História Two sides of the same world - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alycia Debnam-Carey, Demi Lovato, Eliza Taylor-Cotter, Maia Mitchell, Marie Avgeropoulos, Pretty Little Liars, Sasha Pieterse, Selena Gomez, Shay Mitchell, The 100
Personagens Alycia Debnam-Carey, Demi Lovato, Eliza Taylor-Cotter, Maia Mitchell, Marie Avgeropoulos, Sasha Pieterse, Selena Gomez, Shay Mitchell
Tags Alycia Debnam-carey, Clexa, Demi Lovato, Eliza Taylor-cotter, Elycia, Emison, Maia Mitchell, Marie Avgeropoulos, Sasha Pieterse, Sashay, Selena Gomez, Semi, Shay Mitchell
Exibições 441
Palavras 6.479
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, FemmeSlash, Fluffy, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Alguns de vocês queriam um cap mostrando elas casadas e com filhos, eu demorei mas fiz :)

Capítulo 23 - Epílogo


Fanfic / Fanfiction Two sides of the same world - Capítulo 23 - Epílogo

Sexta-feira, 05 de julho 2024  

Eliza    

O meu grito e o da Marie foram ouvidos quando o Colin se jogou na piscina fazendo água respingar na gente, apertei mais o Gabriel contra o meu peito quando ouvi a risada da Shay para em seguida ela fazer o mesmo que o seu filho de seis anos e se jogar na piscina. Olhei para Marie que esta com os olhos vidrados no Patrick enquanto o segura nos seus braços, vendo meu filho emburrado pois o golfinho que estava perto dos dois se afastou quando o Colin e a Shay pularam na água.      

O aquário já esta fechado para o publico a quase duas semanas pois estavam fazendo algumas reformas mas já vai ser reaberto segundo feira, mesmo estando fechado nós ainda temos bastante coisas para fazer só que é feito bem mais rápido sem ter que se preocupar com visitantes se metendo no nosso trabalho.     

Hoje eu e a Shay resolvemos trazer nossos filhos pois sabíamos que tínhamos pouca coisa para fazer e íamos terminar cedo, então agora que já é mais de quatro horas da tarde estamos dentro de uma das piscinas que só os funcionários tem acesso onde esta dois dos golfinhos que resgatamos e infelizmente não puderam voltar para o mar. Os gêmeos que só tem três anos estão usando colete e eu e a Marie não os soltamos de jeito nenhum, mas eles estão adorando estar tão perto dos golfinhos assim como o Colin que já sabe nadar e esta mais acostumado a vir para o aquário.      

-Colin cuidado. - Shay falou vendo seu filho segurar na barbatana dorsal da Daisy mergulhando junto com o golfinho.     

Ela mergulhou atrás dos dois e eu fui para perto da Marie e do Patrick vendo que o Blue esta novamente ali e meu filho esta animado fazendo um carinho nele, Gabriel se animou no meu colo quando chegamos perto do golfinho e suas mãozinhas foram direto para o animal.     

-Peixe mommy. - Patrick falou apontando para o golfinho quando finalmente percebeu a minha presença, e eu e a Marie rimos.    

-Golfinho não é um peixe meu amor, é um mamífero. - O corrigi mesmo sabendo que ele vai continuar se referindo ao animal como um peixe. -Marie cadê a sua aliança? - O tom na minha voz já a repreendendo quando percebi a falta da sua aliança de casamento.    

-Esta no meu armário, eu não quis arriscar perder de novo porque se isso acontecer a sua melhor amiga aqui vai estar precisando de um funeral. - Eu não consegui me impedir de rir e a Marie praticamente me fuzilou com o olhar.     

Ela e a Maia só estão casadas a oito meses apesar de já estarem morando juntas a cinco anos, foram as ultimas do nosso circulo a se casarem, até a Marny e a Aisha que diziam que nunca iam se casar subiram no altar antes das duas. Três semanas atrás ela perdeu a aliança pois conseguiu emagrecer mais ainda e a aliança esta frouxa, eu realmente achei que a Maia ia matar minha melhor amiga quando soubesse e na verdade ela chegou bem perto de fazer isso, mas graças aos deuses a Marie conseguiu achar a aliança antes que sua esposa a mata-se.    

-Eu já disse que você precisa ir logo numa joalheria apertar a aliança.    

-Eu sei...    

-Mommy.- Voltei minha atenção para o Gabriel no meu colo, seus olhos azuis esverdeados grudados nos meus e um bico nos seus lábios -O Blue. - Falou apontando para o golfinho que esta se distanciando da gente agora.     

-Ele precisa mergulhar. - O bico nos seus lábios só aumentou ouvindo minhas palavras. -Ok vamos atrás do Blue. - Completei quando vi o animal voltar a superfície um pouco longe da gente.    

