História Two Pieces Of A Broken Heart - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Girls' Generation
Personagens Hyoyeon, Jessica, Seohyun, Sooyoung, Sunny, Taeyeon, Tiffany, Yoona, Yuri
Tags Bruxaria, Merlin, Romance, Soosun, Taeny, Yoonhyun, Yulsic
Exibições 168
Palavras 3.557
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiiss, essa é a minha primeira fic homossexual, então espero que consiga escrevê-la bem :3 E principalmente, espero conseguir com que vocês queiram lê-la ehuehuehuehue
Antes de deixá-los ler o capítulo em si, gostaria de agradecer duas pessoas, primeiramente a divônica da Yuuki Ono por fazer essa capa maravilinda pra mim, e por ultimo, mas não menos importante, gostaria de agradecer a senhora Carol Akiyama, por que se ela não tivesse escrito uma fic tão boa quanto Surisuri Masuri Susuri Saba, eu provavelmente não teria ideia para esta.
Sem mais enrolação, Boa Leitura =^-^=

Capítulo 1 - (Un)Usual


Fanfic / Fanfiction Two Pieces Of A Broken Heart - Capítulo 1 - (Un)Usual

Era apenas o primeiro período de aula do recomeço daquele purgatório que chamam de escola, até mesmo o relógio parecia estar com preguiça, a aula de matemática arrastava-se, e a voz lenta, calma e grave do professor faziam-me lembrar da noite mal dormida. Apoiei a cabeça sobre minha mão, o rítmo das piscadas ficando cada vez mais lento, e minhas pálpebras gradativamente mais pesadas.

- Senhorita Hwang!

- Sim, senhor Lee?

- Venha ao quadro responder este exercício de P.A - seus olhinhos  cintilaram atrás do óculos, ele odiava que não prestassem atenção em suas aulas.

- Sim senhor… - Algumas risadinhas eram audíveis.

Segui lentamente até a lousa, dando graças a Deus que eu sabia fazer aquele maldito exercício.

- A6 = 3 + 7 x 3, logo A6 = 24

- Ih, olha lá, o número da Sunny e da Sooyeong! - Gritou o detestável do Byun Beakhyun, o tipo perfeito de play boy acéfalo.

- Beakhyun, vai ver se eu tô na esquina seu bosta! - rebateu a última.

- Já chega vocês dois! - Então dirigiu seu olhar para mim - Muito bem senhorita Hwang, mas dá próxima vez que eu a ver praticamente dormindo na minha aula, as coisas não vão ser tão tranquilas, relevarei apenas porque é o primeiro dia do ano letivo, fui claro?

- Sim senhor…

- Ótimo, sente-se.

- Cuidado professor, ela pode fazer umas macumbas pro seu lado, depois não relcame se o seu nome for parar lá no terreiro. - A sala explodiu em risadas.

- Acredito que estou perfeitamente seguro senhorita Kwon, guarde seus comentários para si mesma.

Voltei a minha carteira, era a quarta da fila perto da janela, haviam alguns lugares vagos ao meu redor, porém não me importava muito com isso. Meus olhos percorreram a sala, parando em alguns pontos específicos.

Susan Soonkyu Lee, mais conhecida como Sunny e Choi Sooyeong formavam uma das principais fontes de chacota. O motivo das piadas? Bem, elas eram namoradas, assumidas lésbicas para Deus e o mundo. Muito inteligente da parte delas deixar isso vazar sabendo que estudam no colégio mais conservador da cidade. Elas eram a anomalia do local, afastando tudo e todos, menos, claro, os dois grupinhos mais “amigáveis” da escola, um centrado em Byun Beakhyun, o qual é tão insignificante que as minhas poucas palavras anteriores foram suficientes para descrevê-lo. O outro era chefiado por Kwon Yuri, digamos que este era um pouco mais criativo que o primeiro. Pedir o dinheiro do almoço? Enfiar cabeças na privada? Há, era fichinha, ultrapassado, coisa do Beakhyun, Yuri era mais original, desde joguinhos psicológicos até a expulsão, ela nunca sujava as mãos.

