História Two of Him - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias AnnaSophia Robb, Shawn Mendes
Personagens Personagens Originais, Shawn Mendes
Exibições 908
Palavras 2.837
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oi, meus amores!! muito obrigada pelos comentários, eu fico muito muito feliz em ver que vocês estão gostando <3 espero que gostem desse capítulo e comentem a opinião de vocês!

Capítulo 6 - Dont be a fool.


Fanfic / Fanfiction Two of Him - Capítulo 6 - Dont be a fool.

Acordei confusa. Eu senti os raios de sol, mas não queria abrir os olhos, estava confortável demais, mas obviamente eu tinha que ir pra aula, já tinha faltado no outro dia. Comecei a me mexer na cama, foi quando eu percebi que a minha cabeça não estava na cama. Senti uma mão na minha cintura, me puxando mais pra perto; abri os olhos e vi o Shawn. Eu estava deitada no seu peitoral, eu tinha dormido abraçada a ele.

Sorri ao perceber aquilo e me sentei na cama, me lembrando da noite passada. Nós conversamos até adormecer, literalmente. Eu lembro de estar falando pro Shawn sobre o que eu sabia sobre o transtorno de personalidade da Mila, foi quando eu fui adormecendo.

Arregalei os olhos ao me lembrar que eu adormeci sentada, deitando a cabeça em seu ombro.

Ele me deitou. Ele me cobriu.

Suspirei e olhei em seu rosto: parecia um anjo, um anjo adormecido.

Me levantei da cama e fui até o banheiro com a roupa que eu iria pro colégio, tomei banho e me vesti ali mesmo.

Escovei os dentes e passei uma maquiagem básica, saindo do banheiro soltando o rabo de cabalo que eu tinha feito, meu cabelo, que estava escovado do outro dia, caiu sobre os meus ombros com um cheiro incrível. Passei perfume e me virei pra cama, foi quando eu vi o Shawn ainda adormecido.

Me aproximei da cama e me sentei, olhando pra ele e me aproximando, dando um beijo demorado em sua bochecha. Ele abriu os olhos e eu me afastei rapidamente. Ele sorriu e eu sorri de volta, sentindo o meu coração derreter ao ver aquela cena.

— Bom dia. – ele falou se espreguiçando e eu sorri sem jeito, pegando a minha mochila no chão e colocando no ombro.

— Bom dia. – falei sorrindo e suspirando. – Hoje é o meu dia de carona, né? – arqueei as sobrancelhas e ele se virou, olhando pro relógio e levantando da cama em um pulo.

— Meu Deus! – ele falou tentando ajeitar a minha cama, me fazendo rir. – Eu vou me arrumar, me espera. – ele disse esfregando os olhos e saindo correndo do meu quarto, logo voltando e dando um beijo rápido na minha bochecha. – Já volto! – e saiu correndo, me fazendo rir novamente.

Esperei vinte minutos pelo Shawn, escutei a buzina do seu carro e saí de casa, avistando aquele garoto com o cabelo molhado, praticamente pingando; todo estirando no seu Jeep.

— Cadê a Priscila e a Mila? – disse entrando no carro e encarando o Shawn que estava com o rosto vermelho, provavelmente por conta da água quente do chuveiro.

— O Brian já foi e deu carona pra elas, pelo visto, pois o meu outro carro não está na garagem.

— Ou então você foi roubado. – disse fechando a porta e ele deu uma risada.

— Ou eu fui roubado. – ele falou passando a marcha e dando partida no carro.

O caminho foi uma das situações mais divertidas que eu já presenciei na minha vida. O Jeep era aberto, o que colaborou pro meu cabelo brigar entre si e criar vários nós, o que só fazia o Shawn rir. Depois de tentar tirar o cabelo do rosto, eu me convenci que não venceria do vento, o que fez o Shawn rir mais ainda.

A música que estava tocando acabou, foi quando começou a tocar “A Thousand Miles”, eu olhei pro Shawn com os olhos arregalados e ele se ajeitou no banco enquanto dirigia. Começamos a cantar a música, praticamente gritávamos, e quando chegou o refrão, eu não conseguia parar de rir. Ele sabia que o filme “As Branquelas” era um dos meus filmes de comédia favoritos. Shawn balançou a cabeça de um lado pro outro no refrão e parou, olhando pra mim.

— And I need you... – balançou a cabeça novamente, me fazendo gargalhar, logo parou, olhando de novo pra mim. – And I miss you... – fez o mesmo e eu já estava chorando de tanto rir. – And now I wonder...

