP ><
Seguinte, demorei apenas dois dias para escrever esse final, pq? pq eu estava muitooooo inspirada!
Talvez próxima semana eu farei um jornal falando sobre as ideias da Segunda fase e tudo o que irá acontecer.
QUERO MUITO QUE VOCÊS COMENTEM NESSE CAPITULO, AFINAL É O ULTIMO DESSA FASE E EU QUERIA QUE ME CONTASSEM O QUE ACHARAM
Espero que não queiram me matar por algumas coisas, mas enfim.... vamos ao capitulo

PS. LEIAM AS NOTAS FINAIS, É IMPORTANTE <3

Capítulo 21 - The lack that makes Chanyeol...


Fanfic / Fanfiction Two Moons - Capítulo 21 - The lack that makes Chanyeol...

Byun Baekhyun

 

      Ja se passaram quatro meses desde aquele desastre perto da cachoeirinha. Mas para mim, aquele episodio era recente demais, ainda sentia a dor de tudo o que aconteceu pesar sobre meu corpo e minha mente.

        Vi meus amigos encurralados, caindo, lutando, se despedindo, defendo a si e ao outro.

        Vi meu primeiro amor partir e me deixar aqui, para viver uma vida que não faz sentindo sem sua presença.

         Vi os caçadores morrerem um a um, e apesar de ser o que mereciam, não foi uma visão muito boa.

         E depois de tudo o que vi, não me sinto vencedor. Talvez pelo fato de não nos falarmos direito desde aquele dia, ou até mesmo por Chanyeol não estar aqui.

         Ah Park! Como eu sinto sua falta.

- Sr.Byun? - O professor de filosofia me olhava intrigado, acho que pelo fato de que eu estava riscando a banca sem perceber - Você está bem?

         Eu assenti, e o homem de meia idade riu, como se o fato de que não estou prestando atenção em sua aula fosse compreensível. Ele voltou a dar aula e eu a rabiscar a banca.

- Sei que ja está passado na matéria dele, mas pode pelo menos fingir interesse - Kyungsoo sussurrou tirando o lápis da minha mão e guardando em seu estojo

       Sei que estou errado, mas será que é difícil entenderem que eu não estou bem com a morte do Chanyeol? Que não consigo superar tão fácil e rápido a morte do cara que eu amo.

- Desculpa Kyungsoo, mas não consigo ser tão frio quanto você...- levantei da banca e sai rapidamente em direção a porta, ouvi o professor me chamar, mas era melhor não respondê-lo e apenas sair sem atrapalhar a aula.

        Sentei no banco em frente a sala e abaixei a cabeça, respirei fundo e me segurei mais uma vez para não desabar. Eu precisava ser forte, sou um vampiro, a morte do Chanyeol não foi a primeira e nem será a ultima que terei que suportar, vou sempre ter que ver aqueles que gosto morrerem.

      Senti alguém se sentar ao meu lado, mas não me levantei para ver quem era. A pessoa colocou a mão sobre minha cabeça e a alisou.

- Você precisa se conter Baek... – Olhei para Sehun e percebi que o mais novo estava estranho, seu rosto estava cansado, como se não dormisse a dias – Sei como se sente, também perdi alguém

- É muito difícil Sehun! Toda vez que olho para nossos amigos lembro dele e de tudo o que aconteceu – não consegui continuar olhando para o maior, desviei meu olhar para a porta de madeira da sala 204 – Sei que estou parecendo um garotinho que não ganhou o presente de natal, mas eu não consigo me segurar.

- Também não consigo, ele era meu melhor amigo, o cara que me aturou por anos e que me transformou no que sou hoje... – enquanto falava, sentia o quão grande era o seu sentimento de amizade por Chanyeol – Eu fico lembrando das nossas apostas, brigas, confusões que nos metiamos, das suspensões por mal comportamento, das madrugadas jogando vídeo game e muitas outras coisas que vivemos juntos e sorrindo como grandes amigos que éramos.

          Olhei para Sehun e o vi com os olhos cheios de lagrimas. Apoiei minha cabeça em seu ombro, tentando consolá-lo, mas nós estávamos no mesmo barco e naufragando pelo mesmo motivo.

- Ele te amava muito, quando você quase morreu, o Chanyeol ficou muito preocupado – disse lembrando da inquietação do grandão para saber como o amigo estava – Nem conseguiu dormir preocupado com você, queria ir de madrugada na barraca onde você estava, para ver se encontrava bem

       As lagrimas de Sehun caíram por seu rosto. Agora éramos dois chorões.

- Ele também te amava muito Baek, desde a primeira vez que te viu... – Soluçávamos feito duas crianças, cada lembrança de Chanyeol doía em nós dois da mesma forma – Mas não podemos ficar assim, o Orelhudo iria ficar triste se nos visse chorando, temos que fingir que somos fortes.