Eu e a Marie ficamos andando pela piscina com os gêmeos nos nossos braços sempre o mais perto possível do golfinho, Blue ao contrario da Daisy é bem calmo. Vi o Colin do outro lado da piscina com o outro golfinho, ele sem medo nenhum de se deixar ser levado pelo animal até o fundo da piscina e a Shay sem tirar os olhos dos dois, Colin desde pequeno sempre adorou a estar dentro da água tanto que aprendeu bem cedo a nadar.    

-Marie será que dá para você segurar o meu filho direito. - Falei já quase tendo um ataque cardíaco vendo que ela soltou o Patrick.    

-Não mommy. - Patrick reclamou pois esta adorando estar solto, o sorriso sapeca no seu rosto denunciando isso.    

-Sua mãe tem razão campeão, vamos esperar você estar um pouco maior para já ficar solto. - Falou voltando a segura-lo.     

[...]     

-Já é quase seis horas é melhor a gente rir. - Marie anunciou já colocando o Patrick sentado na borda da piscina.     

-Que horas mesmo nós temos que estar na casa da Demi e da Sel? - Shay apareceu do meu lado perguntando.    

-Combinamos as oito, a Alycia ficou de pegar a comida e as bebidas no restaurante depois de sair da revista.     

A mãe da Selena e a mãe da Demi passaram o ultimo mês aqui na Austrália na casa delas por que queriam ajudar nesse primeiro mês com a primeira filha das duas, elas voltaram para Dallas hoje de manhã então combinamos de ir visitar nossos amigas hoje e levar a janta, sem contar que estamos todas loucas para passar mais um tempo com a pequena Rachel que é a coisa mais linda.     

-Eu não quero ir embora tia M. - O tom manhoso na voz do Patrick que torna realmente difícil dizer não para ele.     

Fui para perto dos dois e coloquei o Gabriel sentado ao lado do irmão, é incrível como os dois são parecidos, nesse momento com eles sentados da mesma maneira a única coisa que os diferencia é a sunga azul do Patrick da sunga vermelha do Gabriel pois os coletes são iguais.    

-Eu também não. - Gabriel anunciou.    

-A tia Mai vai sair mais cedo do trabalho, vocês não querem ir no parque com a gente? - Ouvindo a pergunta da Marie os dois abriram um sorriso.     

-Sim! - Exclamaram animados ao mesmo tempo, fazendo a gente rir.    

-Vamos tomar um banho e depois vocês vão no parque com suas madrinhas. - Falei já saindo da piscina, assim que os dois já estavam em pé e longe da borda a Marie também saiu.     

-E vocês dois querem ir no parque com a gente? - Marie perguntou vendo a Shay e o Colin já fora da piscina, a morena enrolando o filho numa toalha.     

-A gente vai no mercado comprar coisas para mamãe. - Colin respondeu antes da Shay.    

-Sasha esta com desejos de novo? - Perguntei já rindo, Sasha esta grávida de cinco meses de uma menina.    

-Já estava planejado deu ir no mercado hoje depois do trabalho, mas sim ela esta com desejo de novo, me mandou mensagem antes de entramos na piscina dizendo para mim comprar sorvete de pistache e nutella porque esta com vontade de comer os dois juntos, não posso falar nada pois eu tive desejos mais estranhos que esse quando estava grávida do Colin.      

Fomos rindo para o vestiário e tomamos banho, saímos do aquário todas juntas mas seguimos caminhos diferentes já que a Shay foi para o mercado, a Marie foi para o parque com os meus filhos onde vai encontrar a Maia e eu decidi ao invés de ir para casa ir para a revista ver a minha esposa, quem sabe eu não consigo fazer ela sair mais cedo também.    

Quando cheguei no prédio subi direto para o andar onde a Alycia trabalha, já tenho minha entrada liberada aqui na revista a muito tempo, alguns colegas de trabalho dela que me reconheceram me cumprimentaram no caminho até o seu escritório e como sua secretária disse que ela esta sozinha eu entrei sem bater vendo a Alycia sentada na sua mesa com os olhos focados no notebook a sua frente.   

-Maia eu achei que essa hora você já estaria no parque com os meus filhos. - Seus olhos ainda grudados no computador.   

-Não é a Maia. - Sua atenção finalmente se voltou para mim e a expressão de surpresa logo foi substituída por um enorme sorriso. -Porque você achou que eu fosse sua melhor amiga? - Perguntei indo até ela que imediatamente me puxou para sentar no seu colo.   

-Porque ela é a única que entra no meu escritório sem bater. - Respondeu antes de me dar um beijo. -Ao que devo essa visita?   

-Vim tentar te tirar mais cedo do trabalho. - A expressão no seu rosto já me indicou o que ela ia dizer antes de se quer uma palavra sair de sua boca.   

-Infelizmente eu não posso, ainda tenho algumas coisas para fazer e a revista não pode ficar sem mim  e a Maia ao mesmo tempo agora que a Jill se aposentou. - A mãe da Maia se aposentou a três meses atrás deixando a revista para a sua filha e para a Alycia gerenciarem.   

