História Two Moons: Night - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Exo, Fanfic, Imagine, Kaisoo Kai, Lay, Lemon, Romance, Suho, Vernonluv, Yaoi
Visualizações 16
Palavras 1.380
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 18 - Capítulo 17


Fanfic / Fanfiction Two Moons: Night - Capítulo 18 - Capítulo 17

{❗❗❗}

 

~•~ No dia seguinte ~•~

 

Acordei meia-hora depois do horário que deveria. Consequentemente, cheguei atrasado na escola; ainda que eu tivesse corrido o percurso inteiro, cheguei na sala suado e atrasado.

 

- Bom dia, Chanyeol. - deparei-me com ele, impaciente.

 

- Bom dia.

 

- Eu queria te pedir desculpas por... Ontem.

 

- Na sua casa?

 

- Não... Aqui na escola. Desculpe-me por ter te xingado. Eu estava com medo.

 

- Do que? 

 

- E-Eu... Te falo depois. E sobre o que aconteceu lá em casa, ontem... Você não deveria usar calças tão apertadas! 

 

- O-O que quer dizer?

 

Ri de seu desespero.

 

- Você sabe muito bem! 

 

- Ah, d-desculpe-me por aquilo... 

 

- Achei que era hétero... 

 

- Você me deixou confuso ontem... 

 

- Eu ou... Meu corpo? 

 

- Seu corpo.

 

- Lembre-se: por de baixo dessas roupas, ainda sou um menino. 

 

- Eu sei! Por isso estou confuso! Não conhecia esse lado cômico de Byun Baekhyun. 

 

- Só Baek, por favor! Eu acho que posso confiar em você... De alguma forma, sinto isso.

 

Sorri, tímido. 

 

- Devo perguntar por que seu rosto está arranhado?

 

- Arranhado? Achei que estava apenas vermelho... 

 

- Posso colocar um curativo? 

 

- Tudo bem. 

 

Peguei uma pequena caixa de curativos que eu sempre levava na minha mochila, segurei em seu rosto, levando-o para direita, colando um curativo sobre o machucado.

 

- Pronto!

 

- Obrigado, Baek.

 

- Você está suando tando! Tire esse casaco! 

 

- N-Não Chanyeol. Eu estou bem! 

 

- Ah, vamos lá! - disse, levantando as mangas de meu casaco. - Qual o... 

 

Interrompeu-se ao ver meu braço roxo, cheio de machucados. 

 

- O que houve com você? 

 

- Eu cai da escada. 

 

- Eu não consigo acreditar... 

 

- Eu estou falando a verdade! 

 

- Quem foi que fez isso com você? 

 

- N-Ninguém... 

 

Chanyeol levantou-se, enfurecido. Em um alto tom de voz, perguntou para todos da sala, fazendo-me quase chorar, envergonhado: - Quem foi que fez isso com ele? 

 

"Não foi nenhum deles, Chan.", sussurrei, puxando levemente sua blusa. "Pare, por favor." 

 

- Eu vou te levar para casa hoje. Ninguém vai mexer com você. 

 

- M-Mas... 

 

- Nenhum amigo meu merece passar por isso. 

 

- A-Amigo? Nem nos...

 

- Amigo.

 

{•••}

 

O sinal do recreio havia batido. Antes que Chanyeol percebesse, saio da sala, esbarrando, sem querer, em Chen, um cara que eu nem sabia de que série era.

 

- Você é o Baekhyun, né? Byun Baekhyun? - segurou-me pelos ombros, um tanto aflito, olhando para os lados sem parar.

 

- Sim, sou eu.

 

- Sou o Jongdae, mas pode me chamar de Chen. Sou amigo do Joseph, de Alasca. Ele me contou sobre você...

 

- E o que quer? 

 

- Trouxe uma quantia de quase cento e cinquenta dólares em wons. Preciso de você.

 

"Caralho! Duzentos dólares só para me foder, cara? Você deve estar desesperado mesmo..."

 

- Você é gay?

 

- Não, sou bi, mas ninguém sabe. É difícil achar pessoas assim aqui na Coreia, você não sabe como. 

 

- Ah, é fácil. Só basta saber procurar. Siga-me. O banheiro é sempre vazio nessa hora.

 

O meu grande problema era a paixão que sentia por Chanyeol. A minha mente não me permitia traí-lo, mas minha carne queria aquele ato tão bom a todo instante. 

 

Chen fez questão de que fôssemos rápidos para que não notassem nossa ausência. Aquilo foi tempo suficiente para satisfazer-nos. 

 

O meu maior fetiche; o meu maior sonho; meu maior desejo; minha maior loucura sempre foi Chanyeol. O seu perfume tinha um aroma único que sempre quis sentir; seus lábios, uma tonalidade que só me deixaria em paz se colidisse com os meus um tanto pálidos.

 

Chanyeol dava cor à minha vida. 

 

Ouvimos a porta do banheiro sendo aberta. Eu estava sobre Jongdae, medindo a velocidade de suas estocadas. 

 

- N-Nós... Ah... Nós temos que voltar. - disse ele um tanto alto. Beijei-o, impedindo-o de falar novamente. 

 

E então, a porta bate novamente. 

