História Uchiha babaca - Fanfic completa - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Sasusaku
Visualizações 393
Palavras 1.064
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpa a demora e aquele textinho de sempre. Obrigada por serem maravilhosos <3

Capítulo 12 - O salvador Uchiha


Fanfic / Fanfiction Uchiha babaca - Fanfic completa - Capítulo 12 - O salvador Uchiha

Eu andava em direção ao ponto de ônibus e depois do primeiro quarteirão eu já me arrependia de não ter aceitado a carona das garotas. Aquele lugar era sinistro durante a noite. Eu olhei pra trás por reflexo e um cara andava atrás de mim, bom, a rua é pública, ele anda onde ele quiser não é? Isso não significa que ele é um maníaco Sakura, por Kami! Eu já estava me convencendo de que estava virando uma doida paranoica quando ouvi ele dizer.

- Está sozinha Gatinha? – ai Kami, que voz é essa? Esse cara tá bêbado? Eu apressei meu passo e apenas fingi que não estava ouvindo – Ei, espera aí, seu cabelo é rosa? Eu nunca fui pra cama com uma garota de cabelo rosa, sabia?

Eu me virei dessa vez, o garoto definitivamente não estava em seu estado normal, ele tinha um sorriso nojento no rosto e estava mais perto de mim do que eu imaginava. Entrei em pânico e senti meus olhos começarem a lacrimejar. Chacoalhei a cabeça, isso não era hora pra isso, eu precisava pensar rápido.

Ok, ele é maior e com certeza mais forte que eu, talvez bêbado esteja mais lento e eu consiga correr, mas é melhor não arriscar, olhei ao redor e vi uma cafeteria pequena do outro lado da rua, em segundos eu estava tirando meu casaco e sentando em uma das mesinhas confortáveis do lugar. Olhei pelo vidro e o cara ainda estava lá, e olhando diretamente pra mim! Kami, eu quero chorar.

Eu respirei fundo, eu sou uma adulta, uma médica responsável e tudo que eu preciso fazer é pensar direito, certo? Ele não havia entrado na cafeteria o que é um bom sinal já que indica que estou segura aqui dentro, mas também não parece ter problemas em esperar lá fora, o que faz com que sair sozinha daqui não seja uma opção. Meu primeiro impulso foi pegar o celular e discar os primeiros dígitos do número de Ino, mas elas já deviam estar quase em casa e fazer ela dar a volta na cidade só pra me buscar quando eu mesmo havia recusado a carona me parecia idiotice. Suspirei e mordi o lábio derrotada, o garoto continuava lá fora. Respirei fundo mais uma vez e meus dedos automaticamente já digitavam o número de Sasuke na tela.

- Sakura? – ele tentava falar por cima do barulho que fazia no fundo.

- Sasuke? Você está ocupado né? Eu... me desculpa. – eu quis me bater, era domingo à noite, ele provavelmente estava em alguma festa.

- Você não atrapalha Sakura... – ele suspirou – ta tudo bem?

E no momento em que essas palavras saíram pela boca dele eu desabei em lágrimas.

- Sakura? Sakura? O que aconteceu? Onde você está? – sua voz tomou um tom de desespero em segundos.

- Eu estava saindo do shopping com as garotas e um cara me seguiu e eu entrei numa cafeteria eu.... – à essa altura eu já soluçava.

- Me diz o nome do lugar eu tô indo praí.

- Sasuke não precisa, eu vou ligar pra alguém e... – eu o escutei bufar.

- Sakura, me diz onde você ta. – o tom mandão na voz dele me fez querer bufar também.

.....

Dez minutos depois um Sasuke afobado passava correndo pela porta de entrada. Seus olhos varreram o local e se estreitaram quando pararam em mim. Me encolhi um pouco mais na cadeira, eu devia estar horrível, com a cara vermelha e inchada de choro e brincando com a borda de um copo vazio de cappuccino. Ele veio em minha direção e eu levantei pra ir embora quando fui surpreendida por seus braços ao meu redor.

- Ta tudo bem? Ele te fez alguma coisa? – ouvir o tom de preocupação em sua voz me fez sorrir um pouco.

- Eu to bem, eu corri e entrei aqui antes que ele me alcançasse, mas o garoto continua lá fora e sair não era uma opção. – automaticamente seus olhos foram pras janelas e ele estreitou os olhos ao ver o garoto encostado em um poste qualquer. Ele voltou os olhos pra mim em uma checada rápida e pegou minha mão.

- Vamos pra casa. – e saiu me puxando pela porta.

.....

- O que foi Sakura? – ele dirigia calmo pelas ruas, mas eu podia ver os músculos de seu braço tensionadas e o leve vinco entre suas sobrancelhas.

- O que o que? – desviei meus olhos dele e fingi olhar pra alguma coisa pela janela. Foi a vez dele desviar os olhos pra mim por um instante.

- Você não para de olhar pra mim desde que saímos de lá, o que foi?

- Você está bravo comigo? Porque se está a culpa disso é sua, eu disse que não precisava me buscar... – eu levantei meus braços em sinal de rendição.

Havíamos chegado no estacionamento e ele me olhava completamente virado pra mim agora. Movi meu braço pra destravar o cinto e ele acompanhou cada movimento meu, mas assim que fui abrir a porta do carro sua mão segurou meu pulso.

- Bravo com você? Porra Sakura você é inacreditável. – sua voz estava rouca e ele balançava a cabeça como um pai repreendendo a filha. Bufei.

- Oh desculpe se interpretei errado, é que você é sempre tão bem humorado Sasuke. – ok, talvez agora eu realmente parecesse uma criança, mas que se foda! Eu tinha o direito e estava pronta pra briga, mas então ele me surpreendeu de novo, Sasuke sorriu.

- Eu fiquei preocupado pra caralho Flor.

E saiu do carro. É, e saiu do carro, me deixou com cara de tonta olhando pro nada.

- Sabe Flor, você já pode sair, eu preciso trancar o carro. – saí o mais rápido e com o máximo de dignidade que era possível naquele momento.

- Uchiha babaca. – murmurei baixinho.

Senti seus braços rodearem meus ombros ao entramos juntos no elevador e de lado podia ver o pequeno sorriso no canto da sua boca.

- Por que está sorrindo igual idiota? – sorri debochadamente pra ele que me sorriu de volta me arrastando pra fora do elevador.

- Entra, eu vou preparar um banho quente pra você, ta afim de comida chinesa? - ele deixou um breve beijo na minha testa antes de entrar na casa.

Desviei rapidamente meu olhar pro chão pra tentar disfarçar a minha vez de sorrir como idiota.


Notas Finais


É, ta bem fofinho. Obrigada por lerem. Beijos e até o próximo cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...