História Two Weeks - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Amizade Colorida, Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Happyjimmieday, Happyjoyday, Luhangerie
Exibições 1.410
Palavras 13.792
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, amorzões! Alguém ainda se lembra dessa bagaça aqui?

Nossa, foram tantos meses sem atualizar. Meses que eu não queria que tivessem passado sem eu ter finalizado TW, mas a falta de vontade e inspiração resolveram bater na minha porta, por isso toda a demora para o último. Desculpe, gente! Juro que eu não queria demorar tanto!

E, olha, vou falar uma coisinha para vocês, provavelmente esse capítulo não estaria saindo hoje e talvez nem este mês, mas eu consegui o número da Jimmie e da Joy (@pcycharms no Twitter), essas lindas, e descobri que hoje era o aniversário dela Jimmie e que o da Joy estava para vir. Daí eu juntei o útil ao agradável, e aqui estou! Por isso agradeçam à elas, porque se não fosse por isso, provavelmente eu enrolaria mais alguns meses KLVEKFET Também desejem parabéns para a Jimmie na MP dela ou em qualquer outro lugar, e para Joy no Twitter, porque elas merecem, viu? <3

Jimmiezinha, desculpa por não ter feito uma fanfic nova como todas as outras garotas fizeram, mas já que você gosta tanto de Two Weeks, resolvi dedicar o capítulo à você e aproveitar e já atualizar <3 E Joyzinha, desculpa não ter chegado com algo exatamente no dia do teu aniversário, mas você sabe que eu enrolo pra caramba pra escrever fanfic e os plots não estão vindo com muita facilidade. Mas saiba que fiz isso aqui de coração e com carinho <3 Espero que vocês gostem! <3

E, gente, não me matem por ter mais de 10K no capítulo KLDWRGÇ Sei que alguns não gostam e acham meio entediante ler, mas eu não podia separar a parte dois do segundo capítulo em mais uma parte :v

Enfim, sem mais enrolação, aproveitem o último capítulo - finalmente.

Até as notas finais!

Capítulo 3 - Yellow


Alguns dias já haviam se passado depois do primeiro encontro dos dois. Baekhyun havia gostado bastante de ir até o parque à noite com Chanyeol, enquanto observavam as estrelas e procuravam os planetas que naquele dia poderiam ser vistos da Terra. A noite aquele dia estava linda e ter a companhia de Chanyeol só melhorou as coisas. E o baixinho admitia, mesmo que apenas para si mesmo, que os beijos de Chanyeol eram bons. Muito bons.

 Baekhyun sempre sentiu-se extremamente confortável ao lado do maior e até os tempos de hoje isso ainda não havia mudado. Lembrava diversas vezes de, ainda na época do colégio, mais precisamente o ensino fundamental, ter ficado nervoso ao ter que apresentar algum trabalho em frente à turma ou fazer alguma coisa que deixaria qualquer um envergonhado ou nervoso naquela idade. Mas, ao olhar para Chanyeol, que sempre sorria para si e erguia o polegar em um sinal de joinha, o menor instantaneamente relaxava ao saber que Chanyeol estava ali para si. Isso foi um dos principais fatores para que a relação deles tivesse ido de melhores amigos para melhores amigos que transam.

Baekhyun, apesar de ter sempre confiado em Chanyeol, ainda se demonstrava relutante em acreditar que Chanyeol realmente gostava de si. Durante a faculdade, viu vários dos seus amigos e amigas ficarem confusos, ou lhe contarem história de conhecidos seus que ficaram confusos, por conta de coisas mais íntimas que faziam com outro alguém. Não necessariamente transar como fazia com Chanyeol, mas um abraço mais carinhoso que o normal ou até um simples beijo na bochecha. Por conta de já ter presenciado isso pelos seus amigos da faculdade, relutava em acreditar no melhor amigo, mesmo que muitas coisas que ele fazia consigo mostrassem que tudo aquilo era verdade. Tinha medo de seu amigo apenas estar confuso com todas as coisas que faziam há dois anos e estar pensando nisso. Tinha medo de começar a corresponder Chanyeol e, no final de tudo, quando as duas semanas passassem e desse a resposta para seu amigo, descobrisse que tudo não passou de um mal entendido e que Chanyeol nunca desenvolveu nenhum afeto por Baekhyun, a não ser o que já tinha comumente.

Precisava ter mais encontros com Chanyeol e dar a chance do amigo lhe provar isso.

- Ei, Baekhyun! – ouviu uma voz gritar pelo seu nome

Neste momento, Baekhyun estava na calçada, em frente ao prédio onde trabalhava, esperando por Chanyeol que provavelmente já estava à caminho. Olhou na direção da voz e viu Sehun vir em sua direção. Arrumou a única alça da mochila de couro que levava para o trabalho e se virou em direção ao mais novo.

- Oi, Sehun. – sorriu mínimo – Como vai?

- Bem, obrigado. – o menino sorriu em resposta – Tem feito muitas coisas esses dias?

Além de pensar no quanto os beijos do meu melhor amigo são bons, não, pensou o baixinho.

- Ah, sabe como é. Trabalhando, dormindo e saindo com o Chanyeol, como sempre.

Viu Sehun assentir com um sorriso menor que antes. Sabia que o mais novo pensava que os dois eram namorados ou quase isso, quando na verdade a situação era unilateral.

- Sei... Vocês parecem ser bem próximos, não é?

- Somos, sim. Eu conheço aquele grandão desde o colégio e ele nunca mudou. – Baekhyun não evitou sorrir. – Ele é alguém muito especial.

Viu o colega assentir e colocar as mãos no bolso do casaco, se protegendo do frio que fazia do lado de fora. Viu Sehun suspirar baixinho encarando a rua, fazendo com que um pouco de fumaça saísse de sua boca.

- Faz tempo que a gente não sai, não é? – falou o mais novo voltando a encarar o menor

- É. – murmurou Baekhyun, surpreso por Sehun ter tocado naquele assunto repentinamente

No meio de toda barulheira que as ruas do centro de Seul faziam naquela hora, Baekhyun pôde ouvir uma buzina de carro já conhecida por si. Olhou em direção ao barulho e viu o carro de Chanyeol parado há pouos metros de si. Baekhyun arrumou rapidamente a alça de sua bolsa mais uma vez, já se preparando para andar até o carro de Chanyeol quando foi segurado por uma mão em seu pulso.

- Quando quiser sair, - Sehun voltou a falar – é só me ligar.

Baekhyun assentiu em silêncio e olhou para a mão do mais novo em seu pulso num pedido mudo para que ele tirasse-a dali e enfim pudesse sentar-se no banco confortável do carro de Chanyeol e esquentar-se com o aquecedor do carro. Sehun, ao perceber a pressa do baixinho, soltou-o e desejou um bom dia para logo depois seguir o caminho oposto.

Baekhyun correu até o carro parado que novamente tinha buzinado pela sua demora e sentou-se no banco ao lado de Chanyeol, depois de colocar sua bolsa no banco de trás. Sorriu para o maior em um cumprimento e colocou o cinto.

- Estava conversando com o Sehun?

- Sim, ele apareceu um pouco antes de você chegar.

- Sobre o que conversaram?

- Ele só observou que nós somos muito próximos depois que eu disse que você viria me buscar. – deu de ombros – E ele também disse que quando eu quiser sair, é só eu ligar pra ele.

- E vai fazer isso?

- Não sei. Eu não to com vontade de sair com ele agora.

Chanyeol sorriu pequeno, olhando para a rua.

- Que bom.

Ouviu a risada do baixinho ao seu lado.

- Quando vai ser o nosso próximo encontro?

Chanyeol sorriu de novo ao ouvir aquela pergunta. Baekhyun parecia interessado.

- Eu não sei. Ainda to tentando pensar em algo menos clichê possível, mas tá difícil.

- Eu vou pensar em alguma coisa e te falo.

- Tudo bem.

Alguns minutos depois, chegaram à casa de Baekhyun. Chanyeol estacionou e então desceram do carro. Haviam combinado de assistir um filme qualquer na casa do baixinho, porque Baekhyun finalmente tinha criado vergonha na cara em assinar o Netflix. Encheram um colchão inflável que tinha na casa de Baekhyun e colocaram em frente ao sofá. Pegaram o cobertor, pois o frio que chegou de repente tinha pegado todos os cidadãos de Seul em cheio, prepararam chocolates quentes, pipoca e pegaram alguns doces para comer quando desse vontade, ligaram a televisão conectada ao computador. Aquilo com certeza era algo bem clichê a se fazer, mas às vezes os dois amigos - e amantes - não conseguiam fugir de coisas como essa.

Escolheram um filme que os agradasse e que nenhum dos dois tinha assistido ainda, e deram o play. Encolheram-se debaixo das cobertas, colados um no outro para esquentar mais rápido – uma desculpa que Chanyeol encontrou -, e começaram a prestar no filme que tinha uma mistura de ação e comédia.

No meio do filme, deixando tudo ainda mais clichê, Chanyeol passara seus braços em torno dos ombros de Baekhyun e fizera o baixinho aproximar mais a cabeça de seus ombros, conseguindo com que Baekhyun a encostasse ali. O menor ficou surpreso com a atitude do amigo, mas não evitou em permanecer naquela posição ao perceber o quanto era aconchegante. Chanyeol depositou um beijo no topo da cabeça de Baekhyun e começou a fazer cafuné no baixinho com a mão que ainda estava em seu ombro. Baekhyun não evitou em enfiar metade do rosto em frente as cobertas para esconder suas bochechas coradas em vergonha pela ação carinhosa de Chanyeol, mesmo que o amigo não pudesse vê-lo naquela posição. Estavam parecendo muito um casal e, enquanto Baekhyun corava a cada beijo depositado em sua cabeça ou quando Chanyeol arrastava seu nariz pelo cabelo do menor e sentia o cheirinho gostoso de seu xampu, Chanyeol apenas aproveitava o momento.

Apesar dos vários anos sendo melhores amigos e dos dois anos sendo amigos coloridos, esses tipos de ações não eram comuns entre os dois. Chanyeol sempre fora alguém carinhoso com todos os amigos, mas sempre que tentava algo do tipo com Baekhyun, o menor se afastava parecendo um pouco envergonhado. E isso continuou se repente desde que restara só os dois amigos, já que o resto do grupo ou mudou-se para outro lugar, ou simplesmente perdeu contato. E era exatamente por isso que Chanyeol tentava aproveitar ao máximo aquilo, ao mesmo tempo em que tinha medo de fazer alguma coisa que passasse dos ‘limites’ e fizesse Baekhyun se afastar. Não tinham aquele contato, mesmo com os vários anos de amizade, e aquilo era algo inédito para Chanyeol.

Continuaram a prestar atenção no filme, ainda em silêncio. Constantemente Baekhyun sentia Chanyeol fazer carinho em si ou apoiar o queixo em sua cabeça, Baekhyun também notou que logo Chanyeol mudou de posição e escorregou a mão até a sua coxa e ali permaneceu fazendo carinho de vez em quando. Baekhyun estava gostando daquela atenção e da forma como Chanyeol o tocava, não iria mentir. Mas ainda assim sentia-se envergonhado ao perceber que aqueles toques não eram sexuais, como normalmente eram entre os dois, mas sim toques carinhosos pelo fato de Chanyeol gostar muito de si. Só de pensar que Chanyeol queria-o por inteiro, de forma romântica, fazia o coração de Baekhyun bater descompassado. E as coisas só pioravam quando começava a imaginar ele e Chanyeol namorando e fazendo coisas de casal. Chanyeol era uma ótima pessoa, alguém engraçado, era lindo, Baekhyun não iria negar. Mas só de imaginar namorando Chanyeol, sentia coisas estranhas acontecendo em seu estômago.

