História Two World's - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 1
Palavras 742
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Convocado pelo Rei?


-Aquilo não foi justo. - Green falou, rosnando. -E se ele não teve escolha? Ele poderia ser até útil para o Rei!

-A vida nem sempre é do jeito que queremos. - Andrew disse, enquanto apertava os ombros de Green com as mãos. -Ei, não fique tão triste.. E se eu fizer um novo arco para você? Isso melhora o seu humor? -ele disse enquanto abria a porta da sua casa para ela entrar.

-Eu não preciso de um arco novo. Ah, aquele soldado.. -ela falou com desprezo.

-O que tem o soldado? -ele perguntou curioso, enquanto fechava a porta e pegava uma espada, limpando a mesma.

-Era ele.. ele que me ajudou na Floresta. -ela falou com um certo nojo.

-Oh. Como o mundo é pequeno, não? -Andrew sorriu.

-Ele é um soldado.. mas, ele cruzou a fronteira. O que ele estaria fazendo lá? -Green parecia estar falando sozinha.

-Fronteira? Como assim? Ele cruzou a fronteira? Como você sabe disso? -Andrew começou a se irritar.

-Sim, ele cruzou.. isso é estranho.

-Green! Como você sabe disso?! Você cruzou a fronteira também? Você prometeu que não ia mais fazer isso! O que se passa nessa sua cabeça?! -ele estava quase gritando.

-Desculpe. - ela sussurrou -Mas eu precisei.. Lá é muito bom para Nevra.. é tão plano e, eu gosto de ver a minha mãe..

-Pare de arriscar a sua vida por isso! Se alguém de Angra do Norte te ver e descobrir que você é de Costa Azul, o seu final será igual ao daquele menino!

-Ninguém iria descobrir que sou de Costa Azul.. eu escondo bem o símbolo. Andrew, compreenda, por favor.. Eu nunca quis que a minha mãe ficasse lá.. mas que direito eu tenho? Estar por lá faz eu me sentir melhor.. eu não sou mais uma criança.

-Sua mãe está morta, Green! Ela morreu! Apenas os ossos dela ficaram lá! Pare de arriscar sua vida por isso! Ela morreu.. não morra também, Green. Você não pode.. fazer isso..

Andrew a abraçou enquanto dizia. Green o abraçou também, mexendo nos cabelos levemente cacheados e castanhos de Andrew.

-Está bem.. desculpe. -ela sussurrou e suspirou.

Andrew ia dizer alguma coisa, quando alguém bateu na porta. Eles rapidamente se soltaram,e ele foi até a porta, abrindo a mesma.

-Mensageiro do Rei? -ele perguntou ao homem que estava ali. Ele era baixo, quase sem cabelo e usava um chapéu vermelho e dourado.

-Andrew Near?

-Sim, sou eu. O que você quer?

-O Rei de Costa Azul exige a sua presença nesse mesmo instante. -o mensageiro falou, enquanto olhava para trás de Andrew. -Green Kairsel? É você? -ele perguntou.

-Sim. -ela disse enquanto ficava ao lado de Andrew. -Já sei, o Rei exige a minha presença também? -ela falou com deboche e desprezo.

-Exatamente. Sigam-me. -o mensageiro falou enquanto a virava de costas e começava a andar na direção de uma carruagem.

-E se eu não quiser? -ela perguntou, de forma desafiadora. O mensageiro se virou e sorriu.

-Será muito melhor se você vier, querida. -ele falou enquanto subia na carruagem.

-É melhor irmos, Green. -Andrew falou enquanto puxava a mão de Green para que ela subisse na carruagem. Eles estavam quase chegando no Castelo.

-O que o Rei quer? -Green perguntou.

-Apenas ele pode lhe responder. -o mensageiro respondeu, impaciente.

Eles chegaram no Castelo e foram levado a um grande cômodo, com várias poltronas.

-Sentem-se numa dessas e esperem. -o mensageiro ordenou e saiu do cômodo, deixando eles ali. Só então Green percebeu que tinham outras pessoas lá, sentadas nas poltronas.

-O que é isso? Uma reunião agora? -ela perguntou para sí mesma.

-Deve ser algo assim. -Andrew respondeu a pergunta dela, meio confuso. Ele se sentou numa poltrona. -Bom, aguardemos.

-------------------------------------------------------

Erick estava lutando com outro soldado em treinamento, quando o seu superior interrompeu a luta.

-Erick Curman?

-Sim, senhor.

-O Rei solicita a sua presença na sala das reuniões.

-A minha? -Erick perguntou, incrédulo.

-Sim, a sua. É para ir logo. O Rei não gosta de atrasos.

Erick foi correndo até a sala das reuniões, cheio de expectativas. Quando ele entrou, todas as suas expectativas sumiram. Vários jovens estavam lá também, incluindo a garota dos olhos verdes. Ele se sentou numa das poltronas e ficou se perguntando o motivo do Rei ter solicitado a sua presença.

-Elogios? Trabalhos? Punições? Eu não diz nada de errado.. ou fiz? -ele se lembrou de ter cruzado a fronteira. -Oh.. será isso? -um arrepio subiu na sua espinha.

Ele estava viajando nos pensamentos, quando o Rei entrou na sala, acompanhado de dois guardas. O coração de Erick disparou. Ele sabia que seria punido por ter feito aquilo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...