Avancemos para Im Yoona, o exemplo perfeito de CDF, sempre com as maiores notas da classe, corpo frágil e pequeno, alvo de todas as possíveis requisitações de cola, assim como de inveja. Byun adorava brincar com ela.

Por fim, Stephanie Mi-Young Hwang, eu mesma, Tiffany para os íntimos, ou seja, para minha irmã, Michelle. Introvertida, pessimista, fria, rude, provavelmente são os adjetivos utilizados para caracterizar a minha pessoa.

O resto da aula transcorreu normalmente, confesso que algumas de minhas piscadas duraram mais que o usual, contudo, consegui absorver a maldita aula de revisão. Um barulho característico soou pelo local, anunciando que o primeiro intervalo havia chegado. Nosso horário consistia em três matérias por dia, cada uma ocupava um bloco de aula, que continha uma hora e meia de duração. Entre o primeiro e o segundo bloco existia um intervalo de dez minutos e entre o segundo e o terceiro, mais um de mesma duração.

Assim que a silhueta do professor desapareceu da sala, afundei-me em meu acento, depositando meus pés na cadeira vaga a frente, não demorei a apanhar meus fiéis fones de ouvido juntamente com o meu celular, então, coloquei a playlist no aleatório, e me pus a fitar a janela, observando o céu nublado de uma segunda-feira sem cor alguma, debruçando-me em meus pensamentos.

O tempo não tardou a passar, percebi que a maioria dos alunos voltavam aos seus lugares, muitos ainda com comida entre as mãos. Saí de meu refugio mental apenas para concluir o óbvio, o sinal fora tocado antes do usual, o que só significaria uma coisa: Alunos novos estavam a caminho.

Revirei os olhos, provavelmente se sentaram perto de mim, já que como mencionei anteriormente, os únicos lugares vagos me rodeavam. Odiava essa coisa toda de aluno novo tentando se enturmar, se fossem inconvenientes tentariam até puxar alguma conversa comigo, e acredite, a coisa que eu menos quero fazer nesse mundo, são amigos. Como sabia que eram mais de um? Se fosse somente uma pessoa não demoraria o primeiro bloco todo para acertar as últimas burocracias/apresentar-lhe a escola. Bufei finalmente saindo de minha posição e me preparando para a próxima aula. Pelo menos eu gostava da matéria: História.

Alguns minutos se passaram e a professora Lee entrou seguida de mais quatro garotas.

- Terceiro ano - Disse chamando atenção dos últimos desavisados que não haviam percebido sua presença - Temos quatro alunas novas para esse ano letivo - Fitou as adolescentes ao seu lado - Apresentem-se.

- Eae galera? Meu nome é Kim HyoYeon, espero que possamos nos dar muito bem. - Comentou a segunda mais baixa do grupo. Seus cabelos eram loiros e suas feições eram as mais amigáveis dentre as novatas.

- O-Oi, meu nome é Seo Joo-Hyun, mas por favor me chamem apenas de SeoHyun. Sou um ano mais nova que vocês, portanto espero que cuidem bem de mim, Unnies e Oppas… - Concluiu timidamente a morena que visivelmente era a mais alta dali.

- Me chamem de Jessica, não me incomodem que não serão incomodados. - Essa era das minhas, os cantos de minha boca se curvaram levemente para cima. A segunda mais alta tinha cabelos castanho claro, acompanhados de perto por um olhar repleto de frieza. Não havia dúvidas, ela intimidara a maioria dos alunos ali, menos, é claro, Yuri, ela adorava pessoas fora do senso comum, até mesmo já tentou criar alguns laços comigo, que claro, nunca se concretizaram.

