História Two Sides - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Família, Ficção, Revelaçoes, Romance
Exibições 3
Palavras 1.455
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá,queridos leitores. Peço desculpas pela demora do capítulo sair, ocorreram imprevistos e responsabilidades aos quais tive de adiar a postagem. Obrigado por lerem e os reviews são sempre bem vindos e muito incentivadores.

Capítulo 4 - Capítulo Quarto - Queda


Hoje seria a tal festa na residência dos Sam, eu não estou nem um pouco animada com isso. Não vejo a hora de chegar em casa e descansar, e ainda nem cheguei à mansão. Caminho a passos largos até a entrada da casa, está escurecendo e minha mãe deve estar atolada de tarefas com a equipe de buffet, em todas as festas ela incorpora a governanta e dita tudo que deve ser feito. Claro que Lisa ama isso, não fica nada sob as costas dela, o trabalho é quase todo comandado pela minha mãe. Adentro a cozinha e enquanto tiro minha bolsa e a ponho dentro do armário dos empregados, começo a ver garçons arrumando as mesas do lado de fora e entrando na cozinha de forma contínua. Cozinheiros estão cortando, preparando, olhando e decorando os pratos enquanto uma mulher fala o que deve ser feito, pareço estar num restaurante. Minha mãe está do lado de fora, a roupa dela não é o uniforme de empregada, é um conjunto preto social. Ela ajuda duas meninas a arrumarem uma mesa, aparentemente a principal. Caminho até o lado de fora, o jardim está repleto de pufes e sofás como numa sala de recepção, sempre com mesinhas por perto. Mesas com toalhas brancas e aquários de vidro com velas dentro, parecem ser aromáticas. A mesa que minha mãe está arrumando será onde irá ficar o jantar, como sei? Garçons começam a colocar as bandejas grandes que mantém a comida aquecida sob a mesa.

 

- Minha filha! - Minha mãe exclama feliz ao me ver

- Olá. - Digo a abraçando. - Por que está com essa roupa? - Senhora Lisa pediu pra que eu vestisse. Disse que o recepcionista não pode vir, o chamou de incompetente.

 

Balanço a cabeça reprovando a ação da "madame". Ela deve achar que ninguém tem contratempos...parece que o Mundo gira em torno de Lisa Sam.

 

- Vá lá, coloca um uniforme. Separei um pra você.

 

Entro novamente e procuro pelo uniforme. Uma calça social, blusa branca de botão, gravata borboleta e um avental preto. Que comece o circo!

Já posso até ver a arrogância dos convidados, me embrulha o estômago a forma como eles olham para os garçons, como se fossem superiores só por estarem sendo servidos. Ainda mais os convidados dos Sam!

Faço um coque uniforme e prendo os fios que insistem em se soltar com grampos. Olho pro relógio da cozinha, faltam 20 minutos para o jantar. Calço as meias finas e o mocassim preto.

Entro na cozinha novamente e a mulher que estava dando ordens as cozinheiro vem ao meu encontro.

- Boa noite, Me chamo Milie. - Ela me cumprimenta com um aperto de mão rápido. - Vou controlar o que deve ser servido ,ok? Às minhas ordens você serve, e volta para a cozinha para pegar a bandeja que eu pedir e repita o processo. Umas dicas: Não os encare, não fale se não falarem, quando falarem com você apenas fale o básico. Se reconhecer alguém finja que não o reconhece, geralmente ficam envergonhados quando alguém da equipe os reconhece e os amigos veem. Se não gostarem de algo apenas confirme com a cabeça quando devolverem, escute a reclamação e venha até mim para falar o que houve para eu resolver.

- Ok. - Concordo

- Seu nome...

-Emma.

- Ah, você é filha da nossa recepcionista substituta. - Ela ri. - Ok, Emma. Bom serviço.

- Obrigado.

- Já pode começar a servir os canapés.

 

Ela aponta para a bandeja e eu a pego. O cheiro é bom, mas o que será essa pasta verde encima? Melhor não questionar, pessoas ricas tem um gosto diferente e, ás vezes, inusitado.

Começo a servir os primeiros convidados, seguindo todas as dicas. Olho para outros garçons e todos estão com um braço servindo e o outro atrás do corpo, faço o mesmo. Os convidados não olham para nós, só para o que querem pegar e voltam para a conversa. Os que recusam apenas levantam a mão sem nem nos olhar e sem interromper suas conversas.

