História Two Souls - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang
Personagens D-Lite (Daesung), G-Dragon, Seungri, T.O.P, Taeyang
Tags Ação, Bigbang, Daesung, Gdragon, Novela, Romance, Seungri, Taeyang, Top
Exibições 24
Palavras 1.799
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ecchi, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa a demora, mais aqui está. Um cap novo, quentinho.
Boa Leitura 😘😘😘😘😘

Capítulo 17 - "Só Minha"


Fanfic / Fanfiction Two Souls - Capítulo 17 - "Só Minha"

-Posso confiar em você?

-Palavras não seriam suficientes pra provar que pode.

-Muito bem então.
Fui na sua direção e estendi a mão.

-Acho que podemos trabalhar juntos.

Apertamos as mãos e ele foi embora e eu fui tentar dormir mas meus pensamentos agitados por não ter noticias da Beh,  não deixavam minha cabeça em paz.

Já estava quase amanhecendo, quando finalmente desisti de tentar dormir, fazia tempo que não saia para correr, a agenda movimentada dos meninos havia tomado todo meu tempo livre, calcei o tenis e desci pra uma corridinha de 30 min pelos arredores.




O que era pra ser 30 minutos se tornou uma hora, voltei para o apartamento, tomei um banho me arrumei, peguei a bolsa as chaves do Porsche e sai rumo a YG, não podia faltar ao trabalho as coisas tinham que parecer o mais normal possivel.

Entrei no elevador, segui para a sala de reuniões, para acertar a agenda dos Bangs.

Haveriam sessões de fotos, comerciais para marcas de roupas, aparições em programas de televisão, cidades nas quais fariam os shows.

Esses meninos tem ao menos tempo pra ser cocar?

Após de acertamos todos os pontos, intervalo para o almoço. Fui ao refeitório e incrivelmente havia um prato tipico brasileiro.

-Eu pedi pro Papa YG adicionar algo brasileiro ao cardapio de hoje.

-Obrigada Ji Yong, é muito gentil da sua parte.

-Taeyang me contou. Você esta bem?

-Estou preocupada com ela Ji Yong. E só consigo pensar que o pior pode ter acontecido com minha amiga e...

Já estava com a voz um pouco tremula, e as lágrimas quase cairam, mas ali, no refeitorio da YG, não era o lugar mais apropriado pra isso. Então apenas respirei fundo e me recompus.

-Nada, deixa pra lá.

-Quero que saiba que eu vou estar sempre do seu lado, sempre que precisar noona.

Disse pegando na minha mão. Ele parecia tão sincero e tão verdadeiro, mas não podia baixar a guarda, apesar de Tae ter dito que eles dois não iriam mais nos caçar, não poderia baixar a guarda assim, Ji Yong ainda não me passou confiança o suficiente e meu acordo foi com Taeyang e não com ele.

-Ok. Obrigada.
Disse soltando a mão dele da minha.


Comi minha comida com a cabeça a mil por pensamentos inoportunos.

Precisamos conversar.
Uma mensagem de um numero desconhecido

Me encontre no estúdio do 6 andar.
Deixei a mesa e segui para o local em questão.

Abri a porta e estava tudo escuro, me surpreendi ao ascender as luzes e ver todos os Bangs juntos.

-Por que estão no escuro?
-Não queriamos chamar atencão e nossa visão de lobo ajuda.
Disse Taeyang.
-Eu contei a eles. Tudo.

-Vão ajudar?

-Sim noona, vamos ajudar. Disse Top me abraçando seguido de Daesung e Seungri e Ji Yong.

-Top tem algo pra te dizer Miih.
Disse Daesung.

-Descobri que aquela outra bailarina que esta a aqui, a Rebeca, estava trabalhando pra Alcateia e ela também estava atras da Bethanye.

-Mas quando nós chegamos aqui, ela já estava aqui com vocês.
Disse intrigada.

-Ela estava espiando vocês duas a um tempo. A alguns anos mais ou menos.

-Maldita. Cade ela? Cade essa desgracada ? Vou mata-la.
Como essa safada estava nos observando e eu nunca senti sua presença?