— If I could fall into the sky... – começamos a gritar a música, enquanto o vento só colaborava pra bagunçar o que eu tinha arrumado mais cedo: meu querido cabelo.

Chegamos no colégio muito atrasados, entramos correndo e a diretora disse que só entraríamos no segundo horário, nós parecíamos duas crianças, o cabelo bagunçado, rindo pro nada e achando engraçada a situação do atraso.

Entramos na sala e todos nos olharam de uma forma maliciosa, eu franzi o cenho e fui logo pra minha carteira, sentando atrás da Priscila.

— Por que vocês se atrasaram tanto? – ela perguntou com um sorriso malicioso e eu arqueei uma sobrancelha.

— Porque dormimos demais, ué... – respondi, como se fosse óbvio. – Por que você tá me olhando assim? – dei uma risada fraca e ela arqueou as sobrancelhas.

— Bom, o Brian disse que o Shawn não dormiu em casa... O Shawn não nos deu a carona, você não foi com a gente porque ainda estava dormindo... – ela deu de ombros. – É só juntar as peças. – ela sorriu e eu revirei os olhos. – E esse cabelo bagunçado? Nem pra disfarçar, né? – ela deu uma risada gostosa, me fazendo rir.

— Não aconteceu nada, Pri, ele só dormiu lá. – dei de ombros e me encostei na cadeira.

— Diz isso pro Brian. – ela olhou de lado e eu olhei na direção em que ela olhava; o Brian estava do outro lado da sala, encostado na parede, olhando em minha direção com o maxilar totalmente travado. As veias de seus braços estavam aparentes, foi quando eu arregalei os olhos e voltei a olhar pra frente.

— Por que ele veio de regata? Meu Deus... – falei colocando a mão na cabeça e olhando pra Pri, que parecia se controlar pra não rir.

— Ele não veio, mas colocou. – deu de ombros. – Olhe ao seu redor, Lana. – ela deu uma risada fraca. – É aula de educação física agora.

— Então, depois de introduzir esses esportes... – a professora falou. – Vamos para o ginásio, e quem não trocou de roupa, pode ir trocando, viu? Não quero ninguém fugindo da aula de hoje. – ela falou sorrindo e todos saíram da sala.

— Ai meu Deus, tenho que ir lá no vestiário pegar a minha roupa no armário pra fazer algo que eu não gosto. – disse abaixando a minha cabeça na mesa, mas logo senti a mão da Priscila me puxando.

(...)

Saí do vestiário já pronta e fui com a Pri no ginásio, mas quando eu entrei, eu fiquei estática.

O Shawn e o Brian estavam usando a regata da aula, que era branca, e jogavam vôlei.

— Meu Deus. – falei baixinho e entrei na quadra, me sentando na arquibancada.

O Shawn jogava em um time e o Brian no outro, o Shawn recebia e o Brian ficava na parte do corte, e o que eu pensei aconteceu muito rápido.

O Brian deu um corte com muita força, e foi logo na cabeça do Shawn, que caiu no chão. Eu corri imediatamente em sua direção e ele se sentou no chão, colocando a mão na cabeça.

— Você tá bem? – perguntei segurando o seu rosto e ele sorriu, me olhando com os olhos semicerrados. Olhei pro Brian e ele estava com um sorriso vitorioso no rosto, me dando raiva.

— Eu to vendo duas de você. – ele falou rindo, atraindo a minha atenção. – Seria o meu sonho? – ele deu uma risada e eu ri sem jeito, logo ele piscou os olhos com força e se levantou. – Eu to bem, Lana. – ele sorriu e deu um beijo na minha cabeça.

— Tudo bem, Shawn? – a professora perguntou e ele assentiu com a cabeça. – Vamos mudar um pouco, ok? Futebol de salão! – ela gritou e apitou, foi quando as pessoas da sala trocaram de modalidade. – E você, mocinha, vai fazer o quê? – ela perguntou pra mim e eu sorri sem jeito.

— Assistir. – sorri, assentindo com a cabeça, fazendo-a sorrir.

— Pode ir caminhando. – ela falou sorrindo e eu revirei os olhos, caminhando e alcançando a Pri.

— Não sei como você aguenta. – falei suspirando e andando pela quadra do futebol.

— Eu queria jogar vôlei, mas as meninas que jogam são do time do colégio, elas se acham, e eu não sei jogar tão bem. – ela deu de ombros e eu entrelacei meu braço no dela.

— Você é muito boa no vôlei. – falei olhando pra ela.