 

{•••}

 

Andando pelos corredores, procurando um lugar qualquer para escrever, vejo, em meu celular, notificações do Channie: 

 

Solar? [10:05 AM] 

 

Falei com o Baek sobre aquilo. Acho que estamos bem agora. [10:05 AM]

 

Pelo menos agora ele está me deixando chamá-lo assim. Acho que é um bom começo. [10:06 AM]

 

Vou voltar para o pátio principal. Depois nos falamos, OK? Eu te amo. Até mais! [10:06 AM]

 

"Como consegue ser tão fofo, seu idiota! Ah, eu te amo tanto, tanto!"

 

Fui em direção à sala da nossa turma, ver se ele estava lá e, por sorte, realmente estava; chorando, contudo. 

 

Sério? [10:18 AM]

 

Isso é realmente incrível! Vocês vão ser grandes amigos! Espero, né? :P Você não é muito bom fazendo novas amizades. Sei lá, às vezes é tímido demais! [10:18 AM] 

 

Eu te amo. Tudo vai ficar bem. [10:18 AM] 

 

~ Solar, offline desde às 10:18 AM 

 

Parei ao lado da porta, escrevendo a mensagem

 

- Solar? - exclamou, deixando-me nervoso. 

 

- Aconteceu algo? - entrei na sala. - Você sumiu do nada no recreio e agora... 

 

- Você sumiu também. 

 

- Bem, eu... 

 

- Eu ouvi vocês dois. Não precisa tentar se explicar. 

 

- Ah, vai me dizer que... 

 

- Sim, é exatamente isso. 

 

- E é com essa Solar que você quer fazer isso pela primeira vez?

 

- Quero que seja com alguém que amo, então, sim, é com ela. 

 

Sentei-me ao lado dele, preocupado: - Por isso que está chorando? 

 

- Não... É por algo pior... 

 

- E o que é? 

 

- Namoramos virtualmente há quase um ano. Não posso ir a Alasca todo mês para vê-la, abraçá-la. Isso machuca. 

 

- Você está perdidamente apaixonado por ela. 

 

Ele, que antes estava de cabeça baixa, olha em meus olhos, permitindo-me secar suas lágrimas. Repentinamente, Chanyeol aproxima-se de mim para um beijo.

 

- Melhor não... - posicionei-me, sabendo que amava Solar e pensaria nela ao me beijar. - Você tem uma reputação aqui; você não é como eu.

 

- E-Eu... Não me importo com isso, Baek. Por favor, deixe-me... 

 

- Então, não pense nela enquanto faz isso. 

 

Ah, aqueles lábios. Era como se todas as cores do mundo estivessem tingindo-me de uma vez só. Aquelas mãos geladas encostaram nas minhas, segurando-me. 

 

Beijar Chanyeol era como um sentimento louco de êxtase. Ele era meu vício.

 

- No que pensou?

 

- Em nós dois.

 

- Nós... Dois? 

 

- Sim, mais especificamente em você. 

 

Fiquei vermelho com sua resposta, dando-lhe um leve empurrão no ombro, mordendo o lábio inferior.

 

- O que foi? Você pediu para eu pensar em outra coisa! 

 

- Não nisso, seu tonto! 

 

- Pode deixar, não foi nada daquilo do que pensei na sua casa. 

 

- Chanyeol! 

 

- O que? 

 

- E sua heterossexualidade? 

 

- Acho que ela se demitiu! 

 

- E a Solar? 

 

- No meu coração. 

 

- Então por que está me paquerando? 

 

- Ah, não estou...! 

 

- "Eu estava pensando em nós dois, mais especificamente em você!", "Desculpe-me, seu corpo me excita...", aqui na sua terra isso não se chama paquerar? 

 

- Talvez um pouquinho... Você é o primeiro menino que eu beijo! Sei lá... 

 

- E o que achou? 

 

- Você beija muito bem. 

 

Cruzei as pernas - talvez um pouco excitado com aquela voz tão estranhamente grave. Não me julguem, socorro -, coloquei uma mexa de cabelo atrás da orelha, sorrindo envergonhado. Então, surpreendendo-me, Chanyeol dá-me um beijo rápido no pescoço. 

 

- Nos conhecemos há dois dias, Chanyeol. Vá com calma. 

 

- Ah, é verdade... Parece que eu te conheço há tanto tempo... 

 

Aqueles pensamentos de ontem voltaram, deixando-me um tanto triste. 

 

- Diga a verdade: Você só me vê como um fetiche ou como uma boneca sexual sem sentimentos, certo? 

 

- Não, de forma alguma! 

 

- Então por que está sendo gentil comigo? 

 

- Porque você é meu amigo e... 

 

O sinal bateu, trazendo consigo aquelas pessoas sem educação que entravam de uma vez pela porta. Ele afastou-se, talvez com medo de manchar sua reputação tão límpida por estar comigo.

 

- Você, Chen, Steve... São todos iguais! Eu não devia ter confiado em vocês... 

 

- Por que está agindo assim comigo? 

 

Ignorei-o o resto da aula, um tanto chateado. 

 

"Não acredito que passei por tudo para, ao chegar no auge, ficar com medo. Qual é, Baekhyun? Ele te ama. Você o ama!" 

 

 

{❗❗❗}

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...