- Eu sei... – ele segurou minha mão e a apertou

- Ei, Olha para mim! – eu obedeci, encarei o maior, vendo seus olhos avermelhados e inchados – Nós vamos conseguir seguir em frente, eu tenho você e você tem a mim, e nós dois temos nossos amigos, sei que vai ser bem difícil no começo, mas nós vamos conseguir, Ok?

                Eu assenti, abraçando fortemente o mais novo, eu e Sehun nunca nos falamos direito, essa era a primeira vez que estávamos tendo uma conversa e estava sendo ótimo falar com alguém que estava tão arrasado quanto eu.

- Sehun, posso te dizer uma coisa? – ele balançou a cabeça positivamente e eu procurei as palavras certas para dizer a ele – Eu não queria matar o caçador, mas quando eu o mordi e senti o sangue em minha boca, não consegui me segurar e acabei matando-o

- Baek, não pense que você virou um monstro só porque matou aquele homem – ele colocou a mão em meu ombro, abaixei minha cabeça envergonhado – Você não tem que se culpar, ele matou o Chanyeol e depois ainda... ele... eu não quero nem lembrar.

- Eu sei, mas eu devia ter me segurado...sabe... ter deixado para la... eu

- Baek, você não é um monstro! – ele colocou a mão em meu queixo e levantou lentamente  – Se precisar de qualquer coisa, mas qualquer coisa mesmo, eu vou estar aqui! Você liga para mim e eu saio correndo para te ajudar, ok?

- Ok!

- Promete que vai me contar tudo? – eu sorri, era bom saber que Sehun queria ser meu amigo, queria me apoiar

- Eu prometo – ele sorriu, ao mesmo tempo em que o sinal para largar soou.

- Você vai acampar hoje? – Balancei a cabeça positivamente e o vi sorrir mais uma vez – Otimo!

       Nos abraçamos mais uma vez, era bom ter amigos. A porta se abriu e os colegas de turma começaram a sair um por um, depois nossos amigos saíram juntos. Eu não só tinha Sehun. Eu tinha mais nove amigos além dele. Afastei-me do mais novo e corri até Kyungsoo que implicava com Jongin por um motivo qualquer, pulando em seus braços e implorando que meu amigo me perdoe

- ME DESCULPA KYUNGGIIE! – Kyungsoo apenas me abraçou sem dizer nada – EU SEI QUE ESTOU ERRADO

- Que bom que sabe – olhei para ele, que falava em tom serio e ao ver um bico em meus lábios, ele sorriu e me deu mais um abraço – me desculpa por ser insensível

      Depois do abraço com Kyungsoo, olhei para Sehun e sorri. Eu não tinha que enfrentar isso sozinho, terei meus amigos comigo.

- Que horas devemos nos encontrar hoje? – Perguntou Tao de mãos dadas com Kris.

        Fico admirado com os dois, toda vez que estão em casa eles transam e quase sempre quebram a cama, até Kyungsoo sugerir que dormissem em colchões no chão. Mas eu pensei que eles fossem parar de discordar e brigar, porém eles continuam do mesmo jeito de antes, só que com uma diferença, sempre depois da briga eles fazem sexo.

- Acho que umas 18:30 em frente a casa do Chen – falou Suho um pouco sem jeito, já que seu namoro com Jongdae não estava dos melhores, desde aquele dia.

- Por mim tudo bem! – falou Xiumin colocando o braço sobre o ombro de Chen.

                Depois daquela luta, e após o até então desaparecido surgir e salvar a vida de Minseok, os dois vem se aproximando cada vez mais, se tornando grandes amigos, o mesmo devo dizer de Lay e Suho que não se desgrudam mais.

- Então nos vemos la – falou Yixing sorrindo para Suho, que correspondeu igualmente, fazendo Chen ficar com um pouco de ciúmes

- Tchau Baek! – Falou Sehun puxando Luhan para a saída

- Tchau Hun, tchau Lu – O Chinês acenou para mim e acompanhou o namorado.

     Apoiei-me em Kyungsoo, e seguimos com Minseok, Tao e Yifan para a saída.

 

Oh Sehun

 

                Eu e Luhan andávamos de mãos dadas na frente dos outros, conversando sobre coisas aleatórias. Ele sabia que o assunto da morte de Chanyeol me perturbava muito, por isso nem mesmo tocava no assunto, eu o entendo, ficar falando da morte do meu amigo me deixaria realmente triste. Mas eu precisava conversar sobre aquilo, dizer que eu sinto falta do orelhudo, contar nossas aventuras e desventuras. Por isso fui conversar com Baekhyun, ele estava sentindo o mesmo que eu, e caso ele não conversasse com alguém podia acabar fazendo alguma besteira.

- Conversei com o Baekhyun hoje... – falei achando que ele precisava saber que eu queria compartilhar com alguém a minha dor

- Ah, sobre o que? – ele parecia incomodado com o possível rumo da conversa, sabia que isso levaria a Chanyeol

- Ele está sofrendo com a morte do Chanyeol... – Luhan assentiu desanimado

- Todos estamos! – ele nem mesmo me olhou, parecia frio ao falar isso – Baekhyun só precisa de tempo para superar isso, não se preocupe

- É isso que você acha? Que é fácil superar a morte de um namorado ou um amigo? – O chinês me olhou assustado, mas eu mantinha firme a expressão de surpresa em meu rosto

- Não, mas é que ele está sendo muito radical, já se passaram quatro meses Sehun...