- Meu nome é Kim Taeyeon, não, não sou parente da HyoYeon, apenas temos o mesmo sobrenome. Espero coexistir bem com vocês. - Arqueei minha sobrancelha instintivamente diante daquela apresentação incomum proferida pela anã do grupo. Seus cabelos eram negros e de sua pele alva emanava um único sentimento: perigo. Em poucos segundos seus olhos pousaram nos meus. Sustentei o olhar, fitando-a com firmeza e descaso, afinal era apenas mais uma dos idiotas que eu tenho como colegas de classe.

- Ótimo, sentem-se perto da senhorita Hwang, a aula já vai começar - Finalizou a senhora Lee.

As garotas caminharam firmemente até mim, Taeyeon sentou-se na carteira que sempre apoiava meus pés, a que ficava em minha frente. Pronto, era tudo o que precisava, agora além de ser um potencial de socialização para elas, eu perdi o meu precioso descanso... Seria pedir de mais uma vida em que ninguém me incomodasse? Por fim me contentei apenas em lançar um olhar mortal para extravasar a minha raiva. A tal de Jessica sentou-se atrás de mim, lá se vai o meu descanso de bolsa… Zeus, o que eu fiz pra você, cara? Hyoyeon sentou na cadeira paralela a minha, bye bye possível outro lugar de descanso para os pés… SeoHyun sentou-se na frente da Kim mais alta, o que não me afetou muito, já que não iria utilizar aquela carteira mesmo…

Voltei minha atenção para a senhora Lee, que já passava começava seu discurso sobre a Idade Média. Tudo corria bem, sem interrupções, estava até curtindo sua explicação, quando senti alguma coisa tocar meu braço, era uma das novatas.

- Oi, eu sou Kim HyoYeon, qual é o seu nome? - Disse com um imenso sorriso nos lábios.

- Meu nome é para de me encher o saco que eu quero prestar atenção, ninguém nunca te ensinou a não ser inconveniente não? - Disse lançando-a um olhar inquisitivo.

- D-Desculpa… eu só…

- Se quiser fazer amigos, não é comigo que você tem que falar, apenas me deixe em paz e esqueça que eu existo - Dito isso voltei minha atenção para a lousa, não que eu não soubesse a matéria, sabia tudo aquilo de cor e salteado, mas ainda sim era bom ouvir de novo.

A aula passou bem mais rápido que a última, conclui que se ficasse ali como o usual, as chances de eu ser usada potencial social dobrariam, então praticamente voei até a cantina, procurando algo para comer. Comprei uma Esfiha de frango com catupiry relativamente grande acompanhada de um copo de cerca de 500ml de suco de abacaxi com hortelã, sentei-me perto de uma árvore qualquer do pátio e comecei a comer, assim que completei metade do processo, uma sombra me fez desviar meu olhar do lanche. A desgraça estava completa, Kwon Yuri me encarava com um riso diabólico nos lábios, acompanhada de suas comparsas e da novata: Jessica. Rolei os olhos, achavam que eu não sofria bullying por conta do meu comportamento não muito amigável? Pense de novo.

- Ora ora, se a princesa Rosa não saiu do casulo finalmente e veio para um lugar mais arejado. - Começou com um tom de deboche, típico...

- Ora ora, parece que sabe enxergar não é mesmo? Só espero não fritar meus miolos como certas pessoas que tendem a ser bastante acéfalas... - Disse expressando livremente que era delas de quem eu falava.

- Parece que a sua lábia continua a mesma amorzinho… Tsc Tsc, não aprendeu nada mesmo após todos esses anos? Só quem pode me superar sou eu mesma… - Nichkhun, outro hater meu de primeira, me odeia desde que eu rejeitei ele com todas as letras, tem gente que não supera um não… Chutou meu copo de suco, derramando-o por inteiro na saia que nós éramos obrigados a utilizar como parte do uniforme. Suspirei

- Tsc, tsc… ainda não superou querido? Entra pra seita que dói menos… Você só não é mais feio por falta de espaço que é quase todo ocupado por essa sua sobrancelha de taturana.

