História Two Sides (Camren) 4° Temporada Final - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camilacabello, Camren, Fanficcamren, Fifthharmony, Laurenjauregui
Exibições 517
Palavras 1.617
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


não demorei kk

Capítulo 6 - Keana


Fanfic / Fanfiction Two Sides (Camren) 4° Temporada Final - Capítulo 6 - Keana

06:25Am

Depois de ter quase esmurrado o despertador digital quando alarmou, não vi Camila ao meu lado e me levantei para fazer minha higiene matinal, tomei banho e me arrumei.

Desci as escadas e fui direto para a cozinha, passei pela porta e vi Nicolas sentado com as pernas cruzadas como índio em cima do balcão onde comemos, vestia um pijama azul com vários desenhos que pareciam planetas e em mãos uma revista do Star wars.

- Bom dia príncipe. - beijei sua testa por cima do seu cabelo. - Cadê sua mãe?

- Bom dia mamãe. - Falou com a vozinha de sono. - Ela está se arrumando para me levar pra escola e depois ir trabalhar. - Voltou a olhar sua revista.

- Tão cedo assim? - Enquanto falava, peguei um prato fundo e uma colher, coloquei leite com cereais e o entreguei.

- Lauren. - Camila entrou na cozinha, usando saltos altos e preto, um pouco fechado na frente, um macacão curto branco com golas, as mangas até os pulsos e um lenço preto e fino no pescoço por dentro das golas e com um nó -era um tipo de gravata porém muito feminino- seus cabelos em um rabo de cavalo perfeito e maquiagem leve. - Preciso que leve Nicolas para a escola.

- Você vai trabalhar agora? - Perguntei acompanhando com o olhar, seus passos apressados pela cozinha. - Tipo, agora mesmo?

- Meus horários se variam, você sabe. - Parou e passou a mão na testa, parecia pensar em algo. - Ahn... Ah lembrei. - Me olhou. - Não coloque lanches gordurosos para Nicolas levar. Você tem essa mania.

Cruzei os braços.

- Eu não tenho costume de levar ele para a escola, geralmente é você que leva. E eu só compro McDonalds às VEZES pela tarde ou noite.

- Já disse que não é pra comprar fast-food para ele, Lauren! - Seu tom de voz era firme, assim como seu olhar sobre isso.

- Você não vê que ele é uma criança? Cadê sua compreensão? Que exagero.

Nicolas comia e olhava para mim e ela. Então terminou de comer e desceu do balcão, colocando o prato na pia.

- Mamãe já vai ta bom? - Camila se abaixou e beijou a bochecha dele, depois do pequeno ter balançado a cabeça em um "sim" e sorriu para ela. - Se comporte na escola.

Veio até a mim e me deu um selinho rápido, me olhou durante quatro segundos e saiu. Suspirei.

- Vamos.

Peguei em sua mãozinha e o guiei até o banheiro do andar de cima. Esperei ele escovar os dentes enquanto pegava sua farda e vesti nele, calcei seus pares de tênis vermelho e cano alto, pentiei seu cabelo conforme o corte com a franja para o lado e passei passei perfume.

Preparei um lanche "saudável" e coloquei em sua mochila. Tranquei as portas e saimos carro, deixei-o na escola e segui para o trabalho.

****

A tarde toda no trabalho me estressei, larguei de seis horas da noite e dirigi pensando o quanto discuti com os funcionários.

Vi alguém atravessar a pista e não deu tempo de nada, quando olhei já tinha dado uma freiada após ter batido o carro em alguém. Tirei os cintos de segurança rápido e abri a porta do carro, indo até a frente do automóvel.

- Não acredito. - Me aproximei e me abaixei. - Keana?

Ela se sentou com uma careta de dor, suas pernas e braços ralados.

- Você é louca, Lauren? - Perguntou com uma voz trêmula.

- Venha comigo, vamos aproveitar que não tem ninguém.

Peguei ela no braço e abri a porta traseira do carro, colocando ela dentro e em seguida entrei, acelerando para a casa.

- Além de me atropelar, você vai acelerar? Ah fala sério. - Reclamou.

- Vai que sua situação piora, e não quero que alguém veja e me denuncie. - Vi que ela ficou calada e a olhei pelo retrovisor de dentro, sua afeição era de dor. - Me desculpe, por favor. - Falei com a voz triste.

Ela continuou calada e segui o caminho até chegar no condomínio, coloquei o carro na garagem e lhe carreguei para dentro de casa, colocando a deitada no sofá com cuidado e sua cabeça na almofada.

- Eu vou buscar as coisas par..

- Vai logo que estou com dor, isso arde!!

Levantei uma sobrancelha.

- Tpm linda?

- Não, só fui atropelada por uma louca mesmo.

Sai e tirei os saltos, peguei uma maleta branca e voltei até ela, me sentando na beira do sofá. Fiz os curativos dos joelhos e nas laterais das pernas, nos cotovelos e alguns pequenos cortes no resto dos braços.

- Ta doendo aqui queixo?