Nem sei quantas vezes fui e voltei para a cozinha, só sei que foram muitas. Quando chega a hora do jantar os garçons se reúnem na mesa principal e enquanto uns colocam os pratos, os outros vão servindo. Me dá um nó quando percebo que a sorteada para servir a mesa onde os Sam estão será eu. Brock está sentado ao lado de seu pai e com o braço atrás de uma menina com porte de modelo super rica, loira, alta e magra. Ao lado dela estão um homem e uma mulher que parecem seus pais. Katy e Lisa também estão na mesa.

Lisa me vê chegando e desabrocha uma garganta alta e forçada para que eu me sinta mal. Na verdade ela faz isso para que eu perceba que tudo está super legal ali. Não estou dando a mínima para sua diversão mentirosa.

Começo a servir os pratos e sinto o olhar de Brock em mim, não escuto mais sua risada.

 

- Garçonete, pode me trazer mais champanhe? - Lisa pergunta dando a última golada no líquido em sua taça

- Sim. - Respondo sem a olhar.

- Victoria, essa é a filha da minha empregada. Ela fala e a senhora que está a mesa me olha de cima abaixo.

A tal Victória é branca e tem cabelos preto azulado, olhos verdes e um aparente silicone nos seios.

- Está fazendo um serviço extra hoje. - Lisa fala naturalmente

- Prazer.- Ela fala comigo sem vontade alguma, me olhando com os olhos quase saltados

- Praze, senhora. - Aceno a cabeça e começo a andar pra longe da mesa

- Não esqueça meu champanhe! - Lisa fala alto arás de mim

 

Volto com a garrafa de champanhe e começo a servi-la.

-Ah...Emma, né? - Ela pergunta como se não lembrasse meu nome, cobra

-Sim, senhora. - Falo enquanto sirvo os outros da mesa

- Essa é Madeleine, namorada de Brock. - Ela apresenta a menina que sorri para mim

- Noiva!

 

Madeleine corrige mostrando a aliança de noivado com um diamante enorme encima para Lisa, seguido por um gritinho histérico da serpente.

 

- Brock, que maravilha! - Lisa fala com as mãos no rosto, deve estar morrendo de felicidade por eu estar participando dessa cena patética.

- É. - Ele fala me olhando, não parece estar feliz

 

Ando para longe da mesa me perguntando como alguém entra em um noivado tão rápido. Da outra mesa que sirvo escuto Madeleine falando que Brock a pediu em casamento durante um jantar "inesquecível" que os dois tiveram, ela havia anunciado a ele que teria de passar alguns meses fora em trabalho.

Meu cérebro ainda está martelando como eles se conheceram, pra começar. Estou feliz por Brock, por Madeleine não posso dizer pois não a conheço. Já imagino como será escandaloso esse casamento. Ela parece fútil, superficial...Por que Brock foi engatar num namoro - e um noivado relâmpago - com alguém aparentemente assim? Um dos motivos deve ter sido ceder aos caprichos da mãe.

Senhor Matt apenas sorri e dá a benção ao casal. Mas é claro que o Show de Lisa não acaba ai, percebo quando ela vai até os músicos e sussurra ao ouvindo de um deles que sorri e concorda.

 

- Senhoras e senhores, convidados da família Sam, boa noite. A anfitriã da noite gostaria de falar algumas palavras. Ela pega o microfone agradecendo ao músico.

- Boa noite. É uma honra para mim e para minha família tê-los aqui. Obrigado por terem vindo. Esse jantar não seria o mesmo sem vocês. - Ela sorri. - Esse jantar, como sabem, é especial em nome de minha filha que acabara de chegar de viagem. E agora, para minha surpresa, também é em comemoração ao noivado de eu filho, Brock, com a querida Madeleine Thompson.

 

Todos aplaudem e os pombinhos ficam de pé sorrindo e agradecendo com acenos.

 

- Bem, bem, bem...já irei começar com o planejamento do casamento. - Ela ri fazendo todos os outros rirem.- Não pude pedir outra nora. Madeleine Thompson, filha de Victoria e Henrique Thompson, uma filha com renome e de classe, tradicional e com uma carisma que todos têm. Um brinde... - Lisa levanta sua taça fazendo todos repetirem a ação. - Um brinde à minha amada filha Katy, meu querido filho Brock e minha mais nova filha, Madeleine e à sua família especial, os Thompson.

 

Todos levantam as taças e brindam com os outros. Ah, que coisa linda e...enjoativa.

Sinto as pontadas das indiretas de longe, sem motivo. Nunca teria nada com Brock, Lisa parece ter horror a pobre. E mesmo assim, Brock é meu amigo. Ou era, não sei.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...