- Claro que superei minha querida Stephanie - Ele e Yuri eram os únicos que ousavam falar meu nome - na verdade eu nunca gostei de ti, só me aproximei para coletar algumas informações, Tiffanyzinha - Ele havia descoberto algumas coisas ao meu respeito, por exemplo meu apelido e minha paixão por rosa… aish… só porque ele parecia um carrapato e não desgrudava de mim por um segundo se quer.

- Sei… Agora se me dão licença eu tenho que me limpar e tentar me acalmar um pouco para lidar com o meu papel de babá - Completei olhando fixamente para Jessica.

- Fique tranquila que elas não irão mais te incomodar. - Disse firme

- Graças ao bom Zeus, já me basta essa anta pra me atazanar - Apontei para Yuri, e continuei antes dela se pronunciar para falar algo - achei que teria que tomar medidas um pouco mais drásticas, principalmente com aquela Hyo… Hyo sei lá o que. - Minha voz estava carregada de ironia e descaso.

- O que você fez com ela? - A castanha me acusou com um olhar tão frio que quase me fez estremecer, QUASE!

- Nada, apenas respondi aquela inconveniente do modo mais ‘’Educado’’ que pude - Sorri Cruelmente, a esta altura já havia levantado e estava com meu lanche em mãos.

- Nunca. Mais. Ofenda. Ataque. Ou Difame a HyoYeon. Me ouviu? - Ela sibilava com seus olhos ainda mais frios, okay, agora eu posso dizer que estremeci um pouquinho… quase podia jurar que alguns graus haviam caído.

- Então só diga para ela nunca mais me dirigir a palavra, assim tenho certeza que iremos ‘’Coexistir’’ como disse sua outra amiguinha, muito bem.

- Trato feito

Dito isso, simplesmente saí em direção ao banheiro, engolindo no caminho, o que restava da minha Esfiha. Me limpei do jeito que deu e voltei para a sala, passei por entre as novatas e sentei-me em meu lugar, já me arrumando para a próxima aula: Inglês. Nunca tive muitas dificuldades com a última matéria, já que vivi até os quinze anos nos Estados Unidos. Comecei a fazer os exercícios da primeira aula, apenas para passar o tempo, e recebi alguns olhares curiosos. Percebi alguém puxar o ar para falar algo, mas logo foi interrompida.

- Esquece SeoBaby, essa daí não é de fazer amigos - A loira completou e eu simplesmente levantei minha cabeça exibindo meu melhor sorriso cínico, antes de voltar a prestar atenção no que fazia.

O resto da semana fez questão de passar o mais devagar possível, contudo, ao menos as meninas não tentaram mais nenhuma aproximação, apenas me ignoravam como o resto da sala. Finalmente a sexta feira se encontrava diante de mim. O céu no dia em questão estava nublado, cheio de nuvens carregadas, o que fez um fio de medo correr por minha espinha. Não poderia simplesmente faltar como sempre fazia quando o clima estava assim, já que o arrombado do professor de física avisou que teria uma prova para testar até onde nós sabíamos, o problema é que essa joça valia nota.

Tudo correu estranhamente normal até o último bloco de aulas, uma chuva torrencial despencara no lado de fora da janela, e por uma grande infelicidade, levou a eletricidade consigo.

- Calma, calma, parem de dar gritinhos, a luz só caiu por um momento - Anunciou o professor Choi, de Geografia, na tentativa de acalmar as garotas mais histéricas. - Vou tentar resolver isto, fiquem na sala.