-Tudo bem, deixa que eu pego a comida e as bebidas no restaurante assim quando você sair daqui vai poder ir direto para a casa das meninas.   

-Certeza? - Só assenti antes de dar outro beijo nela, infelizmente o telefone tocando nos interrompeu então nos separamos. -Natalie?   

-Drew esta aqui, ele quer falar com você. - A voz da Natalie, sua secretária, soou do outro lado da linha. Por um segundo o humor da Alycia mudou e ela respirou fundo antes de olhar para mim e me dar um beijo rápido.   

-Peça para ele esperar um pouco Natalie. 

-Ok. 

-É o novo fotografo da revista. - Alycia respondeu a pergunta que eu nem tinha verbalizado.  

-E porque você teve essa reação ao saber que ele quer falar com você? 

-Eu não gosto dele, é arrogante, convencido e prepotente. Sempre deixo para a Maia lidar com ele já que foi ela quem insistiu em contrata-lo. 

-Não consigo entender porque a Maia ia querer contratar alguém assim. 

-Porque entre todos os candidatos ele era de longe o melhor.  

Vendo uma mistura de irritação e frustração estampada no seu rosto eu não consegui me segurar e ri, antes que a Alycia ficasse brava comigo por causa da minha reação eu a beijei mas lembrando que ela tem que trabalhar não prolonguei o beijo. 

-Eu vou deixar você trabalhar.  

-Vou tentar não demorar aqui. - Eu assenti e ela voltou sua atenção para o telefone na sua mesa. -Deixa ele entrar. -Alycia falou se dirigindo a Natalie.    

Dei um ultimo beijo nela antes de sair do seu colo e me despedir, quando estava prestes a chegar na porta ela foi aberta e um homem vestindo calça jeans e uma blusa branca colada ao seu corpo destacando seus músculos entrou, a barba não feita, o cabelo até os ombros e os olhos claros imediatamente presos em mim, provavelmente se perguntando quem eu sou.   

-Drew. - Mesmo ouvindo a Alycia o chamar ele ainda demorou uns segundos para tirar seus olhos de mim.   

-Sim?    

Olhei para porta que esta com o acesso bloqueado por ele antes de voltar meu olhar para Alycia que aparentemente parece normal, mas eu a conheço bem o suficiente para saber que ela não gostou do olhar que ele direcionou a mim quando entrou.     

-Achei que você queria falar comigo.   

-Sim, eu quero. - Seu olhar se voltou para mim e um sorriso se abriu em seus lábios, eu tive que me segurar para não revirar meus olhos.   

-Será que você poderia me dar licença. - Pedi indicando a porta que ele ainda esta bloqueando.    

-Você trabalha aqui? - Perguntou ignorando meu pedido.   

-Não, eu sou esposa da sua chefe.    

O sorriso no seu rosto desapareceu e eu olhei para a Alycia vendo um sorriso de lado se formar nos seus lábios, ele me deu passagem e eu olhei para minha esposa uma ultima vez dizendo um eu te amo mudo antes de finalmente sair dali, só espero que ela não mate seu novo fotografo.    

Fui direto até o restaurante pegar nosso pedido e depois segui para a casa da Demi e da Selena, fui a primeira a chegar sendo recebida pela Demi que me ajudou a levar as coisas para a cozinha e depois fomos para sala onde encontrei a Selena sentada no sofá com a Rachel dormindo nos seus braços. Marie e Maia chegaram uns vinte minutos depois com meus filhos, graças aos deuses a Rachel estava acordada porque os gêmeos estavam com a corda toda, Shay, Sasha e o Colin foram os próximos a chegar nem dez minutos depois. Estávamos todas conversando quando o barulho da porta da frente sendo aberta foi ouvido, com certeza a Alycia entrando já que ela é a única que falta.   

-Mamãe! - Patrick e o Gabriel exclamaram ao mesmo tempo, antes que eu pudesse falar qualquer coisa eles já tinham descido do sofá correndo até a Alycia que finalmente apareceu no meu campo de visão. Seu lindo sorriso se abrindo tendo nossos filhos agarrados nas suas pernas.   

-O que vocês duas deram para eles comerem? - Alycia perguntou olhando para Marie e para Maia que trocaram um olhar cumplice.   

-Nada. - As duas responderam juntas e a Alycia revirou seus olhos diante da mentira deslavada, as duas tem mania de encher eles de doce por mais que a gente brigue com elas.    

-Cadê meu beijo? - Ela perguntou para os gêmeos depois de se abaixar para ficar na altura deles, os dois deram um beijo no seu rosto ao mesmo tempo, cada um de um lado, e eu estou com um sorriso idiota nos lábios assistindo a cena. -Oi meninas.    

-Oi. - Elas a cumprimentaram de volta antes de retomarem a conversa que estávamos tendo antes, mas eu mantive minha atenção na Alycia.    