Quando o filme terminou, continuaram em silêncio, encarando a tela que passava os créditos. Sentiu Chanyeol retirar as mãos de suas coxas e espreguiçar-se ao seu lado, fazendo um barulho estranho enquanto sentia seus ossos estralarem. O mais novo dos dois encarou Baekhyun e bagunçou seus cabelos, chamando a atenção do baixinho.

- Vamos pedir alguma coisa, Baek.

- Você ainda quer comer, mesmo depois de comer chocolate e pipoca durante o filme? – perguntou Baekhyun, risonho

- É claro! A comida acabou na metade do filme, e ele tem quase três horas de duração. Eu fiquei com fome.

Baekhyun revirou os olhos.

- Não sei porque ‘tá fazendo isso com os olhos. Geralmente sou eu quem faz, já que você também não para de comer.

- É porque eu tô numa dieta.

- Desde quando? – arqueou as sobrancelhas

- Desde ontem.

Chanyeol riu rapidamente.

- E por que decidiu entrar em uma?

- Eu ‘tô ficando com gorduras demais na barriga, e as minhas coxas e bunda aumentaram consideravelmente.  – disse levantando-se para pegar alguns folhetos de restaurantes delivery. Chanyeol não pararia de lhe encher caso não pedisse alguma coisa.

- Ah, para com isso, Baekhyun. – Chanyeol levantou, indo atrás do baixinho – Essas coisas só tornam você mais gostoso. Além de que eu adoro apertar essas partes, você sabe. – murmurou chegando perto de Baekhyun que olhava cada restaurante nos folhetos. Botou uma mão na cintura e a outra livre na bunda de Baekhyun, apertando as tais gordurinhas que o menor reclamava. – Não vai querer tirar isso daqui e me fazer perder o tesão em você, vai? – sussurrou brincalhão, ainda apertando as partes.

- Vai querer pizza ou hambúrguer? – Baekhyun perguntou, tentando ignorar os apertos de Chanyeol em sua bunda e em sua cintura. Odiava amar tanto aquelas mãos grandes lhe apertando

Chanyeol riu soprado e parou de apertar Baekhyun. Passou seus braços pela cintura do menor e o trouxe mais para perto, conseguindo observar os folhetos com a posição em que estava. Baekhyun sentiu os pelinhos de sua nuca arrepiarem ao sentir o sopro de Chanyeol ali ao rir e surpreendeu-se com a ação de Chanyeol.

- Hambúrguer, mas pega deste lugar aqui, é muito melhor. – apontou para um folheto em uma pilha junto com outros

Baekhyun soltou a respiração que só então notou ter segurado e pegou o folheto que Chanyeol mencionou, só então notando os preços do restaurante.

- Melhor e mais caro, Chan.

- Não esquenta, baixinho. Eu pago. – beijou os ombros de Baekhyun e pegou o folheto da mão dele – Vai querer alguma coisa?

- Se puder pegar um que eu goste, eu aceito. Já que vai pagar mesmo.

- Certo. – respondeu depois de rir – Vou pedir um com bacon e cheddar, do jeito que você gosta. Vai querer sobremesa? Tem milkshake.

- Eles entregam milkshake? – encarou Chanyeol por cima dos ombros, nem lembrando-se mais que estavam abraçados daquele jeito

- Sim, aqui diz que eles entregam em um copo de isopor bem fechado.

- Tudo bem, então.

Enquanto Chanyeol pedia a comida, Baekhyun voltou para a sala e recolheu os restos de pipoca, doce e refrigerante que tinham ali. Restos que não comeram ou porque não quiseram, ou até mesmo porque esqueceram, concentrados demais no filme. Lavou o pote de pipoca e os copos com os refrigerantes e guardou os restos dos doces.

- Gostou do filme?

- É legalzinho.

- Baekhyun, você não fugir da sua dieta se comer tudo o que pedimos? – Chanyeol arqueou a sobrancelha, após lembrar-se daquilo

- Acho que vou desistir. – murmurou – Já que você gosta tanto das minhas gordurinhas.

- Então quer dizer que vai fazer isso por mim? – perguntou, sorrindo brincalhão

Baekhyun encarou Chanyeol, porém depois desviou, tentando ser indiferente, enquanto guardava as coisas que tinha acabado de lavar.

- É, se quiser colocar assim... – desconversou, mas logo depois lembrou-se de uma coisa – Chan, é verdade que se eu perdesse peso, você perderia o tesão em mim? – Baekhyun murmurou baixinho, quase se arrependendo de ter perguntado

Chanyeol tirou os olhos da televisão atrás dele e voltou seus olhos até Baekhyun. O amigo tinha realmente se importado com aquilo que disse? Jurou que ele tinha levado na brincadeira. Viu Baekhyun lhe encarar ao não receber resposta alguma e resolveu responder.

- É claro que não, baixinho. Você é lindo de qualquer jeito e eu nunca perderia o tesão em você.

Baekhyun olhou para os pés, sentindo seu nariz arder. Estava quase chorando.

- Mas você não acha que eu estou gordo?

Chanyeol, ao perceber que Baekhyun estava quase chorando, levantou-se da cadeira e andou até o menor, preocupado. Tirou o pote de pipoca recém lavado de suas mãos e virou Baekhyun em sua direção, pegando em seu queixo e levantando-o, fazendo o amigo o encarar. Baekhyun estava com os olhos e a pontinha do nariz vermelhos e fungava de vez em quando.

- Ei, ei, ei. – sussurrou, acariciando a bochecha de Baekhyun – É claro que você não está gordo, Baek, de onde tirou isso?

- É que eu vejo as pessoas da empresa pelos corredores e elas são tão magrinhas e bonitas. E eu estou aqui com essas gorduras na cintura, e essas coxas e bunda do tamanho do mundo.

- Você não está gordo, pequeno. E mesmo se estivesse, não teria problema nenhum porque cada um tem seu jeito. – levantou novamente o queixo de Baekhyun que voltou a encarar o chão. – Amor, para de pensar nisso. – Chanyeol murmurou preocupado em ver Baekhyun daquele jeito, nem notando o jeito como se referiu à Baekhyun

Baekhyun encarou Chanyeol com os olhos cheios de lágrimas presas, surpreso pelo apelido repentino. Notou que o amigo não percebeu o que tinha falado ao lhe consolar, mas mesmo assim não conseguiu não corar. Chanyeol o chamou de ‘amor’ de uma forma tão carinhosa que Baekhyun até mesmo sentiu o peito esquentar. Encarou os olhos negros do amigo e percebeu o quanto ele estava sendo sincero, ao mesmo tempo em que estava preocupado consigo por causa de sua reação.

Baekhyun então decidiu parar de pensar naquilo por hora. Estava preocupando Chanyeol e sabia que iria preocupar mais alguém caso fizesse a mesma coisa que tinha acabado de fazer na frente de Chanyeol. Limpou o canto dos olhos e fungou uma última vez, vendo a expressão do maior se aliviar instantaneamente.

- Tudo bem. – fungou – Eu me preocupo com isso outra hora, não quero te deixar preocupado.

- Não é pra pensar nisso em nenhum momento, Baekhyun. – Chanyeol disse. Chegou mais perto do menos, segurou em seus ombros e inclinou-se um pouco para ficar cara a cara com Baekhyun. – Me prometa que nunca mais vai pensar em dieta, porque acha que os outros estão mais bonitos que você.

- Eu prometo. – murmurou, suspirando

E então, Chanyeol abraçou Baekhyun sem pensar direito. Havia ficado tão preocupado ao ver o baixinho chorando e mais ainda ao pensar no que Baekhyun faria para emagrecer caso aquela ideia evoluísse, que não pôde evitar. Não queria mais Baekhyun pensando naquele tipo de coisa e se machucando.

Separou-se de Baekhyun ao ouvir a campainha tocando, provavelmente já sendo o hambúrguer que pediram. Antes de Baekhyun ir até a porta, Chanyeol segurou no pulso do menor fazendo-o Baekhyun o encarar confuso.

- Você vai comer aquele hambúrguer e vai tomar aquele milkshake sem pensar em nada, entendeu? – perguntou.

Baekhyun sorriu pequeno com a preocupação de Chanyeol.

- Tudo bem, Chan.

Chanyeol sorriu de lado para Baekhyun e, antes de soltá-lo, lhe deu um selinho longo. Soltou os pulsos de Baekhyun e antes de ir falou:

- Te espero lá na sala com o lanche, baixinho. – e então desapareceu no corredor

Baekhyun foi atender a porta meio desconcertado, esperando não estar todo vermelho por causa do beijo. Pegou o lanche e, enquanto esperava pela máquina de cartão imprimir a via, o entregador perguntou:

- Tá tudo bem, moço?

Baekhyun saiu de seus pensamentos ao ouvir a voz do garoto. Ele era um adolescente ainda.

- Sim, por quê?

- Você tá todo vermelho, o que é estranho, porque hoje tá frio. – tirou o papel da via recém impresso e voltou a montar em sua moto, indo embora como se não tivesse acabado de dizer nada

Baekhyun bufou e se encolheu. Odiava quando as pessoas percebiam que estava vermelho. Passou a mão nas bochechas como se aquilo fizesse com que a vermelhidão fosse embora. Fechou a porta e levou as coisas até a sala, onde viu Chanyeol sentado enquanto trocava os canais.

- Ai, graças a Deus! Eu to morrendo de fome. – falou alto ou ver Baekhyun colocar as caixas na mesinha de centro que já estava de volta ali, já que Chanyeol tinha desinchado o colchão. O maior encarou Baekhyun, que estava alheio enquanto tirava os hambúrgueres da embalagem e percebeu que o baixinho estava um pouco vermelho. – Baek, por que suas bochechas tão vermelhas?

Viu que Baekhyun arregalou os olhos e lhe encarou enquanto as bochechas ficavam em um vermelho mais forte. Chanyeol então percebeu que era de vergonha.

- Por que tá envergonhado? – sorriu brincalhão. – É por causa do beijo?

- Claro que não, idiota! – colocou o sanduíche no prato e entregou para Chanyeol – Come e não enche o saco.

Chanyeol riu, se divertindo.

- Eu te beijo e você fica envergonhado. Tá vendo porque é tão bom fazer isso? Eu te beijo e ainda tenho a honra de te ver corado por minha causa. – riu ao ver uma batata-frita sendo jogada em si. Comeu-a só para irritar Baekhyun e voltou a falar – Vou começar a te beijar mais, Baek, eu adoro te ver vermelho.

- Se fizer isso ganha um tapa.

- Não ganho, não. Te beijar faz parte da aposta, esqueceu?

Ouviu Baekhyun e sussurrar um ‘maldito’ baixinho antes de morder o lanche. Chanyeol riu mais uma vez e começou a comer, prestando atenção na televisão. E Baekhyun? Bom, Baekhyun ainda continuava vermelho.