- Eu também não superei, estou com saudades do meu melhor amigo, enfurecido pelas pessoas já terem superado sua morte... – Luhan soltou sua mão da minha e me encarou – Eu estou tomando remédios para dormir, porque não consigo deitar na cama e não lembrar daquela cena horrível.

- Por que não me contou? Por que não me falou sobre isso? – Luhan agora parecia chateado, traído.

- Não quis que se preocupasse comigo, que ficasse mal ou algo do tipo – Luhan colocou a mão em meu rosto e retirou dos meus olhos os fios de cabelo que teimavam em tampá-los

- Também não estou conseguindo dormir direito, lembro do sorriso exagerado dele e da cara de tonto que ele tinha – falou sorrindo ao lembrar das feições engraçadas dele – Não o conheci a muito tempo, mas o conheci o bastante para sofrer pela morte dele.

- Desculpa! Mas é que eu pensei que você evitava falar da morte dele para não me deixar para baixo...

- Eu não falava sobre a morte dele, porque eu não consigo acreditar que ele se foi! – Lagrimas começaram a surgir nos olhos do meu pequeno, fazendo com que meu coração ficasse apertado, eu o tinha julgado mal e o feito chorar

- Todos nós sentimos falta do Chanyeol, todos estamos enfrentando a dor da perda dele da forma que achamos melhor – Falou Suho se aproximando, junto a Jongin – Também estou tomando remédios para dormir, não consigo nem mesmo encarar os meus tios, sem começar a chorar.

- Tomei Ayahuasca para tentar me despedir dele, mas acabei querendo vê-lo mais e mais – Kai abaixou a cabeça envergonhado, mas eu o entendia.

                Nós três vivemos tantas aventuras juntos. Éramos chamado de trio arruaceiro pelos professores e funcionários das cinco escolas que já estudamos, Kai sempre foi o mais responsável de nós três, sempre nos tentava ficar quieto, mas acabava fracassando e ficando tão encrencado quanto eu e Chanyeol.

             Caminhei até o meu outro melhor amigo e o abracei, estava tão preocupado com as pessoas superando facilmente a morte do orelhudo, que esqueci que Jongin também podia estar sofrendo o mesmo que eu.

- Sinto muito! Não acredito que te deixei sozinho nesse momento – Jongin me apertou

- Eu estava tão preocupado em esconder as minhas alucinações que nem percebi que meu outro melhor amigo estava mal e precisando de mim.

- Estamos juntos nessa – Falou suho abraçado com o irmão de criação.

                Kai e eu nos afastamos. Olhei para Luhan, que estava abraçado a Junmyeon e estendi minha mão, o menor a segurou e eu o puxei para meus braços.

- Eu te amo Lu, me desculpa ta? – ele sorriu, ficou nas pontas dos pés e selou nossos lábios.

- Vamos continuar? – Perguntou Suho.

                Balançamos a cabeça positivamente e continuamos andando de volta para casa.

 

                                                               [ ... ]

“ – se dispersa dele

                O caçador soltou os cabelos de Baekhyun, o deixando livre para falar pela ultima vez com Chanyeol. O menor se abaixou e aproximou seu rosto do ouvido de Chanyeol, controlou seu choro e soluçando sussurrou suas ultimas palavras para o maior.

- Eu te amo... Para sempre

                Baekhyun estava de olhos fechados, sabia que a qualquer momento poderia ser apunhalado e morreria ali ao lado do homem que ama. Assim que o garoto de cabelos castanhos abriu seus olhos para ver mais uma vez o rosto do seu namorado, percebeu que o mesmo não estava mais acordado, ele tentou ouvir seu coração, só que ele não estava mais batendo.

- CHANYEOL!!!!!!!!

                O menor gritou alto, e antes que pudesse voltar a abraçar o corpo morto do namorado, sentiu seus cabelos sendo puxados para trás.

- Me deixa ficar com ele, por favor!

- Já deixei que se despedisse, acha que sou burro em deixar você morder ele? – Baekhyun lutava contra o caçador para tentar ficar mais perto de Chanyeol, mas ele o segurava fortemente com uma adaga cheia de verbena encostada em seu pescoço

- Não é isso, por favor!

-Não! – O Caçador jogou a adaga no chão e segurou com força a cabeça de Baekhyun a quebrando.

-BAEK! – Kyungsoo gritou, soltando-se do caçador que estava o segurando e correndo até o amigo.

                O caçador pegou os pés de Chanyeol e arrastou até as águas da cachoeira e o como se o corpo do lobisomem fosse um saco de batatas, o homem o jogou cachoeira abaixo.