-Calma Miih, ela não sabe que nos já sabemos que ela esta disfarcada. E quanto a sua pergunta, Alfa concerteza usou magia pra que você não soubesse dela.

-E, já estamos de olho nela.
Disse Seungri.

-Bom, obrigada.
Disse mais contente e aliviada.



Voltei pra casa cansada, precisava descansar, não tinha dormido noite passada. Os últimos raios de sol estavam indo embora, dando sinal de que a lua tomaria seu lugar no céu.
Estava tão cansada, e com tanto sono, que não me importaria de dormir com roupa e tudo.

Mas a campainha me interrompeu ao ser tocada.

Sério isso?

Levantei a contra gosto e antes de abrir a porta soube que Era Ji Yong.

-Como sabe eu moro?

-Posso entrar?

Olhei desconfiada, tentando disfarcar minha a analise que estava fazendo sobre ele. Ele estava tão sexy, adorava o cabelo pintado de vermelho, a calca jeans rasgada e a camisa branca com o boné, o deixavam com ar de bad boy e isso era demais pra mim, dificil não pensar malicias com ele.

-Posso entrar?
Perguntou me tirando do transe.

-Claro.
Ele entrou e se sentou no sofá.

Parei na entrada da sala, esperando que ele disesse o motivo da sua vinda.

-Você não vai se sentar?

-Estou esperando você me dizer o que veio fazer aqui.

Ele deu um sorrisinho malicioso.
-Você ainda não confia em mim, não é?

-O que você acha?
Disse.

-Estavam cercando seu apartamento.

-O QUE!?
Corri e fechei as janelas e cortinas.

-Por que não avisou?

-Não sabia que estavam, até sentir o cheiro deles por perto.

-Por perto?

-Sim.

-E o que estava fazendo por perto?

-Apenas conferindo se estava tudo certo por aqui. TOP acha que viram atras de você. Agora o que querem nos não sabemos

Meu coração palpitou.
-Achei que eles quisessem a Bethanye e não eu.

-Talvez não. Talvez você também seja importante, ou eles apenas queren te matar.
-Top é muito esperto. Mas aquele ar serio dele não engana ninguém.

-Ele é apenas observador, mas quando esta com os outros ele é bem descontraido.

-Imagino
Disse sorrindo.

Virei e fui para a cozinha, estava nervosa pelo o que Ji Yong havia me dito. Se antes de pegarem a Beh eu já não tinha paz, que dirá agora.

Cade você Beh?

Lágrimas desceram pelo meu rosto, não pude conte-las, braços me envolveram levando meu rosto a ficar de contra a um calor reconfortante.

-Eu sei que dificil.

Não pude me conter, abracei Ji Yong mais forte e deixei que as lagrimas caissem. Estava angustiada, nervosa, preocupada. Queria minha amiga de volta, meu coração estava pesado.

Parecia haver pesos nele que balançavam a cada batida que meu coração dava.

-Nós vamos acha-la.

-Estou com medo Jin Yong. Ela é minha única familia. Se ela morrer...

-Ela não vai.

Disse pondo a mao em meu queixo levantando meu rosto.

Nossos olhos se encontraram e nossas bocas também num beijo de tirar o folego, um beijo necessitado que dizia “ preciso de você”.

Minhas roupas foram ao chão e somente calcinha e sutian restaram pra contar historia. Me entreguei sem nem pensar em cogitar ou pensar em não me entregar.

Que loucura.

Ji Yong me pegou pela cintura e me carregou até o quarto, nossas bocas não se desgrudaram durante o percurso. Me deitou com cuidado na cama, suas mãos passeavam pelo meu corpo, me fazendo arrepiar enquanto sua boca tocava meu pescoço me fazendo arfar pelo contato.

Seus lábio voltaram a entrar em contato com os meus, estava ficando enlouquecida junto com suas mãos que hora apertavam minha cintura, hora chegavam em meus seios, até que senti sua mão descer para minha intimidade, arrancando minha calcinha fora, gemidos contidos se fizeram presente naquele momento ardente, enquanto ele brincava com meu clitóris.