Baekhyun suspirou pela enésima vez no dia. Estava louco para poder desligar aquele computador, arrumar suas coisas e descer até a entrada do prédio para esperar Chanyeol chegar. O problema é que as horas pareciam não passar.

Tentava se concentrar no trabalho, respirava fundo, contando até dez para ver se voltava ao seu ritmo normal no escritório e sempre pedia por um café sempre que via um de seus colegas de trabalho mais próximos passando por si, perguntando se ele não queria alguma coisa. E era exatamente por isso que haviam pelo menos cinco copos de café vazios em sua mesa, a qual não cabia mais sequer um papel por também estar totalmente bagunçada.

Queria apenas ir embora e passar um tempo com Chanyeol. Poderiam ver mais algum filme na Netflix daquele mesmo jeitinho em que estavam há dias, ou qualquer outra coisa que não o fizesse ficar entediado. Poderia até mesmo sentar-se com Chanyeol e ficarem conversando um com outro sobre qualquer coisa. Talvez daquele jeito poderiam finalmente se decidirem e escolherem um lugar para o segundo encontro. Baekhyun percebia que Chanyeol estava ansioso para descobrir um lugar para poderem ir ou uma atividade para fazerem, já que uma semana já havia se passado desde que fizeram o acordo, e até aquele momento só haviam dado selinhos e tido um encontro sendo que Chanyeol pretendia ter três, assim como acontecia em filme clichês.

Suspirou mais uma vez e apoiou as costas na cadeira, passando a mão pelo cabelo. Não conseguia se concentrar no trabalho e não sabia porquê. Levantou os dois braços e juntou as mãos, estralando as costas já pensando em voltar ao trabalho rezando para que a hora passasse rápido, quando ouviu uma conversa entre dois de seus colegas que estavam um pouco mais a frente, tomando café. Os dois pareciam incrivelmente animados para alguém que estava em um prédio, trabalhando.

- Eu estou tão animado, cara!

- E você acha que eu não tô? Porra! Essa é uma das melhores bandas atuais. Se escutar uma música deles já é maravilhoso, imagina ao vivo!

Baekhyun os encarou confusos. Havia ficado interessado na conversa. Alguma banda estava vindo para a Coréia do Sul? Ou já eram coreanos? Baekhyun não considerava nenhuma banda coreana boa o bastante para se intitulada umas das melhores bandas atuais.

- Eu estou tão animado! Mal posso esperar para ir ao show deles. –um dos garotos falou, jogando seu copo no lixo – O show do Coldplay vai ser incrível!

Baekhyun arregalou os olhos pequenos. Coldplay? Um show do Coldplay estava agendado para acontecer em Seul?!

Ao ver os dois homens passarem ao seu lado, ainda conversando animadamente sobre o show, Baekhyun logo deslizou sua cadeira de rodinhas até chegar ao lado de um deles e agarrou seu braço. Os dois o encaram surpresos com a atitude de Baekhyun.

- Coldplay? Vai ter show do Coldplay aqui em Seul?

- Sim, o show está marcado para a quarta. – um deles respondeu, com as sobrancelhas arqueadas

- Onde?

- No Parque Olímpico.

- Consigo um ingresso onde?

- No site do parque ou num desses sites de ingressos com desconto. – o outro garoto falou

Baekhyun sorriu assentindo, soltou um dos colegas e voltou à sua mesa. Abriu o navegador e logo abriu os dois sites de uma vez para comprar os ingressos, esperando ainda ter alguns com lugares bons, afinal faltavam poucos dias e Coldplay era muito famoso na Coréia.

Baekhyun sorriu ao achar os ingressos com lugares consideravelmente bons para alguém que compra ingressos faltando alguns dias de show. Já sabia com quem iria ali.

Baekhyun esperava Chanyeol completamente eufórico do lado de fora do prédio. Sabia que fazia frio e, se o menor não estivesse dando pequenos pulinhos em seu lugar, provavelmente já estaria congelando. Apesar do frio, Baekhyun resolveu ficar ali fora esperando pelo amigo, porque assim que visse seu carro, correria até ele e daria as boas novas. Havia conseguido comprar os dois ingressos e já estava com eles impressos em sua mochila, porque tinha conseguido fazer isso em seu trabalho. Sabia que Chanyeol adorava Coldplay e sempre foi muito ansioso para assistir a um show deles.

 Já estava decidido. Aquele seria o lugar do segundo encontro dos dois, um que faria mais Chanyeol feliz do que a si mesmo, mas Baekhyun não se importava muito com isso.

Ao ver o carro de Chanyeol estacionar ao lado da calçada e buzinar para si, Baekhyun sorriu ansioso e correu até o carro. Entrou e sentou-se no banco ao lado do de Chanyeol, deixou sua mochila no banco de trás e, como ficou de costume depois da aposta dos dois, Baekhyun esperou pelo selinho de Chanyeol que veio delicado e macio.

- Parece feliz hoje, o que aconteceu? – Chanyeol perguntou assim que começaram a andar.

Baekhyun sorriu novamente ao lembrar-se do que tinha em sua mochila.

- Eu já sei onde vai ser nosso segundo encontro.

- Sério? Onde? – Chanyeol perguntou começando a ficar animado.

Finalmente poderia ter seu segundo encontro com Baekhyun sem se preocupar que o prazo poderia acabar antes disso. Chanyeol sabia que não precisavam ter os três encontros, mas o maior queria fazer isso e faria de tudo para ter exatamente três encontros com Baekhyun.

- Quando chegarmos ao seu apartamento, eu falo. – Baekhyun sorriu faceiro para o amigo – É surpresa.

Chanyeol resmungou e voltou a prestar atenção no trânsito. Estava curioso para saber onde Baekhyun tinha decidido que seria o próximo encontro de ambos e o fato de o trânsito estar pesado por conta do horário, não ajudava em nada para acalmar os nervos do mais novo.

Vários minutos depois, chegaram à casa de Chanyeol. O maior desceu rapidamente do carro, já pegando a chaves e destrancando a porta. Não havia conseguido parar de pensar no que Baekhyun dissera e por isso entrou apressado em seu carro. Baekhyun riu do desespero de Chanyeol e entrou em sua casa.

- E então, onde vai ser o nosso próximo encontro?

Baekhyun seguiu até a sua mochila, abrindo-a e pegando um envelope com os dois ingressos impressos. Chanyeol encarava o baixinho, curioso, tentando descobrir no que ele mexia. Baekhyun virou-se de frente para Chanyeol e sorriu de canto, chegando a passos lentos perto do amigo que estava sentado no sofá.

- O que é isso? – Chanyeol perguntou, ao perceber o envelope.

- Abre. – estendeu o papel em direção ao amigo.

Chanyeol logo pegou-o de suas mãos e abriu com rapidez já que o papel não estava lacrado. Viu ali um par de papéis pequenos e tirou os dois do envelope. Ao perceber o que eram, Chanyeol arregalou os olhos em direção a Baekhyun e o encarou estático.

- I-Isso é o que eu estou pensando ser?

- Se está pensando que isso e um ingresso pro show do Coldplay, sim, você está pensando certo. - o baixinho riu.

- Eu não acredito! – gritou eufórico. – Baekhyun, eu amo Coldplay e sempre ir no show deles!

- Eu sei disso, por isso comprei. – sorriu – Eu descobri por acaso que teria e fiquei surpreso que você não disse nada sobre o show, já que gosta tanto.

- Quando eu soube que teria, muitos ingressos já tinham sido vendidos e eu pensei que não conseguiria um bom. Mas parece que ainda tinham alguns. – falou ao ler os lugares das cadeiras. Não ficariam tão longe do palco. Chanyeol voltou a encarar Baekhyun e sorriu largo, sendo retribuído pelo baixinho

Deixou os ingressos no apoio do sofá e levantou-se, indo em direção a Baekhyun, ainda sorrindo. Envolveu a cintura do menor, que aproximou-se do corpo maior de bom grado, enquanto levou sua mão direita até a bochecha levemente vermelha.

- Obrigado, de verdade. – murmurou, encarando Baekhyun.

O baixinho encarou o chão, corando um pouco mais, para então responder:

- Tudo bem.

Chanyeol alargou seu sorriso, levou sua mão até a nuca de Baekhyun e apoiou a cabeça do menor em seu ombro. Voltou sua mão até a cintura fina e apertou Baekhyun contra si, num abraço. Logo pôde sentir o baixinho envolver os braços em seu pescoço e relaxar o corpo. Permaneceram daquele jeito, abraços, sentindo o cheiro e o calor um do outro, enquanto balançavam levemente.

Chanyeol deixou um selar demorado na bochecha de Baekhyun e então se afastou do menor. Baekhyun estava meio encolhido e envergonhado pelo momento de agora pouco, mas sorria minimamente. Gostava de ver aquele grandão.

Chanyeol sorriu de novo e perguntou se Baekhyun não estava com fome. Baekhyun assentiu com um manear de cabeça e então foram preparar algo para comer e, algum tempo depois, enquanto comiam, Chanyeol não parava de dar beijinhos no amigo enquanto o agradecia pelos ingressos. Baekhyun apenas se encolhia e sussurrava um ‘a comida vai esfriar, Chanyeol, coma logo’.

Naquela noite, Baekhyun dormiu na casa de Chanyeol. Mais especificamente em sua cama, ao lado do maior, enquanto tinha os braços grandes e fortes o envolvendo a noite inteira. E, mesmo que fosse algo novo estarem naquele tipo de posição, Baekhyun não rejeitou e apenas dormiu, sentindo um beijo de Chanyeol sendo deixado em sua nuca.

Os dois dias até o show se passaram rápidos para Baekhyun, porém lentos para Chanyeol, o qual estava tão ansioso para finalmente poder ir até o show do seu tão amado Coldplay. Chanyeol passou aqueles dois dias se gabando em seu trabalho dizendo que iria para um show do Coldplay, deixando alguns de seus colegas que também gostavam da banda com inveja por não terem conseguido um ingresso. Tiveram sorte, pois Chanyeol soubera que os ingressos haviam esgotado oficialmente algumas horas depois de Baekhyun tê-los comprado. Chanyeol agradeceu mais uma vez Baekhyun por aquilo com vários beijos e abraços.

E agora, no dia do show, estava em seu carro, indo até a empresa de Baekhyun para buscá-lo. O baixinho não ficaria na sua casa como costumava fazer, iria deixar Baekhyun em seu prédio e voltaria para a sua casa, se arrumaria para o tão esperado show e então iria até o mesmo acompanhado do amigo. Seu dia fora cansativo na empresa e, enquanto trabalhava e esfregava os olhos tentando não pegar no sono, a única coisa que pensava era em chegar ia casa e dormir até o ser finalmente sexta-feira. No entanto, Chanyeol logo se lembrou que tinha o show do seu amado Coldplay para ir e que consequentemente não poderia dormir. Mas não era como se aquilo o tivesse aborrecido. Na verdade, se lembrar que tinha um show para ir naquele dia o fez despertar rapidinho e voltar a trabalhar, voltando a ficar animado para ir ao show. Sua cama podia esperar. E apesar do dia cansativo e trabalhoso, Chanyeol sorria dentro do carro, enquanto dava graças aos céus pelas ruas não estarem lotadas. Poderia se atrasar caso tivesse trânsito.