-Vamos lá. - Ouvi a Alycia falar antes de se levantar e segurando a mão dos meninos vir até mim, se sentou do meu lado pegando o Gabriel no seu colo e o Patrick veio para o meu. -Oi meu amor. - Um beijo casto sendo depositado nos meus lábios.   

-Mamãe! - Os dois reclamaram querendo a atenção da Alycia.   

-Calminha leõezinhos, eu já vou dar atenção para vocês.   

A risada do Gabriel preenchendo meus ouvidos quando ela começou a fazer cocegas nele, Demi se levantou dizendo que ia para cozinha arrumar as coisas e a Maia e a Sasha foram com ela, eu dei um beijo no Patrick e a Alycia arrumou o Gabriel no seu colo para poder ficar com os dois, cada um sentado em uma de suas coxas, eu me levantei e dei outro beijo nela antes de dar um beijo no rosto do meu outro filho e ir para a cozinha em seguida ajudar as três.   

  

Demi   

O jantar com as meninas foi ótimo, não importa o que estamos fazendo é sempre maravilhoso quando passamos um tempo todas juntas. Eu, a Alycia, a Shay e a Marie cuidamos de arrumar e limpar tudo na cozinha enquanto as outras quatro foram para a sala com as crianças, não demoramos a terminar e as três seguiram para sala antes de mim, quando finalmente cheguei lá vi os meninos brincando no canto da sala e elas conversando.   

Meus olhos automaticamente se prendendo na Selena, que esta sentada no sofá, e percebendo que nossa filha não esta nos seus braços eu olhei para as outras vendo a Eliza sentada no outro sofá segurando a Rachel, Sasha e Shay estão sentadas ao seu lado e a Alycia acabou de ocupar o ultimo lugar vago do seu outro lado.    

Apesar de ter duas poltronas que estão vagas, além do lugar ao lado da Selena no sofá, a Marie e a Maia estão no chão perto das crianças prestando mais atenção na brincadeira deles do que na conversa das meninas, essas duas simplesmente nunca dispensam a chance de passar mais tempo com as crianças não sei porque ainda estão enrolando para ter filhos, mas não posso falar porque eu e a Selena também enrolamos bastante e quando finalmente decidimos ter um bebê as duas primeiras tentativas não deram certo, ela sofreu dois abortos espontâneos antes de termos a Rachel o que não foi fácil para nenhuma de nós duas, especialmente para ela, mas agora esta tudo bem porque temos nossa pequena princesa em casa já.    

-Dems. - Selena me chama fazendo eu sair do meu devaneio e indica o lugar ao seu lado para mim sentar, mas antes que eu posso ir até ela a Rachel começa a chorar. -Ela deve estar com fome. - Fala agora com seus olhos na nossa filha que ainda esta no colo da Eliza.    

-Eu vou fazer a mamadeira.    

Selena assentiu já se levantando e indo até a Eliza pegar a Rachel enquanto eu volto para a cozinha para fazer a mamadeira. Vocês devem estar se pergunta porque um bebê de um mês não esta se alimentando no peito, bom a resposta é simples infelizmente o leite da Selena secou após as duas primeiras semanas.    

Voltei para sala com a mamadeira já pronta em mãos e me sentei ao lado da Selena que passou nossa filha para os meus braços, ela já tinha parado de chorar mas se agitou um pouco saindo do conforto dos braços da sua outra mãe voltando a se acalmar rapidamente quando comecei a alimenta-la. Seus olhos castanhos bem escuros presos em mim e sua mãozinha pequena se fechou contra o meu polegar, um sorriso aparecendo nos meus lábios enquanto olho para ela.   

-Demi você é a mãe mais babona de todas.   

-Fica quieta Aly, que você também era assim com os gêmeos. - Falei sem tirar meus olhos da Rachel.   

-Ainda sou. - A risada de todas nós foram ouvidas depois dela falar isso.    

Selena deu um beijo no meu rosto fazendo minha atenção voltar para ela e eu dei um beijo casto nos seus lábios, nesse momento estou me perguntando como dei tanta sorte para ter todas essas pessoas na minha vida, especialmente minha esposa e filha.   

  

Sasha    

Chegamos em casa depois do jantar na casa da Demi e da Selena já passava da meia noite, fui direto para o quarto enquanto a Shay foi levar o Colin para o dele já que nosso filho acabou dormindo no carro. Tirei o vestido que eu estava usando e coloquei uma roupa confortável para dormir, como a Shay ainda não veio para o nosso quarto eu fui até o quarto do Colin encontrando os dois deitados na cama, ele dormindo e a Shay mexendo nos seus cabelos.    

Parei ali na porta olhando para os dois mas logo a Shay percebeu a minha presença então saiu da cama e tampou bem o nosso filho antes de vir até mim, deixamos a luminária acessa e a porta entre aberta antes de irmos para o nosso quarto juntas. Quando chegamos Shay me deu um beijo e foi para o closet se trocar então eu me deitei na cama esperando por ela.    