Até este momento eu estava tendo, com alguma dificuldade, êxito em conter minhas emoções, o medo estava me corroendo, se eu tenho medo de chuvas torrenciais? Medo não, pavor! Só precisava voltar ao meu modo racional… um… dois… três… O primeiro trovão cortou o céus, não, não, de novo não… Senti aquela grande massa de poder dentro de mim agitar-se, não agora, porque tinha que ter trovões. Meu medo cresceu de maneira inimaginável, não tenho certeza se consigo segurar. Fechei meus olhos em um impulso esperando que isto me ajudasse em algo, mas nada estava adiantando… Os malditos fleches teimavam em passar por minha mente, atormentando-me ainda mais, mamãe, droga, para, por favor, para… merda… agora as lágrimas já estavam se acomulando em minha garganta. Michelle, Michelle, pense nela, o que fizemos juntas verão passado? Lembre das risadas, lembre da noite que passaram em volta do fogão por falta de fogueira e jogaram conversa fora, momentos felizes Tiffany, concentre-se neles, você NÃO PODE SE DESCONTROLAR.

- Momentos felizes… Michelle… Pão batata, pão batata, pão batata... - Recitei em um sussurro inaudível o mantra que minha irmã havia me ensinado

Estou a beira do meu limite, já havia aguentado crises desse tipo, mas Michelle sempre estava ao meu lado, ou em pessoa, ou apenas em voz por meio de uma ligação, o que eu não podia fazer agora, merda de aula. Já desisti de controlar minha respiração, toda minha atenção estava voltada para o fardo que era obrigada a carregar. De repente, meu medo começou a ir embora, a grande massa de energia pareceu se acalmar, abri os olhos em busca de alguma explicação e me deparei com orbes cor de ônix fitando-me intensamente. Taeyeon estava vidrada em mim, e por algum motivo, reconheci em seus olhos o medo que antes me pertencia, porém, havia algo a mais, talvez ela também tivesse medo de algo.

- T-T-Taeyeon? - Gaguejei ainda surpresa, todas as minhas proteções haviam caído juntamente com os raios do lado de fora, não conseguiria falar algo rude para ela.

- Tá com medinho da chuvinha Hwang? - Disparou Baekhyun

 

Antes que pudesse responder algo, os olhos que antes estavam nos meus, saíram e pousaram em nada mais, nada menos que o autor da difamação. O garoto simplesmente pareceu surtar de medo, em poucos minutos já estava fazendo uma grande cena, chorando e esperneando como um bebê. Voltei minha atenção para a garota em minha frente, eu conseguia sentir um resquício de energia emanando dela… será que ela era como eu? Não! Impossível, se houvesse mais gente amaldiçoada como a minha pessoa, já teriam me encontrado.

Desviei meu olhar afim de não pensar mais nisso, quando senti outra energia sendo emanada, de um modo levemente mais forte que de Taeyeon, dessa vez, a fonte estava em minhas costas. Virei-me e encontrei Jessica fitando concentrada o céu, como se pudesse controlar os pingos de chuva. Algo estava muito errado ali, muito errado mesmo. Sentia no fundo do meu âmago que aquelas novatas não eram normais. Devo estar ficando paranoica.

 

Passado alguns minutos, a chuva cessou-se, possibilitando a volta da energia elétrica. A aula seguiu como se nada tivesse acontecido, o que de fato era verdade para as outras pessoas, mas eu ainda sim estava encabulada.

Assim que o último sinal do dia soou, suspirei aliviada, arrumei meu material lentamente, como sempre fazia, nunca é bom se deparar com haters no caminho para a saída, afinal a minha proteção contra porradas se limitava apenas dentro do colégio.

Levantei-me de minha carteira, jogando minha bolsa em meus ombros, segui para o portão principal sem maiores problemas, estava passando por trás da escola a fim de ir para casa, quando me deparo com um grupo sinistro de três pessoas me olhando intensamente.

- Ora, ora, não é que a Tiffanyzinha é mesmo uma merliniana - proferiu Nichkhun, meu único conhecido entre os três.

- Uma o que? Me erra Horvejkul, vai procurar uma pinça vai.

- Bocuda você, não? Acho que está na hora de calar essa boquinha - A mais velha proferiu com um tom ameaçador em minha direção, dessa vez, estremeci, eu certamente estava em perigo.