Poucos minutos depois, estacionou o carro em frente a empresa de Baekhyun, logo vendo o baixinho ver o seu carro e começar a correr em sua direção. Sorriram um para o outro e Baekhyun não evitou rir ao perceber que o sorriso de Chanyeol era mil vezes mais largo que o seu.

- Esse sorriso todo é por causa do show, não é? – arqueou a sobrancelha, enquanto colocava o cinto.

- Claro que sim! Você não faz ideia do quanto eu estou animado para ir, porque, porra, Baek! É o Coldplay!

Baekhyun riu alto novamente e então começaram a andar. Falaram sobre o dia cheio que cada um teve e no quanto estavam aliviados de a semana já estar no fim. Quando chegaram ao apartamento de Baekhyun, os amigos se despediram com o selinho que já tinha virado algo comum entre os dois e sorriram um para o outro, animados com o compromisso que teriam aquela noite, afinal Baekhyun também gostava de Coldplay justamente por influência de Chanyeol.

Após se assegurar de que Baekhyun já tinha entrado no prédio, Chanyeol deu a partida no carro, começando a dirigir até sua casa. Estava sentindo que aquela noite seria uma de suas favoritas.

De banho tomado e com uma toalha presa na cintura, Chanyeol seguia até seu quarto assobiando uma música qualquer que apareceu em sua cabeça de última hora. Colocou a cueca e começou a procurar por alguma coisa confortável para se vestir. Depois de um longo tempo pensando, decidiu vestir uma camiseta branca qualquer junto de um moletom preto por cima. Sabia que fazia mais frio lá fora, algo que apenas aquele moletom não aguentaria, mas Chanyeol ficaria junto de uma multidão enquanto cantava, com certeza ficaria com calor. Botou uma calça jeans de lavagem escura rasgada no joelho e um tênis branco e um pouco desgastado. Voltou ao banheiro, penteou o cabelo e logo depois o bagunçou de forma com que ficasse bonito, ao perceber que seu cabelo ficava no estilo lambido quando estava úmido e era penteado.

Botou a carteira e as chaves no bolso da calça e, antes de colocar o celular no outro, mandou uma mensagem para Baekhyun, perguntando se o baixinho já estava pronto. Recebeu a resposta minutos depois, com Baekhyun dizendo que ainda escolhia uma roupa para se trocar, mas que já poderia ir buscá-lo porque logo poderiam ir. Chanyeol colocou o celular no bolso e foi até a garagem pegar seu carro para buscar o baixinho.

Àquela hora da noite as ruas não estavam cheias e dentro do carro o clima era agradável. Uma música lenta toava em volume baixo, fazendo o maior relaxar e parar de pensar um pouco no show. Aquilo estava o deixando ansioso demais. Poucos minutos depois, mais que o normal, chegou ao apartamento de Baekhyun. Desejou boa noite ao porteiro que já o conhecia há tempos e subiu no elevador do prédio. Aproveitou os segundos em que passou no elevador para dar uma checada em seu visual. Seu cabelo ainda estava legal e sua roupa, apesar de um pouco diferente do estilo que costumava usar quando saía de casa, estava confortável daquele jeito. Ajeitou o capuz de seu moletom e seguiu para fora do elevador, assim que viu a porta se abrir pelo espelho. Andou pelo corredor iluminado até chegar em frente a porta de Baekhyun, tocou a campainha e, enquanto ouvia passos seguindo até a porta do lado de dentro do apartamento, Chanyeol parou para ver se estava tudo certo com seu cabelo, mesmo que tenha acabado de conferir.

A porta se abriu revelando um Baekhyun arrumado e cheiroso, enquanto tinha o par de tênis na mão. Provavelmente o baixinho estava para colocar o tênis quando a campainha tocou.  Sorriu em direção ao menor que o correspondeu logo em seguida, e entrou no apartamento ao ver Baekhyun dar passagem para si. Antes de adentrar realmente a sala do amigo, Chanyeol voltou-se para o baixinho, segurou seu rosto com as duas mãos, formando um biquinho pequeno na boca avermelhada, e selou os lábios alheios.

- Você tá lindo. – comentou Chanyeol depois de separar-se de Baekhyun que agora colocava o tênis, sentado no sofá, ao seu lado.

Percebeu que o baixinho sorriu, logo substituindo-o por uma careta ao fazer força para colocar a sola do tênis. Depois de colocá-los, Baekhyun voltou-se para Chanyeol já com um novo sorriso nos lábios.

- Obrigado, Chan. – sorriu, mostrando as presinhas. Adorava quando Chanyeol lhe elogiava e o amigo sabia muito bem disso – Vamos indo?

Chanyeol assentiu, sorrindo pequeno para Baekhyun e então se levantaram do sofá, caminhando até a porta. Esperou Baekhyun pegar tudo o que precisaria na volta para casa e desceram de elevador.

O caminho até o show foi tranquilo. Chanyeol não parava de falar no quanto estava animado para ver o que ele julgava ser o melhor show da sua vida, porque, caramba! Era o Coldplay! Se tinha uma coisa que Chanyeol gostava mais que Coldplay, era... Nem ele sabia. Talvez Baekhyun. Chanyeol realmente gostava de Baekhyun. E hambúrguer, Chanyeol adorava hambúrguer.

E a única coisa que Baekhyun podia fazer enquanto ouvia Chanyeol dizer o quanto estava ansioso enquanto dava pequenos pulinhos no banco do carro, era rir e ficar feliz do quanto seu amigo estava empolgado. Tinha sido uma ótima ideia comprar aqueles ingressos.

E quando chegaram ao parque onde seria o show, Chanyeol não conseguiu se controlar. Ficou desesperado para achar uma vaga logo, enquanto dizia vários “Será que tem vagas por aqui ainda?” e “Poxa, eu vou ter que estacionar em outra rua?”. Mas no final, encontraram uma vaga no final da rua.

A rua em frente ao parque estava lotada de pessoas animadas e vestidas com camisas personalizadas da banda, mesmo fazendo frio. Chanyeol sentia-se em casa ali. Tinha vontade de sair correndo e conversar com cada pessoa que também iria ao show, só para ter amigos que também gostavam da banda. Só tinha Baekhyun e ele nem gostava tanto assim. Só ouvia algumas músicas de vez em quando, cantava outras e adicionava as músicas que gostava na playlist de seu celular. Mais nada. Era chato não poder surtar em frente a alguém sempre que algo épico acontecia em alguns de seus shows ao redor do mundo; ou quando começavam a espalhar rumores de que iriam lançar um novo álbum sem ter que ouvir mais tarde “Chanyeol, se acalme! Eu não aguento mais você falando sobre eles.”. Palavras de Baekhyun.

Andaram até a grande fila que se formou na entrada do parque, onde as pessoas teriam que dar seus ingressos e suas identidades já que haveriam bebidas alcoólicas vendendo dentro do parque. Teriam que esperar um bom tempo naquela fila até a vez dos dois chegar, mas Chanyeol não ligava. Estava a poucos metros de onde o palco estava e, provavelmente, a poucos metros também da banda toda, que deveria estar se preparando à uma hora dessas. Chanyeol não conseguiu evitar pular mais algumas vezes em seu lugar enquanto murmurava um “ihhh” baixinho, ao imaginar que toda a banda já deveria estar ali.

- Ai, meu Deus! Ai, meu Deus! – comemorou entusiasmado. Encarou o amigo que olhava todas aquelas pessoas na frente dos dois com impaciência. Odiava filas. – Acredita que em poucos minutos estaremos vendo Chris Martin cantando? Eu vou cair duro nesse chão, já, já, Baek.

Baekhyun revirou os olhos, mas sorriu. Era muito engraçado ver Chanyeol daquele jeito. Deveria pegar seu celular e começar a filmar. Para mais tarde zoar o amigo.

- Vai nada. Eu paguei por esses ingressos e eu não vim aqui à toa. – Baekhyun percebeu que seu amigo parou de pular no próprio lugar para lhe encarar com as sobrancelhas franzidas, não entendendo o porquê de toda aquela grosseria. Era o show do Coldplay, ele deveria estar animado! Baekhyun riu da expressão de Chanyeol e deu tapinhas em seu ombro – Eu estou brincando, Chan. Mas sério, se controla. As pessoas estão rindo de você.

- Estão rindo, porque não devem ser fãs de verdade.

- E o que diabos isso tem a ver, Chanyeol?!

- Ué, pensa comigo. Se eles estão rindo de mim ao em vez de estarem igualmente felizes e pagando mais micos que eu, quer dizer que não estão animados para ver o show, ou seja – fez uma pausa dramática, levantando o dedo indicador –, não são fãs de verdade.

Baekhyun revirou os olhos. Ficava impressionado com quanto aquilo fazia sentido na cabeça de Chanyeol. Empurrou Chanyeol levemente, avisando que a fila tinha andado.

Algum tempo depois, finalmente tinham dado seus ingressos para os seguranças do show. Não precisaram pedir a identidade de Chanyeol, pois todos que o encarassem perceberiam que este já era maior de idade, mas claro que com Baekhyun foi diferente. Assim que o maior entrou e sua vez chegou, o segurança lhe encarou de forma desconfiada e pediu sua identidade. Baekhyun bufou e entregou-a à contra gosto, logo vendo o segurança analisar o documento e lhe encarar com desconfiança.

- Você tem mesmo essa idade, garoto?

- Sim, eu tenho essa idade! – bradou, irritado. – Não é porque eu sou baixinho, que eu sou menor de idade, entendeu? – tirou sua identidade das mãos do segurança e passou, sem se importar se seria punido por aquilo.

Quando entrou, Chanyeol estava rindo de si como louco, enquanto debochava de sua altura pela enésima vez desde que se conheceram. Deixou alguns tapas nos braços do amigo, irritado por ter que aguentar seu deboche depois de tudo, fazendo Chanyeol parar pelos tapas fortes e parar de rir.

- Idiota, anda logo!

Chanyeol deu mais um risinho e passou os braços pelos ombros de Baekhyun, sussurrando apenas para irritá-lo um “vamos lá, baixinho”. Quase recebera outro tapa. Andaram até o centro do parque, onde tinha um palco gigantesco montado, com luzes para todos os lados. Chanyeol voltou a ficar eufórico, voltando a ter o seu ataque de eu-estou-num-show-do-Coldplay e pegou na mão de Baekhyun arrastando-o até um lugar que os agradasse, pois descobriram que aqueles lugares que estavam marcados em seu convite não serviriam de nada, já que a organização tinha a política de chegou, ficou; o que significava que os lugares não valiam para absolutamente nada. E aquilo só serviu para deixar Chanyeol mais feliz, porque ainda não tinham muitas pessoas ali dentro, então ficariam praticamente cara-a-cara com a banda.

Encontraram um lugar mais próximo do palco do que teriam ficado caso os lugares valessem para alguma coisa, o que deixou Chanyeol mais animado ainda. Ainda faltavam alguns minutos para o show começar e, pela fila lá fora, ainda faltavam muitas pessoas para entrar ali e finalmente se juntarem à eles e à pequena multidão que já estava ali, igualmente animada para o show. Chanyeol abraçou Baekhyun de lado, de uma forma meio desajeitada, pegando o baixinho de surpresa já que este observava o palco sendo organizado pelas pessoas da produção. Antes mesmo de perguntar o porquê daquilo, Chanyeol já lhe agradecia em sussurros, como se estivesse lhe contando um segredo.