Quando a Shay finalmente se juntou a mim na cama eu estava distraída sentindo nosso filha chutar, olhei para minha esposa que esta com seus olhos castanhos vidrados em mim e peguei a sua mão a colocando em cima da minha barriga por baixo do blusa, um sorriso se abriu nos lábios dela quando também sentiu nossa filha chutar.   

-Temos que descobrir porque ela sempre fica tão agitada a noite. - Shay falou me fazendo rir.   

-Seria bom mesmo, porque ultimamente ela tem estado tão agitada durante a noite que não me deixa dormir.   

-Se ela já esta te privando de sono agora, não quero nem ver depois que nascer.   

-Depois que ela nascer vai ser melhor, porque dai vou poder fazer você ficar acordada cuidando dela. - Eu ri e a Shay olhou para mim fingindo estar brava, mas logo sorriu e deu um beijo casto nos meus lábios.    

-Eu vou cuidar dela com muito prazer. - Disse antes de dar um beijo na minha barriga.    

-Temos que escolher um nome. - Shay tirou seus olhos da minha barriga voltando a olhar para mim.   

-Você tem algum nome em mente?   

-Não, para falar a verdade. - Nós duas rimos. -Eu gosto de Lucy, Camile, Ashley que é o seu segundo nome. - Shay ficou alguns segundos em silêncio pensando antes de falar.   

-Que tal Alison?   

-Alison. - Falei o nome em voz alta vendo como soa na minha voz. -Eu gostei, o que te fez pensar nesse nome?   

-Nada, eu só sempre gostei dele. - Respondeu dando de ombros.    

-Então esta decidido, vai ser Alison. - Olhei para a minha barriga e coloquei a minha mão em cima da dá Shay. -E você pequena, gostou do seu nome? - Demorou três segundos para sentirmos ela chutar.   

[...]   

Acordei com a minha filha novamente agitada dentro da minha barriga, olhei para o relógio na cabeceira da cama vendo que é mais de quatro horas da manhã. Suspirei sabendo que vou demorar a conseguir voltar a dormir e percebi que pareço estar com o gosto de vitamina de morando com banana na minha boca sendo que eu não tomo isso a séculos, automaticamente senti o desejo e olhei para Shay sabendo que seu eu acorda-la ela vai fazer para mim, nada mais justo já que eu fazia todas as suas vontades quando era ela que estava grávida.    

-Amor. - Shay nem se mexeu então levei minha mão ao seu ombro para acorda-la. -Shay, amor.   

-Hum. - Ela resmungou se mexendo, demorou alguns segundos até abrir seus olhos os focando em mim. -Por favor me diz que o que você esta com desejo de comer tem em casa? - Perguntou e eu ri.   

-Na verdade é de tomar e eu acho que tem em casa, afinal você fez compras. Quero vitamina de morando com banana, por favor faz pra mim? - Pedi colocando um bico nos meus lábios.    

-Chantagem emocional isso, eu faço a sua vitamina. - Eu sorri e ela revirou os olhos antes de me dar um beijo. -Sorte sua que eu faço de tudo para ver essas covinhas no seu rosto. - Falou se referindo as covinhas que aparecem quando eu sorrio.   

-Também te amo. - Shay riu e se levantou indo para a cozinha.  

  

Marie   

Acordei mais uma vez ouvindo a Maia passando mal, me levantei rapidamente indo para o banheiro que tem dentro do nosso quarto mas como a porta esta trancada eu não consegui entrar. Grunhi com raiva porque ontem ela também fez a mesma coisa mesmo eu falando para não trancar, bati na porta mas não tive resposta.   

-Mai abre a porta.    

-Não, eu já estou melhor. - Ouvi o barulho da descarga e depois da torneira da pia.   

-Você não esta melhor, essa é a terceira vez que você vomita essa semana! - Bati na porta de novo. -Maia Mitchell-Avgeropoulos abre essa porta agora! - Ela abriu sem falar nada e voltou para a pia terminando de escovar seus dentes. -Esta se sentindo melhor? - Perguntei agora estando ao seu lado e ela assentiu.    

Dei um beijo na sua têmpora e sai do banheiro indo sentar na nossa cama, não demorou para Maia vir até mim e se sentar no meu colo com uma perna de cada lado do meu corpo, minhas mãos indo automaticamente para sua cintura enquanto as suas foram para os meus ombros. Prendi meu olhar no seu e ela vendo que eu ainda estou um pouco preocupada e brava me beijou, não deixei ela aprofundar o beijo porque sei onde isso ia nos levar e é exatamente o que ela quer fazer para me distrair e a gente não conversar sobre isso.   

-Maia você precisa ir no médico.    

-Não, não preciso.    

Gentilmente fiz ela sair do meu colo e me levantei olhando para ela que agora esta sentada na cama, preciso me distanciar porque estar próxima a ela ainda tira um pouco a minha concentração e Maia adora usar isso a seu favor para fugir de conversas serias.   