- NÃO! – Sehun gritou, vendo o melhor amigo sendo jogado para o fundo das águas

                Kyungsoo pegou a faca coberta de verbena que o caçador tinha jogado no chão, e passou levemente pelo braço de Baekhyun o queimando. O Vampiro acordou em um pulo e ao tomar consciência notando que o corpo de Chanyeol não estava mais ali, se desesperou.

- Cadê o... – Ele avistou o caçador na beira do precipício olhando para as águas e entendeu o que estava acontecendo.

- Calma Baek! – Kyungsoo tentou segurar o amigo, mas Baekhyun foi tomado por um ódio imenso, se soltando de seu amigo e se erguendo.

                O pequeno Byun encarou o caçador e como se estivesse possuído, correu em sua direção o jogando no chão com absurda força. Com aquele choque contra o chão, o caçador morreu, mas Baekhyun não estava satisfeito, levando sua boca até o pescoço e mordendo-o.

                Ele sugou o sangue do caçador desesperadamente, quando se cansou, arrancou a cabeça dele e a jogou cachoeira abaixo. Baekhyun olhou para baixo e fechou os olhos, passou rapidamente em sua cabeça seu encontro com Chanyeol, o abraço que ele lhe deu enquanto sofria pela morte de Minah e o Primeiro beijo dos dois. Ele não queria mais viver sem Chanyeol, então ele olhou para o fundo das águas, se virou para os amigos e sorriu, e se preparou para pular, mas antes que conseguisse Tao e Kris correram até ele e o tiraram dali antes que ele caísse.

- Me deixem pular! – Baekhyun tentava se soltar, mas seus amigos o seguravam fortemente impossibilitando que ele se soltasse

- Baekhyun não! – Tao tentava conter o amigo, mas ele estava incontrolável

                Todos correram até Baekhyun, após a morte do assassino de Chanyeol os outros caçadores correram. Kyungsoo tentou controlar o amigo, mas ele se contorcia e usava da força para se livrar das mãos que o seguravam, não tendo outra opção, Kyungsoo quebrou o pescoço de Baekhyun.

- O que vamos fazer? – perguntou Suho para Kris

- Vamos levar Baekhyun para casa e vocês desçam e tentem encontrar o corpo de Chanyeol! – Dito isso, os Lobisomens desceram rapidamente para  a margem da cachoeira, enquanto os vampiros levavam o amigo descontrolado para casa.”

 

                                                                              [ ... ]

 

Byun Baekhyun

 

                Passei a tarde toda pensando no que fazer para voltar ao normal, mas quanto mais eu pensava mais triste eu ficava, e a saudade só fazia aumentar. Não via a hora de ir para a floresta acampar com os outros, porém agora que estou aqui sentado em um tronco com todos a minha volta, eu não me sinto melhor, pelo contrario, a lembrança de Chanyeol estava em todo aquele lugar.

- E então, alguém sabe o que se faz quando se acampa? – Perguntou Tao olhando para todos

- Nós ficamos em volta da fogueira e jogamos, conversamos e outras coisas... – Falou Lay, dando sinal de vida – Também tem o que fizemos da ultima vez.

- O que fizeram da ultima vez? – perguntou Chen com a cabeça apoiada no ombro de Xiumin

- Nós jogamos um jogo de perguntas... – falou Minseok olhando para o amigo

- Na verdade, eu tenho uma sugestão do que fazer... – Suho olhou para mim e depois para os outros – Falar sobre o Chanyeol

- O que? – Tao olhou surpreso para o novo amigo, sem entender o porque dele tocar naquele assunto

- Eu concordo com o Suho! – Sehun falou, logo olhando para mim e sorrindo fracamente

- Hoje, enquanto voltávamos para casa, nós falamos sobre a morte dele e nos sentimos bem melhor – disse olhando para mim – Não temos que esconder o que estamos sentindo, um dos outros.

                Ninguém falou nada, apenas ficaram todos em silêncio.

- Eu não consegui dormir direito desde aquele dia, sempre que fechava os olhos vinha a lembrança do caçador o jogando na água – falou Lay abaixando a cabeça.

                Eu não sabia daquilo, não tinha percebido que o Yixing estava sem dormir, logo ele que apesar de ser um vampiro sempre dormia com frenquencia.

- Peguei Jongin tomando um chá de uma erva que te faz ter alucinações, peguei dele e lhe dei uma bronca, mas... quando cheguei em casa, me tranquei no quarto e tomei, quando eu vi o Chanyeol em minha frente, eu enlouqueci e comecei a lhe suplicar que me perdoasse por tudo

                Como eu não vi isso, porque eu não percebi que Kyungsoo estava estranho? Logo ele que além de um irmão para mim, é também meu melhor amigo.

- Sonhei varias vezes com o Orelhudo, ele estava com aquele sorriso horrível dele, fazendo brincadeiras e sendo super inconveniente, acordei chorando, sinto falta dele – disse Tao, sendo fitado por Kris que com certeza não percebeu nada

- Venho procurado por ele todas as noites, tentando acha-lo e toda vez que eu não conseguia, eu bebia tentando me embriagar, mas não consigo porque estou morto.