- Obrigada por me trazer até aqui, Baek. – sentiu um beijo sendo depositado em sua cabeça. – Eu te amo, baixinho. – e então se afastou.

Baekhyun encarou Chanyeol surpreso. Os olhinhos arregalados e a boca aberta. Quando Chanyeol notou a expressão do menor e sorriu ao ver o quanto estava engraçada.

- Me ama? – murmurou de volta

- Sim, amo, sim. – sorriu de canto – Somos amigos, oras.

E então Baekhyun pareceu acordar para a realidade. É claro que Chanyeol o amava como um amigo, eram melhores amigos, afinal. Ainda era muito cedo para Chanyeol lhe daquele jeito, não é?

- Ah. – murmurou e encarou o chão – Claro.

Chanyeol sorriu novamente e voltou a olhar para frente. Baekhyun, após perceber que mais nada foi falado por Chanyeol, achou que aquele assunto já estava encerrado. Contudo, a próxima fala de Chanyeol pegou-o totalmente de surpresa.

- Eu te amo de outro jeito também. – ouviu o amigo murmurar, sem encará-lo – Mas vou esperar sua resposta no final da aposta pra poder dizer isso.

Baekhyun voltou a encarar Chanyeol surpreso pela segunda vez no dia, e percebeu que seu amigo não o encarava e demonstrava estar meio envergonhado por ter dito aquilo. Chanyeol nunca corava.

Baekhyun sorriu pequeno ao perceber o que Chanyeol tinha acabado de dizer. Chanyeol lhe amava de verdade e nunca foi tão bom saber daquilo. Sentia-se feliz como se fosse uma garota do colegial animada por ser correspondida pelo garoto que gosta. Passou a língua pelos lábios secos e, antes dos gritos animados da multidão serem ouvidos por causa do palco que finalmente tinha sido organizado e que agora era iluminado pelas diversas luzes coloridas sinalizando que o show já iria começar, Baekhyun murmurou, ainda sorrindo.

- Estarei esperando.

O show finalmente havia começado. Ao ouvir Viva La Vida tocando alto, para logo depois ver o grupo inteiro entrando no palco, Chanyeol não conseguiu não gritar. Levantou suas mãos para cima, pulou e gritou, assim como as pessoas ao seu redor. Começou a cantar a música em um inglês enrolado, nem se importando com o fato de Baekhyun estar mais prestando atenção em si e rindo, do que no próprio show.

No refrão da música, trouxe Baekhyun para mais perto de si pelos ombros, em um meio abraço, e cantou a plenos pulmões aquele refrão que julgava ser maravilhoso junto de Baekhyun que finalmente resolveu se juntar ao amigo e cantar o refrão, que aliás, era a única parte da música que sabia cantar. O parque era preenchido pelos milhares de fãs cantando ali, junto de Chris Martin, o qual sorria algumas vezes ao ver o entusiasmo da platéia. E, quando o último verso foi cantado, aplausos e assobios foram ouvidos. Chanyeol estava muito extasiado de ter cantado aquela música em um show do Coldplay, ainda mais ao ser Viva La Vida, uma de suas músicas preferidas.

Sorriu ao ver que Baekhyun aplaudia para a banda no palco, já animado com o show. O baixinho percebeu o olhar e virou-se para Chanyeol, logo retribuindo o sorriso para o amigo. Trouxe Baekhyun para mais perto de si novamente e, ao invés de abraçá-lo, como Baekhyun pensava que iria fazer, Chanyeol deixou um selo rápido na boca fina, logo voltando a sorrir largo. Chanyeol considerou-se um completo sortudo ao perceber que poderia estar naquele show com qualquer um, mas era Baekhyun ao seu lado. O baixinho que o fazia sorrir sem querer e fazia seu coração palpitar com razão.

Baekhyun, apesar de ter ficado ligeiramente envergonhado, sorriu de volta para o maior e aconchegou-se um pouco mais nos braços do amigo para então voltar a encarar o palco, onde a banda volta a tocar com mais uma música.

Depois de algumas horas de show, Chanyeol e Baekhyun sabiam que este já estava acabando. E tiveram completa certeza ao ouvirem Chris Martin dizendo em seu microfone que aquela seria a última música da noite, graças ao inglês fajuto de ambos. Esperavam a última música começar, enquanto o vocalista pedia para todos pegarem seus celulares e levantá-los para iluminar o ambiente.

- Chan, qual acha que será a próxima música? – perguntou o menor, aproveitando que a música ainda não tinha começado.

- Eu não sei, baixinho. Talvez seja uma mais antiga pra fechar com chave de ouro.

Baekhyun não era um fã tão grande de Coldplay e, por causa disso, acabava não conhecendo muitas músicas da banda, principalmente as novas. Conhecia algumas das que mais fizeram sucesso há alguns anos atrás e até mesmo uma dessas era a sua preferida. Sabia cantar ela inteirinha e se duvidassem, até mesmo de trás pra frente. Por não conhecer muitas músicas, quase não tinha cantado junto com a platéia e consequentemente muitas vezes não entrou no clima animado do show, junto com os fãs que cantavam todas as músicas. E Chanyeol tinha percebido isso. Notou que às vezes Baekhyun mexia a cabeça e os pés no ritmo da música, mas não mexia os lábios um instante por não saber a letra. Chanyeol tinha que começar a fazer Baekhyun conhecer todas as músicas do Coldplay. Era essencial para viverem juntos e até para irem a outro show, o qual Chanyeol já planejava sem nem mesmo saber quando o grupo voltaria. Voltou a prestar atenção no palco, quando um novo ritmo se iniciou. Suspirou ao se lembrar de que aquela era a última música, mas arregalou os olhos surpreso ao perceber que música era aquela. Encarou o amigo, que se encontrava do mesmo jeito.

Aquela era a música preferida de Baekhyun.

Look at the stars

(Olhe para as estrelas)

Look how they shine for you

(Olhe o quanto elas brilham para você)

And everything you do

(E para tudo o que você faz)

Yeah, they were all yellow

(Sim, elas eram todas amarelas)

Baekhyun encarou o amigo surpreso e subitamente animado ao perceber que sua música preferida era tocada, e viu que o maior o encarava sorrindo largo, enquanto falava “é a sua música!” em um alto. Baekhyun sorriu largo e concordou, logo voltando a se concentrar na música e aproveitá-la. Assim que o vocalista voltou a cantar, Baekhyun o acompanhou, balançando o celular para o alto.

I came along

(Eu vim de longe)

I wrote a song for you

(Eu escrevi uma música para você)

And all the things you do

(E para todas as coisas que você faz)

And it was called Yellow

(E ela foi chamada de Amarelo)

Baekhyun acompanhava o vocalista, completamente animado por estar ouvindo aquela música ao vivo. Balançava o celular no ritmo da música e cantava alto assim como todos à sua volta. Aquela música era linda e Baekhyun sabia muito bem disso, pois sempre que podia a cantava. Baekhyun nem ao menos percebia que Chanyeol não dava atenção ao grupo e sim a si, encarando-o com um sorriso de canto, contagiado pela animação do amigo.

So then I took my turn

(Então eu esperei a minha vez)

Oh, what a thing to've done

(Oh, que coisa para se fazer)

And it was all yellow

(E era tudo amarelo)

Chanyeol notava o quanto Baekhyun ficava lindo com os olhinhos brilhando, principalmente ao som da música do Coldplay. O baixinho cantava com tanto entusiasmo que Chanyeol não pôde deixar de pensar que aquela fora a melhor parte da noite. Baekhyun finalmente cantava uma das músicas e finalmente tinha entrado no clima do show. Chegou perto do amigo, fazendo Baekhyun notar sua presença. O menor parou de cantar e o encarou-o curioso, com os olhinhos grandes com um ponto de interrogação, mas que também tinham um brilho por ter a música chegando a seus ouvidos. Chanyeol acariciou o cabelo do menor, vendo-o fechar os olhos rapidamente, aproveitando do carinho. Logo depois, escorregou suas mãos até a bochecha alheia e fez um carinho ali. Baekhyun suspirou em deleite.

Your skin

(Sua pele)

Oh, yeah, your skin and bones

(Oh, sim, sua pele e ossos)

Turn into something beautiful

(Transformaram-se em algo lindo)

Do you know

(Você sabe)

You know I love you so?

(Você sabe que eu te amo tanto?)

You know I love you so?

(Você sabe que eu te amo tanto?)

- Seria muito clichê eu te beijar ao som da sua música preferida? – murmurou um pouco alto, para Baekhyun conseguir escutá-lo. – Te beijar de verdade?

Baekhyun entreabriu os lábios, surpreso pela fala de Chanyeol. Contudo, logo depois sorriu ao perceber que também queria aquilo e que se ferrasse se aquilo era clichê.

- Nem um pouco. – murmurou no mesmo tom.

E então, enquanto Chris Martin cantava o último verso do refrão, segredando o quanto amava seja lá qual foi a pessoa para quem dedicou aquela música; exatamente no verso onde Chanyeol sentia a mesma coisa que Chris Martin quis passar, os dois se beijaram.

No começo foi um selar leve que durou alguns segundos, mas então Baekhyun pôde sentir a língua de Chanyeol passar levemente entre seus lábios, pedindo para que finalmente dessem um beijo de verdade. O baixinho não hesitou em abrir a boca e sentir a língua de Chanyeol contra a sua. O frio na barriga foi inevitável ao sentir a língua quentinha de Chanyeol enrolando-se à sua lenta e calmamente.

Retribuiu ao beijo da melhor forma possível e envolveu o pescoço de Chanyeol com seus braços, deixando claro que queria o maior mais perto de si. As mãos do mais novo desceram até a cintura do amigo e fizeram um carinho ali, enquanto ainda experimentava daquela boquinha que tanto sonhou em ter. Os lábios de Baekhyun eram macios e quentinhos e apesar de beijar Baekhyun exatamente naquela hora, parecendo o mais clichê possível, Chanyeol não se arrependia de beijar o pequeno ao som de Coldplay ao vivo no fundo.

O beijo seguiu lento por alguns minutos. Aproveitaram de cada sensação que cada um passou para o outro. Chanyeol tentava passar a todo custo o quanto realmente amava aquele baixinho e provar que tudo aquilo não era uma paixão de colegial e que aquela aposta não tinha sido brincadeira. Já Baekhyun apenas aproveitava o beijo, enquanto sentia o coração palpitar e o frio na barriga sempre que sentia Chanyeol suspirar contra si.

Separaram-se quando a música já estava no final, mais precisamente na última estrofe. Ambos suspiraram felizes ao encararem um ao outro, com os lábios vermelhos e úmidos. Chanyeol deixou um último selo nos lábios de Baekhyun, enquanto ouvia a platéia aplaudir e gritar quando a música finalmente terminou.

E no final de tudo, aquela não era mais a música de Baekhyun. Os dois sentiam isso. Yellow tinha virado a música de ambos, Chanyeol e Baekhyun, porque tinham certeza de que se lembrariam para sempre daquela música e daquele momento.

Voltaram para o apartamento de Chanyeol, pois Baekhyun decidiu que dormiria lá. Tomaram banho juntos, aproveitando para matarem a saudade de algum ato carnal e foram se deitar, sorridentes e felizes por terem assistido a um show incrível, com um momento incrível. Passaram alguns minutos trocando carícias e beijos – agora, beijos de verdade – antes de finalmente caírem no sono.