Ela balançou a cabeça em um sim e gemeu de dor quando comecei a fazer o curativo no local, tendo todo cuidado e calma.

Escutei barulho de chave e a porta abriu, passos de saltos e a porta fechou outra vez, depois os passos veio de aproximando devagar.

- Boa noite. - Falei já sabendo quem era e continuei oque fazia.

- Boa noite. Mas, não sei se é uma boa noite para a Keana. - Quem não conhecia Camila, acharia que ela estava falando naturalmente. Mas era puro cinismo. - O que houve?

- Eu a atropelei. Os ferimentos foram leves, eu estava vindo devagar e trouxe ela para fazer os curativos.

- Ahm... Sei. - Senti seu olhar observar eu guardando as coisas na maleta pequena e branca. A olhei e ela tinha os braços cruzados, depois olhou para Keana. - Desculpe, mas você prestou atenção nos carros que vinham? Poderia ter sido pior.

- Foi muito rápido. - Keana respondeu com a voz fraca.

Ela ligou para Jacob -Sim, ele mesmo- e ele foi buscar ela, ficou meio desesperadinho e a levou.

Agradeci por menos um problema, pois o outro já ia começar agora.

- Precisa de óculos de grau? - Camila perguntou tirando sua roupa dentro do quarto e revirei os olhos. - Onde diabos você estava com a atenção, Lauren?

- Discuti no trabalho e devo ter me distraído, mas ela também foi louca. - Tirei minhas peças de roupa. - Pelo menos não deixei-a lá e vim embora pra se livrar.

- Duas patetas no meio da estrada. Já imaginou que se isso não tivesse acontecido, eu não encontraria ela aqui?

- Avá, qual o problema? - Fiz careta.

- Eu NÃO quero outra mulher a não ser eu, deitada na porra daquele sofá ou em outro qualquer canto. - Deu ênfase no "não" e falava com raiva, vestindo seu roupão de banho. - Além disso, pra quê colocar seu rosto tão perto do dela? - Respirei fundo e já estava ali só pra ficar ouvindo ela reclamar. - Está achando ruim? E se fosse eu com uma mulher ali? Não importa o sexo, mas já imaginou?

- Eu estava ajudando, Camila. - Falei calma e a olhando. Ela cerrou os olhos e se aproximou bem perto de mim.

- Você trabalha na emergência hospitalar? Bombeiro? Seja lá oque porra for, o dever era deles e não SEU! - Bateu forte com a ponta do seu dedo no meu ombro e saiu, entrando no banheiro.

Fiquei alguns segundos parada e tinha a certeza de que seus ciúmes paranoicos só estavam começando.

Continuei apenas de cueca azul e deitei na cama, em baixo da coberta grossa e branca. Minha mão na cabeça onde sentia dor e suspirei, ficando deitada de lado.
Abri os olhos ao sentir o colchão afundar do meu lado e vi Camila de calcinha e sutiã rosa, segurando um copo de água e um comprimido na outra mão.

Me sentei devagar, peguei o copo eo comprimido, tomando enquanto a olhava. Ela pegou o copo e colocou na mesinha do lado.

- Cadê o Nicolas e a Nicole? - Perguntei baixo.

- Não se preocupa, estão com minha família. - Respondeu no mesmo tom e analisou meu rosto. - Vou fazer uma sopa pra você. Fique deitada e não saia dessa casa para causar problemas.

Vestiu um fino roupão da cor preta e transparente, chinelos branco e cheio de pelinhos com o nome puma ea logomarca. Saiu do quarto e me mantive deitada, checando o celular. Tinha uma mensagem de voz do Zayn.

"Cara o Austin esta na máfia, não estou enganado. Eu vi ele muito estranho e parecia usar drogas, tinha algo na cintura e talvez esteja armado mesmo. Vamos ficar de olho."

Mais um problema. Tentei me controlar para não se estresssar e cochilei um pouco. Acordei minutos depois e desci para o andar de baixo, vendo Camila pôr dois pratos e colheres na mesa.

- Estava dormindo?

- Um pouco. - Puxei a cadeira e me sentei. - Recebi um áudio do Zayn.

- O que ele disse? - Com a concha, colocou a sopa nos nossos pratos e sentou à minha frente.

- Alerta do Austin.

- Austin? Vou mandar forçar a segurança na portaria.

- Aquele frango é louco? Sabe que vai morrer se tentar algo. - Balancei a cabeça negativamente e provei da sopa, me sentindo satisfeita. - Falando nisso, conversei com o Justin no trabalho e ele disse que não tem como ser meu irmão, de maneira alguma.

- Ele não parece ser mesmo, mas você sabe que logo logo vamos encontrar o verdadeiro. - Assoprou de leve a sopa na colher.

- Voltando ao assunto.. Temos que bolar algo para tirar o Austin do mapa. - Ela concordou com a cabeça.

- Vai demorar um pouco, mas ele vai pagar só por um dia pensar em se aproximar pra fazer algo.


Notas Finais


Lá vem mais problema. Ah, vou atualizar rápido


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...