- Tentei me suicidar varias vezes, mas sempre os meus irmãos estão la para me salvar e me lembrar que o Chanyeol não iria me querer ver morto – falei, vendo todos me olharem compreensivos – eu já tentei me embriagar, me culpar, me castigar, mas nada que fizer vai trazer ele de volta, eu o amo tanto, mas tanto, que nem mesmo me importo em morrer.

                Eu abaixei a cabeça, deixando as lagrimas cair e molhar a grama verdinha da primavera.

- Todos nós estamos tristes e devastados pela morte de Chanyeol, mas só iremos ficar bem se estivermos juntos, unidos como uma família que nos tornamos – falou Suho segurando a mão de Lay, que segurou a de Luhan, que já estava de mãos dadas com Sehun, que pegou na mão de Jongin, que pela primeira vez deu as mãos a Kyungsoo sem que ele o insultasse, que pegou em minha mão, olhei para Yifan e dei a mão a ele, que já estava de mãos dadas com Tao, que segurou a mão de Xiumin, que deu a mão a Chen, que segurou a mão de Suho.

                Estamos todos de mãos dadas em volta da fogueira, juntos era bem mais fácil conviver a perda de Chanyeol. Ficamos ali conversando por um tempo, até que de casal em casal começaram a se recolher, até mesmo Kyungsoo e Jongin foram juntos para a barraca deles. Quando fui para a barraca, a lembrança da ultima vez que estive ali, transformou tudo aquilo em um momento nostálgico.

 

                                                                              [ ... ]

 

“ – Chanyeol, fica quieto! – virei para o outro lado para encarar o maior, que se mexia de um lado para o outro o tempo todo.

- Desculpa pequeno, mas eu estou muito preocupado com o Sehun... – ele virou para me olhar, estar ali com ele era algo mágico – Acho que vou lá ver ele!

                Chanyeol ia se levantar mas eu o puxei para baixo, fazendo com que ele caísse sobre mim.

- Você ir la agora não iria adiantar de nada, só iria atrapalhar ele e Sehun – O grandão parecia ter entendido, ele me olhou e sorriu – Agora deita aqui e dormi

- Ta bom... – ele deitou ao meu lado e colocou a mão em volta do meu corpo – Eu te amo!

- Eu te amo! – dei um selinho em seus lábios e me virei para o outro lado.

                Ficamos de conchinha por um tempo, até ele começar a se mexer para um lado e para o outro novamente.”

 

                                                                              [ ... ]

 

                Acordei em um pulo, olhei para o lado na esperança de ver Chanyeol, mas aquilo era só um sonho, apenas uma boa lembrança. Suspirei cansado e decidi me levantar para dar uma volta. Coloquei a cabeça para fora da barraca e vi que não havia mais ninguém por ali, sai de la e segui o caminho em direção da cachoeirinha, queria novamente ver aquele lugar onde tudo aconteceu.

                Andei pela floresta passando por cada árvore e tentando lembrar o caminho para aquele lugar. Até que passei por uma arvore, ela eu conhecia muito bem, agora eu sabia onde eu estava. Aquele era o lugar onde Chanyeol me pediu em namoro.

                Deitei naquela grama verde, e fiquei a observar o céu estrelado. Eu amo o céu, o universo, o sistema solar, os planetas, as estrelas, cada buraco negro que existe. A lua minguante estava bonita, parecia que estava sorrindo para mim.

- Eu te amo, Chanyeol! – falei olhando para o céu, para as estrelas

- Eu te amo Baekhyun!

                Me levantei bruscamente e olhei para os lados, mas não era ele. Tinha certeza que aquela era a voz de Chanyeol, talvez fosse só a minha imaginação me pregando peças.

- Quanto tempo mais eu vou sonhar com você em Park? – falei sozinho, como se eu fosse ser respondido, me deitei novamente.

- Por que não quer mais sonhar comigo? – Em minha frente surgiu uma sombra, que ao abrir meu olho, vi ser a cabeça de Chanyeol.

                Mais uma alucinação.

- Você é apenas fruto da minha imaginação! – falei para o “fantasma” do grandão.

                Fechei meus olhos e senti a sombra sumir. Abri meus olhos novamente e ele já não estava em cima de mim.

“Sabia!”

- Sabia do que? – Chanyeol se deitou na grama junto a mim,  ficando de lado.

- Eu não quero mais sofrer, nem sonhar com alguém que está morto – falei me virando de lado, ficando frente a frente do “fantasma”

- Entendi... – falou o falso Chanyeol se aproximando mais de mim – Acha que sou uma ilusão!

- Eu não acho... Tenho certeza! – falei olhando em seus olhos, não me importando com o fato de estar falando sozinho

- Ok! – ele se aproximou ainda mais, fazendo nossos narizes roçarem um no outro – E um fruto da sua imaginação faria você sentir isso?

                Ele selou nossos lábios, sua mão passeou por meu braço, fazendo com que eu me arrepiasse. Sua língua passeava por minha boca, me fazendo delirar, algo que só ele conseguia fazer, nossas línguas se tocaram.