Na manhã seguinte, acordaram cedo já que teriam que trabalhar. Encontravam-se cansados pelo show que durou até tarde no dia anterior, mas ainda assim não se arrependiam nenhum pouco da noite passada. Comeram rapidamente um café da manhã preparado por Chanyeol e despediram-se com um beijo ao perceberem que já estava na hora de irem trabalhar.

Baekhyun passou o dia inteiro sorridente. Não conseguia parar de sorrir ao se lembrar da noite em que passou com Chanyeol em um show de uma banda que com certeza pesquisaria mais futuramente. Passou o dia sendo perguntado constantemente o porquê de estar tão feliz por colegas de trabalho, já que quase nunca viam o Byun sorridente daquele jeito apesar do menor não ser rabugento ou mal humorado. Teve que aguentar seus colegas lhe perguntando o tempo inteiro o que havia consigo, junto dos olhares maliciosos que já pensavam que Baekhyun tivera uma noite inesquecível, porém em outro sentido.

Chanyeol fora lhe buscar no trabalho como sempre e fora cumprimentado com um beijo vindo do amigo – que já nem sabia se poderia mais ser considerado assim. Acabou comentando com Chanyeol sobre seu dia no trabalho e as perguntas dos colegas e, ao ser questionado pelo maior o porquê de tantas perguntas e ter respondido que era por causa da noite passada, Chanyeol não perdeu tempo em lhe zoar.

- Foi o beijo, não é? – sorriu cínico.

Baekhyun bufou e olhou para a janela. Cruzou os braços e se encolheu no banco, cogitando em responder apenas para fazer Chanyeol ficar surpreso.

- Foi. – murmurou baixinho e percebeu que Chanyeol lhe encarava pelo reflexo do vidro.

- Que bom que gostou. Prometo dar mais alguns em casa. - ouviu a risadinha baixa ao seu lado e sorriu mínimo, revirando os olhos.

- Estou louco para você me beijar. – comentou em tom cínico, porém com um fundo de verdade.

Pouco tempo depois, finalmente chegaram ao apartamento de Chanyeol. Baekhyun já tinha se esquecido da conversa que tiveram durante o caminho, então seguiu até a cozinha sem se lembrar de nada. Pegou um copo d’água e, assim que terminou-o, se deparou com braços sendo enlaçados em sua cintura, apertando-o levemente contra um corpo grande se comparado ao seu. Recebeu um beijou no pescoço, outro na bochecha e um último no canto da bochecha, até onde Chanyeol conseguia chegar naquela posição.

- Vem cá, baixinho, que eu quero te beijar. – sussurrou contra a pele da bochecha de Baekhyun.

Baekhyun virou-se, sorrindo para Chanyeol e passou seus braços pelo pescoço de Chanyeol. O amigo colou a testa e juntou os narizes levemente, num carinho gostoso.

- Você realmente gosta de me beijar, não é? – sussurrou Baekhyun – Me pergunto como aguentou tanto tempo sem me beijar de verdade. – riu rápido.

- Eu queria te fazer querer muito esse beijo, e acho que consegui já que você gostou. – sussurrou de volta. – Faz tempos que eu quero beijar de verdade essa tua boquinha. – passou o polegar pelo lábio inferior de Baekhyun, fazendo-o se entreabrir um pouco.

- Então beija logo. – sussurrou encarando os lábios grossos à sua frente.

E então Chanyeol o fez pela segunda vez em menos de vinte e quatro horas. Juntos os lábios com pressa, porém com delicadeza, já enlaçando sua língua com a de Baekhyun assim que as bocas se abriram. Trouxe o corpo do baixinho para mais perto que o seu, colando os corpos. Baekhyun segurou Chanyeol pela nuca, embaraçando seus dedos nos cabelos curtos dali enquanto correspondia ao beijo.

Nesse meio tempo, Baekhyun tinha descoberto que beijar Chanyeol de verdade era muito bom.  A forma como a língua alheia entrelaçava-se com a sua, lentamente, mas passando todo o desejo que Baekhyun sabia que o amigo sentia por si, eram maravilhosos de se sentir. O jeito como a mão firme agarrava-se na sua cintura, sempre trazendo-o para mais perto, fazia Baekhyun suspirar em deleite. Era muito melhor permanecer nos beijos do que em apenas selos que duravam poucos segundos, onde nem ao menos podiam desfrutar de verdade.

Nunca admitiria em voz alta, pelo menos não planejava, mas beijar Chanyeol daquele jeito era muito bom e chegou até mesmo a se arrepender das regras que criou quando começaram a fazer sexo carnalmente.

Separam os lábios, porém não os corpos. Chanyeol continuou segurando o menor pela cintura, enquanto Baekhyun ainda mantinha seus braços ao redor do pescoço do maior, fazendo um carinho singelo ali. Sorriram um para o outro, enquanto se encaravam. Chanyeol balançava os corpos suavemente, como se estivessem dançando. Quem visse com certeza acharia que eram namorados.

- O nosso último encontro – começou Chanyeol. - vai ser na festa da empresa onde eu trabalho. E depois disso você vai ter que decidir.

Baekhyun suspirou.

- Você e suas apostas...

- Eu vou ganhar mais uma? – sussurrou no ouvido do amigo, fazendo um carinho com o nariz no pescoço alvo.

- Isso você verá no nosso último encontro. – disse teimoso. Apoiou a cabeça no ombro de Chanyeol, sentindo o mesmo dando alguns beijinhos em sua nuca à mostra, e suspirou – Chan.

- Hm?

- Se eu disser que sim no nosso último encontro, e no final tudo der errado, nós vamos nos afastar? – murmurou.

- Se você aceitar, não vai dar errado. – murmurou de volta – Eu te amo demais pra te deixar ir tão facilmente.

Baekhyun puxou levemente os fios da nuca de Chanyeol em nervosismo. Não esperava por aquela resposta e o fato do amigo estar tão próximo de si tornava tudo mais complicado. Sentiu mais um beijo sendo depositado em seu pescoço para logo depois sua cintura ser levemente apertada pelos braços de Chanyeol.

- Eu consigo ver suas bochechas coradas daqui. – murmurou Chanyeol, brincalhão. Riu ao ouvir Baekhyun bufar e pender a cabeça para o lado oposto ao seu, não deixando mais vê-lo suas bochechas.

- Quando é a festa? – perguntou querendo mudar de assunto.

- No próximo sábado.

Ouviu Baekhyun assentir e voltar a se aconchegar em seu ombro. Gostava muito quando o amigo fazia aquilo. Era tão bom sentir Baekhyun em seus braços, que poderiam permanecer daquele jeito para sempre que Chanyeol com certeza não se importaria. Adorava sentir o calor que Baekhyun emanava quando estava perto de si.

Permaneceram mais um tempo daquele jeito, no meio da cozinha, em completo silêncio. Chanyeol não queria se separar de Baekhyun e o amigo parecia ter o mesmo pensamento. Apenas o fizeram quando perceberam que já estavam há tempo demais daquele jeito e que deveriam dormir. Naquela noite, quem havia se agarrado no amigo fora Baekhyun. O menor passou o braço pela cintura de Chanyeol, que estava deitado de barriga para cima, e chegou um pouquinho mais perto. A vergonha sempre não o deixava fazer alguma coisa, apesar de não deixar muito transparecer que ficava envergonhado muitas vezes.

Os dias se passaram com muitos beijos roubados por parte de Chanyeol e lembranças do show passado. Em um dos dias da semana, onde Chanyeol havia buscado Baekhyun mais uma vez no trabalho e levado o pequeno até seu apartamento, Chanyeol praticamente obrigou Baekhyun a ouvir e conhecer mais do tão falado Coldplay. Chanyeol adorava tanto aquela banda e parecia tão animado para apresentá-la direito à Baekhyun, que o menor não conseguiu negar. Além de que tinha que admitir que as músicas eram bem legais.

Sentaram-se no tapete confortável da sala de estar, em frente ao raque, onde estava o rádio. Chanyeol pegou alguns dos CD’s que tinha da banda na gaveta ao lado e deu para Baekhyun observar. Perguntou então se Baekhyun se lembrava de alguma música que tinha tocado no show e gostado, mas que não conhecia. O baixinho disse que gostou de várias e Chanyeol pediu para o pequeno cantar as partes de que se lembrava, que eles então iriam escutar.

Acabaram ficando duas horas ouvindo as músicas em um volume baixo, ao lado do rádio, enquanto discutiam sobre o quanto aquela música tinha uma letra legal e Chanyeol dizia todas as histórias que sabia sobre aquela letra. Baekhyun acabou conhecendo muitas músicas e aproveitou até mesmo para colocar algumas em sua playlist. Estava começando a cogitar em dormir ouvindo algumas delas.

Chanyeol ficou mais do que feliz ao ver que seu baixinho estava começando a gostar de sua banda preferida. Gostava de Coldplay desde o colegial e desde então nunca abandonou o grupo. Só os amigos mais próximos de Chanyeol sabiam o quanto ele gostava da banda.

- São mesmo muito boas. – comentou Baekhyun, olhando novamente os CD’s.

- Não são? – Chanyeol sorriu. – Finalmente eu fiz você gostar de Coldplay, posso morrer em paz agora. – jogou-se contra o tapete felpudo.

- Você diz como se eu odiasse eles.

- Mas sempre me ignorava quando eu dizia para você ouvir algumas músicas. E quando dizia que iria ouvir, nunca ouvia! – apontou para Baekhyun que estava sentado ao seu lado, lhe encarando. – Você sempre foi um péssimo amigo quando o assunto era ouvir-músicas-para-poder-discutir-com-o-melhor-amigo.

Baekhyun riu.

- Você sabe que eu não sou tão ligado em música quanto você, Chan. – aproximou-se do amigo e colocou o CD que segurava em mãos no peito de Chanyeol. O mais novo apenas murmurou algo como “pois devia ser” fazendo Baekhyun rir baixinho novamente. Viu Chanyeol fechar os olhos e aproveitou para fazer um cafuné rápido em sua cabeça, logo retirando sua mão dali. Permaneceu observando a expressão serena do amigo de olhos fechados por um tempo, quando sentiu mãos grandes tocarem a sua e a posicionarem de novo no cabelo macio de Chanyeol. Baekhyun não evitou rir quando ouviu um fraco “continua” vindo de um Chanyeol sonolento e cansado. Voltou a fazer cafuné no cabelo do amigo e o viu sorrir minimamente. – Acho melhor a gente ir dormir. – murmurou.

Levantou-se, percebendo que Chanyeol já tinha aberto os olhos novamente e estendeu a mão para ele.

- Vem, grandão. – sorriu para o amigo que fez o mesmo ao escutar o apelido.

Quando perceberam, o dia da festa na empresa em que Chanyeol trabalhava já havia chegado e, consequentemente, o último encontro dos dois também. Como tudo estava uma bagunça na corporação em que Chanyeol trabalhava por causa de festa que teria aquele dia, o maior pôde sair mais cedo do trabalho a fim de deixar os funcionários encarregados da festa trabalharem em paz. Baekhyun continuou trabalhando, já que não trabalhava na mesma empresa que o amigo, por isso sairia de lá no horário de sempre.