-Amor...   

-Eu sei o que você vai dizer, mas isso não é possível. - Maia falou me interrompendo.    

-Como você sabe que não é possível? - Ela também se levantou e parou na minha frente.   

-Que eu me lembre você estava naquele consultório comigo quando o médico nos informou que a inseminação não deu certo. - Falou se referindo ao que aconteceu duas semanas atrás.   

-Sim eu estava, mas eles podem ter cometido um erro no laboratório com o seu exame de sangue ou até mesmo um erro de digitação do resultado, sei lá.    

Maia ficou em silêncio não parecendo acreditar nas minhas palavras, mas eu sei que ela esta fazendo isso porque ficou muito decepcionada quando soube do resultado negativo e agora não quer criar esperança só para se decepcionar novamente.    

-É quase impossível eles terem cometido um erro.   

-Eu sei disso, assim como sei que você esta tendo enjoos matinais e sua menstruação esta atrasada. - Novamente ela ficou em silêncio, dessa vez sem saber como contestar o que acabei de falar. -Eu vou na farmácia. - Seus olhos se arregalaram em surpresa quando eu disse isso.   

-Fazer o que?   

-Comprar um teste de gravidez.    

Não fiquei ali para ouvir o que ela ia falar, fui até o guarda roupa pegando uma calça jeans e uma blusa já me trocando aqui mesmo e quando estava terminando de me arrumar Maia parou na minha frente, coloquei o tênis também e depois de amarrar o cadarço voltei a me levantar. Ela fechou a distância entre nossos corpos e uma das suas mãos foi para o meu queixo fazendo eu prender meu olhar no seu.   

-Se eu fizer o teste e der negativo você promete que não vai me arrastar para o hospital?   

-Se você parar de passar mal, sim prometo. - Respondi e ela suspirou em derrota. -E se der positivo eu com certeza vou te levar para a clinica pra fazer outro exame de sangue.   

-Ok. - Concordou se dando por vencida.   

-Já volto.   

Dei um beijo nela e peguei a minha carteira antes de sair de casa, tem uma farmácia aqui perto então fui a pé mesmo, comprei o teste de gravidez e quando voltei para casa encontrei a Maia sentada na nossa cama, assim que ela me viu já se levantou. Estendi a sacola que a Maia analisou com o olhar antes de pegar e ir para o banheiro sem falar nada, saiu de lá não muito tempo depois e pegou seu celular.    

-O que você esta fazendo? - Perguntei vendo ela ainda mexendo no aparelho.   

-Ligando o cronômetro, precisa esperar cinco minutos.   

Assenti e me sentei na cama, Maia sentou ao meu lado e eu passei meu braço pelos seus ombros a puxando para mim, sei que ela esta tensa com tudo isso porque querendo ou não o atraso no seu ciclo menstrual e os enjoos nos deram um pouquinho de esperança de que o exame de sangue esta errado.    

 Foram os cinco minutos mais longos da minha vida e quando finalmente acabaram eu olhei para ela esperando que a mesma se levanta-se e fosse até o banheiro pegar o teste, vendo que a Maia não ia fazer isso eu dei um beijo no seu rosto e fui. Hesitantemente peguei o teste de gravidez em cima da pia e respirei fundo antes de apropriadamente olhar para ele vendo o resultado, duas tiras vermelhas, o que significa positivo. Ainda um pouco em choque e sem acreditar no que estou vendo sai do banheiro encontrando a Maia vindo até mim, paramos no meio do caminho e ela ficou me olhando atrás de uma resposta.     

-Positivo. - Falei deixando um sorriso tomar conta dos meus lábios e ela pegou o teste da minha mão precisando de uma prova física.   

-Ah meu deus!   

-Você esta grávida meu amor. - Sua atenção voltou para mim.   

-Eu estou grávida. - Falou parecendo ainda estar em choque com a noticia. -Eu estou grávida. - Repetiu parecendo mais convicta das suas palavras e finalmente um sorriso apareceu em seus lábios, antes dela pular em cima de mim me fazendo rir.  

  

Domingo, 07 de julho 2024     

Eu e a Maia estamos na casa da Alycia e da Eliza já que tínhamos combinado de todo mundo passar a tarde aqui na piscina, Eliza, Maia, Selena, Shay, Sasha e o Colin estão na água enquanto a Alycia e a Demi, que esta com a Rachel nos braços, estão sentadas na mesa na varanda da casa e eu estou em cima do gramado brincando com os gêmeos. Me sentei na grama cansada de jogar bola e os dois se jogaram em cima de mim me fazendo deitar, antes que eu pudesse sequer reclamar deles o Max fez a mesma coisa.   

-Max sai de cima de mim! - Repreendi o cachorro que continuou deitado em cima das minhas pernas, os gêmeos riram e logo eu ouvi a risada da Alycia antes dela gritar.   