                Acho que uma alucinação não é capaz de fazer isso. Com certeza não. Ele se afastou me olhando nos olhos e alisando meu rosto.

- É você mesmo! – as lagrimas começaram a surgir em meus olhos, querendo sair e inundar a grama – Mas como?

- Ah Baek! Eu vou te contar tudo, mas agora eu só quero ficar com você.

                Chanyeol colou nossos lábios novamente, nossas línguas se enroscavam uma contra a outra. Suas mãos passeavam por minha cochas, massageando-a maniacamente. Ele separou nossos lábios, subindo em cima de mim em seguida. O maior começou a depositar beijos em meu pescoço, depois começou a desabotoar os botões do meu pijama rapidamente, logo se livrando dele. Eu sentia arrepios por cada beijo distribuído por meu corpo, ele apertava cada vez mais as minhas coxas, fazendo com que gemesse baixinho.

                Desci minha mão que antes estava em seus cabelos, até a barra de sua camisa a levantando, Chanyeol a tirou e a jogou tão longe quanto a minha estava. Voltamos a nos beijar intensamente, coloquei minha mão sobre a cintura do maior a puxando para ainda mais perto de mim. Senti seus lábios em meu pescoço, fazendo com que mais uma vez eu me arrepiasse, ele começou  a dar mordidas de leve me fazendo suspirar, até começar a me chupar. Gemia baixinho, sentindo o membro do maior encostando no meu. Ele voltou a beijar meu peitoral, mas agora deixando chupões por meu corpo. Chanyeol começou a massagear mesu mamilos levemente, me fazendo gemer ainda mais alto.

                Ele se levantou bruscamente e retirou a calça, mostrando sua boxer preta, logo voltando e tirando a minha. Depois voltou para cima de mim, voltando a me beijar. Passei a mão por suas costas a alisando, até tocar em uma cicatriz que eu sabia muito bem como ela surgiu, mas aquilo não vinha ao caso, não naquele momento. Chanyeol começou a massagear meu membro ainda coberto pela boxer azul.

- Tira...logo! – falei já não agüentando mais esperar por mais contato.

                Ele riu, retirando a minha boxer e a sua rapidamente. Agora eu entendo o porque dos lobisomens serem famosos por suas transas, o membro do Chanyeol era maior que o daquele famoso negão dos filmes pornôs.

- Que tal ficar de bruços?hm?

                Eu obedeci. Ele voltou a ficar por cima de mim, se aproximou do meu ouvido e sussurrou um “ Enquanto eu estava me recuperando, só conseguia pensar em você e nos seus beijos” fazendo com que eu me arrepiasse pela quinta vez naquela linda noite estrelada. Chanyeol começou a distribuir beijos e chupões por minhas costas, descendo até a minha bunda onde apertou fortemente. Ele separou a banda das minhas bunda, e ao sentir sua respiração naquela área, me contrai. O maior tocou meu orifício com sua língua devagar e logo começou a lubrificar com sua língua. Eu gemia manhoso enquanto me arrepiava com seu toque. Meu gemido estava ficando cada vez mais alto, fazendo com que Chanyeol intensificasse ainda mais seus atos. Ele se posicionou atrás de mim e segurou firme a minha cintura.

- Vai logo Channie...

                Ele sorriu e começou a me estocar lentamente, depois ele começou a intensificar mais um pouco, e a cada estocada eu gemia cada vez mais alto, competindo com o barulho da coruja, eu empinava ainda mais minha bunda para que ele pudesse ir ainda mais fundo. A adrenalina pelo meu corpo me enlouquecia. Eu suava, escorrendo por minha testa, o ar faltava em meus pulmões. Chanyeol puxou meus cabelos para trás fazendo com eu encostasse minhas costas em seu peitoral, senti seus lábios em meu pescoço, onde o maior deixou um chupão.

                Eu estava preste a gozar, assim como Chanyeol. Ele levou sua mão ao meu membro e começou a estimulá-lo, depois virou um pouco meu rosto para trocarmos um beijo. Ele chupava minha língua com desespero, e só paramos o beijo quando o ar se fez necessário. O maior retirou seu membro de mim, deitando-se ao meu lado na grama. Nós tínhamos finalmente nos aliviado.

                Olhei para o meu namorado sorrindo. Aquilo era um sonho, ele estar ali ao meu lado. Eu não queria estragar o clima bom que estava, mas eu estava curioso para saber o que tinha acontecido, o porquê dele não ter voltado antes.

- Chany... – Ele me olhou, com aqueles belos olhos castanhos escuros que agora continham um brilho especial.

- O que houve? – perguntou ficando de lado para me olhar melhor, eu fiz o mesmo alisando o seu rosto.

- Eu que devo fazer essa pergunta... – falei rindo da expressão de bobo dele – eu te vi morrer!

- Não sei muito bem, quando eu acordei estava na cabana enfaixado da cabeça aos pés.