Durante a tarde, enquanto estava em casa, Chanyeol terminou de enviar alguns e-mails para as empresas parceiras e permaneceu o resto da tarde na bobeira. Apenas quando a hora de buscar Baekhyun estava chegando, que o maior se levantou para fazer o almoço para os dois. Baekhyun não permaneceria ali durante tanto tempo, afinal ele tinha que voltar para casa para se arrumar.

Quando o horário de buscar o baixinho chegou, Chanyeol foi buscá-lo como se tivesse acabado de sair da empresa. Cumprimentou com um beijo demorado, como sempre, e então foram para o apartamento de Chanyeol almoçar.

- Animado para hoje à noite?  - Chanyeol perguntou enquanto almoçavam.

- Sim. – assentiu, mastigando – Eu gosto de ir às festas da sua empresa, são tão legais. E chiques.

Chanyeol riu soprado.

- E sobre a nossa aposta?

- O que é que tem? – encarou Chanyeol.

- Já sabe o que vai responder?

- Já.

- É uma coisa boa?

- Eu não vou falar, Chan. – murmurou brincalhão. – Nem tenta.

Alguns minutos depois, Baekhyun foi embora para se aprontar para a festa assim como Chanyeol também faria. Tomou um banho um pouco demorado e vestiu o terno que já tinha a algum tempo em seu guarda-roupa, mas que só usava aquele em especifico quando festas importantes aconteciam em seu trabalho. Penteou o cabelo de uma forma mais despojada que o normal, calçou os sapatos sociais, passou perfume e estava pronto. Aquilo demorou quase uma hora e provavelmente Baekhyun também já estava pronto.

Recebeu sua confirmação com uma mensagem do baixinho que dizia que ele já estava à sua espera. Chanyeol pegou as chaves do carro e de sua casa e respirou fundo.

Naquele dia saberia se conseguiu o que tanto queria.

Quando Baekhyun abriu a porta de seu apartamento para Chanyeol, o maior não evitou segurar a respiração e se controlar para não beijar aquele garoto como tanto queria. Baekhyun estava tão lindo que Chanyeol sentiu vontade de desistir daquela festa e passar o resto da noite com aquele homem que tanto fazia parte de seus sonhos. Ele estava parecido consigo. Terno, sapatos sociais, cabelo penteado e o perfume que Chanyeol sabia muito bem que ele só usava em ocasiões especiais, porém, exatamente por ser Byun Baekhyun ali, na sua frente, e não qualquer pessoa, já fazia com que Chanyeol chegasse à conclusão de que Baekhyun era único de qualquer jeito.

Voltou a encarar o baixinho que fazia o mesmo consigo com uma expressão confusa no rosto. Baekhyun tirou uma das mãos da maçaneta da porta e passou a mão pelo terno, arrumando-o como se estivesse amassado. Baekhyun voltou a encarar Chanyeol e perguntou:

- Tem alguma coisa errada?

- Não, não. – balançou as mãos. – É que faz um tempo que eu não te vejo assim.

Baekhyun sorriu e olhou ara o terno.

- Tá legal?

- Você tá lindo, baixinho. – sorriu e estendeu a mão. – Me concede a honra de acompanhá-lo até o carro? – brincou.

Baekhyun gargalhou no corredor daquele prédio, sem se dar conta de que alguns vizinhos já poderiam estar dormindo àquela hora já que muitos deles já eram idosos. Deu um tapa no braço de Chanyeol que agora também ria igual a Baekhyun. Chanyeol passou os braços pelos ombros do baixinho que agora estava ao seu lado e foram andando até o elevador como se estivessem prestes a se encontrar com alguns amigos, assim como faziam há anos.

A viagem até o prédio onde Chanyeol trabalhava não foi muito longo. O trânsito estava consideravelmente bom naquele dia e por isso chegaram rápido. Não havia um salão de festas no prédio e a empresa não quis alugar um, por isso decidiram fazer na recepção do prédio já que ali era grande o bastante pra isso. Além de que não haveria muitas pessoas, apenas funcionários e alguns donos de empresas que já eram parceiras há anos.

Entraram no salão-barra-recepção e se surpreenderam com o a decoração. Toda a decoração que estava ali todos os dias tinha sumido. O balcão da recepção, os bancos de couro espalhados pelo lugar, as plantas e algumas planilhas com informações da empresa. Tudo foi substituído por um salão espaçoso, com um bar de porte médio no canto, algumas mesas, e um palco encostado na parede do outro lado do salão. Ambos se sentiam em um daqueles bailes chiques onde só os mais ricos entravam.

- Nossa! – Baekhyun exclamou – Eu tô impressionado.

Chanyeol riu baixo.

- Eu não. Meu chefe sabe fazer um bom trabalho quando o assunto são as festas da empresa. – chegou mais perto do ouvido do amigo, sussurrando apenas para ele ouvir. – Só as festas mesmo.

Baekhyun riu baixinho e cutucou o braço de Chanyeol com o cotovelo. Pareciam duas crianças aprontando. Ouviram uma voz chamar por Chanyeol e perceberam que era um dos colegas de trabalho, Junmyeon. O cara era um bom rapaz. Sempre vivia de bom humor, distribuindo sorrisos por onde passava e ainda gostava muito do que fazia na empresa. Chanyeol sempre o via sorrindo ou trabalhando com uma vontade que raras vezes tinha.

O homem baixinho se aproximou dos dois, sorridente como sempre e falou:

- Boa noite. – cumprimentou – Faz tempo que eu não te vejo, Baekhyun. Como anda?

- Muito bem, Junmyeon.

- Vejo que ainda são muito unidos. – sorriu novamente – Eu queria muito ter uma amizade como a de vocês, admiro muito.

- Obrigado. – Baekhyun sorriu tímido e Chanyeol suspirou ao seu lado.

E se Baekhyun se tocasse que a amizade deles era mais importante que um relacionamento que nem sabiam se ia dar certo e desistir de tudo?

Isso se o baixinho estivesse realmente cogitando a ideia de aceitar ser seu namorado.

Chanyeol se encontrava tão nervoso que tinha a impressão de estar suando e que as pessoas até mesmo estivessem começando a notar. Limpava suas mãos em sua calça social a toda hora e sempre respirava fundo a fim de tentar se acalmar e fazer o calor passar. Não queria pressionar Baekhyun. Não queria mesmo. Fazia disso para não deixar transparecer o quão nervoso ficava toda vez que pensava nisso. Mas não podia controlar seu corpo. Só de pensar que, depois de tudo, não seria aceito pelo amigo e que realmente não ficariam juntos do jeito que queria, o enlouquecia.

Voltou a prestar atenção na conversa onde Baekhyun e Junmyeon pareciam conversar como se fossem amigos há anos. E por ironia, justamente o amigo de longa data ali era si mesmo e mesmo assim não participava da conversa. Percebeu que os dois conversavam sobre como estava indo o trabalho de Baekhyun e se este estava namorando.

Chanyeol não evitou de respirar fundo mais uma vez ao ver que Baekhyun tinha lhe encarado quando a pergunta sobre relacionamento foi feita pelo seu colega. Baekhyun sorriu pequeno ao ver que o amigo parecia ter ficado meio nervoso ao perceber que a pergunta tinha sido feita e voltou a falar com Junmyeon.

- Não, eu não estou namorando agora. – sorriu pequeno.

- Não tem pretendentes? Você é tão bonito.

- Junmyeon, acho que estão te chamando lá no fundo. Acho melhor você ir dar uma olhada. – Chanyeol se intrometeu na conversa. Já podia sentir suas axilas suando.

O baixinho foi até o lugar que Chanyeol disse, confuso. Ao perceber que tinha se livrado daquela conversa estranha, Chanyeol finalmente pôde respirar.

- Ele é bem solto, não é? – arrumou a gravata.

- Por que expulsou ele daqui? – riu – Ele é legal.

- Ah, não viemos aqui para falar de relacionamentos, não é, Baek? – puxou o amigo pela mão – Vem, vamos tomar alguma coisa.

Sentaram-se nos poucos banquinhos em frente ao bar e pediram uma bebida. Baekhyun encarou Chanyeol em silêncio, mas falou:

- Você fez aquilo porque não queria saber se eu to gostando de alguém ou algo do tipo, não é? – tomou um gole da bebida colorida

- Mais ou menos. – suspirou. – Eu só tenho medo de ouvir que você sente alguma coisa por algum cara. Tipo o Sehun. – murmurou.

Baekhyun riu soprado e engoliu o líquido.

- Se eu gostasse do Sehun eu já teria te dito não antes mesmo de fazer a aposta. Você sabe que faz tempo que ele corre atrás de mim.

- Eu sei, mas pode ser outro cara também, não é? – Baekhyun encarou Chanyeol com as sobrancelhas arqueadas como se dissesse “Você é burro?” - Ah, baixinho, não me olha assim. Você é tão bonito e atraente que eu tenho medo de alguém ser mais interessante que eu e você acabar namorando essa pessoa e não eu. Eu sei que você não é obrigado e tudo mais, mas, sei lá, eu penso nisso e fico nervoso. – tomou mais um gole, dessa vez, maior. – Eu fico tão paranóico com isso às vezes que me pego pensando em entrar na sua sala e ficar observando os caras que conversam com você só pra eu poder ficar de olho, e eu me sinto tão, tão controlador por causa disso.

- Cadê aquele Chanyeol que olhou nos meus olhos, com aquele sorriso filho da puta que me arrepia todo, e disse que não teria feito a aposta se não soubesse que daria certo? – se virou para Chanyeol e debruçou-se em seus joelhos, encarando o amigo de mais perto.

Chanyeol ficou em silêncio. Baekhyun estava certo. Aquele Chanyeol havia desaparecido e dado lugar a um completamente nervoso e inseguro. Não era daquele jeito e sabia muito bem.  Suspirou pela enésima vez na noite e encarou Baekhyun que esperava por uma resposta.

- Você tá certo. Me desculpe por parecer desesperado demais.

Baekhyun sorriu de canto e acariciou as bochechas do amigo em um carinho lento, nem se importando de estarem na festa da empresa do mesmo. Deixou um beijo rápido na bochecha do grandão e separou-se dele, pegando seu copo.

- Vamos procurar uma mesa, vem. – pegou Chanyeol pelas mãos, como já estavam tão acostumados e foram em busca de uma mesa.

A festa já estava cheia.  Chanyeol conseguia reconhecer vários de seus amigos e colegas, e até mesmo alguns presidentes de outras empresas. Apesar de não ser o chefe ali, conhecia alguns e por isso cumprimentou várias pessoas durante o caminho até a mesa.

Acabaram escolhendo uma mesa que ficava na fileira do meio. Assim não teriam muitas pessoas na frente de ambos para conseguirem enxergar o palco, e nem atrás caso quisessem ir dançar – o quê, aliás, Chanyeol queria fazer alguma hora da noite com Baekhyun, mesmo que o baixinho não soubesse ainda. Haviam quatro lugares na mesa já que esta era redonda, então Junmyeon acabou por sentar com os dois.

Conversaram muito, beberam muito e Junmyeon nem ao menos notava os olhares, os sorrisinhos e os carinhos por baixo da mesa que ambos trocavam algumas vezes. Baekhyun acabou por cumprimentar vários colegas e amigos de Chanyeol. Alguns já conhecia há anos por sempre ter sido amigo de Chanyeol, porém alguns conhecera ali mesmo.