-Max, vem cá garoto! - Ele obedeceu como sempre faz quando é ela quem dá a ordem. Eu me sentei e deixei o Patrick e o Gabriel sentados no meu colo.   

-Eu soube que vocês foram no zoológico ontem, foi legal?   

-Sim! - Eles responderam animados.    

-Nós vimos leões de verdade. - Eu ri do entusiasmo do Patrick.  

-Eu pedi para mamãe deixar a gente trazer um pra casa, mas ela não deixou. - Dei um beijo na bochecha do Gabriel não conseguindo me conter diante do bico fofo que esta nos seus lábios.   

-Leões são bem grandes então precisa ter muito espaço onde eles vivem, por isso não podemos ter um em casa.  

-Eu sei, a mamãe disse isso e ela também nos levou na loja depois e deu um leão de pelúcia pra mim e outro pro Gabe.   

-É parecido com o dá mommy, só que menor. - Gabriel completou.   

Os dois desde bebês sempre amaram leões, talvez seja porque a Eliza colocou muitas vezes o rei leão para eles assistiram, e eles sempre adoraram dormir agarrados ao leão de pelúcia que a Eliza ganhou na barraca de tiro ao alvo muitos anos atrás, por isso o apelido de leõezinhos, mas não foi eu quem começou com o apelido e por incrível que parece nem a Maia, foi a Alycia mesmo.  

-Porque você e a tia Mai não foram com a gente? - Patrick perguntou.  

-Infelizmente nós tivemos que ir em outro lugar ontem.  

Levei a Maia ontem mesmo na clinica, assim como disse que faria, para ela fazer outro exame de sangue que dessa vez deu positivo. Depois disso fomos almoçar já que ficamos uma hora esperando pelo resultado e quando saiu já era mais de meio dia, a tarde ela teve que ir se consultar com o médico então cancelamos nosso passeio para o zoológico, Maia fez o ultrassom que confirmou que ela esta grávida de um mês e o médico pediu um zilhão de desculpas pelo erro do laboratório mesmo que o erro não tenha sido dele. As meninas ainda não sabem de nada disso, não tínhamos falado nada para elas nem antes quando achamos que a inseminação não tinha dado certo e nem agora que sabemos que deu, vamos contar hoje.  

-Leõezinhos vocês não querem vir para água?! - Eliza chamou e eles assentiram ainda sentados no meu colo.  

-Eu vou passar protetor neles e colocar os coletes! - Falei para a Eliza que só assentiu. -Vamos lá.   

Nos levantamos e fomos até a Alycia que cuidou de tirar a roupa do Patrick deixando ele só de sunga, depois passou protetor e colocou o colete enquanto eu fazia o mesmo com o Gabriel. Alycia disse para mim sentar e descansar um pouco que ela levava os meninos até a piscina então me sentei ao lado da Demi que esta com o sua atenção na Rachel, os olhos castanhos da pequena bem abertos e focados na Demi que esta falando com ela.  

-Quer pegar ela um pouco? Eu sei que você adora. - Falou com sua atenção finalmente em mim.  

-Sim. - Respondi não me importando em tentar esconder o sorriso no meu rosto enquanto ela passa Rachel para os meus braços, nesse momento é impossível não pensar que em oito meses eu vou estar com meu próprio filho ou filha nos braços, esse pensamento só fez meu sorriso se alargar. -Como esta a vida de mãe babona? - Ela riu não se importando com a minha provocação.  

-Melhor impossível.  

 
 

Alycia 

-Ainda não caiu a ficha que a Maia esta grávida, eu juro que achava que aquelas duas iam demorar mais alguns anos até terem um filho. - Falei entrando no closet e vendo a Eliza só de calcinha e sutiã procurando uma roupa para dormir, o que tornou impossível para mim não esquadrinhar seu lindo corpo com o olhar.  

-Também achava... - Ela parou de falar quando eu a abracei por trás e comecei a beijar o seu pescoço. -Amor eu preciso me vestir.  - Ignorei suas palavras e deslizei minha mão pelo seu abdômen até chegar na barra da sua calcinha. -Alycia. - Infelizmente não pude continuar porque ela segurou a minha mão virando de frente para mim, não só fazendo minha mão perder contanto com o seu corpo mas também os meus lábios que estavam no seu pescoço. -Cadê os meninos?  

-Gabriel já dormiu e o Patrick reclamou um pouco que não queria dormir mas eu consegui o convencer a ficar na cama, ele estava abraçado ao seu leão de pelúcia quando eu deixei o quarto.   

Puxei ela pela cintura colando seu corpo ao meu e a Eliza sem mais relutância se entregou ao meu toque, suas mãos no meu pescoço antes dela cobrir meus lábios com os seus num beijo lento e apaixonado que logo tomou outras proporções e eu a prensei na parede, um gemido escapando de seus lábios quando eu voltei a distribuir chupões pelo seu pescoço.   