- Mas como você chegou la? – perguntei olhando para o maior

- Meu tio... – ele passou a mão por meu rosto carinhosamente – Mas acho que tenho que contar essa historia para todos vocês.

- Tudo bem! – eu olhei para o outro lado, pegando as minhas roupas – Vamos la, eles estão sofrendo muito.

- Eu sei! Vi o que eles disseram em volta da fogueira.

- Você viu? – ele balançou a cabeça positivamente, se levantando da grama e estendendo a mão para me ajudar a levantar – E por que não apareceu para todos

- Eu não teria privacidade com você... – falou com um sorriso malicioso  nos lábios, me fazendo querer desistir de encontrar os outros e voltar a ficar com o maior – e eu sabia que muito bem que Sehun e Jongin iriam ficar me babando, querendo checar se todas as partes do meu corpo estavam intactas, e quando eu digo todas, é realmente todas!

                Sorri da expressão do maior. Era bom tê-lo ao meu lado, vivo.

                Nós trocamos de roupa e olhamos um para o outro, decidimos nos abraçar e ficar um pouco ali agarrados. Ele me apertou quase me sufocando, agora eu sabia que ele sentiu a minha falta, tanto quanto eu senti a dele.

- Senti sua falta, Baek! – ele sussurrou em meu ouvido com sua voz rouca, que eu achava incrivelmente sexy

- Eu também senti a sua – falei me afastando de seu abraço, e selando nossos lábios.

                Caminhamos em silêncio, abraçados até chegar ao acampamento. Como todos estavam dormindo, Chanyeol teve a grande idéia de batermos em panelas e acorda-los, então pegamos as únicas duas pequenas panelas, que estavam dentro de um saco grande, e mais duas colheres e começamos a bater com força até que o primeiro casal saiu da barraca estressado.

- MAS QUE PORRA... – Suho olhou para mim e depois para Chanyeol – O Jongin e Kyungsoo se drogam e eu que tenho alucinações?

- Eu pensei a mesma coisa quando o vi... – falei sorrindo

- Sou eu primo, de verdade! – ele abriu os braços e com lagrimas nos olhos, o mais velho correu para os braços de Chanyeol.

- Eu não acredito! Ai meu... Como? – Suho parecia um louco, ele tocava o rosto de Chanyeol, para sentir se era realmente ele, se não era uma alucinação

- Eu vou contar tudo, mas antes preciso que os outros acordem – ele assentiu e olhou para as seis barracas

- CAÇADORES!!! – Suho gritou e automaticamente, oito zumbis saíram para fora de suas barracas assustados.

                A primeira pessoa a esboçar qualquer reação foram Sehun e Jongin. O mais novo se ajoelhou no chão encarando a face de Chanyeol, enquanto Kai correu até o orelhudo abraçando-o. O Park estava feliz, podia ver isso seu olhar e vendo os amigos o mimando ele estava melhor.

- Que susto você nos deu, cosplay do Yoda! – Jongin estava chorando

- YA! Não me chama assim – falou fazendo um bico e se afastando do amigo, desviando seu olhar para Sehun que chorava como um bebê.

                Ele andou até o amigo, ficando de joelho assim como o outro. Os dois ficaram cara a cara, Chanyeol colocou a mão na nuca de Sehun e juntou sua testa com a do mais novo.

- Eu estou aqui meu bebê... – Sehun continuava a chorar e Chanyeol também – Não vou mais sair do teu lado, eu prometo!

- Senti tanto a sua falta, chorei todos os dias... você merece umas bofetadas seu elfo domestico

- Por que você e Jongin só fazem me agredir hein?

- Porque você merece seu palhaço, nos fez chorar pela sua morte! – Chanyeol o abraçou fortemente.

- Mas o que aconteceu Park? – perguntou Kyungsoo

                Todos estavam com lagrimas nos olhos, emocionados e curioso em saber o que aconteceu.

- Eu vou contar tudo, mas antes eu queria abraçar todos vocês e pedir desculpas por tudo! – Ele se levantou e abraçou cada um individualmente.

                 Depois sentamos todos em volta da fogueira, prontos para ouvir o que tinha acontecido.

- Então Chanyeol, já estamos todos preparados para ouvir o sua historia de renascimento! – falou Xiumin apoiado no ombro de Jongdae.

- Meu tio me encontrou boiando nas margens da cachoeirinha e me levou para a cabana dele! – Chanyeol segurou em minha mão, eu estava tão feliz que era capaz de que explodisse de felicidades – Eu não estava me curando rapidamente, então ele chamou uma bruxa curandeira, que mexia com ervas e outras coisas, e foi ela que me fez sair do coma. Minha febre alta passou, meus ferimentos começaram a cicratizar e quando foi semana passada eu me acordei.

- Acordou semana passada e só hoje veio nos procurar? Que falta de consideração –Luhan disparou indignado, fazendo com que todos rissem

- Na verdade eu queria correr de la e vir atrás do Bae... de vocês, mas meu tio queria saber o que houve – ele abaixou a cabeça e suspirou fundo para voltar a contar – E quando eu contei sobre a minha irmã, ele enlouqueceu e disse que iria atrás dela e fazê-la pagar por tudo.