— Não como elas. – ela apontou com o olhar, e quando eu fui olhar, avistei o Shawn tirando a blusa.

Eu parei de andar e fiquei olhando. Admirando.

Ah, não, era o time dos sem camisa, e ele estava nele.

Shawn jogou a blusa na arquibancada e ajeitou o shorts, logo encarando o Brian com raiva. Deus, me perdoa, mas isso é extremamente sexy.

Eles começaram a jogar e eu continuava parada, olhando, foi quando a Pri me puxou e eu voltei a andar, passando pela lateral da quadra e caminhando, sem tirar os olhos do Shawn.

Vi a bola vindo em minha direção, mas eu olhava pro Shawn, que estava longe, perto do gol. Senti um impacto no meu corpo, e quando eu vi, estava no chão.

Abri os olhos e avistei o Brian em cima de mim, literalmente EM CIMA DE MIM. No chão.

— Sai de cima de mim, garoto! – o empurrei e tentei me levantar. O Shawn se aproximou rapidamente e estendeu sua mão, me ajudando a levantar.

— Você tá bem? – ele perguntou me olhando e eu assenti com a cabeça, logo olhando pro Brian. – Já que você não sabe jogar, poderia pelo menos respeitar os limites da quadra, né? – o Shawn falou se aproximando, e o Brian também se aproximou.

Os dois estavam na minha frente e se encaravam com raiva.

Eu vou pro inferno por estar excitada?

— Calma, gente. – falei colocando uma mão no peitoral do Shawn e a outra no do Brian.

Ai meu Deus.

— Eu to bem. – suspirei e a professora se aproximou.

— Vamos voltar ao jogo, garotos? – ela disse sorridente, tentando quebrar o gelo entre os dois. O Brian olhou pra mim com uma expressão de raiva e se virou, voltando ao jogo. O Shawn olhou pra mim e eu sorri, assentindo com a cabeça, mostrando que estava bem, ele sorriu e voltou ao jogo.

Disse pra Pri que precisava ir no banheiro e ela continuou caminhando. Peguei a minha bolsa e fui no banheiro. Tomei um banho rápido e vesti a farda novamente, ficando de frente pro espelho e me encarando por alguns segundos. Por que o Brian estava agindo daquela forma? Eles parecem inimigos, diferente do dia do aeroporto.

Comecei a pentear meu cabelo úmido, escutei o barulho da porta do banheiro ser aberta e eu tive um susto, levando minha mão ao meu peito.

— Brian! – falei assustada e ele entrou, passando a toalha no cabelo, secando-o do banho.

— O que você tá querendo com isso? – ele disse se aproximando e me encarando.

— Querendo com o quê? – arqueei as sobrancelhas e tentei entender o que ele estava falando.

— Com o Shawn, por que você tá com ele? – ele perguntou franzindo o cenho, com uma expressão de raiva.

— Eu não estou com ele. – disse rindo e me virando pro espelho, voltando a pentear o meu cabelo. – E por que você se importaria? – perguntei rindo, mas ele continuava sério. – Não foi você que disse pra eu me afastar? – arqueei uma sobrancelha e ele trincou o maxilar com força. – Don’t be a fool, Brian... – ironizei o que ele tinha falado pra mim e peguei minha bolsa, passando por ele e saindo do banheiro, encontrando o Shawn saindo do banheiro masculino.

— Tem certeza que não se machucou? – ele perguntou me abraçando de lado e colocando a toalha do banho no ombro.

— Tenho sim, eu to bem. – sorri e entrelacei meus dedos nos dele, que caíam pelo meu ombro. Eu podia andar com ele daquela forma. Suspirei e passei pela Pri, que olhou pra mim sorrindo.

Eu não tinha visto a Mila, o que achei estranho, mas decidi não comentar pra o Shawn não ficar mal.

Durante a aula de música, o professor disse que tinha uma pessoa que queria cantar uma música, e isso atraiu a atenção de todos que estavam conversando ou tocando algum instrumento.

O Brian foi até o pequeno palco da sala de música, se ajeitou na cadeira com o violão e suspirou, ajeitando o microfone suspenso.

Arregalei os olhos e olhei de lado pro Shawn, que deu de ombros, como se também não soubesse o que estava acontecendo.

Voltei a olhar pro Brian, que respirou fundo, olhou pra mim e abaixou o olhar, aproximando a boca do microfone.