Estava prestes a voltar a beija-la quando ouvimos barulho vindo do nosso quarto, paramos o que estávamos fazendo e olhamos uma para outra já sabendo exatamente o que é. Eliza pegou uma camisa e um short os colocando e como eu já tinha me trocado antes de colocar os meninos na cama seguimos juntas para fora do closet, confirmando nossos suspeitas encontramos os gêmeos pulando em cima da nossa cama, os dois com seus leões de pelúcia em seus braços e um sorriso sapeca estampado nos lábios.   

-Como é que eles podem não estar exaustos depois de passarem o dia inteiro correndo e brincado? - Perguntei para Eliza que esta me abraçando por trás com seu queixo apoiado no meu ombro, olhei para ela vendo que a mesma esta tentando conter o seu sorriso. -É culpa sua isso, eles puxaram essa hiperatividade toda de você. - Ela se afastou um pouco de mim fingindo uma expressão de choque.  

-Leõezinhos! - Ela chamou eles mantendo seus olhos em mim e pela falta do barulho eu deduzi que os meninos pararam de pular na cama finalmente percebendo nossa presença. -Só para você saber essa é minha vingança.   

O sorriso zombeteiro nos seus lábios já me indicou como ela vai se vingar de mim por ter a culpado pela hiperatividade dos nossos filhos, então eu imediatamente comecei a me afastar mais dela andando para trás e ela obviamente me seguiu, ouvi a risada dos meninos enquanto corremos pelo quarto até que a Eliza finalmente conseguiu me encurralar me fazendo ir parar em cima da cama que é exatamente onde ela me queria. A gargalhada dos gêmeos voltou a preencher o quarto quando os três começaram a fazer cócegas em mim, as risadas de nós quatro ecoando pelo cômodo agora.   

-Ok, ok, vocês venceram! - Me rendi em meio a risadas já que eles ainda demoram alguns segundos para finalmente pararem.  

Patrick só parou porque a Eliza saiu de cima de mim e o segurou jogando ele na cama, fazendo cócegas no nosso filho agora e Gabriel se sentou em cima do meu abdômen, um sorriso sapeca ainda brincando em seus lábios e eu sei que ele esta esperando que eu faça com ele o mesmo que sua outra mãe esta fazendo com seu irmão. Atendendo o seu pedido mudo eu o joguei na cama  fazendo cócegas na sua barriga  me deliciando com a gargalhada gostosa dos dois. Paramos quando eles já estavam ficando sem ar e os meninos logo se levantaram ficando em pé em cima da cama de frente para nós, foi a minha vez de olhar para a Eliza com um sorriso zombeteiro nos lábios e ela negou com a cabeça já sabendo o que vou fazer.  

-Acho que faltou alguém leõezinhos, quem quer fazer cócegas na mommy?  

-Eu! - Os dois gritaram juntos antes de se jogarem em cima dela, eu ri da cena antes de me juntar a eles.  

-Parem, parem! - Eliza implorou rindo.  

Eu segurei o Patrick e sai de cima dela sabendo que a mesma agora ia conseguir conter o Gabriel, nós quatro nos deitamos corretamente na cama e eu e a Eliza pegamos os leões dos meninos deixando perto deles que estão no nosso meio. Olhei brevemente para minha esposa antes de voltar minha atenção para nossos filhos, Patrick percebendo meu olhar sobre ele começou a brincar distraidamente com a juba do seu leão.   

-Pat você acordou o seu irmão? - Ele assentiu ainda sem olhar para mim. -Nós já conversamos sobre isso, você não pode acordar o seu irmão quando não quer dormir. - Seus olhos azuis esverdeados finalmente se voltaram para mim.  

-Desculpa. - Um bico enorme nos seus lábios enquanto diz isso.  

-Tudo bem, só não faça isso de novo. - Ele assentiu e eu dei um beijo na sua testa.   

-A gente pode dormir com vocês? - Olhei para o Gabriel que foi quem perguntou e depois olhei para Eliza que olhou rapidamente para mim antes de responder.  

-Sim.  

Eu e a Eliza puxamos a coberta tapando nós quatro e os meninos se ajeitaram melhor na cama agarrados aos seus bichos de pelúcia enquanto mexemos nos seus cabelos para os ajudarem a dormir, Gabriel como sempre dormiu rapidamente e o Patrick demorou um pouco mais só que eventualmente caiu no sono. Demos um beijo nos dois e olhamos uma para outra com um sorriso estampado em nossos lábios. Não consigo imaginar a minha vida sem esses três e nem quero, por isso jamais mudaria a minha decisão de entrar naquele avião onde a conheci.   

-Obrigada por segurar a minha mão naquele voo. - Falei quebrando o silêncio e o sorriso no seu rosto se alargou.   

-Você precisa parar de me agradecer por isso. - Ela disse ainda sorrindo.  

-Nunca. - Falei já me inclinando para cobrir seus lábios com os meus num beijo casto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...