- Ele falou isso? – Suho olhou assustado para o primo que assentiu desanimado – Nosso tio vai enlouquecer se continuar com essa historia de vingança

- Eu também quero encontra-la, quero que ela olhe nos meus olhos e diga que tudo que aquele caçador falou era mentira...- Chanyeol encarou o fogo e posso dizer, que nunca o vi tão tenso

- Sua irmã tem quantos anos? – Lay perguntou, fazendo com que todos o encarassem

- Quando ela morreu, tinha 16 

- Uma garota de dezesseis anos, não devia aguentar a mordida de um vampiro como Exitium! – Ficamos admirados, Yixing estava prestando atenção e pior tinha entendido tudo

- Lay está certo, ele esperou que fizéssemos dezoito anos para poder nos transformar

- Não sei de nada! Meu tio fugiu e eu não consegui acha-lo – disse Chanyeol olhando para os nossos amigos – Fui em casa contar aos meus pais e eles me disseram que vocês iriam acampar, por isso eu vim

- Ligar não faz mal, Chanyeol – Tao falou rindo

- Ah claro! Iria ser muito normal eu ligar e dizer “ Alô pessoal, sou eu Chanyeol e estou indo ver vocês” – O orelhudo simulou que estava ligando para alguém – Era capaz de me agredirem por telefone

- Ai você achou melhor nos assustar! Você viu a careta do Sehun quando ele te viu? Daria altos memes – falou Luhan, rindo do namorado que o olhou indignado  - Foi mal amor!

- Mas você está completamente bem? – perguntou Chen

- Estou sim, mas e você? No interior que você estava não tinha correios não? – perguntou Chanyeol para Jongdae, que riu do maior – Sabe, eu sei que mensagens por celular é bem mais rápido e eficaz, mas mandar uma carta não fazia mal a ninguém

- Foi mal cara, nem pensei nisso!

- Ele apareceu na hora da briga... – falou Xiumin se ajeitando para ficar mais confortável

- Eu vi! Mas me fala, da onde você surgiu?

- Eu cheguei em casa e la tava uma bagunça, tava tudo revirado e eu fiquei preocupado, por isso corri até a casa do Suho, a mãe dele me disse que vocês tinham ido para a cachoeirinha... – falou calmamente, ele pareceu um pouco incomodado ao falar que a primeira pessoa que pensou foi Suho, talvez o namoro dos dois esteja pior do que eu imaginava- Quando eu estava chegando perto, ouvi Baekhyun gritando o seu nome e todos voltando para te acudir, mas ai os caçadores vieram para cima de vocês e eu corri para ajudar

- E acabou me salvando! – Minseok sorriu para Jongdae, com um sorriso tão simples mais cheio de sentimentos

                Chanyeol olhou para mim, questionando com o olhar sobre aquilo, mas eu apenas dei de ombros, sem saber o que estava acontecendo. Continuamos conversando sobre o que tinha acontecido, e acabamos rindo das palhaçadas de Chanyeol, Sehun e Jongin, que com certeza eram de longe os melhores amigos mais idiotas que existe.

- Que tal um jogo? – perguntou Chanyeol animado

- Olha, eu sei que você acabou acordando de um coma, mas nós não dormimos direito a quatro meses – falou Tao se levantando e indo até ao maior para apertar sua mão – Então eu vou dormir

- Deixa de ser ridículo Tao, tu não dormia porque estava muito ocupado trepando com o Yifan – falei fazendo cara de nojo

- Fiz isso por você amor, já que você não podia transar, eu fiz por você! – Ele me mandou beijo e entrou na barraca

                Todos se levantaram e foram a caminho de suas respectivas barracas

- PENSEI QUE ESTAVAM COM SAUDADES DE MIM? – Gritou Chnayeol vendo todos irem embora

- Chanyeol, ver sua cara foi bom, mas não sou obrigado a ficar vendo ela o tempo todo! – disse Jongin entrando dentro da barraca

                Eu me levantei e caminhei até a minha barraca.

- Baek! Até você?! – sorri da expressão de indignado que ele fazia e voltei até ele, o puxando comigo

- Deixa de ser dramático Park!

- Não sou dramático, vocês é que são mentirosos, disseram que estavam com saudades de mim, mas quando eu volto não me dão a atenção merecida!

                Ele parecia chateado, mas eu sabia muito bem como fazê-lo ficar feliz.


Notas Finais


Esse será o fim dessa fase.
Queria agradecer a todos vocês que me acompanharam, por todas as vezes que fiquei sem postar por falta de criatividade ou por doença/estudo, por todos os favoritos e comentarios que me alegraram e me deram a cada capitulo a certeza que eu devia continuar. Vocês são meus amorzinhos e eu amo vocês pakas, e mesmo sem conhece-los os considero muito >< Obrigada a todos ><


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...