— Eu escrevi essa música achando que uma garota fosse gostar de mim, e eu não poderia retribuir aquilo, então foi uma forma de escudo. – ele deu uma risada fraca. – Não aconteceu isso... – ele franziu o cenho. – Parece que os papéis foram invertidos. – ele arqueou as sobrancelhas e eu franzi o cenho, tentando entender. – Bom, é isso. – ele assentiu com a cabeça e começou a tocar o violão.

Eu não sabia por que, mas o meu coração estava muito acelerado. Eu não sentia nada pelo Brian, mas aquilo daquela música me deixou nervosa e ansiosa.

— You've got my heart, but I can't let you keep it, babe... – ele cantou de olhos fechados e eu arqueei as sobrancelhas, surpresa com a sua voz. – Cause I won't be sure that I can stay... – ele continuou tocando o violão e abriu os olhos, olhando na minha direção. – And don't waste your time trying to pull me in, cause I'm just a mess you don't wanna fix... – ele fechou os olhos e deu um sorriso sem mostrar os dentes, logo umedecendo os lábios. – Just promise me one thing that you won't forget... But for now kiss me softly before I say... – ele parou de tocar o violão e abriu os olhos, olhando fixamente pra mim. Brian voltou a tocar o violão. – And don't be a fool... And wait on me darling, I know that you don't wanna hear this but I'm always on the move... And don't be a fool, and say that you love me, cause you'll find a man who will stand by your side and will be there for you. – ele suspirou e voltou a aproximar a boca do microfone.

É isso o que ele quer? Me deixar confusa?

Disse pro Shawn que ia no banheiro e me levantei, saindo da sala sem nem olhar pros lados. Andei pelo corredor e fui até o meu armário pegar as minhas coisas. Abri o mesmo com raiva, quase gritando com a senha que não dava certo.

— Por que você saiu? – escutei uma voz masculina e me virei, vendo o Brian me encarando e perto demais de mim.

— Tá de brincadeira? – arqueei as sobrancelhas e ele franziu o cenho. – Você me afasta do nada e depois faz esse showzinho? – revirei os olhos e ele parecia me olhar sem entender. – Eu não sou uma garota frágil que se apaixona pelo primeiro bad boy que vê, Brian, eu gosto do Shawn desde que eu me entendo por gente, e isso não iria mudar porque você chegou. – dei uma risada e voltei a tentar abrir o meu armário, mas eu não conseguia. – Sabe de uma coisa? – ele ainda me olhava, parecendo paralisado. – Você não é tudo isso. – falei revirando os olhos. – Você me deixa um pouco desconcertada? Pode até ser, mas ao mesmo tempo que você faz isso, você age que nem um idiota, tentando atingir o Shawn enquanto me afasta. Se decide! Ou me quer ou não me quer! – dei de ombros e me encostei no armário.

— Faria alguma diferença se eu dissesse que quero você? – ele arqueou as sobrancelhas e eu gelei.

— Do que você tá falando? – dei uma risada fraca e o encarei seriamente. – É claro que não faria diferença, porque eu sei que não é verdade, eu sei que você só quer brincar comigo, e eu já passei dessa fase de ser brinquedinho na mão das pessoas. – ele deu uma risada fraca e balançou a cabeça negativamente.

— Então você não quer? – ele se aproximou e segurou o meu rosto, se aproximando e selando os nossos lábios rapidamente, pois eu empurrei.

— NÃO! – gritei com ele, ficando com mais raiva ainda por ele ter me beijado.

— Não pareceu isso quando você me beijou da última vez. – ele deu de ombros e eu franzi o cenho, sentindo uma confusão se formar na minha cabeça. – Como é que é? – me aproximei dele, que sorria, parecendo vitorioso.

— Eu aposto que ele nunca vai te fazer sentir o que você sentiu com aquele beijo. – ele arqueou as sobrancelhas, enquanto eu ainda estava boquiaberta.

— Você é um idiota, Brian! – me aproximei dele com raiva e comecei a socar o seu peitoral, mas ele segurou meus pulsos e ficou me olhando.

— Um idiota que cuida de você desde que você pisou em Miami. – ele soltou os meus pulsos com raiva e eu fiquei paralisada, sem entender o que ele estava falando.

Brian se afastou e se virou, andando pelo corredor, enquanto eu fiquei ali, parada, tentando entender, ou pelo menos processar o que ele tinha falado.


Notas Finais


se quiserem me perguntar/dizer algo https://curiouscat.me/mendesbrien
ENTÃOOO, O QUE ACHARAM????
AMO VCSSSSSSSS
https://twitter.com/mendesbrien
snap priscilamenezes
instagram priscilamenezess


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...