História Two World's - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 1
Palavras 899
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Ódio e Ódio mais descobertas


O Rei ficou de frente para as poltronas, com uma expressão gentil.

-Todos estão aqui? -o Rei perguntou para o mensageiro que tinha entrado na sala.

-Sim, todos. -o mensageiro respondeu.

-Bom. Vocês devem estar se perguntando o motivo de eu ter solicitado a presença de vocês, não? - ele sorriu e ficou sério -Como todos sabemos, o Reino de Angra do Norte não tem muita simpatia com o de Costa Azul já tem um tempo. Muitas guerras entre nós aconteceram no passado, e para estabelecer a paz entre os Reinos, nós criamos um acordo. Nenhuma pessoa de Angra poderá pisar aqui em Costa Azul, e o mesmo serve para nós. Mas de uns tempos para cá.. -Erick gelou. -O Reino de Angra vem nos ameaçando com sua nova arma completamente mortal. Nossos pesquisadores já tentaram descobrir que arma é essa, como ela foi criada e como ela funciona, porém, todas as tentativas falharam. A qualquer momento Angra pode simplesmente destruir tudo o que existe em Costa Azul.. Não é isso que queremos, não é? Então, eu, o Rei de Costa Azul, selecionei os jovens mais habilidosos do Reino para que eles demonstrem a sua lealdade e habilidade. Vocês serão divididos em grupos de três. -uma voz interrompeu o discurso do Rei.

-Espera. Demonstrar lealdade? Grupos? O que é isso agora?

Todos olharam para Green chocados -foi ela que interrompeu o discurso do Rei.

-Se você me deixar continuar, você terá as suas respostas. -o Rei deu um sorriso forçado. -Continuando.. Vocês irão se infiltrar no Reino de Angra, obter informações sobre essa nova arma e vocês devem fazer uma cópia dela. O primeiro grupo que trouxer a arma pronta, será o grupo com o direito de viver. Os demais.. bom, vocês entenderam.

Todos na sala pareceram parar de respirar. Erick se sentiu aliviado e assustado. O Rei não sabia que ele tinha cruzado a fronteira.. mas ele estava sendo convocado para ser um "espião" em Angra do Norte? E se ele não quisesse ser espião? Logo, uma voz perguntou a dúvida dele.

-E se eu não quiser? -a menina de antes falou.

-Se você não quiser? - o Rei deu uma gargalhada. -Se você não quiser.. eu mato a sua família da forma mais dolorosa possível, seus amigos queridos, e por último, irei fazer você morrer de fome e de sede, com a sua carne sendo comida por pássaros canibais. Você que escolhe, minha cara.

A menina -Green- gelou. Seu rosto ficou mais branco do que o normal. Erick não estava tão assustado. - 'Eu só preciso entregar a arma pronta primeiro e estarei vivo' -ele pensou.

-Como imaginei. -o Rei falou. -Agora, os grupos serão anunciados.

O mensageiro deu um passo à frente e abriu o pergaminho. Ele falou vários nomes - que Erick não prestou atenção. - e então, ele falou o de Erick.

-Grupo 7: Erick Curman, Andrew Near e Green Karsuel.

-Andrew.. Green.. - Erick falou sozinho.-Espero que eles sejam inteligentes.

Então, o Rei voltou a falar.

-Os grupos já estão anunciados. Em relação ao símbolo de identificação, nós não temos o que eles usam para fazer o símbolo deles, por isso, eu vos aconselho a esconder bem o símbolo de Costa Azul. Amanhã, vocês devem estar aqui exatamente às 07:00, para que eu vos entregue as armas necessárias de acordo com as habilidades de vocês. Eu também não recomendaria que vocês fugissem. Se amanhã alguém não comparecer aqui, eu irei matar a família do indivíduo. E também, eu não quero que essa história fique circulando por aí. Isso é uma missão confidencial. Ah, não se esqueçam que quanto menos pessoas estiverem competindo, mais fácil será para o seu grupo ganhar. Vocês estão dispensados. - o Rei falou, enquanto saía da sala. Todos pareceram respirar quando o Rei saiu. Erick se levantou e começou a perguntar para os outros quem era Green e Andrew. Ele então foi até a menina dos olhos verdes do incidente que tinha ocorrido mais cedo.

-Por acaso você seria a Green?

-Infelizmente, sim. -ela respondeu, olhando com desprezo para Erick.

-Eu sou o Andrew. Por acaso seria você o Erick? -Andrew perguntou, meio assustado e curioso.

-Sim, sou Erick Curman. - ele respondeu, com orgulho.

-Ei, o Rei falou que selecionou os jovens mais habilidosos. Qual é a sua habilidade? - Green perguntou.

-Bom, aos doze anos eu entrei para o Colégio de soldados. Aos quinze eu me formei, aos dezesseis virei um soldado oficial do Rei. -ele falou, cheio de orgulho. -Sou perfeitamente bom com espadas e lutas.

-Uau, isto é impressionante! - Andrew falou admirado. -Mas você tem dezesseis agora? - ele pareceu confuso.

-Não, não.. sou soldado desde os dezesseis. Hoje eu tenho dezoito. -Erick falou, com um ar superior.

-Tão impressionante.. - Green falou de forma sarcástica que irritou Erick, e então ela suspirou.

-E o seu, Green? -Erick perguntou sem muita curiosidade.

-A Green é muito boa com arco e flecha.. desde pequena, ela nunca errou a mira. - Andrew respondeu por ela.

-Isso será interessante.. -Erick falou bem baixo.

-Andrew é muito bom fazendo espadas.. armas. Ele é incrível. - ela falou com orgulho de Andrew.

-Ah, não seja assim.. -Andrew falou, e então ele olhou melhor para Erick. -Você.. Foi você, não foi? Que ajudou a Green na Floresta. Sim, foi você! - Andrew ficou surpreso.

Erick levantou uma sobrancelha, meio confuso. Ele olhou bem para Green, e então a reconheceu. Os olhos verdes.. o choque que ele levou ao vê-la defendendo o rapaz anteriormente.. era ela.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...