Alguns colegas de trabalho de Chanyeol acabavam por perceber a relação que os dois tinham e principalmente o quão próximos eram. Muitos percebiam a mão de Baekhyun na coxa de Chanyeol, às vezes acariciando ali, ou o jeito com que Chanyeol passava o braço pela cadeira de Baekhyun e deslizava para mais perto do baixinho, enquanto este estava ocupado conversando com alguém.  Muitos colegas sorriam maliciosos para Chanyeol, já outros sorriam simpáticos e davam tapinhas nas costas de Chanyeol como se dissessem um mudo “parabéns ao casal”.

Chanyeol achava graça de todas as reações, mas não podia evitar ficar feliz ao perceber que, aos olhos de muitos, parecia namorado de Baekhyun. A sensação era muito boa e Chanyeol não conseguia negar isso.

Algumas horas depois, depois de muita conversa e comida, o presidente da empresa onde Chanyeol trabalhava subiu ao palco para fazer o tão clichê discurso onde agradecia a todos os funcionários e aos parceiros da empresa. Durante o discurso, Senhor Kwon, o presidente e chefe de Chanyeol, agradeceu especialmente a alguns funcionários por toda ajuda e um deles foi justamente Chanyeol.

- Park Chanyeol é um homem de ouro. – apontou para o mesmo com uma taça de champanhe na mão .– Está aqui desde que me conheço por gente, ou nem tanto já que sou muito mais velho que ele. – riu sendo acompanhado por todos do salão. – Brincadeiras à parte, agradeço muito a esse garoto alto que está sentado ali na segunda fileira, pois, mesmo depois de termos enfrentado uma crise dura, ele permaneceu comigo. Muito obrigado, Chanyeol!

Park levantou a taça, sorrindo em direção ao chefe. Apesar de não serem amigos de longa data, Chanyeol era mais próximo do presidente que muitas outras pessoas ali e ele gostava daquilo. Não pela paparicagem dos funcionários por ser amigo do chefe ou algo assim, não. Ele gostava porque sentia-se feliz só de pensar que se tornaram tão próximos por ter permanecido ao lado dele e ter ajudado a empresa.

Baekhyun sorriu para si e bateu palmas assim como todos do salão. Baekhyun sentia-se muito orgulhoso pelo amigo. Com certeza ele era o único dali que sabia o quanto Chanyeol dava duro em seu trabalho; o quanto ele gostava do que fazia, apesar de ser cansativo e ter que trocar seu tempo de folga pelo trabalho alguma vezes. Chanyeol até mesmo tinha negado alguns dos convites de Baekhyun para transarem por causa do trabalho. Então, sim, ele estava muito orgulhoso de seu meninão.

Quando o chefe desceu do palco, passou pela mesa onde os dois estavam e cumprimentou rapidamente Chanyeol e Baekhyun na mesa, desejando que eles tivessem uma ótima noite. Em seguida, um grupo de músicos subiu no palco, se aprontou e começou a tocar alguma música lenta que não sabiam o nome. Viram que muitos casais de namorados e de pessoas casadas se levantaram e se juntaram aos poucos no espaço no meio das mesas, onde tinha a improvisada pista de dança, e começaram a dançar no ritmo da música.

Chanyeol não perdeu tempo, aliás, não podia perder. Sabia que a festa estava em seu fim já que quando os músicos subiam no palco, era como um aviso indireto do presidente dizendo para todos:“A festa está acabando. Aproveitem o final dela, porque depois disso terão que ir embora” , então, sabendo muito bem disso, deixou sua taça em cima da mesa, levantou-se e estendeu a mão para Baekhyun, convidando-o para dançar. Não pôde evitar sorrir ao ver a expressão surpresa de Baekhyun, enquanto ele tinha champanhe em sua boca, enchendo suas bochechas. Aquilo já era de se esperar, Chanyeol nunca teve coragem de chamar Baekhyun para dançar, porque nunca soube fazer aquilo direito. Mas aquela poderia ou ser sua última chance, onde depois talvez nunca mais convidasse Baekhyun para suas festas porque ficaria com vergonha demais de ainda gostar de um garoto que, mesmo depois de uma aposta, não se apaixonou por si, ou ainda teriam muitas danças juntos, em qualquer lugar onde poderiam ter seus corpos colados daquele jeito, movendo-se em sintonia.

Baekhyun logo engoliu o líquido e deu a mão para Chanyeol, que sorria para si, de cima. Sua mão rapidamente foi praticamente engolida pela do grandão, e então levantaram-se e foram até a pista de dança, onde cada vez mais enchia com casais.

- Pensei que não gostava de dançar. – murmurou Baekhyun, assim que começaram a se mover lentamente.

Chanyeol riu baixinho.

- E não gosto. Mas seria quase um crime passar tanto tempo gostando de você e nunca ter tido uma dança contigo. – sorriu ao ver Baekhyun rir.

- Seria mesmo.

- Acha isso também?

- Claro que sim, eu tenho que ver o quanto você dança para ver se eu te aceito como namorado ou não. – brincou.

- Devia ter me falado isso. Eu teria feito algumas aulas e teria até trazido uma rosa pra colocar na boca.

Baekhyun riu alto, dizendo o quanto aquela cena seria engraçada, ao mesmo tempo em que dava um tapa fraco no peito de Chanyeol. O maior não conseguiu evitar rir também não só pela risada do amigo, mas também por perceber que muitas pessoas ao redor encaram Baekhyun, assustadas com a risada alta.

- Até que você não dança tão mal, Chan.

- É porque é fácil mover o corpo de um lado pro outro. Se fosse uma valsa de verdade, eu já estaria no chão.

E então outra risada de Baekhyun foi ouvida. Chanyeol adorava aquela risada.

Chanyeol sorriu mais uma vez e colocou uma mão na nuca de Baekhyun. O baixinho parou de rir, prestando atenção nas ações do amigo, e sentiu Chanyeol deitar sua cabeça em seu ombro. Sentiu as mãos maiores que a sua pegarem em sua mão de novo e segurá-la, voltando a dançar.

Baekhyun sorriu pequeno ao ouvir Chanyeol murmurar um “todos estão fazendo isso, achei melhor fazer” e se aconchegou mais. E depois se pegou sorrindo contido e rindo soprado ao perceber que nenhum outro casal fazia aquilo, apenas os dois. Podia perceber que eram observados por alguns convidados, a maioria deles colegas ou amigos de Chanyeol os quais cumprimentaram Baekhyun mais cedo. Todos eles sorriam para os dois, enquanto alguns lançavam joinhas e balançavam a cabeça.

- Parece que você não é o único que quer que nós fiquemos juntos.

- Ainda bem, né? – respondeu. – Espero que isso seja uma motivação. Você não quer deixar toda essa gente triste, não é? – perguntou brincalhão.

- Claro que não. – brincou. – Eu seria alguém muito sem coração se eu fizesse isso com eles.

Chanyeol sorriu sem Baekhyun ver. Resolveu mudar as posições então levou as mãos de Baekhyun até seu pescoço, enlaçando-as ali, enquanto a sua ia em direção à cintura fina que sempre gostou tanto de tocar. Sentiu um suspiro baixinho em seu pescoço e quase deixou um beijo no pescoço à mostra de Baekhyun. Quase. Só não o fez porque tinham muitas pessoas encarando eles e Chanyeol não queria mais atenção, apesar de ser engraçado ver muitos colegas encarando os dois.

Fechou os olhos e voltou a balançar o corpo, fazendo com que Baekhyun fizesse o mesmo. Se perdeu no cheirinho do perfume do baixinho que, se não estivesse se mexendo, pensaria estar dormindo em seu ombro. Arrastou o nariz pelo pescoço branquinho sem perceber e sorriu, era tão bom estar daquele jeito com Baekhyun.

Voltou a abrir os olhos e viu, no relógio que estava num canto da festa o qual não foi retirado por causa da comemoração, quase marcando meia-noite. Lembrou-se da aposta e que teriam que parar aquele momento sossegado para saber a resposta de Baekhyun, antes da aposta acabar. Suspirou baixinho e chegou perto do ouvido de Baekhyun, sussurrando:

- Ei, baixinho.

- Hm?

- Já vai dar meia-noite.

- E daí? – murmurou, ainda encostado em seus ombros.

- Eu preciso da resposta.

Baekhyun instantaneamente parou de mover e levantou a cabeça, olhando para Chanyeol. Tinha se esquecido que aquela era a última noite da aposta e que teria que dizer se Chanyeol conseguiu fazê-lo se apaixonar. Mordeu o lábio inferior em nervosismo. Não havia pensado nisso nos últimos dias, apenas em como se sentia toda vez que estava ao lado de Chanyeol.

- E então? – Chanyeol voltou a falar – Qual a sua resposta, baixinho?

- Bem, - começou. – se estar apaixonado é gostar de estar ao lado de uma pessoa e sempre querer ver os sorrisos dela; sempre querer sentir o cheiro dela, beijar ela e dar o máximo de carinho que puder, talvez a aposta tenha dado certo. – sorriu tímido

- É exatamente assim. É exatamente isso que eu sinto quanto eu estou com você.  – murmurou sorrindo

- Então, meus parabéns, Chanyeol, a posta funcionou. – sorriu. – Eu estou, sim, muito apaixonado por você. – suspirou, olhando para Chanyeol. Sentia-se mais leve? – Você sempre foi meu melhor amigo, Chan, e agora vai ser definitivamente o meu tudo.

Chanyeol sorriu largo, colando as testas.

- O quanto você gosta de mim, baixinho?

Baekhyun sorriu pequeno, meio envergonhado por estar pensando em falar algo como aquilo, mas decidiu dizer de uma vez por todas. Já tinham enrolado muito durante todo aquele tempo.

 

- Muito mais do que Yellow, do Coldplay, Chan.


Notas Finais


E então? O que acharam? Quero comentários, porque eu particularmente achei algumas partes chatas e entediantes demais e vocês provavelmente pularam elas LKDJKWRJWEP

A cena do Baek todo inseguro com o corpo foi algo aleatório que surgiu na minha cabeça, algo como uma mensagem indireta às pessoas que se sentem desse jeito - que, aliás, eu sei que são muitas. E o Suho aparecendo na festa também foi aleatóriozão, então não se assustem com a aparição repentina do pequeno Junmyeon. Comentem sobre essas cenas, que eu quero saber se gostaram - principalmente a do Baek inseguro com o corpo!

Espero de verdade que vocês tenham gostado da fanfic por inteira e do último capítulo também. Gostei muito de colocar Yellow, porque eu amo demais essa música e achei que ela seria perfeita para o momento. Desculpem a demora de novo pra atualizar, vou tentar começar a agilizar mais as coisas, porque sei que meio que sumi daqui.

Espero que tenham gostado também, suas lindas, Jimmie e Joy <3 É um prazer poder passar o aniversário de vocês - o da Joy ainda não foi, mas a gente releva q - com vocês KHKVEJÇFKLEFE

Obrigada se acompanharam até aqui!

Beijinhos de Luz <3

Se quiserem conversar, Twitter: @luhangerie
Qualquer perguntinha sobre qualquer coisa, tô lá: http://ask.fm/luhangerie
Interajam comigo lá, ainda não sei pra quê isso serve KJDÇW: https://curiouscat.me/luhangerie
#HappyJimmieDay <3 #HappyJoyDay <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...