- Calma Ailee, você sabe que torturar é sempre melhor que simplesmente matar. - Ela falou matar? Aí meu rim, fudeu! Corre negada que a porra ficou séria. Engoli seco

- Aish… me deixem em paz… - disse antes de voltar para o meu caminho.

Antes que pudesse me distanciar, senti um medo descomunal me invadir, e desta vez, não fazia ideia do porque estava sentindo isso. A grande massa de energia agitou-se tão intensamente quanto como na primeira vez, isso era ruim, muito ruim. Fleches e mais fleches pairavam em minha mente, porém eu não conseguia pensar em nada para levá-los embora, tudo estava indo de mal a pior.

Meus joelhos cederam me levando com certa brutalidade ao chão, já não me importava com meu corpo, cem por cento do meu cérebro estava focado inutilmente em acalmar aquela maldição. Meus músculos começaram a contrair-se em espasmos, agarrei meus cabelos em sinal de agonia, para… por favor… para… já não continha minhas lágrimas de desespero, isso tinha que parar, mas a merda do medo crescia a cada milésimo de segundo.

- Por favor… para… não… papai… para… - murmurei sem nem ao menos dar-me conta que o estava fazendo.

Não… eu não vou conseguir controlar… não posso… tirar a vida de mais ninguém… eu sou um monstro… não posso deixar esse monstro matar mais ninguém… matar… matar… por que isso não para de ecoar na minha cabeça? Os gritos agonizantes reverberavam em um loop infinito, eu já não estava mais no controle de nada… em poucos muitos… o caos estaria à solta.

- Divertindo-se bastante Ailee? Olha só, se não é a IU - Alguém havia chegado, e agora se postava em minha frente.

- Faz alguns séculos, Taeyeon…

- Vejo… correr… de o fora… - Argh, desisto de prestar atenção, estava ocupada de mais para isto, tudo que eu menos precisava era de mais gente para machucar

Nao sei ao certo quando, mas senti alguma presença ao meu lado, o medo estava diminuindo, mas não aquela droga de vitalidade que teimava mais e mais a sair. Forcei-me a abrir os olhos, e me deparei com as mesmas orbes cor de ônix focadas em mim. Agarrei a gola do uniforme de Taeyeon e sibilei

- Corre… por favor… corre… pra longe… não sei quanto tempo mais vou conseguir segurar - As lágrimas embarcavam minha visão, e minha voz estava embargada pelo choro, mas ainda sim, tinha certeza que ela me ouvira.

Soltei gradativamente a garota em minha fronte, voltando para a minha posição de origem. Quando cerrei os olhos novamente senti algo muito, muito macio encostar em minha boca… ela… ela estava me beijando?

A cada segundo que meus lábios permaneciam nos dela sentia que uma parte de minha energia era drenada, não resisti mais e finalmente entreguei-me a Taeyeon, correspondendo-a.

O beijo transcorria de modo suave, calmo, e levemente salgado, provavelmente por causa de minhas lágrimas. Envolvi-a pelo pescoço, quando senti um pequeno chupão no meu lábio inferior, em um silencioso pedido para aprofundar o ato. Sua língua dançava junto a minha, a sensação de paz era inimaginável, não me sentia assim desde que tudo começou, eu só queria ficar ali, para sempre.

Não demorou muito e minha energia acomodou-se, me mostrando o quão cansada estava, a última coisa que eu me lembro é de abraçá-la quando o beijo acabou pela nossa falta de ar. Eu estava indefesa, toda a minha máscara de indiferença havia caído momentos atrás, apenas me permiti desmaiar nos braços de Taeyeon, esperando que aquele dia nunca tenha acontecido.

 

 

 


Notas Finais


Eai? Gostaram? Se sim, por favor, comentem! É muito importante pra mim saber que tem gente lendo a minha fic :3
Enfim, vejo vocês no próximo capítulo =P

Beijo na bunda, xoxo

~Some nas treva~ (Alguma autora sempre escreve isso nas notas finais... resolvi aderir :P)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...