História Última música, primeira dança - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 8
Palavras 702
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Dollhouse


Gritos, são a primeira coisa que escuto assim que acordo, os gritos vêm da cozinha, aonde suponho que meu pai esteja jogado, e provavelmente bêbado, a porta do quarto foi aberta com um grande barulho, e por ela passa meu irmão, logo sinto um cheiro forte de drogas... 

-Hoje você irá levar Milena para a escola - eu vou ficar aqui e tentar impedir nosso pai de sair de controle e bater em nossa mãe, de novo - Fala e eu me sinto mal por não ter como ajudar, mesmo usando drogas e saindo todas as noites, Eduardo era atencioso e sabia cuidar das pessoas, apenas assenti levemente e me levantei. 

Fui para o banheiro e tomei um banho curto, pois não despenhadeiro de muito tempo para muitos cuidados comigo mesma, usava a roupa de costume, calça preta rasgada por conta de alguns tombos de Skate, moletom preto, All Star Vermelho de cano médio e o cabelo preso em uma trança que ia até a altura da cintura. Respiro fundo, criando coragem para sair desse inferno que chamo de casa, pego a mochila e passo no quarto de Milena, que tentava fazer um coque no cabelo, sorrio levemente e me aproximo... 

- Quando você vai aprender a fezer um coque corretamente,  Mi? - Pergunto e ela solta um grito fraco e dá um pequeno pulo para trás, a pontinha de seu nariz fica vermelha por conta do susto, o que a deixa com uma carinha fofa. 

-Eu só tenho oito anos, você não pode me culpar se eu não sei amarrar o cabelo - Responde fazendo biquinho, o que só a deixa mais fofa ainda, reparo bem em seu rosto, ela lembra muito Edu, os mesmos cabelos castanhos quase ruivos, os olhos cor de mel o nariz pequeno e redondinho, enquanto ela é uma cópia de Eduardo, eu sou uma cópia de Bruno, os cabelos praticamente negros, exceto por alguns fios castanhos, os olhos de um vermelho, e a pele extremamente clara, o que fazia com que nós parececemos vampiros, enquanto Edu e Mi pareciam fadas com as orelhas levemente pontuadas. 

-Não ia ser Edu a me levar para a escola? - Pergunta é eu lhe mando um olhar que era uma mistura de tristeza com raiva, olhar esse que ela logo entendeu - Papai voltou bêbado de novo não é? 

Eu apenas afirmo, parar não ter que pronunciar nada, o modo como ela perguntou me fez partir o coração, sua voz carregava mágoa. Depois de arrumar seu cabelo sai se seu quarto dando a mão à ela, passamos pelo corredor e pela sala correndo, para que não tenhamos que presenciar mais um das milhares de discussões diárias de meus pais. As lembranças do dia em que tudo mudou de alegria e diversão para tristeza e sofrimento ainda continuava em minha mente, eu olhava Milena brincar no jardim, do outro lado da rua eu avistei Bruno se preparando para atravessar, ele estava quase na metade da rua quando um carro em alta velocidade possou o acertando em cheio, tudo que eu vi depois fora minha mãe gritando por socorro desesperada, minha irmãzinha chorando e perguntando se Bruno estava bem, papai chorava próximo ao corpo já imóvel de Bruno, Eduardo tentava acalmar mamãe, mas todas sabiam que o corpo já estava sem vida, naquele dia eu havia perdido o único irmão no qual eu confiava plenamente. 

Chegamos a porta da escola de Milena, ela se despede de mim com um abraço e vai para a aula com suas amiguinha, suspiro e vou em direção a minha escola, não era muito longe, somente um quarteirão. Assim que chego naquele lugar, vejo muitos alunos se agarrando, vejo ao longe Clara sentada a sombra de uma árvore mechendo no celular. 

-Oi - Falo simples chegando perto e me sentando próxima a ela, sinto a luz do sol esquentar minha pele e logo coloco o capuz. 

-Você não foi na festa do Erik ontem, sorte sua que hoje tem outra, e você vai ir comigo - ela fala sem tirar os olhos do celular, solto um longo suspiro pensando :Odeio festas 

Hey Girls, open the walls

Play with you dolls

We'll be a perfect family

            Dollhouse - Melanime Martinez



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...