Ji Yong não contente, foi descendo meu corpo com beijos leves até chegar em minha intimidade, beijando a parte interna de minhas coxas, estava me levando a loucura.

Já não respondia mais por mim, minha sanidade... o que é isso mesmo?

Aquele homem me enlouquecia. Sua boca tocou minha intimidade, os gemidos antes contidos, agora estavam livres.
Ele brincava com meu clitoris usando a lingua, me fazendo arquear as costas e puxar seus cabelos vermelhos.

-Ji Yong...
Disse manhosa.

Segurei seu cabelo fazendo com forca, estava quase lá, meu corpo se contraiu e uma corrente eletrica passou por meu corpo.

orgasmo

Ele subiu meu corpo com beijos, beijando meu labios me fazendo sentir meu próprio gosto.

Nossas bocas não se desgrudavam, nossas linguas brincavam uma com a outra enquanto ele devagar ia me penetrando.

-Que delicia
Sussurei em seu ouvido.

Era uma delicia pode sentir seu membro completamente ereto e pulsante dentro de mim, o que so me deixava com mais tesão ainda. Os movimentos de vai e vem e o prazer tomou conta de nois dois, ele pegou minha perna e num movimento rapido, me pos por cima dele, pude sentir seu membro por completo dentro de mim que só fazia ficar mais gostoso conforme eu ia me movimento em cima dele.

Delicia.

Sua expressão era de prazer total, estavamos suados e entregues um ao outro.

Nossos gemidos ecoavam pelo quarto revelando o que se passava naquele comodo

Meu corpo estremecia sempre que Ji Yong botava as mãos em mim

-Você é tão gostosa e tão apertada.
Disse ele misturado ao gemidos

Ele apertou minha cintura mais forte, notei que ele já estava chegando ao apicé e eu também.

-Não para Ji Yong!

Minhas unhas cravaram suas costas e seus braços me envolveram, meu corpo estremeceu ao mesmo tempo que gozamos juntos e ele descansou sua cabeça no meio dos meus seios.

Respiraçoes descompassadas e suor.

Ele me olhou e depositou um beijo em meus lábios, deitou levando meu corpo junto abraçado ao dele, podia ouvir os batimentos acelerados do seu coração, passou a mão pelos meus cabelos soltos e desgrenhados enquanto eu fazia carinho próximo a sua nuca.

Me perguntava se havia sido apenas sexo, mas Taeyang havia me dito que ele tinha sentimentos por mim, mas também poderia ser mentira

Aish.

Tantos pensamentos, tanta coisa acontecendo.

-Eu gosto de você noona. Quero que seja minha.

Sorri surpresa ao ouvir dele tais palavras. Mas ele estava ou não a minha caca? Não vi nenhuma atitude vindo dele que me mostrasse que poderia confiar nele, estava com medo.
Sim, eu também gostava dele, como não gostar? Ainda mais depois desse sexo intenso.

-Não confio em você Ji Yong.

-Miih, você precisa entender que se quisesse matar você já teria o feito.

-Isso não quer dizer nada. Você pode muito bem, estar me enganando. Pode ter um plano, pode ser uma armadilha...

-Eu gosto de você Miih Scott, e não vou deixar que nada e nem ninguém tire você de mim. Você é minha agora.

Disse ele olhando nos meus olhos. Senti um.deja vú, parecia que já havia me dito isso, o que é completamente ridiculo, sendo que eu nunca tive nenhum tipo de contato com ele até trabalhar na Yg.

Ele me beijou e nos deitamos novamente.

Sim, estava com medo, medo de não ser verdade e que tudo isso fosse algum tipo de armacão pra ganhar minha confianca e me matar depois.
Mas estar ali, naquele momento, junto a ele, parecia o certo a se fazer e eu estranhamente senti que estava no lugar certo com a pessoa certa.

Então deixei aquele momento se tornar perpetuo em minha memoria.



Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Por favor, não esquecam de comentar
É importante, pra eu saber se estão confusos ou não, se estão entendendo, se estao gostando e etc..

Beijinhus
😘😘😘😘😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...